sexta-feira, 3 de maio de 2013

GIRO CULTURAL ( COLUNA DO BOM DIA)



REPÚBLICA DOS ANJOS DE VOLTA...

Depois de anos sem tocar, o República dos Anjos retornou num show triunfal no Carlim Crepalde Poverá Atelié em Ribeirão das Neves-MG. A última apresentação da banda foi há 12 anos atrás. Mas sinceramente? Era como se tivéssemos tocado juntos um dia antes. Tudo memorizado e rolando com coração e garra. Foram 2 horas mandando um repertório próprio para um público que não conhecia nenhuma música e mesmo assim a receptividade foi bárbara. Agora será começar a trabalhar composições novas que traduzam o atual momento dos músicos, pois é isso que mantém uma banda ativa e com “tesão” renovado. E a medida que as músicas forem saindo do forno, vamos divulgando na internet e onde for possível. Com relação aos shows, já estamos programando os próximos. E quem quiser conferir músicas  músicas da banda, tem dois endereços: www.palcomp3.com.br/republicadosanjos e www.palcomp3.com.br/republicaold . No primeiro endereço, composições mais novas e no outro, velharias e sobras de estúdio.

SÍNDROME DO TEMPO

No fundo, me dava uma insegurança danada de voltar a subir num palco e tocar rock. Tem sempre aquela coisa do tempo que passou, da idade...mas pensando bem, se Gino e Geno podem, por que nós não podemos? É rock and roll na veia, véio!

CANTORA MONLEVANSE NA BANDA PLEIADES

Notícia em primeira mão. Uma Monlevadense será a substituta da competentíssima Cynthia Mara na banda Pleiades. Trata-se da bela Sue Ávila. Pelas informações que temos, Sue também é uma cantora sensacional, com estilo próprio e que deverá somar e muito no time doss pleideanos. O público roqueiro de Monlevade poderá conferir a performance da Sue no show da Pleiades que vai rolar no próximo encontro dos motociclistas da cidade. Os camisas pretas da cidade tem de jogar pra cima. Na próxima edição do jornal Bom Dia, teremos uma entrevista especial com a cantora.

CULTURA EM ALVINÓPOLIS

Fiquei muito feliz com as pessoas que vão gerir a cultura em Alvinópolis nos próximos 4 anos. Em primeiro lugar pela escolha do diretor do patrimônio artístico e cultural, Jurcilei, que tem um bar ultra cultural em Alvinópolis, a Selaria Raimundo Nazário que fica no bairro Manuel Puig. Tomar uma gelada no bar dele é fazer uma viagem no tempo e na cultura de Alvinópolis. Depois, pelas pessoas que vão organizar o Festival da Música. São pessoas de alto nível como meu amigo o elemento Marcelo Xuxa, minha eterna professora Mariângela Repolês e Baiano de Jovita. Fico feliz pois com certeza  Alvinópolis terá 4 anos de excelentes festivais. Quanto à Festa da Chita, conheço muito a Ana de Sô Nico, que irá coordenar. Ela tem muito bom gosto e deve fazer uma festa maravilhosa. Desejo-lhe sorte e que consiga dar sequência a essa bela festa que tornou-se realidade graças ao trabalho abnegado de Marina de Darci e Clara Carvalho ( não sei se a política partidária vai impedi-las de participar. Espero que não).

OS HERÓIS DA RESISTÊNCIA

Só não fico feliz quando algumas pessoas descem a lenha nos festivais nos 4 anos passados por uma questão muito simples. Foram anos complicados. No primeiro ano do governo Galo Indio, ele disponibilizou tudo que era necessário. Foi um Festival excelente. No segundo ano, houve uma complicação por causa do som licitado pela prefeitura, que botou a perder toda a organização, pois mandaram um som muito ruim e profissionais desqualificados para operar. Em função disso o festival foi muito contestado e o prefeito João Galo Índio desanimou com o evento. No ano seguinte, o prefeito colaborou com pouco dinheiro e em 2012, resolveu não colaborar. Não fosse a ajuda da AMEPI, pela sensibilidade de seu presidente José Maria Repolês, não teríamos o festival no ano passado. Mas há de se ressaltar o trabalho abnegado do Alessandro da Bio Extratus, que como se diz na roça “pegou o boi pelo chifre”. Eu também ajudei como pude. O importante é não deixar a peteca da cultura cair. Mas considero importante que as pessoas respeitem os que suam camisa e se matam de trabalhar nas épocas de vacas magras.

A NOVA CASA DE CULTURA DE JOÃO MONLEVADE

Tem coisas que a gente precisa esperar que se sedimentem para depois comentarmos. Quando ouvi falar que a Fundação Casa de Cultura de Monlevade seria reinaugurada, pensei comigo. Uai! Mas já não foi inaugurada antes? Será que vão desinaugurar? Mas pelo que percebi pelos releases e pelo que saiu na imprensa, o que fizeram foi batizar as diversas salas como forma de homenagear pessoas de relevantes serviços prestados à cultura no município.

ELA MERECIA SER É PREFEITA

Aliás, diga-se de passagem, a belíssima reforma realizada pela presidente Elaine Dias merecia mesmo ser mostrada para a sociedade com toda pompa e circunstância. Já pensaram se dessem liberdade pra Elaine promover uma reforma na cidade? Bom gosto, competência e disposição para trabalhar parecem não lhe faltar.

HOMÃENAGEM

Muitos questionaram a homenagem à mãe de um ex-prefeito.  O argumento para a homenagem foi de que o referido prefeito havia investido muito em cultura no seu mandato. Não seria então o caso de darem o nome dele de uma vez à tal sala? O que teria a mãe dele a ver com a história?

INAUGURAÇÃO DA INAUGURAÇÃO DA INAUGURAÇÃO

Outra questão é que ninguém soube me dizer se foi retirada a placa de inauguração que havia sido afixada na entrada. Tomara que não. Mas não me surpreenderia se fosse. Ainda bem que fotografei para pelo menos termos como recordação. A política é assim mesmo. Infelizmente, “alguns” que entram querem apagar as imagens dos predecessores. Nos países orientais as personalidades são valorizadas e cultuadas. Mas estamos no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário