sexta-feira, 9 de outubro de 2015

VAI FALTAR PONTE...



Enquanto isso naquela ponte...

- Ô moço. Não fica aí não, sô. É perigoso...
- Hein?
- Vem mais pro meio da ponte, sô. Ai o sr pode cair...
- Eu não tenho medo não. Muito pelo contrário.
- Eu hein. O sr tem fósfo?
- Tenho isqueiro.
- Simporta se eu acender um cigarro de paia?
- De jeito nenhum. Tome aqui o isqueiro.
- Brigado. Mas o que o sr tá fazendo aí nesse canto da ponte. Pescando é que não tá. Esse rio não tem peixe a muitos anos.
- Não. Eu ia é suicidar mesmo.
- Suici o que? Cê não tá doido...
- Eu pensei muito e é a única saída.
- Mas o que aconteceu?
- A empresa em que eu trabalhava quebrou e não tem dinheiro pra nos pagar. Não tenho como sustentar minha família. Sou um homem sem honra, sem nada.
- Que isso, meu amigo. Não pensa assim não. Você é forte, tem saúde.
- De que adianta se ninguém quer me contratar pra nada? Já tentei de todo jeito...
- Uai. Sempre tem um jeito pra tudo nessa vida. Venda alguma coisa, faz um caixa pra aguentar.
- Quem dera meu amigo. A essa altura eu já vendi tudo que podia. Aguentei enquanto pude.
- Mas me conte uma coisa. Você mora em apartamento ou casa?
- Em casa.
- Pois é. Na roça quando tem crise, a gente sempre tem  uma horta e cria umas galinhas assim ninguém passa fome. Ocês da rua são tudo luxento. Só gostam desse tar de maquidonaldi.
- Não adianta. Já está decidido. Eu sou um suicida.
- Pra mim suicida é uma dupla sertaneja.
- Como assim?
- Uai, tem duas amigas minhas que montaram uma dupla. Uma se chama Sueli e a outra Aparecida. E a dupla Su e Cida. 
- Você não está ajudando com essas piadinhas, amigo. 
- Não seja tão negativo....pense bem. Sempre tem uma saída.
- A saída é eu morrer e minha esposa receber o seguro de vida pra aguentar um tempo, enquanto tenta arrumar emprego pra ela e pra nossa filha.
- Mas morrendo nessa ponte você não recebe dinheiro de seguro, home. Suicídio não é acidente.
- Tem razão. Melhor um atropelamento. Posso entrar na frente de um carro né?
- Acho que não. O melhor é você continuar aguentando o tranco. Além do mais, o Padre falou na igreja que suicídio é pecado mortal. Você já vai direto pro inferno.
- Ah. Pra isso eu nem tô ligando. Aqui já tá um inferno mesmo. Mas eu penso é na minha família. Preciso deixar alguma garantia pro pessoal.
- Quer pitar um pouco?
- Obrigado. Não me faz bem pra saúde.
- Então faz o seguinte. Sai dessa beirada aí e vem pra cá e deixa pra suicidar outro dia. Pense mais um pouco...
- Mas não adianta, sô. A situação do Brasil tá caótica e não vai melhorar tão cedo. Crise de todo jeito, econômica, política, psicológica, financeira, pior que a temporada de furacões nos estados unidos.
- O problema seus é esse. Vocês da cidade ouvem notícias demais e adoram notícia ruim.
- Ah...notícia ruim mesmo é ficar sem emprego, ter o telefone cortado, a Cemig, faltar comida em casa. É isso que tá acontecendo com um monte de gente...
- Por isso é que ser pobre é bom.
- O que você falou?
- Pobre se faltar luz faz fogueira na porta de casa e toca violão tomando cachaça.
- E pra comer?
- Uai...tem a hortinha, as galinhas, os ovos...pobre sempre deu um jeito.
- Ser classe média no Brasil é fria. 
- Que nada. Temos um país maravilhoso, sol quase todo dia. Água é que tá diminuindo e precisamos dar um jeito, mas no resto, o Brasil é uma maravilha. Você daqui a pouco sai do atoleiro, o Brasil também sai do atoleiro e vamos pra frente.
- Será? Tá certo então. Vou ver se aguento mais um pouco. E pensando bem, me dá um cigarro desse seu aí.
- É forte hein? Tá acostumado com fumo de rolo?
- Eu não. Mas me deu vontade.
- Eu fico pensando ... fico ouvindo a rádio e eles dizem que 600 mil perderam seus empregos nas obras pelo brasil afora. Nas montadoras, mais um montão de gente perdendo empregos. Já pensou se esse povo todo resolve suicidar?

- Vai faltar ponte

Nenhum comentário:

Postar um comentário