segunda-feira, 10 de outubro de 2016

VEREADORES SEM MANDATO

Há pessoas tão laboriosas e realizadoras, que são muito mais úteis para a sociedade que a maioria dos vereadores eleitos. Eu pensava nisso já antes das eleições quando passava os olhos sobre os feitos de um amigo lá da minha terra Alvinópolis. Lá tem um moço chamado Jucirley Nazário que tem uma trajetória muito interessante. Ele mantém na Vila Manoel Puig um bar interessantíssimo: a Selaria Raimundo Nazário, um quase museu cultural da cidade, repleto de livros, cds, recortes, objetos de diversas fases da cidade., que trabalha em várias frentes. Conseguiu um bocado de coisas pra cidade, dentre eles veículos, criou associações e ainda encontra tempo para presidir a centenária banda Santo Antônio da cidade. Ele foi candidato a vereador na cidade e não se elegeu. Ai eu fico pensando: será que faria tanto se fosse vereador? Outro amigo Vereador sem mandato é da cidade mineira de Passa Tempo, o produtor cultural Bianc Amorim. O sujeito consegue movimentar a cena cultural local com o seu projeto Estação Música na Praça. Ele montou uma estrutura pequena, com palco inflável( pequeno e lindo), som e luz e leva shows de excelente nível para a população local. E além disso, encontra tempo para abraçar os movimentos dos Quilombolas, do congado, fazendo um maravilhoso trabalho de resgate da cultura negra da cidade. E pra completar, ainda encampou um movimento para baixar os salários dos vereadores que causou um enorme alvoroço. Além de tudo, Bianc é um cantor afinado, de uma voz aguda de registro muito bonito. Imagino que faça mais pela cultura da cidade que a secretaria local(se é que existe). Em João Monlevade também temos vários vereadores sem mandato. Na cultura temos Carla Lisboa, que promoveu diversos eventos culturais na cidade juntamente com a turma do 7 faces. Monlevade teve alguma cultura nesses últimos anos por causa dela e turma, que mesmo com pouco dinheiro e apoio conseguiram promover diversos festivais. Outro sujeito que admiro e que tá sempre movendo as coisas é o meu amigo Breno Botelho. Já estive em diversas situações em que o Breno estava no meio, articulando, costurando almas e gerando trabalho para um monte de gente na publicidade. Poderia também citar a fotógrafa Lutécia, que registra e divulga a arte e cultura por onde vai. Perguntem se ela ganha alguma coisa com isso. As vezes um reconhecimento aqui e ali. Em Dom Silvério chegou a receber até moção da câmara de vereadores. Eu até acho que as cidades deveriam remunerar essas pessoas pelo bem que proporcionam. Mas parece que eles mesmos não se importam com isso, pois agem movidos pelos corações e não pelos bolsos. São locomotivas, que carregam o mundo nas costas. Bom, como sou ligado a arte e cultura, acabo puxando a sardinha pra minha brasa(rs). Mas tenho certeza que existem vereadores sem mandato em diversas áreas, como por exemplo, na área social, onde almas boas e caridosas ajudam de forma voluntária, sem visar nada que não seja o bem comum. Se você olhar ao redor, vai enxergar outros vereadores sem mandato, trabalhando com entusiasmo, com brilho nos olhos, fazendo o mundo melhor. E você? Também está disposto a fazer alguma coisa voluntária pelo bem comum? E Viva os vereadores sem mandato!

Um comentário:

  1. É muito legal e acima de tudo super realista seu artigo! Pois aqui onde vivo, apesar de pouco tempo vivendo a cidade, não é difícil notar alguns vereadores sem mandato. Cito um deles o amigo Zé Carlos. Artista de formação, trabalha há 20 anos em prol da cultura nas suas diversas áreas, desenvolvendo inúmeros projetos de sucesso. Candidatou-se de fato a vereador nessas últimas, como não poderia ser diferente a sua principal bandeira , a cultura. Não conseguiu... E de eleições passadas, já ouvi da boca de dito cujo vereador eleito: - "educação e cultura estão no mesmo saco, o povo quer é saúde e festa." O que mais dizer Marcos?! Rs. Recentemente, a idéia de seu amigo Bianc, colou em Ritápolis, iniciativa popular. Os vereadores receberão salário mínimo. Que bom seria se isso virasse uma corrente, a começar pela nossa querida Alvinópolis. Grande abraço.

    ResponderExcluir