quinta-feira, 11 de julho de 2013

A REFORMA POLÍTICA ACONTECE AGORA, EM AGOSTO DE 3000

Vejo um Brasil enfartado, as vias do país obstruídas pela indignação das pessoas. Várias classes profissionais descontentes, entidades de classe, órgãos de representação, sindicatos, associações, jovens ávidos por revoluções, oportunistas, caroneiros, enfim, uma mistureba de sentimentos, mas todos indignados. Engraçado como havia essa indignação latente e de repente explodiu. Dizem que o canal é a internet, que as pessoas se organizam pela net à revelia das mídias tradicionais. Aliás, um dos alvos é mídia tradicional, sendo a REDE GLOBO o símbolo. Aqui da minha casa, acabo de ouvir a manifestação que se dirige para a GLOBO. Uma pessoa com o microfone canta o seguinte refrão: A REALIDADE É DURA. A REDE GLOBO É O PORÃO DE DITADURA. Aliás, a Globo tem sido hostilizada pra todo lado. Tem sido um dos points da via sacra das manifestações. Engraçado que os movimentos não elencam a reforma política como prioridade. Investimento em saúde e educação sim. Eu pelo menos vejo a reforma política como a central, a principal. Todas as outras acontecerão com muito mais eficácia se as regras do jogo forem reformadas de modo a corrigir distorções que minam a nossa democracia.Se não formos capazes de convergir, ai sim estaremos perdidos.A Reforma Política não pode ser a do PT. Tem de ser a reforma para todo o conjunto da sociedade.Deve ser debatida e todas as questões colocadas, transparentes. A rejeição é pelo fato de ser uma proposição que vem do Governo Petista, atendendo as demandas do partido. Mas todos concordam que a reforma política e eleitoral é vital para que as pessoas se sintam representadas e atendidas em suas necessidades básicas. Outra coisa é o plebiscito, referendo ou o que o valha. O que também incomoda é o unilateralismo ou parecer unilateralismo. Talvez nem seja essa a intenção. Mas proposto pelo governo parece que será configurado apenas para atender ao projeto político partidário, até para servir como propaganda. Um plebiscito poderia ser interessante ao informar, politizar pessoas de todas as classes sobre as principais questões do país,  compartilhar poderes, ouvi-las. Mas o plebiscito foi deletado da agenda. O PT continua insistindo. Talvez se parar de insistir as pessoas comecem a avaliar melhor. Parece que os deputados e senadores não gostam da ideia. Sobre a reforma política, também fica pra depois qualquer debate com a sociedade. Mas o congresso promete agir. Será nomeado um grupo de estudo sobre a reforma política, ou seja, vai ser empurrada lá para o ano 3000. Mas voltando ao assunto manifestações, as vezes parece que se configura uma consciência coletiva que se alimenta na internet e engrossa nas ruas. Estava acompanhando aqui em Belo Horizonte. Começou uma caminhada com 1500 pessoas no centro. A certa altura, tinha 4000...o outro noticiário divulgou 5000...6000 e depois não tive mais como acompanhar, pois tinha de terminar de escrever a coluna. O que me encuca é que parece haver uma orquestração, alguém que controla, que pensa, que harmoniza tudo. Espero que seu nome não seja...Barak Obama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário