segunda-feira, 27 de julho de 2015

O QUE VOCÊ PREFERE: CULTURA OU FESTA?

O povo não quer saber de cultura. O povo quer é festa. Só que cultura não é só festa. É claro que quando se consegue juntar as duas coisas, fica lindo. Mas nem toda cultura é festa. Cultura é conhecimento lúdico, simbólico, poético, sensível, humano. Cultura é conteúdo, portanto educação. Antigamente havia o MEC: Ministério da Educação e Cultura. Quando separaram os ministérios, a cultura ficou a mercê da sensibilidade dos políticos. Foi aí que se lascou. Cultura não dá voto. Pão e circo dão. Então é só fazer festões populares, com artistas popularescos que tá tudo certo. Pra que orquestras? Pra que saraus poéticos? Pra que artes plásticas? O povo gosta é das artes práticas. Se você colocar 3 artistas sertanejos, de funk ou axé, tá saciada a sede de curtura do povo e tá tudo certo. Educação também não dá tanto voto. Mas o povo corre atrás por que os diplomas são passaportes para os sonhados empregos. Mas a cultura é algo voluntário. Se é voluntário, o povo não vai. Vocês se lembram de uma camisa feita pelos comediantes do Casseta? "Vá ao teatro, mas não me chame". Um tipo de humor ácido, que incomoda e sintetiza o pensamento da média. E no Brasil dos últimos tempos tivemos outro agravante: um exagerado elogio a ignorância e a glorificação de tudo que é popular. E o político na hora de aprovar um projeto cultural faz a seguinte pergunta: isso dá voto? Se não dá, tá vetado.  O pragmatismo político justifica esse tipo de pensamento.E o voto, que deveria ser o símbolo maior da nossa democracia, no caso da cultura se constitui uma chantagem. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário