sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

AS APARÊNCIAS ENGANAM II ( CONTINUAÇÃO)


Antes de começaram a ler, deixa eu explicar que trata-se da coluna do jornal Bom Dia de hoje. A continuação de uma historinha da edição anterior. Quem não tiver lido, deixo o link : http://cenariosbomdia.blogspot.com.br/2013/02/as-aparencias-enganam.html. 

Agora vamos à história...

”Na coluna anterior, vimos um rapaz chamado Bruno passando por uma situação de pirar o cabeção. Ele conheceu uma garota quando foi dar uma fugidinha pra fumar um cigarro. A mina, que aparentava ser uma moça de família, confessou ser uma garota de programa e falou coisas que deixaram o Bruno maluco. Só que ao retornarem à festa, Bruno foi até o balcão para beber alguma coisa. Foi quando conversou com um amigo e contou a história da menina, que dizia se chamar Milena. Só que o amigo ouviu tudo e retrucou o Bruno, dizendo que aquela menina chamava-se Fernanda, que era filha de um juiz de direito e ia se casar com um deputado. Bruno nem dormiu direito,  ficou remoendo aquela história, doido da vida, pensando numa maneira de se aproximar e investigar aquela situação absurda....”
No outro dia cedinho, Bruno chegou à banca de revistas afim de comprar jornais e cigarros, como sempre fazia aos domingos pela manhã. Quando abriu o jornal, uma notícia aterradora no Super Notícias. Tragédia na BR 381. Batida frontal de ônibus com carreta, com 23 mortes e 7 feridos. Ele fez uma careta, quando de repente chegou uma menina com roupa de corrida, toda suada. Em princípio ele ficou distraído com o jornal, quando de repente...

- Por favor, Me vê 3 preservativos tamanho GG ???

BRUNÃO DESPERTOU

- Ei...você não é a ...
- Fernanda...
- Mas...você não estava na festa ontem?
- Era eu mesma.
- Mas você...
- Pois é. Eu queria mesmo uma oportunidade de conversar com você. Topa correr?
- Atrás..quer dizer...com você?
- Sim. Eu vou devagar...prometo!
- Tá bom. Mas me explique direitinho, pois fiquei bolado.
- Tá certo. É o seguinte. Eu tava fazendo laboratório teatral com você.
- Laboratório teatral? Mas como assim?
- É que estou estudando um papel para fazer um teste, pra ver se consigo entrar numa peça. Eu amo teatro.
- Mas então...aquilo tudo foi ...
- Eu vivi um papel...precisava ser convincente...o que você achou?
- Eu achei...nossa...você foi muito bem. Até achei que você fosse realmente uma...
- Uma puta...kkkk...não é o caso. Mas sou apaixonada pelo teatro...e faço tudo pelos meus personagens.
- Mas e o seu pai?
- Meu pai gosta de literatura e de teatro, adora sheakespeare. Ele me apoia totalmente.
- E o seu futuro marido, o deputado?
- Ah...é um casamento de mentira. Ele é meu amigo e precisava apresentar uma namorada pra sociedade, por causa da candidatura dele. E não desmentimos. Mas também você não vê a gente aparecendo juntos.
- É verdade...
- E além do mais, ele não gosta de mulher.
- Nossa. Coitadinha!!!
- Coitadinha nada. Se ele fosse macho, talvez não me deixasse fazer teatro...e eu amo essa profissão.
- Mas aqui...como é que foi esse negócio do teatro? Você vai viver a personagem de uma garota de programa né? Como foi que você pesquisou pra fazer o papel?
- Olha...eu fui direto ao ponto...fui a uma zona né? Fui lá e paguei um programa pras meninas, pra gente só ficar batendo papo e fumando. Eu ri demais com elas. E elas me deram muitas dicas para o papel.
DE REPENTE, ATRÁS DOS DOIS, COMEÇOU A APONTAR UM NEGÃO QUE COMEÇOU A INCOMODAR O BRUNÃO...
- Fernanda...vou ser rápido no que vou dizer, pois tá chegando um pescoço aí atrás...você não pensou na possibilidade de fazer um laboratório para viver o papel?
- Como assim?
- Uai...fazer laboratório, vivenciar o papel de uma garota programa com um cliente de verdade?
- Menino...eu pensei nisso ontem à noite na hora que a gente tava conversando...
- É mesmo? Eu estou à sua disposição...
- Pois é. Eu confesso que cheguei até a pensar, mas aí encontrei com o Anderson, conversei com ele e fechamos pra fazer isso daqui a pouco...
NISSO O RAPAZ QUE VINHA CORRENDO ATRÁS APROXIMOU-SE. ERA UM NEGÃO DE UNS 2 METROS DE ALTURA QUE REALMENTE PARECIA COM O LUTADOR ANDERSON SILVA. COM UMA DIFERENÇA: FALAVA GROSSO.
- Oi, Fernanda, oi Brunão...
- Peraí...você se chama Anderson? Você não é o MC RICARDÃO?
- Também. Mas sou personal training dela. A gente corre todo dia por aqui. Não contou pra ele, Fê?
- Eu ia falar quando você chegou...mas...bruno...depois a gente conversa, tá? Você sabe, né? Tenho de fazer esse laboratório, pois esse papel é muito importante pra mim. By...
BRUNO LEVOU 40 MINUTOS PARA RETORNAR ATÉ A BANDA ONDE HAVIA ESQUECIDO OS JORNAIS. QUANDO CHEGOU, O CARA DA BANCA DIRIGIU-LHE A PALAVRA.
- Você tá sabendo da última?
- Não...
- Sabe a Daniela, aquela menina certinha que namora com o Felipe, dono da vitrine veículos?
- O que tem ela?
- Dizem que ele foi levar ela num terreiro, que ela pegou uma pomba gira e virou os bicho.
- Mas o que aconteceu?
- Ela foi para um carnaval numa cidade próxima e ficou com uns 30 .
- Ela então beijou 30?
- Beijou só não...fez o resto também.
- Meu Deus. Que bafo. E o namorado? O que fez?
- Uai...foi no terreiro de novo pedindo pra tirar a pomba gira.
- E depois?
- E depois os dois viraram crentes.
- Parece até gozação né?
- E essas coisas não saem nos jornais né. Olha, meu amigo! Aqui nessa banca de revistas ouço coisas que até o capeta duvida.
- É mesmo? Então vou te contar mais uma que você não vai acreditar. Outro dia teve uma festa de aniversário e eu saí escondido pra fumar um cigarro. Foi quando...

Nenhum comentário:

Postar um comentário