segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

O PASSADO É MAIS BONITO QUE O FUTURO

Eu tava passando perto daquele prédio da Mobiliadora Líder na Av.Catalão. Aquele que se parecia com um castelinho. Agora virou um prédio híbrido, parte castelo, parte torre de acrílico, modernoso e não muito harmonioso. Avistei um senhor que também olhava o prédio e me falou uma frase que resumiu: O PASSADO É MAIS BONITO QUE O FUTURO. 
O prédio da Líder era assim...
Vejam que lindo o prédio no interior do estado
 Vejam o prédio novo com sua torre de acrílico. 
Só que essa foto é de maquete. 
No edifício mesmo o acrílico é escuro. 
Não ficou harmonioso!
 Em Itaúna um depósito pegou fogo. 
Eu gostava do estilão
 Imponentes as construções 
Vai ver que o marketing chegou à conclusão 
de que as pessoas imaginam que a Líder 
só vende móveis antigos. 
Só se for isso...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

INVEJA DE ITABIRA

Ao contrário da maioria das prefeituras, que acha que fazer cultura se resume a contratar meia dúzia de artistas sertanejos e fazer cavalgadas e eventos agropecuários, Itabira tá fazendo diferente. A administração atual também faz bons eventos agropecuários, mas tem feito algumas coisas bem legais em termos culturais, principalmente abrindo mais espaços para os artistas locais. Em primeiro lugar, investiu no Festival de Inverno, hoje um dos melhores do Estado, com atrações de primeira linha. A diferença é que abriu espaço para os artistas da terra, que tiveram o mesmo palco e a mesma estrutura das atrações nacionais. O que a gente vê muito em algumas cidades, são os artistas principais nos mega palcos e os locais num palco pequeno com telha de amianto, som pequeno e sem camarim. Isso quando tem espaço pros artistas locais né? A prefeitura também passou a pagar melhor os artistas itabiranos e a valorizar a prata da casa. O resultado é que os artistas estão se destacando e fazendo a diferença.

JÉSUS HENRIQUE

Jésus Henrique foi um dos que se destacou no último festival de inverno promovido na cidade e hoje é sucesso nacional no The Voice Brasil da Rede Globo. Eu já tinha visto o Jésus cantar na Banda Agá de João Monlevade. Fiquei impressionado com a qualidade do moço. Tive o prazer de conhecê-lo há poucos dias e o mesmo me disse que o apoio que a prefeitura vem disponibilizando foi fundamental. O Prefeito Damon empenhou-se pessoalmente, buscou apoio de empresários parceiros e juntou-se a todo o povo da região, torcendo com muita fé pelo cantor Itabirano. Com todo o talento que Deus lhe deu, mas também com o suporte e o carinho de toda uma cidade, Jésus vem conseguindo vencer cada etapa e merecendo elogios de grandes artistas nacionais como Daniel, Claudia Leite e Lulu Santos. O cantor chega agora à semifinal entre os 12 melhores do Brasil, numa peneirada que teve milhares e milhares de concorrentes buscando seu lugar ao sol.  Hoje está cantando para o Brasil, tem Itabira e a região inteira torcendo por ele, tá interagindo com figuras exponenciais da música brasileira e tem um incremento muito valioso em sua carreira. Não temos bola de cristal pra saber se vai prosseguir e vencer o The Voice. Mas não existe dúvida quanto à qualidade do rapaz, reconhecida em todo o país e pelos que amam a arte e a música de qualidade.  Daqui pra frente o que se espera é que os promotores de shows, as prefeituras da região e do estado, contratem essa revelação da música mineira, pronto para encantar as multidões com sua arte. Parabéns a Itabira pela sua capacidade de gerar e acolher grandes artistas ( e fiquei sabendo que tem uma nova geração maravilhosa brilhando por lá. Pelo menos mais uma 4 Jésus Henriques prontinhos para o sucesso).

BAIANDEIRA FOREVER.

Sou de Alvinópolis, terra onde há 35 anos é  realizado um dos mais tradicionais festivais de música de Minas. Em uma dessas edições, criamos um grupo chamado Verde Terra e começamos a viajar pelo estado participando em festivais. Mas no ano de nossa estreia, apareceu um grupo de Itabira que faturou o primeiro lugar e arrebatou o público presente. As músicas eram de um tal de Nilton Baiandeira e os intérpretes eram Primo, Fanuel, Dico e outros de que não me recordo. Lembro-me das músicas. Eles venceram o festival com a música São Francisco de Minas. Havia mais duas músicas que marcaram demais o festival. Uma se chamava Semeança e a outra Punhais. Nilton Baiandeira foi um gênio. Mais recentemente conheci o excelente cantor Luiz Bira, que é parceiro e guardião da obra do Baiandeira. Doido pra conhecer o trabalho de resgate da obra do mestre.

OUTRAS CIDADES INVEJÁVEIS

Maravilhosos também os eventos realizados em Catas Altas. O Festival do Vinho já é tradição e outros eventos tem atraído á cidade um público bem bacana e de um bom poder aquisitivo. São Gonçalo do Rio Abaixo também faz um bom Festival de Inverno, além de disponibilizar vasta programação o ano inteiro em seu invejável Teatro. Alvinópolis continua fazendo seu Festival junto com a Festa da Chita. A Exposição de Santa Bárbara é uma exposição de verdade. Contrata os melhores artistas do país, mas também tem o torneio leiteiro e a cultura do campo.  Costumam acontecer umas feiras multi-setoriais bem legais também por lá. Ponte Nova faz um festival de blues muito interessante. Monlevade hoje tem o Festival Marmotas do Coletivo Sete Faces. Catas Altas também faz um evento bacana misturando cerveja com blues. No mais, tudo está por ser feito. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

BOMBA!


ENQUANTO ISSO NAQUELE BOTECO, FIM DE NOITE ...

- Uai. Fabrício. Você por aqui?
- Opa. Pois é.
- Mas meu amigo. Você não é de boteco. O que aconteceu?
- Estou muito chateado.
- E afundando a cara no wisck? Você já um pouco alto, Fabrício.
- Deixa eu beber. Eu quero esquecer...
- Mas o que aconteceu? Foi chifre?
- Que chifre, Juarez. A Carolina é fiel. Não é nada disso.
- Já sei. Perdeu dinheiro né? Levou um baita prejuízo. É isso?
- Não, Juarez. Tá frio.
- Tá bom. Eu me rendo. Me diga então. O que te deixou assim tão derrubado?
- É que eu tomei bomba.
- O que? Mas peraí, Fabrício. Você nem estudando está?
- É. Mas tomei bomba assim mesmo.
- Até eu vou querer tomar um wisck. Garçon...por favor, um cowboy pra mim. Mas me diga aí. Que bomba é essa?
- Quando eu era criança,uma vez ouvi um moço perto de mim falando que tinha tomado bomba. Fiquei apavorado.Como seria tomar uma bomba? Será que a gente engolia e ela explodia dentro da barriga? 
- Mas você tomou bomba em que? Tava estudando pela internet?
- Não, sô. Nada disso.
- Você não é um homem bomba, né Fabrício? Não tá com bombas na cintura e vai explodir o bar né?
- Não goze com a minha cara, Juarez. O negócio é sério.
- Então me diga. Que bomba é essa? 
- Foi meu filho quem tomou bomba. 
- Mas então não foi você. 
- Eui eu também. Os pais também tomam as bombas junto com os filhos.
- Ah Fabrício. Mas muitas vezes os pais não tem culpa.
- Claro que tem. Pode ter sido falta de dedicação, de estar do lado dele...
- Mas tem de ter dedicação dele também, concentração.
- Pois é. A gente quer agradar, fazer os filhos felizes e depois arrepende. Eu dei um video-game do jeito que ele queria, um celular de última geração e acho que esse foi meu grande erro.
- Fabrício, esqueça. Pelo menos essa bomba não mata ninguém.
- Não mata mas deixa sequelas. Lá em casa tá todo mundo triste. Minha esposa está arrasada. Até meu cachorro está triste. Minha casa levou bomba junto.
- Então vamos tomar a última e vou levá-lo até a sua casa.
- Que casa? Você diz a ruína da minha antiga casa né? Bomba. bomba. bomba. ecoando na minha cabeça. Várias bombas explodindo. 
- Vamos embora? Vou te deixar na sua ruína, quer dizer, na sua casa. 
- Tá bom. Obrigado, meu amigo. Você é companheiro. 
- Amigo é pra essas coisas. E lembre-se das guerras. Depois dos bombardeios, vem a reconstrução...vida que segue...e veja quem está chegando...o Vinícius. Fala Vinícius.
- Oi, pessoal, tudo beleza? Você estão sabendo da bomba? 
- Vou nessa. 
- Espere, Fabrício. Eu vou lá com você...
- Pode deixar, Juarez...eu vou pra casa sozinho.Tchau
- Puxa, Juarez. Eu falei alguma besteira ( perguntou o vinícius)
- Aff. Santa hora errada, Batman. Mas já que despertou minha curiosidade, conta aí...que bomba é essa que você ia contar?
- Sabe a Luciana casada com o prefeito? 
- O que tem?
- Tá traindo ele com a própria amante dele. Vazaram fotos na internet e tudo.
- Cabruuum...

sábado, 6 de dezembro de 2014

OS GUARDA CHUVAS PERDIDOS


Será que quando a gente morre recupera todos os guarda-chuvas perdidos? Nunca contei, mas não perdi menos do que 50. Outro dia perdi mais um. Mas o de hoje foi inédito. Comprei de um vendedor ambulante e alguns minutos depois fui a um banco. Entrei pra fazer um depósito, corri atrás daqueles envelopes e não encontrei. Um senhor me falou que a gente pegava na máquina. Cheguei defronte a máquina. Cadê o tal envelope? Observei um cara ao meu lado fazendo depósito. O cara me olhava com o canto do olho, desconfiado. O envelope saiu da máquina depois dele teclar algumas informações na telinha. Arremedei. Deu certinho. Consegui pegar o tal envelope e tudo transcorreu bem. Sai de lá satisfeito e fui tomar um cafezinho. Depois fui automaticamente caminhando para o ponto d'onibus. No meio do caminho dei pela falta do morcegão. Retornei apressadamente ao banco, procurei em todos os cantos...e nada. A essa altura, alguém já havia adotado o danado. Mais um que se vai...




sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

US PIRATAS...E OS ETS...


ENQUANTO ISSO NUMA DELEGACIA

- Por favor. Me passe o relatório do dia. Muito sangue hoje?
- Até que não, chefe. Só mais um daqueles casos estranhos.
- Ih...não me diga que é um daqueles malucões que cismam que são homem aranha e saem escalando prédios...
- Mais ou menos por aí, chefe.
- Diz aí...o que esse sujeito é?
- Se segura aí chefe...ele diz que é Pirata.
- Ah...mas isso é normal demais. O que tem de gente vendendo CD pirata, DVD Pirata.
- Não, chefe. Ele diz que é pirata...pirata mesmo...tipo capitão gancho. Saca?
- Mas como ele veio parar aqui? Nem mar aqui tem.
- Pois é, chefe. Achei melhor o senhor falar com ele.
- Mas ele fala português?
- Pior é que fala. Ele é Brasileiro. Se alistou na Pirataria Internacional e foi trabalhar num desses navios piratas. Saca?
- Deixa eu ir lá falar com o homem...
O delegado chega à sala de interrogatório...
- Boa noite.
- Boa noite.
- Quer dizer então que você é Pirata?
- Isso!
- Mas não sabe que pirataria é ilegal?
- Eu sei. Mas roubar do governo também é ilegal. E os políticos não roubam?
- Agora todos os ladrões estão usando essa desculpa. Mas vamos ao que interessa. O sr diz que é pirata. Como chegou aqui?
- Eu tava fazendo exercícios de pirataria nas praias do Chile, quando de repente apareceu uma bola de fogo no céu. Era uma luz muito forte. Perdi os sentidos. Quando acordei estava aqui.
- Sei. Deixa eu ver se entendi. Você está me dizendo que foi raptado por um disco voador e solto aqui em nossa região?
- Se era disco voador eu não sei dizer. Foi uma luz muito forte.
- Sei. E você não tem documentos, CPF, nada disso?
- Eu tenho uma caixa de documentos falsos, passaportes que os companheiros piratas fazem pra gente. Minha identidade real foi totalmente apagada pelos hackers piratas, os melhores do mundo.
- Mas não tem nenhum documento aí?
- Eu não te falei que os Et´s me pegaram e me deixaram aqui?
- Que pena. Então vai ficar mofando aqui até que os detetives pesquisem mais a seu respeito.
- Vou ficar mofando nada. Você não conhece o mundo pirata. Nem os Iluminattis são tão poderosos.
- Você está me ameaçando?
- De modo algum. Tenho o maior respeito pela polícia. Eu não gosto é de político. Já os advogados são amigos, gente da melhor qualidade.
- Mas me conte essa história dos ETS? É algum tipo de código? Esses Ets são piratas chineses, do ramo das quinquilharias eletrônicas?
- Não. Foram Ets de verdade. Você não acredita em Ets?
- Claro que acredito. Em papai Noel também, mula sem cabeça.
- O senhor é muito careta. Não sabia que o fantástico é que é real?
- Eu sou careta mesmo. Quadrado. Só acredito no que é palpável. E você fica zombando de mim com essa história de ET e pirata. Vai é mofar aí...

Os dois se despediram e cada um foi pro seu canto. No outro dia o delegado acordou cedo com som doo celular.Era o comandante. O chefe maior chamou-o á sua sala, agradeceu pelos bons serviços prestados e foi logo comunicando que o nobre delegado estava sendo transferido naquele instante para outra delegacia, num lugar melhor, com melhores condições de trabalho. O comandante, muito simpático, disse também que nem precisaria retornar à antiga delegacia, que seus objetos pessoais já tinham sido transportados para a nova. Foi-lhe dito que em hipótese alguma deveria retornar ao antigo prédio, que estaria lacrado sob segredo de justiça. Ele estranhou a situação, mas obedeceu cegamente ás ordens. Era um militar muito disciplinado e não questionava os superiores em hipótese nenhuma. Foi trabalhar na nova delegacia, realmente muito mais bem equipada e tranquila, inclusive com melhoria de salário. A vida seguiu e ele resolveu esquecer a história. Só que certo dia encontrou-se com o capitão na rua. Ele tava correndo à tarde com seu rottweiler. Foi quando ele percebeu uma coisa que o deixou intrigado. Nas costas do comandante havia uma tatuagem pirata.Será?