sábado, 24 de setembro de 2016

VALE TUDO ELEITORAL


ENQUANTO ISSO NO CENTRO DA CIDADE, UM DESSES CABOS ELEITORAIS MALA ABORDA TODOS QUE PASSAM...

- Meu amigo...meu amigo...
- Sim sinhô.
- O sr já decidiu em quem vai votar?
- Ih, moço. Eu não gosto desses negócio não.
- Mas espere um pouco. O sr mora onde?
- Eu moro lá no Vale Encantado, na roça mesmo.
- Ah...mas então?  O sr então vai votar no nosso candidato. Ele vai levar saúde pro meio rural?
- Ih...moço. Lá não precisamos disso não. O povo lá tem saúde, nós come comida sem veneno, ovo caipira...temo agua limpa...morre de morte morrida. Morrer faz parte da vida.
- Ah...mas vocês do meio rural precisam ter saúde, segurança.
- Segurança pra que? Ocês vão mandar armadilhas pra pegá onça?
- Isso também não, né? Mais policiamento, umas câmaras de segurança...
- Ah...nós não precisamos disso não. Nós já temos os cachorros. Eles vigiam tudo, dão sinal e mordem quem se aproximar.
- Tá certo então. Ah...já sei...vamos asfaltar a estrada até a casa de vocês.
- Ih...moço. Não faz isso não. Nós estamos satisfeitos do jeito que está. Eu venho de cavalo pela tria. Precisa de asfalto não.
- Mas meu candidato vai mandar tratar a água de vocês.
- Ih, moço. A nossa água é limpinha, limpinha. Vocês da cidade é que sujam tudo.
- Tá certo. Mas nosso candidato pode mandar urbanizar lá pra vocês, colocar postes, luz elétrica.
- Ô seu moço. Num precisa mesmo. Lá nós temos luz do sol o dia inteiro e de noite nós vamos dormir...isso depois de cumprir a obrigação com a patroa né? E de noite nós temos os vagalumes...
- Mas vocês não tem luz elétrica? Mas não é possível...
- Nós não precisemos disso lá não.
- Mas vocês não tem rádio? E televisão?
- Não. Lá fica num lugar tão escondido, mas tão escondido que não tem nem eletricidade, nem rádio nem tv.
- Meu Deus. Como é que pode ter um lugar assim ainda no mundo. Mas como é que vocês fazem pra comprar roupas e outras coisas pro dia a dia?
- Ih, moço. Roupa a gente precisa de poucas pra viver. E não precisamos de muita coisa. A natureza nos dá tudo que a gente precisa.
- Mas não pode ser assim. Vocês precisam consumir...precisam gerar dinheiro.
- Ah...nós não liguemos pra dinheiro não. Nós temos tudo que precisamos.
- Mas vocês votam?
- Votemos. De 4 em 4 anos a gente vai na rua, vota e volta lá pro Vale Encantado.
- Mas então? Vote no meu candidato.
- Eu não posso. Seu candidato não pode ajudar nós. 
- Pode sim. Ele vai levar qualidade de vida, levar comércio, infra-estrutura, abrir ruas e loteamentos, indústrias...vai levar o progresso pra sua região.
- Mas o sinhô é insistente hein?
- E Então? Vai votar no nosso candidato?
- Mas no Vale Encantado ninguém liga pra política.
- Olha só...leve essas fotos pro pessoal e fale do nosso candidato pra eles. 
- Eu não quero fazê o sinhô perdê seu tempo. O pessoal lá não liga pra esses trem...
- Mas o senhor é difícil mesmo hein? Meu candidato só quer o bem do seu povo. Posso levar ele pra fazer uma reunião na comunidade de vocês?
- Poder pode. O único pobrema é que o Vale Encantado fica no município vizinho. Tem pobrema pro senhor? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário