domingo, 25 de outubro de 2015

VIVA A POLÍCIA MILITAR!

Hoje quero manifestar meu respeito e meu apreço aos policiais militares. São eles que nos atendem nos momentos mais críticos, que entram na frente de tiros por nós, que sobem as favelas, se embrenham nas matas, entram em lutas corporais, enfrentam os piores bandidos, apartam brigas de casais, de condomínios, entram em cenas de crimes, convivem com os piores pesadelos humanos e ainda tem de aguentar uma série de preconceitos e violência por parte da própria sociedade por eles protegida. Quanto jovens, temos a tendência de nos revoltarmos contra a polícia. A juventude tem essa tendência natural de se revoltar contra as normas estabelecidas, contra a autoridade paterna, contra a lei e a ordem. Mas com o passar dos anos vamos ficando caretas. Adquirimos juízo, ficamos mais preventivos, mais vigilantes quanto aos perigos do mundo, aos excessos da juventude e também dos adultos.  Até hoje, em todas a vezes em que precisei da polícia para alguma coisa, fui atendido com presteza e gentileza. Só uma vez um policial ameaçou quebrar meu violão, mas eramos serenateiros inveterados e se para alguns as serenatas eram expressões do romantismo, para outros era perturbação da ordem pública. E à polícia cabia o oficio de zelar pela paz do cidadão. Mas ficou tudo bem. Ouvimos os policiais, interrompemos nossa cantoria (naquela madrugada), eles tomaram seu caminho e nós fomos para casa. Por isso quero manifestar meu reconhecimento a essa classe tão incompreendida. É claro que existem os bons e os maus policiais. Quem teve a experiência de conviver com maus policiais tem motivos para odiar. Na época da ditadura por exemplo houve muitos excessos autoritários e isso criou estigmas. Mas quero deixar de público meu agradecimento e reconhecimento aos bons policiais com os quais tive a sorte de conviver.Que a polícia tenha cada vez mais recursos para fazer bem o seu trabalho e com respeito e apoio da sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário