quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

BR 381 - O QUE PODEMOS MAIS FAZER ?



O cogumelo que subiu da Arcelor me deu uma ideia. Quem sabe se conseguirmos importar uma bomba nuclear? A Al Qaeda deve ter alguma sobrando. Poderíamos explodi-la em algum ponto pra chamar a atenção do mundo para a nossa BR 381. A cada dia que passa, mais pessoas morrem, vítimas da negligência das nossas autoridades. Há algum tempo, o blogueiro Raoni Rás publicou uma teoria interessante. Segundo ele, Minas está sempre em descompasso com o governo Federal. Primeiro foi Itamar, que não combinava com FCH. Depois veio Aécio e agora Anastasia, enquanto Lula e Dilma reinam no Planalto Central. Pela teoria do Raoni, só de birra, por causa dessa insistência de Minas em se opor a união, parece que Brasília fecha os olhos e ouvidos para os nossos clamores. Dia desses, vi o Dr Paulo Resente, consultor da Fundação Getúlio Vargas fazendo o mesmo comentário na Rádio Itatiaia. Havia até uma esperança de que a 381 dessa vez fosse mesmo duplicada, já que a Dilma é Mineira e deveria ser sensível à questão. Mas após sucessivos cancelamentos, a notícia sobre novo adiamento da duplicação causou grande indignação. O DNIT insiste que será mantido o cronograma e que os tratores estarão na estrada ainda no primeiro semestre. Bom, se será no primeiro semestre, caso não seja em março, já configurará um novo adiamento. Ontem, o jornal Estado de Minas publicou que os prefeitos de Belo Horizonte, de Sabará e de Santa Luzia, estiveram em Brasília discutindo a desapropriação e reassentamento das famílias daquelas cidades, por ocasião da duplicação. Resta saber se não é mais uma tática para ganhar tempo. Já vimos essa história um monte de vezes. A cada vez que a indignação cresce, o DNIT convoca audiências públicas, anuncia cronograma e tudo vai sendo adiado.  E olha que tivemos acidentes quase todos os dias na ultima quinzena. A média é de no mínimo 120 mortos por ano. E causou indignação também o amadorismo do DNIT ao propor uma licitação sem as devidas avaliações técnicas. Não dá pra acreditar que um órgão tão poderoso e endinheirado seja tão incompetente. A não ser que seja uma estratégia deliberada de lançar uma proposta inviável, com o objetivo mesmo de ganhar tempo. Quero crer que não, mas o histórico de adiamentos sucessivos nos faz rezar pra São Tomé. Por isso, mais uma vez quero pedir encarecidamente aos políticos que nos representam.: por favor, honrem seus mandatos. Gostaria de clamar por exemplo ao vereador e presidente da câmara, Guilherme Nasser, que viabilize o Assassinômetro. Precisamos de ferramentas criativas pra chamar a atenção do Brasil. Vamos instalar o assassinômetro, vereador. E você me falou que iria verificar a situação junto ao governador. Faça isso mesmo. Sabemos que vocês acabaram de assumir e devem estar focados no município, mas a BR 381 é uma extensão da cidade, nossa passarela para o mundo (digo isso porque sou de Alvinópolis, também constante usuário da 381). Apelo também a ex-vereadora Dorinha Machado, que levantava a bandeira da duplicação e tentou por várias vezes mobilizar a sociedade para pressionar as autoridades federais. O PMDB é um partido que apoia o governo. Tente uma interlocução com o Michel Temer, quem sabe? Será que o Pedro Simon não ajudaria com sua ira santa ?Vamos precisar de todo mundo. Apelo também ao Ex-deputado Mauri Torres e ao Prefeito Teófilo, que se mobilizem, que usem do bom trânsito junto ao governo do estado para buscar uma solução e pedir ao Anastasia que dê uma ligada pra Dilma e cobrando o que foi combinado. Clamo ao Ex-Deputado José Santana de Vasconcelos e seu filho, o Deputado Bernardo Santana, que façam uma forte gestão junto ao governo. Eles que também são do grupo de apoio ao governo. Não é possível que tantos pereçam no nosso quintal e que não tenhamos moral para conseguir que uma obra tão importante se consubstancie. Apelo também ao ex-vereador e hoje homem forte do PT, Gleber Naime, que também atue em suas esferas; ao jornalista , poeta e multi-artista Geraldo Magela e sua esposa Vaninha, Monlevadenses que estão lá em Brasília, que tentem convencer sobre a urgência da obra. Clamo também ao Deputado Padre João, ao Ivo José, Petista desde sempre. Clamo ao novo presidente da AMEPI, Fernando Rôlla. O seu antecessor José Maria Repolês fez o que pôde, interviu, reuniu-se com diretor do DNIT, com o Ministro, com lideranças estaduais e regionais. Houve alguns avanços, mas se não continuarmos pressionando, essa duplicação não sai. Clamo também aos blogueiros, a  imprensa, às Rádios, e usuários do facebook da região. Vamos compartilhar nossa indignação e cobrar do jeito que pudermos, antes que sejamos as próximas vítimas dessa rodovia macabra.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário