sexta-feira, 11 de setembro de 2015

ANTES COVER DO QUE OVER

Enquanto isso naquele boteco...

- Eu não aguento mais isso. Quando não é sertanejo é banda cover. Que coisa horrível.
- Ah..preconceito bobo. Pelo menos os cover tocam músicas que a gente conhece.
- Eu prefiro bandas originais, que tem uma marca, uma expressão própria.
- Eu não tenho paciência com músicas desconhecidas.
- Cara! Cover é imitação...e mal feita. É que nem cópias piratas paraguaias.
- Grande bobagem. Tem cover que é melhor que o original, sabia?
- Vou fingir que nem ouvi.
- É sério. Já ouviu o U2 Cover? O cara canta mais que o Bono.
- Era só essa que faltava.
- Olha só. O Pink Floyd acabou, mas tem uma banda cover do Pink que toca igualzinho. É uma forma de preservarmos as boas bandas, pois os caras ficam velhos e morrem.
- Isso quando não morrem de overdose aos 27.
- Pois é.Você já ouviu o The Doors cover? É muito boa. 
- Em termos de bandas coverizadas nenhuma ganha dos beatles. Só no Brasil deve ter umas 300. 
- Por isso é que eu acho legal as bandas covers. Você não pode contratar o Iron Maden original, cujo show deve custar milhão, mas pode contratar o Iron Cover, que custa tostão. 
- Mas isso é ruim porque não há renovação. Fica esse tanto de covers gozando com p* dos outros. Fora as bandas museus, com os ídolos já decadentes vindo pra shows caça-níqueis na américa do sul.

Nisso entra uma outra pessoa na conversa

- Amigos, amigos. Posso dar uma opinião nessa conversa de vocês?
- É claro.
- Como criticar os covers se somos um país cover?
- Como assim?
- Por que desde o início imitamos outros países. Primeiro imitamos os portugueses e nos tornamos um império. Depois imitamos os americanos e nos tornamos uma república. Agora ficamos tentando imitar a China e a União Soviética e flertamos com o comunismo. 
- Não é que você tem razão? Mas o que podemos fazer pra não sermos mais um país cópia da cópia?
- Criar uma ideologia própria, baseada na sustentabilidade, no cuidado com a natureza, com indústria limpa, tecnologia em consonância com o desenvolvimento humano, consumo consciente.
- Ah. Me desculpe mas o que propõe é uma utopia. Isso não vai acontecer nunca.
- Não vai acontecer por que fomos invadidos culturalmente e nos obrigam a imitá-los em tudo. Na música, na roupa, no comportamento. Ficamos arremedando holywood. 
- Mas como você disse, tivemos outros invasores. 
- Claro . Somos um país pilhado por corsários de várias bandeiras.Os invasores portugueses tiveram o desplante de desprezar a cultura dos índios e de nos batizar com vários nomes: Terra de Santa Cruz, Vera Cruz, até chegar ao Brasil, isso por causa do pau Brasil que nem existe mais.   
- Mas o que você sugere? Que voltemos a nos chamar Pindorama?
- Pelo menos iríamos voltar à nossa trilha original...de desenvolvermos nossa pindoraminidade...
- Isso não vai dar certo!
- Por que? 
- Imagine um jogo da seleção sem o Brasil, il, il, il....?
- É tem razão. Melhor deixar como está. E quer saber? Antes cover do que over. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário