domingo, 17 de fevereiro de 2013

IGREJA UNIVERSAL DO CAVALO SAGRADO

A adoração de algumas pessoas pelos cavalos lembra a adoração do bezerro de ouro da bíblia. Deviam fazer esculturas de um cavalo de ouro e fundarem a igreja do cavalo sagrado. Que tal esculturas de cavalos redentores no alto dos morros, que nem o Cristo no Rio e em tantas cidades? As cavalgadas seriam as procissões, quando seria cultuado o Deus cavalo, este animal tão amado. São tantas cavalgadas, rodeios, festas do cavalo, que estou me convencendo que realmente os equinos são Deuses, que nem os elefantes para os indianos. O negócio é tão sério, que as cavalgadas geram verdadeiras reuniões de cúpula, onde os principais líderes das regiões se reúnem para determinar como serão os próximos cultos, quer dizer, as próximas cavalgadas. O calendário desses eventos é o mais importante , superando em relevância e se impondo sobre todos os outros eventos culturais. E da-lhe dose cavalar de músicas sertanejas, duplas que se reproduzem mais que moscas e as cidades com várias camadas de escrementos equinos, fora as enxurradas de urina e os cavaleiros bêbados cambaleando pelas ruas. Mas o povo gosta. Saudades da roça? Saudades de um tempo  que não volta mais? No campo, os cavalos vem sendo substituídos pelas motos e automóveis. Mas o povo continua amando a cultura equina. E os marketeiros aconselham: prefeito que não faz cavalgadas não consegue se reeleger. O cavalo é um grande cabo eleitoral. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário