sexta-feira, 31 de julho de 2015

ODORICO 2015


Enquanto isso, Odorico despachava com seu auxiliar.

- Coronel, precisamos desembolar um monte de coisas.
- Tá certo. Vai me passando os pedidos que eu me ocupo das prioritagens.
- Tem muitas coisas importantes pro senhor decidir...
- Mas isso é fácil. Sou o maior pragmaticista dessa cidade. Se der voto eu assino.
- Tá certo. Então vamos às solicitações.
- Pode mandar que vai ser vapt vupt.
- Pedido de som e 2 shows sertanejos para a comunidade do Aterro.
- Quanto que é?
- 60 mil. Com som e tudo. E o empresário é aquele amigo seu.
- Esse eu assino. Além de dar voto, o empresário é o Aparício. Ele repassa uma parte pro nosso caixa 3.
- Então vamos a outro pedido: construção de uma pinguela pro povo do Pindaíba atravessar pra BR sem precisar dar a volta no Brejão.
- Opa. Isso também dá voto. Além do mais, tem aquele moço das licitações, o Marinho. Fale com ele. Também temos um combinado. Ele também colabora com o nosso Caixa 3.
- Ok. Tem um outro pedido aqui. O Padre pedindo som e 2 barracas pra ele fazer a festa da paróquia.
- Deverasmente. Ele é do nosso lado e sabe como é que é né? Padre falando bem na missa sempre pega bem.
- Tem um pedido também aqui do Pastor Azevedo. Ele tá pedindo cascalho pra colocar na estrada ao lado do templo, pois quando chove os carros garram no morro.
- Não podemos dizer não para o pastor.  Temos de ficar bem com Deus. E ele também colabora com o Caixa 3.
- Ah...tem pedido aqui do pessoal do clube do Cavalo. Querem trazer shows com os principais cantores sertanejos do país. E a despesa é pesada, viu?
- Quanto é...
- Eles estão pedindo infra estrutura e mais um milhão.
- Ótimo. O povo gosta de fecha e se sente importante quando vem esses shows famosos. Além do mais, dá pra dar uma bela reforçada no Caixa 3. Um milhão muito bem empregado, viu?
- Mas prefeito. Por que Caixa 3?
- Ora, é muito simples. Porque Caixa 2 dá cadeia, mas Caixa 3 não. Você já ouviu alguém falando que Caixa 3 é proibido?
- Mas prefeito? Não é corrupção do mesmo jeito?
- De jeito nenhum. Tudo dentro da legalidade.
- Tá certo, prefeito. Então vamos aos dois últimos pedidos.
- Pode mandar...
- O pessoal da comunidade da pedreira tá pedindo um show com o MC Mandioca. Dizem que o show dele custa 5 mil.
- Nós vamos ajudar. Mas diga pro pessoal que preciso de um orçamento de 50 mil. Onde já se viu um show tão barato assim? Sobra muito pouco pro Caixa 3.
- E agora o último pedido. O pessoal da cultura tá pedindo verba e estrutura para fazer um Festival de Artes. Vai ter festival de música, exposição de artes plásticas, dança, apresentações de bandas de músicas, congado, oficinas artísticas. Eles querem fazer 3 dias de eventos. Mas eles pedem pouco. Apenas 5 mil.
- Esse pessoal é pidão demais. Acham que a prefeitura tem de bancar tudo.
- Mas prefeito. É tradição. É a cultura da cidade
- Ah...esses intelectuais só enchem o saco. Ninguém gosta de intelectual. Além do mais isso não dá voto. Diga a eles que estamos atravessando uma crise terrível e que esse ano a prefeitura não poderá colaborar.
- Mas prefeito. Vai pegar muito mal. A prefeitura nunca ficou de fora.
- Então faz o seguinte. Diga a eles que a prefeitura não vai ficar de fora de jeito nenhum. Mas que em função da crise, esse ano só poderá entrar com 600 real. Se eles chorarem, pode chegar a mil no máximo.
- Mas prefeito. Isso não dá pra quase nada.
- Faz isso que estou te mandando. Esse pessoal da cultura sempre se vira com pouco. Além do mais, o povão que vota mesmo e elege não tá nem aí pra cultura.
- Tá certo então.  Vou tomar as providências. E prefeito. Tem uma mulher ai fora esperando pra falar com o senhor.
- Quem é?
- Aquele moreninha professora de inglês. Ela diz que tá marcada com o senhor aqui.
- Ah tá. Mande ela entrar e cancele todos os compromissos de hoje.
- Ela tá pedindo alguma coisa também?
- Não. Ela é ótima em línguas. A gente tá fazendo uma permuta. Ela entra com as línguas e eu entro com o...ah...deixa pra lá. Sabe como é né?
- É claro prefeito. São os ossos do ofício né?
- Pois é. Eu faço isso pelos nossos empregos e pelo município.
- O senhor é muito magnânimo, prefeito. Faz enormes sacrifícios pelo seu povo.
- Pra você ver. E ainda tem gente que fica me chamando de corrupto. Eles é que não veem esse meu trabalho de relações púbicas. 

terça-feira, 28 de julho de 2015

PROJETOS CULTURAIS SENSACIONAIS

Projetos culturais muito legais e generosos vem acontecendo pelo país afora. Não são eventos faraônicos que custam 100, 500 mil, um milhão de reais. São projetos muito baratos, mas feitos com tanto carinho, com tanto amor e cuidado que  valem mais que qualquer megafesta eleitoreira.

PROJETO ESTAÇÕES DA MÚSICA NA PRAÇA – PASSA TEMPO - MG

O Projeto idealizado pelo cantor e produtor cultural BIANC AMORIM leva música de qualidade para a população de Passa Tempo, sempre de graça na principal praça da cidade. Bianc tem um bom gosto incrível e conseguiu montar um esquema muito interessante. Adquiriu uma barraca balão inflável e adaptou um palco pequeno, mas tão bonito, tão lúdico que tem encantado os passatempenses. É claro que a luta do moço é difícil. Conseguir patrocínios para bancar a estrutura dos shows não é fácil. Mas quem é que consegue segurar um coração determinado? Bianc luta daqui, luta dali, faz contatos, negocia com os artistas, faz de tudo um pouco e o projeto continua de vento em popa. É um projeto lindo sob todos os aspectos. Em primeiro lugar por representar uma vitrine aberta para os artistas, em shows intimistas, quase acústicos. Depois por oferecer ao público um menu musical alternativo, fora do esquema sertanejo-funk-pagode do mercado. BIANC já levou o projeto para outras cidades também, pois a estrutura é enxuta, fácil de ser transportada. Que os Deuses da arte protejam esse batalhador incansável e lhes dê saúde pra levar o ESTAÇÕES DA MÚSICA a muitas praças Mineiras.

PROJETO PARA TODOS
Outra ideia muito, muito linda mesmo é o Projeto Para Todos, capitaneado pelo músico, cantor, compositor e produtor Cristiano Salazar. Cristiano é mineiro de Teófilo Otoni, um dos artistas mais completos que conheço. O projeto, além de ter uma concepção visual belíssima, leva até as populações das cidades lindos espetáculos musicais, além de palhaços e brincadeiras. Shows lúdicos, para crianças de todas as idades. A ironia é que o projeto PARA TODOS foi aprovado pela lei de incentivo à cultura e tem viajado para diversas cidades, só não emplacando em Teófilo Otoni, terra natal do Cristiano. Parece que a Prefeitura de Teófilo Otoni não apoiou o projeto. Embarreiramento político ou a maldição do santo de casa? Não sei. Sei que perde a TO e ganham as outras cidades, que podem apreciar e se encantar com o PARA TODOS. Que Deus dê ao Cristiano e parceiros muita saúde pra continuar levando essa beleza para tantas pessoas. Assim como o projeto Estações da Música, é um projeto muito barato, onde os patrocinadores podem colaborar com renúncia fiscal.

OS DOIS PROJETOS TOPAM VIAJAR

Caso qualquer cidade queira levar um dos dois projetos, só pesquisar na internet e falar com Cristiano Salazar ou Bianc Amorim. Fácil encontrá-los no Facebook. 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

O QUE VOCÊ PREFERE: CULTURA OU FESTA?

O povo não quer saber de cultura. O povo quer é festa. Só que cultura não é só festa. É claro que quando se consegue juntar as duas coisas, fica lindo. Mas nem toda cultura é festa. Cultura é conhecimento lúdico, simbólico, poético, sensível, humano. Cultura é conteúdo, portanto educação. Antigamente havia o MEC: Ministério da Educação e Cultura. Quando separaram os ministérios, a cultura ficou a mercê da sensibilidade dos políticos. Foi aí que se lascou. Cultura não dá voto. Pão e circo dão. Então é só fazer festões populares, com artistas popularescos que tá tudo certo. Pra que orquestras? Pra que saraus poéticos? Pra que artes plásticas? O povo gosta é das artes práticas. Se você colocar 3 artistas sertanejos, de funk ou axé, tá saciada a sede de curtura do povo e tá tudo certo. Educação também não dá tanto voto. Mas o povo corre atrás por que os diplomas são passaportes para os sonhados empregos. Mas a cultura é algo voluntário. Se é voluntário, o povo não vai. Vocês se lembram de uma camisa feita pelos comediantes do Casseta? "Vá ao teatro, mas não me chame". Um tipo de humor ácido, que incomoda e sintetiza o pensamento da média. E no Brasil dos últimos tempos tivemos outro agravante: um exagerado elogio a ignorância e a glorificação de tudo que é popular. E o político na hora de aprovar um projeto cultural faz a seguinte pergunta: isso dá voto? Se não dá, tá vetado.  O pragmatismo político justifica esse tipo de pensamento.E o voto, que deveria ser o símbolo maior da nossa democracia, no caso da cultura se constitui uma chantagem. 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

VILA DO PERDIDO

Enquanto isso, a equipe do FANÁTICO fazia mais uma das suas reportágens históricas...

Olá, aqui é o repórter Leo Canabrava e estamos chegando no ponto mais remoto do Brasil, a Vila do Perdido, no interior do interior do interior de Minas Gerais,  onde só é possível chegar a pé, onde não tem carro, luz elétrica nem telefone.  As pessoas olham nossa equipe com muita estranheza. Vamos conversar aqui com um nativo.. 

- Boa tarde.
- Booa.
- O sr é daqui mesmo?
- Sou sim senhor.
- Sabia que aqui é local mais remoto do Brasil?
- Sei disso não.
- É verdade que aqui não tem carro, televisão telefone...
- Aqui num chegô.
- Quem é que é o prefeito aqui?
- Num tem prefeito não. Cada um cuida do seu pedaço e todo mundo junto cuida de tudo.
- Mas não é possível. Não tem prefeito, não tem vereadores...
- Eu nem sei o que é isso. É bom?
- É importante alguma forma de organização...
- Mas aqui é organizado. Tudo funciona bem...
- Mas não tem assalto?
- Assaltar o que? Ninguém aqui é rico...
- Sei...e sobre a mobilidade urbana?
- Olha, menino. Nem sei o que que é isso.
- Eu falo de transporte público....
- Não temos não. Aqui é tudo perto. A gente anda tudo a pé.
- Mas não é possível. Vocês não sentem falta de luz elétrica?
- Pra que? Tem o sol e é de graça.
- Mas e a noite?
- Uai. A noite a gente vai dormir.
- Mas vocês também não tem rádio nem televisão.
- Mas pra que que serve?
- Uai...pra tocar música e pra passar novela á noite.
- Num sei não. Prefiro a música dos passarim e das cachoeiras. E novela é a vida da gente, seus desafios, alegrias e tristezas.
- Ah...mas agora eu vou pegar o senhor. E a internet?
- Internet? O que é isso?
- Ah...é uma forma de comunicação em que você é encontrado em qualquer lugar.
- Você me deu uma ideia. 
- Mas que ideia?
- De um nome pra dar pro meu cachorro. Ele acha a gente em qualquer lugar. Vou chamar ele de internet.
- Mas me diga uma coisa. Quantas pessoas moram aqui nessa vila?
- Da última vez que contemos, deu 148 pessoas.
- E o pessoal aqui não sabe ler e escrever?
- O povo aqui sabe é falar. É assim que passamos os conhecimentos.
- Mas me diga uma coisa. Embora não tenham tecnologias, as ruas da vila são limpinhas, os jardins, as casinhas. Tudo simples, porém bonito. Qual o segredo dessa organização toda, apesar da distância da civilização?
- Uai. Acho que é o amor, né?
- E vocês acreditam em Deus? Não vejo igrejas por aqui
- Acreditamos em Deus sim. Rezamos todo dia. Mas só pra agradecer pelas coisas boas que temos. Não ficamos pedindo e clamando, pois Deus já tem trabalho demais.
- E vocês tem médicos aqui? Pra cuidar dos doentes, dos necessitados?
- Médicos nós não temos. Mas o povo adoece pouco. Só tomando água limpinha, sem poluição. Comendo alimentos puros sem agrotóxicos. Dormindo bem. Fazendo as Donas Marias felizes. E quanto alguém tem algum problema de saúde a gente conversa é com o raizeiro. Ele sabe de tudo.
- Espere um pouco. Eu não estou vendo mulheres. Onde elas estão?
- Uai. Elas estão trabalhando.
- Mas como assim?
- Aqui todo mundo trabalha. Assim a vida fica mais leve pra todo mundo.
- E vocês nunca quiseram ter mais contato com as metrópoles? Não tem vontade de virar uma cidade como as outras?
- Pra ter políticos roubando o pouco que a gente tem? Pra termos eleições,  prefeitura, vereadores, deputados, prefeitos, cabos eleitorais e eleitores votando nos mais velhacos e desonestos? É melhor que fique como está.

Nisso apareceram 3 mocinhas lindas trazendo café e quitandas pra equipe, que comeu a valer, bebeu dos sucos naturais e ficou por ali conversando. Num certo momento, Leo Canabrava resolveu perguntar a uma das pessoas presentes.

- E me diga uma coisa. Que fosso é aquele que fica ao lado daquela praça?
- É onde a gente jogou as outras 67 equipes que vieram aqui antes de vocês, depois que o veneno fez efeito.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

COMUTALISTA


Enquanto isso na roça, o menino fazia sua lição de casa...

- Mãe. A senhora sabe o que é capitalismo?
- Uai. Craro, É tudo que vem da capitar.
- Ah tá. Então o meu tênis, o videogame que o meu tio trouxe, o yogurte, os dvds, é tudo capitalismo?
- É  isso mês.
- E comunismo, mãe? O que é comunismo?
- Uai. Comunismo é tudo que é comum. Por exemplo, a água, a terra, o vento, as plantas, os bichos.
- Entendi mãe. Já resorvi que sou capitalista então. Essas coisas do comunismo nós já tem.
- Tem nada, meu filho. Hoje em dia a água é da Copasa, a terra é do dono do terreno, as plantas são do Ceasa e os bichos são dos frigoríficos.
- É verdade mãe. Mas a água da copasa vem limpinha e tratada, né?
- Pois é. Mas a conta vem junto. 
- Uai, mas então o capitalismo comprou o comunismo?
- Sei lá, meu filho. Não entendo muito dessas coisas.
- Mãe. Eu gosto do comunismo. Gosto da natureza, das plantas, de dividir o que a gente tem com os bichos.
- Pois é, meu filho. Mas sei lá. Lembro de um Padre que falava que os comunistas comem criancinhas.
- Sério mãe? Mas como assim comem criancinhas? É a tal da pedofilia, mãe?
- Não fio. É comer mesmo. Pegar, cortar, botar no panelão e as vezes até churrasco.
- Credo mãe. Isso não pode ser verdade.
- Sei lá. Minha vó falava, seu avô fala até hoje...
- Mas você acredita, mãe?
- Acreditar eu não acredito, mas não quero você metido com esses comunistas. Vai que é verdade e eles transformam você num homensexual.
- Não é homensexual, mãe. É homossexual...
- Mas como você sabe disso? Você não está...ah menino...seu pai te mata hein?
- Não, mãe. Eu gosto é da formosa...quer dizer, das meninas.
- Ah tá.
- Mãe. É verdade que Jesus Cristo era comunista?
- Por que você pergunta isso?
- Ele não gostava de distribuir o pão?
- Pode até ser. Já o pai dele eu já não sei. Já gostava mais de acumular ouro e outras coisas.
- Obrigado mãe. Você me ajudou a decidir.
- Mas como assim?
- É simples. Vou ser comutalista e tudo vai ficar em paz..

(Em tempo, o personagem da história criou uma solução juntando numa palavra apenas as duas ideologias: capitalismo e comunismo. Mas alguém teve a mesma ideia antes e o COMUTALISMO já existe. O Movimento Comutalista prega uma visão de arte como algo que descreva algo verdadeiro e profundo, sendo uma aversão a produtos massificados e pobres em conteúdo. A visão Comutalista se baseia na filosofia de que o homem só é feliz vivendo de forma fraterna e que só se atinge a fraternidade com a igualdade e a igualdade com liberdade e só é livre com conhecimento e somente assim ele poderá ser um homem "melhor"; O homem Comutalista ve em si mesmo a imagem do divino, priva o conhecimento sobre a ignorância, a Ciência sobre o Dôgma e a diversidade sobre o Racismo, a Fraternidade sobre o Preconceito. Assim ele expressa sua espiritualidade de uma visão mística e científica, e possui uma preocupação social e acredita que deve cumprir com um papel político na sociedade de forma a sempre lutar pelos seus ideais, criticando o sistema e as arbitráriedades vigentes. Os Comutalistas são futuristas e possuem um compromisso com o progresso. São exemplos de arte Comutalista a Ficção Científica, o New Age, a crítica social ao sistema captalista, expressos de várias formas, seja pela música, seja pela literatura, Cinema ou tv. A arte comutalista é considerada a arte do futuro)

sexta-feira, 10 de julho de 2015

ORAÇÃO HUMANA

Ó pai celestial, protegei-nos dos chacais que nos espreitam.
Dê-nos visão de Raio-X, para enxergarmos os corações de pedra, de gelo ou negros de ódio.
Livrai-nos da fartura artificial, do desperdício, da insanidade do consumo paranoico.
Dê-nos mais energia e criatividade para sobrevivermos aos tempos de privações.
E que essas privações nos ajudem a valorizar o que temos e nos façam mais previdentes e austeros.
Não deixeis que a crise que não é nossa se estabeleça em nossas mentes.
Proteja-nos dos talibãs de direita e de esquerda que tentam nos convencer
de que suas lógicas obtusas são expressão da razão.
Nos livre do pessimismo conveniente, que tem como único objetivo criar um clima negativo para desestabilizar quem está no comando.
Nos livre também do otimismo artificial, criado para nos convencer de que o que vai mal, vai bem.
Nos dê o poder de enxergar o que há por trás das propagandas feitas para maquiar a verdade.
Nos conceda sabedoria e discernimento para não cairmos nas tentações da politicagem destrutiva, azedando até o que é justo e bom..
Que consigamos enxergar as campanhas de destruição em curso, engenharias abissais, napalm de palavras, que dilacera reputações e deixa terra arrasada. 
Nos dê força e potência moral para resistirmos as tentações das propostas indecorosas.
Livre-nos das maçãs podres, dos corruptos e corruptores cheios de cortesia e educação, que esperam a hora certa para nos transformar em cúmplices.
Dê-nos senso da realidade, para nos engajarmos nas boas causas, no combate as injustiças, sem egoísmos, sem contaminações ideológicas ou sectárias.
Que possamos enxergar todos os seres que vivem na terra como irmãos, como companheiros de viagem nessa enorme e pequenina nave azul chamada terra.
Peço-lhe humildemente, meu Deus, que sejamos mais sábios, menos propensos a acatar as influências alheias, firmes nas convicções, mas humildes para mudar de ideia quando percebermos que estamos errados, tolerantes para aceitarmos o diferente, humanos para aceitarmos nossa pequenez, nossa grandiosa insignificância.
Rogo-lhe meu Deus, que é negro, branco, amarelo, moreno e verde,que é para os brasileiros, nigerianos e albaneses,para os humanos, animais, plantas e minerais, para o éter e para o nada. Faça-nos instrumentos da vossa paz e amor e dignos de sermos chamados de humanos. Amém.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

JOSÉ MANGABA



Enquanto isso naquela prefeitura...

- Sr. Prefeito. Tem um senhor aí querendo falar com o senhor.
- Ele está agendado?
- Não. Mas ele diz que o senhor o conhece bem, que já fez alguns trabalhos pro senhor.
- E qual é o nome dele?
- É um nome engraçado. Parece que é José Mangaba.
- Mas não é possível. Você tem certeza?
- Sim. 
- Mas que estranho. Eu já paguei ele a muito tempo.
- Engraçado, prefeito. Todo mundo saiu da prefeitura. Parece que o povo tem medo desse sujeito. Ele é algum pistoleiro?
- Muito pior, Dona Graça. Ele é curandeiro, baixa uns espíritos, ele é profeta, adivinha as coisas e os trabalhos dele são certeiros. Aqui! Diga pra ele que eu não estou.
- Mas prefeito. Ele sabe que o senhor está aqui. Eu já falei pra ele.
- Minha nossa senhora. O que esse homem tá querendo?
- Quer que eu vá lá e pergunte a ele?
- Não...não. Faz o seguinte. Manda ele entrar.

A SECRETÁRIA  MANDOU O ZÉ MANGABA ENTRAR NO GABINETE

- Mas que satisfação encontrá-lo, prefeito. Viu como deu tudo certinho?
- Pois é, seu Mangaba. A satisfação é minha. Realmente conseguimos nos eleger.
- Você lembra quando apareceu com uma pesquisa onde só tinha 5% e eu fiz um trabalho e vc começou a subir 10% por semana até vencer a eleição?
- Lembro sim. E o senhor foi remunerado direitinho, né? O Alemão não te entregou o dinheiro?
- Claro, claro. Entregou sim. Tudo certinho.
- O senhor quer tomar um cafezinho, seu Mangaba?
- Obrigado, seu prefeito. Mas eu vou direto no assunto...
- Mas em que posso lhe servir?
- Sabe o que é que é? Estou precisando de uma patrola pra fazer um lago no meu terreno, sabe? Pra botar uns patos, um barquinho...
- Mas seu Mangaba. Eu não posso disponibilizar o equipamento da prefeitura para obras de particulares.
- Olha, seu Prefeito. O que eu tô pedindo não é muito. 
- Seu Mangaba. Eu não posso fazer isso, senão a oposição cai em cima de mim.
- Então tá bom. Eu vou embora. Mas o senhor vai se arrepender.
- Eu sinto muito. E passe bem...

NISSO A SECRETÁRIA ENTRA NA SALA

- Seu Prefeito. Tem uma outra pessoa querendo falar com o senhor. Ele vem de Belo Horizonte e está com uma notificação para o senhor.
- Mande ele entrar...
- Senhor Prefeito. Não vou me alongar muito. A partir de amanhã o senhor não estará mais aqui na prefeitura. Velho lhe avisar que amanhã cedo um processo de impeachment contra o senhor estará sendo impetrado, sem possibilidades de reversão. Nós descobrimos tudo, senhor prefeito. 
- Mas pelo amor de Deus. Só me faltava essa. Espere um minuto por favor. Dona Graça?
- Pois não senhor prefeito...
- O José Mangaba está aí ainda?
- Está tomando café lá na cozinha.
- Diga a ele pra me aguardar que estou indo lá.
- Por favor sr...
- Fernando.
- Por favor senhor Fernando. Vou me ausentar por um minuto apenas. Retorno num segundo.

O PREFEITO RUMOU PRA COZINHA

- José Mangaba. Foi você quem jogou essa praga né?
- O que aconteceu?
- Foi você sair e chegou um urubu querendo me derrubar...
- É o destino, senhor prefeito. Você é generoso com o destino e ele devolve pra você.
- Tá certo então. Quantos tratores você quer lá no seu terreno? Vou mandar fazer a lagoa pra você.
- Muito obrigado, sr prefeito. Deus lhe pague, viu. Quando você chegar no seu gabinete, as coisas vão se ajeitar.

O PREFEITO VOLTOU PARA O GABINETE

- Mas onde estávamos mesmo?
- É o seguinte, Sr Prefeito. Nós temos um dossié contra o senhor, a oposição nos encomendou, mas estamos dispostos a lhe entregar todo esse material se o senhor fechar alguns serviços conosco,
- Mas que tipo de serviço?
- Nós temos uma construtora e temos muitas patrolas e tratores ociosos. O senhor fecha com a gente alguns serviços pra prefeitura, de manutenção de estradas e ainda ajuda alguns fazendeiros necessitados. O que acha?
- Mas que coincidência. Negócio fechado então. 
- Muito bem, prefeito.Todo o material está nessa maleta aí. Eu já vou indo viu. 
- Mas não quer tomar um cafezinho? Dona Graça. Por favor providencie um cafezinho novo pra gente aqui. 
- Não, senhor Prefeito. Eu estou atrasado para outro compromisso.
- Amanhã então você pode procurar o meu secretário de governo que ele ajeita tudo pra você, ok?
- Muito obrigado. Foi um prazer fazer negócio com o senhor.

O EMPREITEIRO SAIU E O PREFEITO RESPIROU ALIVIADO

- Ufa. Livrei-me de mais uma. Damos os anéis para não perder os dedos. Só tomando um wisck agora pra rebater. Pelo menos me salvei. Ninguém imagina o que um prefeito passa. Vou é ligar para algum dos meus casos pra esquecer...

E O BRUXO CURANDEIRO IA EMBORA EM SEU CARRO QUANDO O TELEFONE TOCOU

- Oi Tio. Deu tudo certo viu?
- Eu sabia. Quando é que os tratores chegam?
- Amanhã entro com os documentos e até na quinta-feira estaremos trabalhando nas lagoas.
- Você tá se saindo um bom trambiqueiro mesmo hein?
- Eu? O senhor é que é um mestre...
- O mundo é que é cheio de bobos. Principalmente os que se acham mais espertos.
- Mas tio. Pra que tanta peripécia? O que o senhor ganha com isso?
- Uma lagoa pros meus netos brincarem...não tem nada mais importante?