segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

PRESSÃO



ENQUANTO ISSO NAQUELE JORNAL...

- Senhor Jairo. Tudo bem?
- Tudo bem. Em que posso ajuda-lo?
- Eu vim aqui parabeniza-lo pelo seu jornal. Muito bom viu.
- Obrigado. Você lê todo dia?
- É claro. Gosto principalmente das piadas e do horóscopo.
- Pois é. A página de esportes também faz muito sucesso.
- E a página de sociais?  Eu acho muito legal também. Coloca o povo no jornal.
- Pois é. Mas você não veio aqui pra falar sobre essas partes do jornal, certo?
- Certamente que não. Estou é querendo anunciar alguns empreendimentos do nosso grupo e seu jornal me parece uma mídia adequada.
- Que bom. Então vou mostra-lo como é que funciona o jornal. Um anúncio de página inteira é um valor, meia página é outro.
- Não se preocupe. Eu quero fechar um valor mensal com você.
- Uai. Você é quem manda. Quer que eu lhe mande a tabela com orçamento?
- Não precisa. Vamos acertar aqui mesmo. Eu gosto de tratar as coisas é no fio de bigode. Vou deixar um pagamento inicial de 10 mil reais em dinheiro  para o primeiro mês.
- Uai. Tá certo então. Mas vai enviar os anúncios pra gente colocar?
- Vou pedir ao pessoal do escritório para lhe enviar os anúncios. Vamos começar devagar.
- Como o senhor desejar. Vai querer recibo, nota fiscal? 
- Não precisa. Trata-se de um dinheiro não contabilizado. Sabe como é né?
- Como o senhor quiser. Quer um cafezinho?
- Eu gostaria sim...
- Dona Lúcia. Traga um cafezinho para o nosso cliente aqui. .- .mas me diga uma coisa. O empreendimento de vocês é em que área mesmo?
- O senhor quer saber empresa formal?
- Sim...pode ser.
- Nós criamos a Orange Life,  uma empresa de assistência odontológica para podermos limpar o dinheiro da nossa atividade central.
- Sei. E qual seria essa atividade central?
- Isso infelizmente eu não poderei lhe revelar. Mas lhe garanto que é uma atividade muito lucrativa.
- Sei...então as propagandas serão sobre a ORANGE LIFE.
- Exatamente.
- E vão me pagar 10 por mês para divulgar a ORANGE LIFE.
- Exatamente. Precisamos de uma boa fachada.
- E se eu me negar a entrar no esquema?
- Nesse caso vou visitar seu concorrente mais próximo.
- E se eu revolver denunciá-lo por tentar me corromper?
- Neste caso faremos uma oferta de compra do jornal.
- E se eu me negar a vender?
- Vamos cercear todos os seus anunciantes e patrocinadores e convencê-los a deixar de ser seus clientes.
- Tá bom então. 10 mil por mês, né?
- E o primeiro pagamento está aqui nesse envelope.
- Negócio fechado. Adoro a cor laranja.
- Então aperte a minha mão. Você acaba de vender a sua alma, quer dizer, acaba de fechar um excelente negócio.
- Eu tenho certeza. Vamos tomar alguma coisa pra comemorar?
- Não posso. Tenho de visitar mais alguns jornais nas cidades próximas.
- Ok então. Assim que tiver os anúncios, mande que eu publico.
- Só mais uma coisa. Eu andei visitando sua família esses dias. Muito bonita a sua esposa.
- Mas como assim?
- Eu estive lá como pregador de mensagens religiosas. Ela me atendeu muito bem, me ofereceu até café...
- Espero um pouco. Deixa eu ver se estou entendendo bem. Você está me ameaçando?
- De forma alguma. Só lhe parabenizando mesmo pela bela família. Mas já que mencionou, tome muito cuidado com o que publica em seu jornal. Sabe como é né? Tem gente que não gosta de aparecer em jornal...

Nenhum comentário:

Postar um comentário