sexta-feira, 27 de março de 2015

O QUE É CULTURA?


Enquanto isso na sala de aula...

- Pessoal, por favor silêêêêncio. Não vão parar não? É assim então? Quem eu ver com a boca aberta vai perder 3 pontos
- (silêncio total)
- Assim está bem melhor. Muito bem. Vou fazer uma pergunta objetiva e vocês terão que responder o que vier na cabeça. Quem tiver a melhor resposta vai ganhar 5 pontos. E vai ser de bate pronto hein? Topam o desafio?
- Topamos, professor. Manda ver...
- Muito bem.  Janaína.  O que é cultura?
- Nossa, professor.  Eu não estava preparada...
- Não quer tentar? Vale 5 pontos.
- Uai. Tá bom então. Uai, cultura é festa, é cavalgada, carnaval...
- Será que é isso mesmo?
- É sim, uai. A secretaria de cultura não cuida dessas coisas? Então, cultura deve ser isso.
- Vou perguntar pra outra pessoa aqui.  Alexandre Camargos. Pra você o que é cultura?
- Cultura tem a ver com roça.
- Mas como assim?
- Uai. Por que a gente ouve falar sempre em agricultura, Suinocultura, silvicultura.
- Joãozinho. Pra você o que é cultura?
- Uai. Teve um moço que foi lá na periferia e falô pra nós que funk é cultura. Então, pra mim cultura é o bonde das piranhas, Mr Catra, o proibidão.
- Me diz aí Paulinha. O que é cultura?
- Cultura é um trem que tem na ciência.
- Como assim?
- É sério...eu tava estudando sobre a cultura das bactérias
- Pra você, Luiz Esteves. O que é cultura?
- Cultura é o conjunto de conhecimentos adquiridos e acumulados por um povo para adaptar-se a determinada região.
- Tava colando no google né? Não sabe que é proibido celular na escola?
- Mas professor. Eu não colei.
- Então repita a frase de novo.
- Bom, cultura é o...é o...ops...saiu do ar...
- Guilherme...o que é cultura?
- Cultura é o nome de uma rádio lá na minha terra.
- Maria Lara. O que é cultura?
- Professor. Pelo menos pra mim, cultura é conteúdo, são os bons livros que a gente lê, os filmes que a gente assiste, as músicas que a gente ouve, as matérias que vocês dão pra gente aqui na escola,as tradições, o folclore, a história, os conselhos, as conversas que a gente tem com os pais, com os colegas, com os professores.
- Obrigado, Maria Lara.
- Ganhei os 5 pontos?
- Todos ganharam...
- Mas como assim? Não é justo...
- Por que não é justo, Maria Lara?
- Você vai dar 5 pontos pra quem falou que funk é cultura?
- É claro! É a cultura dele. A gente tem de respeitar.
- Não acredito. E vai dar pontos pra quem falou que cavalgada é cultura?
- É claro. Entretenimento também é cultura.
- Mas professor. Eu vi a minha mãe falando que estão acabando com o teatro, com a música instrumental, com o balé, com as artes plásticas.  Estão acabando também com a MPB, com o rock, com o jazz.
- É uma cultura mais intelectualizada, mas a cultura popular também é importante.
- Você então vai me dizer que uma música dessas sertanejas universitárias é tão importante quando uma peça de Beethoven?
- Dependendo do contexto em que você vive, Beethoven não terá nenhum valor. Mas a nova dupla da moda vai continuar arrastando o povo.
- Pra mim, funk e sertanejo são lixos.
- Já ouviu falar da cultura trash? Lixo também é cultura.
- Mas professor. Afinal de contas, pra você o que é cultura?
- Cultura é sobrevivência.



segunda-feira, 23 de março de 2015

LOOPING

Enquanto isso num chat

- Novinha...
- Vomita...
- Quemidá?
- Tifudê!
- Vãobora..
- Babaca
- Tesuda.
- Chifrudo
- Vadia
- Boiola
- Tôduro
- Ordenha
- Boquete?
- Tifudê.
- Vãobora...
- Saifora!
- Tô dentro;
- Estupro?
- Esporro.
- Sem nóia?
- Senhora
- Tá onde?
- Nuons!
- iulove?
- exlove
- eavida?
- Rotina.
- temdado?
- Sem jogo!
- Tem fogo?
- Não fumo
- Vortemo
- Não fumo
- Novinha...
- Vomita
- Quemidá?

sexta-feira, 13 de março de 2015

A FUGA

Aquela menina teve de fazer uma verdadeira peripécia pra fumar um cigarrinho. Estava num seminário chatíssimo sobre sua área profissional e não aguentava mais meio minuto sem acender um cigarrinho. Pegou o elevador até o último andar, subiu pela escada 3 andares ainda em construção...e enfim chegou ao andar de cobertura. Havia uma porta que não estava fechada, mas rangeu pra caramba ao abrir. Quando chegou lá em cima, sentiu um cheiro de cigarro e viu que não estava sozinha.

- Olá. Pode chegar. Não tenha medo.
- O que o sr está fazendo aqui?
- Imagino que o mesmo que você. Quer isqueiro?
- Pode deixar. Eu tenho o meu ( disse, já acendendo um Carlton).
- Orlando Oliveira. ao seu dispor.
- Fernanda Lutti. Mas pode me chamar de Nanda
- Puxa, Nanda. O que é que um fumante não faz pra encontrar uma área mais privê, né?
- Nem me fale. Tá cada vez pior. Mas nada comparado ao terror lá de casa.
- Por que?
- Uai.Meu tio tá com câncer... tenho de fumar no galinheiro.
- Meu problema é pior que o seu. Como já passei dos 60, sou vigiado pela mulher, filhos, genros e agora até pelos netos.
- Preconceito, né? Só por causa de umas baforadas...
- O problema não é o vício. Mas o excesso. Tem gente que exagera. Tenho um amigo que fuma 4 maços por dia.
- Sério? Mas quantos anos eles tem?
- Tá com 82.
- O que? 
- E nunca teve nada. Tá defumado, mas tem uma saúde de ferro. Parece que o cigarro não o afeta.
- O sr tá bem conservado também.
- E você parece muito ansiosa. O que está acontecendo?
- Sabe o que é? Estou apaixonada. Não consigo me concentrar em nada. Esse evento aqui é legal, mas só consigo pensar no meu namorado.
- Pois é. Só depois de muito tempo é que a gente percebe que o romantismo é uma ilusão. uma estratégia da natureza para a perpetuação da espécie.
- Eu não concordo não. Não tem nada melhor do que estar apaixonada, sentir saudade, desejo, amor...
- Quanto anos você tem?
- 17.
- Puxa. Mas parece ter uns...25, 26...
- Deve ser por causa da maquiagem.
- Vocês mulheres são complicadas. Quando são novas, querem parecer mais velhas. Quando ficam mais velhas, querem parecer mais novas.
- É verdade. Ser mulher não é fácil. 
- Quer um conselho? Contrarie o seu coração de vez em quando. Não caia em conversas dos Don Juans de plantão, a não ser que também queira se aproveitar do corpicho deles.
- Que isso! O amor é mais do que o desejo.
- Tá bom. Curta esse fogo, vivencie o desejo, sinta o mundo, mas mantenha o controle. Não deixe o amor te deixar boba. Não deixe ninguém pisar em você.
- Pois é. Numa coisa o sr tem razão. A gente sobre demais por causa das paixões. Sofre mais do que tem prazer. 
- O que você está estudando?
- Eu estudo acupuntura. Dizem que tenho mãos curativas. Tá tendo um seminário com um Chinês que dizem ser o melhor do mundo. Mas o seminário tá muito chato.
- Eu imagino.
- E o Sr? O que faz?
- Eu sou deputado.
- É mesmo? Puxa!Nunca pensei que falaria com um.
- Que nada. Somos pessoas comuns. Só que mais assediados, mais tentados.
- Você já teve proposta de alguma empreiteira?
- Proposta? Eu só sou deputado por causa das empreiteiras. Elas é que bancam nossas campanhas. Hoje eu me arrependo de ter aceitado tantas propinas, mas não adianta mais...
- O Sr foi pego em algum desses inquéritos, lava jato, mãos limpas...
- Ainda não. Mas o cerco está apertando. Não sei se suportaria ver minhas filhas sabendo do que fiz.
- Pois é. Há dores que são insuportáveis.
- E muitos não seguram a onda. Espero que você aproveite bem. Tem muita vida pela frente. 
- Puxa. Valeu viu. Foi muito legal conversar com você.
- Espere um pouco. Chegou uma mensagem pra mim.
- E aí. Notícia ruim? Sua cara tá de preocupado.
- Não é nada.
- Então. Vamos descer? Eu tenho de voltar pro seminário.
- Não. Eu vou ficar por aqui e fumar meu último cigarro.
- Valeu então, viu?...vou nessa. Mas espere aí...o que você está fazendo.
- Adeus..( disse ele mergulhando no nada)...

terça-feira, 10 de março de 2015

POLÍTICA E RELIGIÃO...

Política e religião tem suas similaridades. Se você critica alguém de determinado partido, logo aparecem os fieis defendendo seus santos. Se você critica é como se profanasse uma religião sagrada. Onde já sei viu criticar seres acima do bem e do mal que não erram, não caem em tentação e só agem pelo bem comum? E vou contar uma coisa pra vocês: em termos políticos, sou ATEU. Não acredito nem nos santos nem nos Deuses. Muito pelo contrário. Quase só demônios, seres abjetos que escalam o poder, se encastelam e de lá governam os destinos de tantos. A esperança deixou de ser verde, amarelou e não tarda a apodrecer e virar pó. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

A CORRUPÇÃO É NOSSA

Estamos aqui na Rádio C com o cientista político Jader Gianetti, que tem uma teoria revolucionária, uma abordagem totalmente nova sobre a corrupção.

- Sr Jader, muito obrigado por essa entrevista. Por favor, nos diga como é que a corrupção pode ser benigna para uma nação;
- Eu é que agradeço pela oportunidade de esclarecer minha teoria. É muito simples. A corrupção só existe onde existe dinheiro. Então, um corrupto inteligente precisa trabalhar para que haja capital, para que haja desenvolvimento econômico para que ele possa enriquecer.
- Mas um corrupto não rouba da nação?
- Veja bem. É questão de ponto de vista. Se uma pessoa trabalha para viabilizar determinados projetos, é justo que receba ou pague por determinados serviços.
- Que tipo de serviços?
- Ora, o chamado tráfico de influências. Se eu tenho um contato interessante que pode viabilizar certas coisas, por que não ganhar alguma coisa por isso?
- Mas veja bem. Tem os corruptos e os corruptores...
- Pois é. Distribuição de renda. Todos saem ganhando.
- Então você não considera a corrupção como uma das maiores mazelas da nação?
- Claro que não. Corrupção significa saúde do sistema financeiro. Onde houver dinheiro, vai ter corrupção.
- Mas você não acha que os políticos roubam demais da nação?
- De jeito nenhum. Sem os políticos não teríamos pontes, rodovias e prédios públicos construídos. Eles é que direcionam as verbas.
- Mas peraí...teve aquele advogado que falou que não tem uma pinguela feita no Brasil sem pagar propina.
- Muito justo.
- Mas como assim muito justo?
- Uai, o político se envolve, corre atrás, tem de trabalhar pra conseguir a verba, se bobear paga até um boquete pra conseguir o dinheiro. É justo que fique com um bom percentual.
- Então você considera a corrupção como necessária?
- Eu não tenho dúvida nenhuma. Corrupção é sinal de prosperidade. Quer uma prova?
- Claro.
- Qual é o país mais próspero do mundo?
- Uai...os Estados Unidos?
- Exato. E sabia que é o país mais corrupto do mundo?
- Não sabia. Mas sei lá viu. Por causa da corrupção o Brasil tá entrando numa crise terrível.
- Engano seu. O Brasil tá entrando nessa fase ruim por que estão atrapalhando o trabalho dos corruptos.
- Você fala sério?
- Eu nunca falei mais sério. Tem de deixar a corrupção solta, pois assim tudo o mais funciona bem. Essa perseguição aos corruptos está paralisando o país.
- E com relação ao PIG?
- Eles estão certos. Se recebem pra falar mal, tem de falar mal. Outra forma de corrupção.
- E o povão?
- O povão é corrupto também. Se você bobear, leva volta mesmo. O povão faz gato, faz sapato, se vira pra ter o que não pode.
- Então o sr está convencido que...
- que a corrupção é uma instituição nacional. A direita é corrupta, a esquerda é corrupta, o centro, o pastor, o padre, o trocador de ônibus. É uma festa...
- Então o que o sr acha deveríamos fazer?
- Em primeiro lugar, mandar soltar o Marcos Valério, que está pagando pelos crimes de todos. Depois, parar de perseguir os corruptos e parar de falar do assunto.
- Puxa vida. Vou falar uma coisa com o sr mas em off.
- O que foi.
- Pessoas como você me enojam. Não sei como meu chefe, dono da rádio tem coragem de entrevistar um sujeito como você, com pensamento tão torto.
- É simples. Eu paguei pro seu chefe um bom dinheiro e ele topou. E o seu tá aqui também ó. Um agrado pra você comprar alguma coisa legal pra você.
- Puxa...5 mil reais?
- É só um estímulo, um reconhecimento por você fazer entrevistas tão boas. Seu trabalho é muito bom.
- Puxa. Valeu hein. Pode deixar que eu vou caprichar.
- Eu é que lhe agradeço. Dê um abraço no seu chefe. Diga que daqui a algum tempo eu procurarei ele de novo.
- Ok. Será um prazer entrevista-lo mais vezes...