sexta-feira, 17 de maio de 2013

A TORCIDA DO CRUZEIRO É FANTÁSTICA

Uma coisa que eu aprendi acompanhando o Cruzeiro na libertadores, é que as torcidas apaixonadas, antes de torcerem para o time, torcem pra elas mesmo. Lembro-me de uma partida que o Cruzeiro jogou contra o San Lorenzo na Argentina. Eles perderam de 4x2 em seus domínios, mas não pararam de cantar por um minuto sequer. Foi uma festa linda. O reconhecimento da torcida do Corínthians contra o Boca também foi bonita. A torcida do Cruzeiro parece que está aprendendo a ver além das vitórias.Tá bonito de ver a fé a mobilização da torcida cruzeirense pelo time. A torcida mostra a sua força e vai azular o mineirão no jogo de domingo, mesmo tendo perdido a primeira partida por 3x0. A única pergunta que eu faço é: será que o time tem condições de reverter o resultado? Sinceramente eu não sei. Vejam o exemplo do Bahia. Lotou a Fonte Nova para o jogo contra o vitória e levou de 7. Decepção momentânea, mas nenhuma avaria na paixão. O futebol também prega sua peças. Nem sempre o melhor vence. Só alguns casos para ilustrar. Em 1984, o Cruzeiro ganhou uma partida do Atlético por 4x0 na primeira partida da decisão do campeonato mineiro. Na segunda partida, o Atlético jogou com muita garra e venceu o Cruzeiro por 1x0, num jogo em que o meio campista Elzo jogou com a cabeça enfaixada por causa de uma contusão no inicio do jogo. Nessa ocasião, os dois comemoraram o título. O Atlético tinha o entendimento de que dois resultados iguais lhe davam o título. Considerou que uma vitória para cada lado eram resultados iguais. A pendenga ficou na justiça e só anos depois o Cruzeiro foi considerado campeão. Ainda sobre jogos surpreendentes, o Cruzeiro em uma das supercopas que venceu, perdeu para o River Plate em Buenos Aires por 2x0. O River era considerado o melhor time do mundo na época. No jogo de volta, o Cruzeiro ganhou por 3x0 no mineirão. Em minha opinião, o mais surpreendente mesmo foi a vitória de 6x1 sobre o Atlético. Naquela ocasião, tudo conspirava contra. O Cruzeiro estava perdendo para todo mundo e o Atlético começava a montar seu time. A zaga já era a atual, com Rever e Leonardo Silva. Mas o Cruzeiro foi lá, com torcida contrária e tudo e sapecou os inacreditáveis 6x1. Agora querem saber se acredito numa vitória do Cruzeiro no clássico? Sinceramente, não. Mas uma esperança motivada pela paixão existe, é claro. Olhando os dois times, posição por posição e considerando as fases por que passam os jogadores, corremos o risco de perder de novo. Mas tem o imponderável futebol clube, né? Acho até que o placar do primeiro jogo foi exagerado, mesmo com os gols perdidos pelo Atlético. O jogo do cruzeiro não encaixou. Isso costuma acontecer. No jogo contra o SP em São Paulo, o jogo do Atlético não encaixou no primeiro tempo e o alvinegro quase perdeu. Como passa por uma fase em que tudo ajuda, deu sorte e as bolas não entraram. Quanto ao galo mineiro, desta vez não vai jogar desconcentrado como nos 6x1. O Cuca tá muito escaldado com esse negócio. Se vencermos por um placar magro, será sinal de que estamos no caminho certo. Vencer o Atlético hoje em dia não é fácil. Se vencermos pelo placar que precisamos, será a confirmação de que o futebol realmente não é ciência exata, que pode atropelar as estatísticas e prognósticos.  Não tenho dúvidas de que a torcida azul vai fazer uma festa maravilhosa no mineirão, demarcar aquele pedaço onde se sente à vontade, assim como o Atlético se sente em casa no Horto. Os atleticanos não vão gostar do que vou dizer, mas não existe um time mais mineiro que o Cruzeiro. O torcedor Cruzeirense é o famoso mineirim, astucioso, tranquilo, comequieto. Quando o Cruzeiro vence, não sai comemorando como quem bota um ovo. A torcida do outro lado da lagoa provoca tremores de terra, gritos esganiçados são ouvidos por todos os lados, quebra vidros com sua algazarra. Também pudera. É muito orgasmo contido. Nos últimos meses, anda se fartando de gozar e é bom que isso aconteça. Para os afoitos, o que é bom costuma durar pouco. Continuemos na nossa. Tá certo. Tá rolando uma entre-safra. Nosso time teve de se livrar de vários trastes e se renovar. Algumas apostas dão certo, outras não. Vamos encaixando o que dá certo e trocando de pele. Mas em breve, estaremos de volta à rotina de glórias e títulos. Disso não tenho dúvidas. E viva a torcida cruzeirense, a maior de Minas e uma das maiores do Brasil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário