terça-feira, 12 de dezembro de 2017

A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL JÁ ESTÁ COMPONDO MÚSICAS

Computadores alimentados com conhecimentos quase infinitos, sons de todos os tempos e timbres, programação de algoritmos e sei lá mais o que criando músicas para diversas finalidades. É com isso que músicos e compositores humanos já estão concorrendo. Máquinas dotadas de inteligência artificial já estão criando sinfonias funcionais e industriais. Músicas pra acordar, pra comer,  caminhar, malhar, transar, trabalhar, pra acelerar o trabalho, pra colheita no campo, cavalgadas, guerras, todas as ações e sentimentos humanos similares. Essas músicas são executadas por programas que transformam a criação em sons utilizando samplers com todos os sons analógicos e sintéticos produzidos pelo homem. Atenção: não é ficção. É realidade! Já ouvi algumas composições feitas por IA. Algumas não são muito diferentes das coleções de trilhas disponíveis por aí. Mas tem até jazz e composições clássicas com  qualidade relativa. Os pessimistas acham que com a IA a humanidade vai ficar obsoleta e pode até ser eliminada pela criatura. Os otimistas acham que a IA  vai ajudar a aprimorar a humanidade. Nós humanos  aprendemos com a natureza. As máquinas aprendem conosco. Se terão lealdade ou piedade, só o tempo dirá. Se der errado, vamos ver se alguém lembrou de criar um botão de on/off. 

Se quiserem ver um filme interessante sobre o assunto, assistam.

PONTES DINAMITADAS


- E ai? Que dia vamos nos encontrar pra tomar uma?
- Qualquer dia...
- Estou com saudades das nossas conversas.
- Que bom. Vamos combinar...
- Mas combinar pra quando?
- Pra esses dias...
- Beleza. Temos muita coisa pra conversar...
- Vc quer conversar sobre o que?
- Uai...sobre a vida...sobre os bons tempos...
- Pra mim bons tempos são os que virão. Não gosto de ficar relembrando o passado.
- Uai...então vamos falar do tempo presente....da política.
- Não vai dar certo.Pensamos completamente diferente sobre política. Nós vamos é brigar.
- Mas você precisa ser mais flexível...ouvir mais.
- Você quer que eu seja flexível mas você não é. Sempre que nos encontramos quer me convencer que o seu jeito de pensar é que é certo, que sou equivocado. Fica difícil assim.
- Então vamos falar do cruzeiro...
- Hora ruim.Só em 2018 agora.
- Que tal falarmos da nossa amizade?
- Tivemos bons momentos. Sonhamos muito, embarcamos em alguns projetos e nos desgastamos muito com as decepções.
- Mas faz parte da vida. Fracassos e sucessos.
- Sim. Mas você é amigo de gente que não me quer bem, de pessoas que me prejudicaram, de inimigos ocultos. E se juntou a eles contra mim. Como pode existir amizade sem lealdade? Você fez suas escolhas.
- Puxa. Mas eu sou amigo deles também.
- Exatamente. E ficou do lado deles.
- Mas eu não sou seu inimigo por causa dessas escolhas.
- Mas uniu-se a inimigos que agiram e agem contra mim? 
- Eu não queria isso...
- Não queria mas ajudou a dinamitar as pontes...agora estamos em continentes diferentes.
- E como fica a nossa amizade?
- As amizades sobrevivem no bem querer e nas afinidades. O bem querer perdura. Mas as afinidades e a confiança já não são as mesmas. 
- E devemos deixar nossa amizade morrer por causa dessas bobagens?
- Eu não considero bobagens... e morrer é um termo forte. Nada apaga a beleza do passado. Mas o presente e o futuro é que realmente importam.
- Mas vc é que não está querendo conversar.
- Uai! Olha nós conversando aqui.
- Mas não é a mesma coisa que uma conversa pessoal.
- No momento eu preciso focar no meu trabalho. Deixemos para uma época em que as coisas estiverem mais tranquilas.
- Eu já entendi. Quando vc estiver mais tranquilo talvez eu é que não queira...
- É um risco...
- Tá bom então. Não vou incomodá-lo mais.
- Não incomoda.
- Se não dá valor à nossa amizade, tudo bem.
- As coisas tem o valor que a gente dá pra elas.
- Tá bom então. Faça como quiser. Eu também não vou ficar suplicando...
- Nem deve. Deixemos o tempo...

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ESCRAVOS DA INTERNET

Enquanto isso, aluno e professor de história conversavam num bar.

Aluno : -Minha nossa senhora...minha muié não me deixa em paz. Esse zapzap é uma merda.
Professor : -Estou muito preocupado! Não somos mais donos do nosso tempo.
-Mas não somos mesmo! Não se pode nem beber em paz.
-Mas não falo disso...veja só! Ninguém pode viver fragmentando-se pela perda natural de tudo quanto possui. A personalidade a deterioração do próprio pensamento, tudo vai deixando de ser continuamente. Significa que o homem vai perdendo sua própria conduta, a forma como assimila as coisas e a própria compreensão delas e de si mesmo. Começa a faltar-lhe a compreensão de sua integridade, porque está partiu-se como a própria informação.
- Papo cabeça hein? Mas francamente...acho que isso é conversa de geração que não compreende a outra. As pessoas vão adaptar-se ao ritmo alucinante da vida moderna e pá...  
- Não sou tão otimista. Passamos a viver uma cobrança constante de produção, um excesso de estímulo. O tempo converteu-se em moeda de grande valia. Eu posso trocá-la, mas não a tenho para emprestar. Meu tempo é um depósito em conta corrente onde estou sempre em vermelho e, quanto mais o tempo passa, mais cresce o meu débito. Transformei-me em um devedor crônico e eterno.
- Isso é verdade. Estamos sempre ansiosos, achando que estamos ocupando nosso tempo com bobagens...e ao mesmo tempo temos a sensação de que não existimos quando estamos offline. E essa cerveja tá quente...garçon...traz uma gelada por favor...
- Pois é. Resta-nos a impressão desse tempo livre, porque a vida que levamos nas redes sociais tem uma imensa intensidade temporal. Quanto mais tempo você dedica de sua atenção às redes sociais, mais tempo sente perder porque seu trabalho é considerado, por você, como produtivo. O tempo é por princípio capitalista.
- Tá vendo? Até o tempo é capitalista.
- É normal que você pense e sinta que seu tempo deve ser usado para trabalhar e produzir. Sentir que seu tempo foi entregue gratuitamente a uma empresa capitalista, que se apoderaram do seu tempo para ganhar dinheiro e não lhe pagaram nada por isso, é usurpação. Mas é o que acontece e você está sabendo disso. Seu tempo não é remunerado é tomado gratuitamente para ganhar dinheiro.
- Filha da puta esse Mark Zuckemberger hein? A gente trabalha de graça pra esse cara. É uma espécie de escravidão. Somos escravos do cara. Esse cara é um ladrão.Vamos pegar esse capitão de engenho.
- Que nada. Rs. Você está submisso e esta sujeição que está fazendo você trabalhar de graça. O conteúdo que você produz é vendido em um pacote de uso por muito bom dinheiro e você o produziu prazerosamente de forma gratuita gerando para os donos dessas marcas que infestam o nosso cotidiano, somas astronômicas. É a mais sofisticada forma de capitalismo. Na verdade eles lucram com o seu conteúdo.
- Que ódio. Preciso me livrar dessas tralhas eletrônicas. Precisamos nos desintoxicar...
- Calma. É certo que não podemos negar o valor dessas redes sociais, não resta a menor dúvida sua utilidade. Mas a minha camisa, meus sapatos, minha bicicleta também são úteis e as pessoas que produziram ganharam ao fazê-las porque eu paguei. Mas na Internet é exatamente isso que fazemos: trabalhamos de graça e achando muito bom fazê-lo.
- Eu amanhã vou eliminar minhas contas no facebook, whatsapp, instagram, só no redtube é que não.
- Para com isso. Você está é bêbado!
- Bêbado? Não tomamos nem 15 cervejas...    
- Ninguém mandou beber com professor de história. Voltando ao tema anterior, no século XII e XIII surgiu nas cidades italianas e do norte da Europa o capitalismo chegando quase que imediatamente às cidades hanseáticas. A isso se chamou capitalismo mercantil. Nesse tipo de capitalismo a troca enriquece. Em outras palavras lhe fornece o que você precisa em troca daquilo que você tem. Eu vendo um pouco mais caro o que comprei mais barato e ganho algum dinheiro com isso.
- Parece justo
- Mas esse capitalismo que praticamos na Internet não oferece margem de lucro. A relação com o tempo é nenhuma. É com a usura e o crédito que se enriquece. A época de São Tomás de Aquino, século XIII, um período marcado socialmente por muitas transformações, como a crise do sistema feudal, se discutiu bastante se buscando saber o preço do tempo. Mas este pertence a Deus. A conclusão a que se chegou, no século XIII foi de que o tempo não se podia comprar. Isso eliminava de vez a usura e os juros que judeus agiotas costumavam cobrar dos seus devedores. Não era um bom tempo para bancos e os consignados ainda não existiam. O que se pedia emprestado se pagava com a mesma soma e tudo bem. Que bom tempo... Sem banqueiros!
- E hoje em dia?
- Hoje em dia temos mais essa vertente do capitalismo, que vampiriza os nossos textos, nossas vidas, banquetes, viagens, romances e tretas. Tudo compartilhado pra alimentar o grande irmão...que resolveu morar nas nuvens...


( DIÁLOGO INSPIRADO E ASSUMIDAMENTE COPIADO E COLADO - de texto do FILÓSOFO, PUBLICITÁRIO E POETA MANOEL PEREIRA. ESPERO QUE ELE NÃO ME PROCESSE...)




sábado, 28 de outubro de 2017

APA

Boa noite meus amigos. Estamos todos aqui pelo mesmo motivo. Para falarmos de nossos esforços em nos livrarmos desse vício terrível de só pensarmos em política. Por isso estamos aqui na APA, Associação dos Políticos Anônimos, pra contar as nossas experiências no caminho da cura. Quer contar a sua história, irmão?
- Bom. Eu estou há dois dias sem comentar sobre política na internet. Não está sendo fácil, mas estou resistindo com todas as minhas forças.
- Palmas para o nosso amigo... ( Palmas)
- Mais alguém quer dar o seu testemunho?
- Eu aqui ó...
- Pode falar, meu amigo.
- Eu tava no boteco hoje e um cara falou mal do Lula. Ele falou que o Lula era ladrão e eu não retruquei.
- Parabéns...
- Disseram que o Lula era dono do Triplex e do Sitio em Atibaia...eu fiquei quieto...
- Muito bem.
- Mas quando falaram que o Temer tava até fazendo um bom governo eu não aguentei...parti pra cima do sujeito e teve de juntar gente pra separar.
- Calma, meu amigo. Toma aqui um copo de água com açucar...você precisa se desapegar...isso não faz bem...lembre-se do nosso lema:  POLÍTICA ZERO É TUDO QUE EU QUERO.
- Aqui...por favor...eu também quero dar meu testemunho.
- Mas claro...fique à vontade...
- Eu estou há uma semana sem fazer comentários sobre política no facebook.
- Palmas pra ele...mas como conseguiu essa proeza?
- Uai...eu tava passando o dia inteiro discutindo com os petralhas na internet né? Era debate o dia inteiro. Parei de trabalhar, não paguei  as contas e cortaram minha internet.
- Então foi providencial. Assim você fica de fora, aproveita e não volta mais ao vício.
- Aqui...posso usar da palavra?
- Mas é claro.
- Eu acho que nós não devemos parar de falar de política. Muito pelo contrário. O Brasil precisa da participação, da opinião dos cidadãos.
- Mas meu amigo. As pessoas estão abandonando as suas vidas pessoais, amigos estão desfazendo a amizade de anos por causa desse vicio.
- Eu acho que certos vícios são até benignos. A cerveja por exemplo. Quer coisa melhor que uma cerveja?
- Mas você está mudando de assunto. Espere aí...você não está aqui pra se tratar.
- De jeito nenhum. Estou aqui pra ver se arranjo uns votinhos. Sou candidato a vereador. Queria deixar uns santinhos com vocês. Como é que a Associação se chama mesmo?
- APA...
- E APA quer dizer o que mesmo?
- APA PUTA QUE O PARIU!

sábado, 21 de outubro de 2017

PLIM - PLIM


Enquanto isso naquela casa.

- Mas o que é isso?
- Isso o que???
- Você está assistindo Força do querer?
- É claro! É o último capítulo, amor. Senta aí e fique calado.
- Mas vc não podia fazer isso. Tá traindo o partido.
- Mas que mané partido. Senta aí e fica quieto.
- Mas nós fizemos promessa solene que não iríamos mais assistir a globo.
- Larga de ser besta. Eles também prometem um monte de coisas pra gente, dizem que vai melhorar pra gente e nada. Só eles ficam ricos e até viajam pro exterior. Senta aí e fica quieto.
- Ah não, amor. Essa Globo é pior que satanás. Não dá pra aceitar você se entregando a esse mal.
- Jo - sé  rre - na - to! Se vc não quer assistir, saia daqui. Sai fora. Depois a gente conversa.
- Foda-se...
( Silêncio e a energia cai)
- Pu ta qui pa riu, Zé Renato. Vc desligou o relógio?
- É pro seu bem, meu amor. Vc está hipnotizada pela globo. Estou te salvando de Satanás.
- Zé Renato. Vc vai religar o relógio agora. Aproveita que tá no intervalo.
- Mas meu amor...
- Vc religa esse relógio ou nosso casamento acabou.
- Peraí...também não é assim...
- Liga agora!
- Tá bom...já liguei...
- Plim.plim...

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

ENQUANTO ISSO, NO CONGRESSO ANUAL DOS DEUSES

- Puxa vida. Esse Manah tá muito doce. Erraram a mão no açucar.

- Mas não entendo. Vc já é tão gordo e comendo doce desse jeito?

- Claro. Depois tenho de ficar meditando em total recolhimento. E lá no tibet não tem doces assim.

- Mas assim vc não dá bom exemplo para os seus fieis...

- Ah, sô. Pelo menos no nosso congresso eu enfio o pé na jaca mesmo. Tão querendo me pegar pra Cristo?

- Êpa, êpa, êpa...quem tá falando meu santo nome em vão?
- Ah...não se faça de vítima. Sabemos que vc gosta é de peixe.
- Eu gosto é de paz. Como peixe por que a carne é mais pura, tem menos adrenalina.

- Gosta de paz mas seu pessoal lá embaixo tá pisando na bola.
- Como assim?
- Estão invadindo a jurisdição de outra deusa.
- Jurisdição de quem?
- Uai. Da Deusa arte. Tem representantes seus invadindo exposições,querendo barrar os artistas.
- Aposto que coisa boa também eles não fizeram também né? Meu pessoal é de paz.
- Só por que fizeram uma peça com você representado por um transexual...
- Só por isso? Ah...se eu fosse ligar pra isso. Fiquei mais irritado com aquela piada do bêbado e do bombril.
- Uai...nós não sabemos. Conta aí...
- Uai...dizem que o bêbado entrou na igreja e queria comungar. O bêbado tava dando um trabalhão. Queria que queria comungar. Ele entrou na fila e ia ouvindo o padre dizendo Corpo de Cristo. Só que a hóstia acabou logo na hora do bêbado. O Padre enfiou a mão no bolso e encontrou um pedaço de bom bril. O Bêbado pegou o bombril e foi botando na boca. Depois virou-se pro padre e reclamou. Puxa, padreco. Na hora de me dar o corpo de cristo, foi me dar logo o cabelo do saco?
- KKKK..
- Como você pode rir, Alah? Isso é uma blasfêmia.  Esse pessoal tá perdendo o respeito com a gente.
- KKK. Mas foi engraçada.
- Ah é né? Estavam um árabe, um brasileiro e um português condenados à morte na cadeira elétrica. Quando foram eletrocutar o árabe, perguntaram a ele qual seria seu último desejo. Ele disse que queria rezar e começou a dizer ALAH, ALAH, ALAH e a cadeira não ligou e ele escapou da morte. Na hora do Brasileiro, a mesma coisa. Ele repetiu a 
palavra ALAH e outro milagre. A cadeira não ligou...quando chegou a vez do português ele disse...ALAH a tomada desligada. E ele sifu.
- kkk.
- Não riam pois vou fazer vocês queimarem no mármore do inferno.
- Que isso, Alah. Você está no congresso dos Deuses. Aqui todo mundo tá no mesmo nível. Esqueceu?
- Nada disso. Eu sou único.
- Vai dizer isso pros seus colegas Jeovah, Javé, Krhisna, Buda, Ramal, Gaya, Odin, Zeus, Tupã, a arte...
- Ramal? Quem é ramal?
- Sou eu, meus amigos. O único Deus extraterrestre presente.
- Imagino...deve ser um ramal sempre ocupado...
- Nossa, essa foi péssima, Oxalá!
- Olha que eu sou um Deus importado, viu. Outro nível.
-Gente. Vamos então tratar do assunto que realmente interessa. Vocês estão sabendo dos boatos sobre o fim do mundo?
- Sim. Mas o que é que tem?
- Isso não é coisa de nenhum de vocês né? Apocalipse agora tá fora de cogitação.
- Calma pessoal. Fui eu. Foi só marketing mesmo pro povo rezar mais e comprar mais velas. O mercado precisa de especulações de vez em quando.
- Podiam ter avisado. Eu já tava até planejando umas catástrofes maneiras, um dilúvio espetacular.
- Calma. Temos uma missão muito mais difícil pela frente. Vamos precisar de todo mundo.
- Mas que missão é essa?
- Ajudar o Tupã a Levar o Brasil a um salto no tempo, deixando pra trás os séculos de atrasos, de corrupção e também da caretice religiosa. Até nós Deuses precisamos evoluir.
- Isso tá me lembrando um filme da terra..."Missão impossível"...
- Esperem aí, companheiros. Eu gostaria de pedir a palavra. Nunca antes na história tivemos uma país com tanta justiça social. Tiramos 50 milhões da linha de pobreza...
- Opa, opa, opa. Penetra na área. Quem falou que você é Deus?

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

FIM DO MUNDO CONFIRMADO...


- Estou vendendo tudo e indo pra Noronha,
- Que beleza. Fazendo turismo?
- Não. Escapando do fim do mundo.
- Mas como assim?
- Não viu a notícia? O mundo vai arrasar no dia 23.
- Ah...não caia nessa. Já disseram que ia arrasar um monte de vezes e nada...
- Mas dessa vez tem um fato novo. Tem vários furacões, terremotos, tsunamis, Temer, Lula querendo voltar.O trem tá feio.
- Calma, sô. Vai arrasar não.
- Como vc tem certeza?
- Certeza eu não tenho. Mas comprei o ingresso pra ver o Cruzeirão contra o Flamengo ganhando mais uma taça. Sacanagem acabar antes.
- É...mas infelizmente a data marcada é dia 23. Mas o Cruzeiro já tem títulos demais.
- É. Mas o mundo não vai arrasar agora não. Não tem nem sinal de meteoro ou de outro fenômeno interplanetário.
- Tem sim. Dizem que um planeta invisível Nibiru vai bater contra a terra.
- E vc acredita nisso? Mesmo que fosse invisível, seria captado pelos radares. Isso é conversa.
- Ah...se arrasar ou não...amanhã estou indo pra Noronha.
- Mas você nem tirou férias. Vai perder seu emprego.
- Besteira.De que vai adiantar emprego se o mundo acabar?
- Ah é? E se o mundo não acabar?
- Vou deixar pra pensar nisso depois...
- Vc é doido mesmo hein? Como pode um homem velho tão sem juízo? E se o mundo não arrasar?
- Mas o mundo precisa arrasar..
- Vira essa boca pra lá, rapaz. Pense na sua família,  seus amigos, seus parentes...
- Eu penso é nos financiamentos que eu tenho de pagar, na retração do mercado, nos bancos, no SERASA, nos cobradores que ficam no meu pé noite e dia. Se o mundo acabar somem esses problemas todos. Imagine o alivio?

terça-feira, 8 de agosto de 2017

O BRASIL TÁ MUDANDO ?


Enquanto isso naquele buteco...

