sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

BOMBA!


ENQUANTO ISSO NAQUELE BOTECO, FIM DE NOITE ...

- Uai. Fabrício. Você por aqui?
- Opa. Pois é.
- Mas meu amigo. Você não é de boteco. O que aconteceu?
- Estou muito chateado.
- E afundando a cara no wisck? Você já um pouco alto, Fabrício.
- Deixa eu beber. Eu quero esquecer...
- Mas o que aconteceu? Foi chifre?
- Que chifre, Juarez. A Carolina é fiel. Não é nada disso.
- Já sei. Perdeu dinheiro né? Levou um baita prejuízo. É isso?
- Não, Juarez. Tá frio.
- Tá bom. Eu me rendo. Me diga então. O que te deixou assim tão derrubado?
- É que eu tomei bomba.
- O que? Mas peraí, Fabrício. Você nem estudando está?
- É. Mas tomei bomba assim mesmo.
- Até eu vou querer tomar um wisck. Garçon...por favor, um cowboy pra mim. Mas me diga aí. Que bomba é essa?
- Quando eu era criança,uma vez ouvi um moço perto de mim falando que tinha tomado bomba. Fiquei apavorado.Como seria tomar uma bomba? Será que a gente engolia e ela explodia dentro da barriga? 
- Mas você tomou bomba em que? Tava estudando pela internet?
- Não, sô. Nada disso.
- Você não é um homem bomba, né Fabrício? Não tá com bombas na cintura e vai explodir o bar né?
- Não goze com a minha cara, Juarez. O negócio é sério.
- Então me diga. Que bomba é essa? 
- Foi meu filho quem tomou bomba. 
- Mas então não foi você. 
- Eui eu também. Os pais também tomam as bombas junto com os filhos.
- Ah Fabrício. Mas muitas vezes os pais não tem culpa.
- Claro que tem. Pode ter sido falta de dedicação, de estar do lado dele...
- Mas tem de ter dedicação dele também, concentração.
- Pois é. A gente quer agradar, fazer os filhos felizes e depois arrepende. Eu dei um video-game do jeito que ele queria, um celular de última geração e acho que esse foi meu grande erro.
- Fabrício, esqueça. Pelo menos essa bomba não mata ninguém.
- Não mata mas deixa sequelas. Lá em casa tá todo mundo triste. Minha esposa está arrasada. Até meu cachorro está triste. Minha casa levou bomba junto.
- Então vamos tomar a última e vou levá-lo até a sua casa.
- Que casa? Você diz a ruína da minha antiga casa né? Bomba. bomba. bomba. ecoando na minha cabeça. Várias bombas explodindo. 
- Vamos embora? Vou te deixar na sua ruína, quer dizer, na sua casa. 
- Tá bom. Obrigado, meu amigo. Você é companheiro. 
- Amigo é pra essas coisas. E lembre-se das guerras. Depois dos bombardeios, vem a reconstrução...vida que segue...e veja quem está chegando...o Vinícius. Fala Vinícius.
- Oi, pessoal, tudo beleza? Você estão sabendo da bomba? 
- Vou nessa. 
- Espere, Fabrício. Eu vou lá com você...
- Pode deixar, Juarez...eu vou pra casa sozinho.Tchau
- Puxa, Juarez. Eu falei alguma besteira ( perguntou o vinícius)
- Aff. Santa hora errada, Batman. Mas já que despertou minha curiosidade, conta aí...que bomba é essa que você ia contar?
- Sabe a Luciana casada com o prefeito? 
- O que tem?
- Tá traindo ele com a própria amante dele. Vazaram fotos na internet e tudo.
- Cabruuum...

Nenhum comentário:

Postar um comentário