sábado, 12 de março de 2016

MACUMBA FASHION

ENQUANTO ISSO NAQUELE SALÃO DE BELEZA

- Nossa, amiga. Estou com muito ódio. Estou até pensando em fazer uma coisa meio radical, sabe?
- Calma, amiga. Não faça algo que possa se arrepender depois...
- Mas eu não vou me arrepender nunca. Vou adorar fazer isso.
- Mas o que você está pensando?
- Você não tem preconceito?
- Mas de jeito nenhum.
- Estou pensando em fazer um trabalho na encruzilhada.
- Macumba? Uma loira sorumbática como você?
- Ah...chame como quiser...no youtube explica tudo direitinho como fazer...
- Ah não. Você é louca mesmo...não acredito numa coisa dessas.
- Ah, minha filha. Eu quero ele pare de ganhar dinheiro, fique duro, sem grana, pois ai ele não terá dinheiro pra sair com ela. Tenho de cortar as fontes. Sabe como é né?
- Mas o que você tem de fazer
- Bom, preciso comprar os ingredientes. É sério. Preciso afastar ela do meu bofe. Ela é muito sonsa...
- Mas o que você vai fazer.
- Olha. Eu preciso de um favor seu. Preciso que compre os ingredientes pra mim. Não pode ser eu, entende? Senão não dá certo...tá aqui a lista e o dinheiro.
- Ai, meu deus do céu. Só faltava essa. Ser assistente de macumbeira. Tá bom...

ALGUMA HORAS DEPOIS...JÁ ANOITECENDO...

- Ei. Estão aqui os ingredientes.
- Beleza. Vamos pra encruzilhada do cemitério então.
- Mas não tem de ser a meia-noite?
- Ah...vamos fazer diferente.
- Legal. Bem dark...
- Deixa eu ver os ingredientes aqui...uai...cadê a galinha preta?
- Ah...não tinha lá no supermercado do shopping. Peguei um chester mesmo. É mais gostoso.
- E a aguardente?
- Uai. Não era detergente? Essa letra sua é um garrancho.
- E as velas pretas?
- Ah...também não tinha...peguei uma coloridinhas mesmo...bem mais fashion.
- Minha nossa senhora...e a farofa? Não veio a farofa?
- Sabe o que aconteceu? Passei num selfservice do shopping. Infelizmente não era dia de farofa. Mas eu trouxe salpicão, que é bem mais gostoso.
- Minha nossa, amiga. Como vou fazer uma macumba assim?
- Uai. Essa época de crise exige inovação. O importante é a fé amiga. Já chegamos na encruzilhada. Vai rapidinho antes que chegue alguém...
- Mas quem vai vir aqui a essa hora?
- Você não sabe? Os casais vem aqui pra fazer aquilo escondido.
- Então tá...vou lá fazer o ritual...espere aqui, viu?

E lá foi ela. Fez sua reza de criação própria, colocou o chester com salpicão, acendeu a vela colorida, botou junto o detergente e um litro de leite também, que sua amiga levou não sei por que. Fez um desenho, fechou os olhos, visualizou a cena pretendida e depois entrou correndo no carro da sua amiga e voltaram pras suas casas.

No outro dia a amiga liga cedinho...

- Amiga...estou passada.
- O que houve?
- Você ainda não soube?
- Não...
-Sabe o seu bofe? Aquele que você  fez aquela macumba?
- Desembucha logo.
- Ele ganhou 1 bilhão na megasena. Tá podre de Rico.
- Uhn...então nossa macumba fashion deu errado.
- Pior é que não...
- Como assim?
- Aconteceu que ele deu entrevista dizendo que ia curtir a vida com o amor dele que é um outro homem. Ele é gay e assumiu.
- Uai. Quer dizer então que minha macumba deu certo. Pelo menos ele vai se afastar daquela bruaca. Vitória na guerra, amiga.
- Vitória na guerra...

Nenhum comentário:

Postar um comentário