- Serve uma branquinha dupla aí, Alfredo, que eu tô p da vida com esse país de m*.
- Mas que isso, amigo. Por que essa raiva do Brasil?
- Ah...nós só temos ladrões. Esses políticos não fazem nada a não ser roubar.
- Que isso, companheiro. O Brasil tá mudando.
- Mas tá mudando como?
- Uai. Não viu o tanto de prefeito que tá caindo por corrupção? A partir de agora, eles vão ter de pensar duas vezes antes de agir errado.
- Ah...mas você não vê esse povo ser preso...põe mais uma aí, Alfredo.
- Vê sim. Vc não viu os vereadores que foram presos aqui pertinho? Quase todos os vereadores foram detidos. O bicho tá pegando...
- Ah...mas não adianta. Lá em cima eles vão continuar roubando...
- É, mas já tem muitos graúdos caindo também. Tem muitos deputados presos, tem senadores. O trem tá feio pra eles.
- É. Mas a maioria dos ratos ainda estão soltos. É neguinho com dinheiro na cueca, é mala de dinheiro, helicópteros de cocaína. Eu não tenho esperança no Brasil. Põe mais uma aí, Alfredo.
- Estão soltos mas as ratoeiras estão sendo armadas pra todo lado. Os corruptos estão tremendo, sô. O Brasil tá mudando.
- Mas não adianta. Esse povo roubou tanto que a economia tornou-se irrecuperável. Os preços subindo e o povo desempregado.
- Ah...mas já começou a melhorar. Os índices vem num crescendo e até a indústria já está voltando a produzir.
- Põe mais uma aí, Alfredo. Olha meu amigo. A saúde tá um caos, a educação tá morrendo, a segurança pública tá falida, faltando dinheiro pra tudo. Como você pode ser tão otimista?
- Uai. Se o pessoal lá de cima for impedido de roubar, se trancarem o cofre, vai sobrar mais dinheiro pro povo cá de baixo.
- Alfredo (hic)...bota mais uma...olha aqui...você tá até parecendo que é do PMDB.Tá achando bom? Vai dormir com o vampiro. E deixe a Marcela pra mim.
- Você é que tá pessimista demais. Precisa gostar mais do Brasil
- Brasil? Aquele país que era verde amarelo? Hoje é vermelho de sangue e corrupção. Ô Alfredo, me serve a saidera...mas dupla...metade é pro santo.
- Ahá!!!
- Ahá o que?
- Fazendo um agrado pro santo?
- E o que tem?
- Isso é corrupção espiritual.Tentanto corromper o pobre santim pra ver se ele alivia a sua barra. Isso é pecado mortal viu? Vai arder no mármore do inferno.
- Pensando bem, vc tem razão. Não vou mais corromper o santo. Além do mais, é desperdício de cachaça. Nunca mais vou fazer isso.
- Tá vendo?
- Vendo o que, companheiro?
- O Brasil tá mudando...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

PIRATARIA, PLÁGIOS, COVERS E PARÓDIAS...

O Plágio acontece quando algúém copia parte considerável de uma música, de forma voluntária ou deliberada. Existem casos famosos de plágios na música. Uma das mais célebres foi do cantor escocês Rod Stewart, que plagiou a música "Taj Mahal" do Jorge Ben Jor pra fazer o megahit "Da ya Think I'm sexy".
Na época Stewart admitiu que pode ter se inspirado na música de Benjor, pois sempre ouvia música brasileira. Pagou pelo processo de plágio e reverteu o dinheiro para causa humanitária e ficou tudo bem. 


NOSSA SENHORA APARECIDA e DO ROSÁRIO

Existem também apropriações pouco comentadas por causa do respeito religioso. A música tema de "Nossa Senhora Aparecida" foi adaptada em diversas cidades, inclusive na minha Alvinópolis. Foi adaptada para N. S do Rosário e virou até Hino da cidade.



COVERS, TUDO BEM...

Desde os bailes de antes de antigamente existem conjuntos e bandas que tocam os sucessos dos grandes artistas populares. A maioria procura tocar o mais próximo possível dos originais. 

COLAGENS TAMBÉM

O RAP,o HIP HOP, são gêneros que abusam de colagens, que utilizam samplers, trechos de músicas de outras inseridos na batida, criando uma música mosaico, híbrida, borg. 


PARÓDIAS, VÁ LÁ...

Parece que os artistas não se importam. É muito raro alguém reclamar. Fiquei sabendo que há pouco tempo o Humberto Guessinger do Engenheiros mandou que tirassem do ar uma paródia feita com uma música deles em uma rádio jovem de uma capital. Mas na maioria das vezes o pessoal até gosta, pois acaba dando um up na versão original.

MAS PIRATEAR JINGLE É FEIO

O sujeito pegar uma criação sua e refazer, sem dar a mínima satisfação é pirataria. É errado por parte de quem copia e também por parte de quem contrata. Muitas vezes é o próprio cliente que pede pro arranjador "eu quero só que vc dê uma atualização, pois gosto do jingle antigo". Só que tem os direitos autorais. Eu faço jingles há anos. Quando o cliente quer obter a propriedade intelectual da obra não tem problema nenhum. Em algumas situações, já cedi os direitos de forma definitiva para alguns clientes, mediante negociação e pagamento, tudo na forma legal, oficial, documentada e tudo. Vamos trabalhar com ética, pessoal. Não vamos furar os olhos dos companheiros. Isso vale para os clientes também... 

terça-feira, 23 de maio de 2017

A RENÚNCIA

Enquanto isso naquela reunião de cúpula

- E aí? Todo mundo já chegou?
- Todos estão aí...
- Então muito bem. Eu queria comunicar para vocês, que vou renunciar ao cargo. 
- Mas presidente. O que é isso? O senhor não pode fazer isso. Não é justo.
- Eu refleti muito. Não tem mais clima, estou deixando a minha mulher em casa sozinha, vai que o Ricardão aparece...
- Olha. Faz o seguinte. Vá pra Fernando de Noronha uns dias pra espairecer, leve a esposa...enquanto isso a gente toma conta do queijo, quer dizer...da política, né? Dessa crise que não acaba.
- Nada disso. Eu vou passar a presidência para o meu vice.
- Pra mim? Nem pensar. Eu estou impedido. Tenho 380 processos contra mim.
- Ah é? Então vc, ministra do supremo?
- Eu? De jeito nenhum. Eu não me sinto em condições de assumir tamanha responsabilidade.
- Então vai um dos outros ministros do supremo?
- Sr. Presidente. Nós já conversamos sobre isso. Nós todos temos culpa no cartório. Tem de ir o senhor mesmo.
- Sr presidente do senado?
- A Lava gato me pegou...
- Quer saber uma coisa. Me passem o telefone...
- Mas presidente. O sr vai ligar pra quem?
- Alô...é o barbudo? Como é que tá? Aqui...vc tá querendo a presidencia né? Vamos fazer o seguinte. Vamos aprovar essa diretas já de uma vez, você assume e leva procê.
- Espere companheiro. Não é bem assim. Não é o momento de pegar. Vou esperar você fazer as reformas primeiro aí vc fica como vilão e eu chego como mocinho. (Tu...tu...tu...tu...caiu a ligação).
- Já sei...vou ligar pra ela...ô minha presidenta. Eu fiz aquela malcriação...aquele golpezinho...mas tô arrependido. Quer pegar de volta? Hein? Tá dando palestra num hotel em porto rico? Tomando Amarulla? Ah que pena. Tá bom então. Tchau querida...
- E aí presidente?
- Última tentativa...alô...e aí? Olha...eu tô pensando em renunciar a presidência mas ninguém quer pegar. Você topa? Topa mesmo? Viva...até que enfim...
- Sr Presidente? Quem topou?
- O Tiririca... 


segunda-feira, 15 de maio de 2017

DENTE CADENTE


Enquanto isso naquele bar das paqueras ... uma recém separada investia sobre um tímido no balcão.

- Olá. Posso beber ao seu lado?
- Claro.
- Vc vem sempre aqui?
- Sim. Gosto de beber aqui, sempre venho sim.
- Procurando alguém?
- Não exatamente...venho pra beber e pensar na vida.
- Mas num bar como esse?
- Nesse bar vem pessoas pra beber por que perderam o amor, outros procurando outro amor.
- E qual é o seu caso?
- Minha situação é pior. É um problema de infância que nunca consegui resolver.
- Mas não é possível.Vc também é viado?
- Não. De jeito nenhum. Eu pareço um ?
- Mas hoje em dia não precisa parecer mais. Antigamente eles eram efeminados né? Hoje em dia costumam parecer másculos...mais até do que alguns que realmente são. É uma confusão.
- Mas não é o meu caso. O que você está bebendo?
- Vodka pura. Eu quero ficar de foguinho rápido.
- Sei. Mas qual é o seu caso.
- Pois é. Meu marido me largou por causa de um rapaz. Acredita? E eu não desconfiava de nada. Mudou-se com ele para Macacos. Pelo menos continua pagando minha pensão.
- Puxa. Mas você bebeu quase um copo de uma vez. Assim vai passar mal.
- Eu quero é esquecer. Mas me diga aí. Qual é o seu problema?
- Uhn. Não sei não. Acho que vc vai sair correndo daqui quando souber...
- O que foi? Tem alguma doença grave contagiosa?
- Não. Eu tenho é dente cadente.
- Mas o que é isso?
- É o seguinte. Quando adolescente eu levei um tombo de bicicleta e quebrei os dois dentes da frente. O dentista colocou dentes postiços pra mim, mas eles sempre caem nas situações mais inusitadas.
- Ah...mas isso é motivo pra se isolar do mundo?
- Eu não quero passar mais vergonha. Viu aquele caso do ministro cujo dente caiu na hora que ele estava falando? Puxa...outro copo de vodka?
- Olha...quer saber de uma coisa?
- Já sei...vai me deixar sozinho aqui né? Eu já esperava. Fique à vontade.
- Não...eu vou fazer outra coisa...
( E lascou um beijo na boca do moço. E ele que estava na seca há muito tempo correspondeu com entusiasmo. Foi um beijo de 10 minutos)
- Puxa, vc me surpreendeu.
- Nossa...eu engoli o seu chicletes...espera aí...você está banguelo...ahhhhhhhhhhhhhhh !!!!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

SUPER JEAN

Enquanto isso naquela escola, o professor iniciava a sua aula de filosofia...

- Hoje eu quero provocar vocês. Eu quero saber quem é o maior herói da nossa cidade. Alguém sabe me dizer o nome dele? Hein? Luizinho levantou a mão! Sabe quem é?
- O Vinícius Araujo?
- Não. Não é o Vinícius Araújo. Ele inclusive anda meio sumido. Quem mais quer arriscar?
- Eu...
- Viviane...pra você quem é o nosso herói?
- O soldado Otávio.
- Mas quem é esse soldado Otávio?
- Um guardinha que salvou o meu gato que tinha subido no poste de luz. Ele foi muito corajoso. Podia ter morrido esturricado. E até que ele era um gato também....
- Olha Viviane. Os policiais são heróis mesmo, mas não é dele que estou falando. Mais alguém quer arriscar?
- Professor...eu sei de quem o sr está falando. É do Jean, não é?
- Até que enfim. Agora diga para os seus colegas quem é o Jean.
- Jean é o cara que traz uns games irados pra gente dos Estados Unidos. Gente boa ele viu.
- Você está de brincadeira né?
- Uai. Achei que tinha acertado. Não é ele?
- Quase. Vou lhe dar mais uma chance.
- Já sei...JEAN foi o cara que inventou a calça JEANS.
(risos gerais)
- Minha nossa senhora. Vou dar uma pista pra vocês. Qual é o nome da nossa cidade?
TODA SALA FALOU JUNTO:
- João Monlevade.
- E agora...pra vocês quem é o nosso principal herói?
E TODA A SALA FALOU JUNTO NOVAMENTE: JOÃO MONLEVADE
- Ufa. Até que enfim. Só que o nome dele era JEAN. Os brasileiros da época é que adaptaram, assim Jean virou João.
- Puxa professor. Mas por que ele foi herói?
- Uai. Ele saiu da França há 200 anos atrás pra fundar a Belgo Mineira e a nossa cidade. Se não fosse por ele, não estaríamos aqui.
- Mas ele tinha algum super poder? Onde já se viu herói sem super poder?
- Sim. Ele tinha super inteligência, super persistência e super visão de futuro.
- Que nem o Scoth dos Xmen com sua visão de raio laser?
- Muito maior...a visão dele atravessou dois séculos e chegou até os dias de hoje.
- Mas tem HQ com a história dele? Tem série pra gente ver?
- Ainda não. Mas, esperamos que a cidade comemore com muita festa, pois não é qualquer lugar que tem um herói tão importante.
- Mas professor. Se ele era mesmo um herói, usava capa? Podia voar?
- Não. Era um herói de carne, osso e atitude. Mas suas ações foram tão marcantes que influenciaram o futuro de uma região inteira.
- Puxa professor. Que maneiro. Que bom que temos um herói.
- Pois é, meus queridos. Os orientais veneram seus antepassados e honram seus exemplos. Espero que vocês tenham gostado da aula. Tomara que instalem o espírito do Jean no coração de vocês.  
- Professor...professor...nós estamos pensando em criar um HQ. Sabe qual vai ser o nome?
E DISSERAM JUNTOS:

- SUPER JEAN...