sexta-feira, 30 de novembro de 2012

MORRER PRA LÁ..


MORRER PRA LÁ...

Nos últimos dias venho recebendo e-mails terríveis sobre os malefícios causados pela coca-cola. A conversa está nas ruas. Vi diversas pessoas nas rodinhas falando que a bebida era terrível, que destruía os ossos, que era veneno puro. E pra completar, pintou essa semana um vídeo aterrorizante na internet, em que um famoso palestrante fala sobre os malefícios, os horrores dos refrigerantes. Mas não pensem que detonou apenas os refrigerantes. No ver do palestrante, não adianta comprar água mineral. A água de torneira é melhor que a maioria das águas minerais, por causa da retirada de substancias minerais e orgânicas que são condutoras de eletricidade, que não existem nas águas minerais disponíveis no mercado.. O importante é tal do PH. Ele diz na palestra, que tem de medir o PH da água. Pra isso, importou dos Estados Unidos um aparelho moderníssimo que mede o tal do PH. Depois de medi-lo, aí sim, a gente pode tomar a água sem susto. Caramba, que saudade me deu da água de biquinha lá de Alvinópolis. O vídeo do tal palestrante é interessante, bem embasado e tal. Mas deixa eu introduzir um insert .Lembrei-me de alguns dias que passei trabalhando junto a um profissional que tinha 76 anos de idade e ainda estava na ativa, escrevendo como ninguém. Perguntei a ele qual era o segredo da sua longevidade. Ele me contou que era adepto da macrobiótica. Só comia grãos há pelo menos 15 anos. Tá certo. Se ele suporta viver assim, bom pra ele. Ainda sobre o assunto, lembrei-me também que há alguns anos atrás, divulgaram que o café fazia um mal tremendo. Disseram que provocava úlcera, que atacava os nervos e  diminuía o apetite...inclusive o sexual. Lembrei-me também que a carne de porco foi vilã por um tempo. Disseram que provocava solitária, que atacava o coração, que tinha substancias altamente  tóxicas. Já falaram também da carne do boi, que tem alta carga de adrenalina, pois o boi passa para a carne, toda a dor da hora da morte. Já disseram que sexo demais faz mal, pois vicia, expõe a doenças e se transforma em tédio, por causa da repetição. O povo das dietas demoniza as frituras, as massas, as gorduras. Como dizia Roberto Carlos, parece que tudo que a gente faz é ilegal, imoral, engorda e nos envenena. Mas quer saber? Também tem Lobão pra nos salvar. Você quer viver 1000 anos a 10 ou Dez anos a mil? Não aproveitar o melhor da vida também é um crime contra nós mesmos. Equilibrar é importante para vivermos bem com o que somos. Até água em excesso mata por afogamento. Mas nos privar de alguns prazeres é a morte em vida. Eu entendo os médicos e cientistas. Eles estão cumprindo seus papeis e avisando sobre os perigos de certas substâncias. Mas garanto que também fazem suas concessões, também comem uma pizzazinha engordurada de vez em quando, gostam de uma cerveja com tira-gosto frito, de uma cachacinha, de um cigarro, de alguma coisa que foge do recomendável. Exagerar não pode, né doutor? Mas morrer nós vamos mesmo. Então que seja com prazer. Então deixa eu tomar minha coca-cola com limão e gelo em paz. 

EIS O EGO


BIRUTISMO !!!


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

NÃO EXISTE MAIS CENTRO

Tudo perto 
e longe. 
O universo 
ficou pequeno 
e infinito. 
Melhor 
furar a bolha, 
quebrar a casca, 
voar sem lastro. 
O futuro 
fica obsoleto 
a cada segundo. 
Os segundos 
se dilatam. 
Não sou elefante 
preso a corda 
amarrada 
a uma árvore. 
Sou tão difuso 
que nem me sei
...

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

TERROR NA 381, O FILME

BR 381, O FILME!!! É obvio que terá de ser um filme de terror. Não precisa nem de roteiro. É só deixar os câmeras de sobreaviso, filmar e botar no ar. Vai fazer mais sucesso que o Tubarão, Massacre da Serra Elétrica e outros filmes de esguichos de sangue. Alguns personagens: motoristas suicidas, caminhoneiros assassinos, políticos pilatos, fiscalização ineficiente, engenheiros incompetentes, empreiteiras inescrupulosas e as vítimas inocentes.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

VASTO MUNDO

O bom de viver é isso:
há sempre mundos novos a conquistar. 
Vamos experimentando novas configurações. 
Há vida além do público.
Há públicos além da massa. 
Há pessoas com outras demandas 
que não as das massas. 
Não é só marketing, 
mas antropologia, 
psicologia, 
tudo ao mesmo tempo. 
Tem toda a merda do capitalismo, 
mas tem as oportunidades. 
Mudou a configuração dos lugares. 
Antes, nos fixávamos à terra 
e dela tirávamos tudo de que precisávamos. 
Hoje, tentamos nos situar numa dimensão nova,
movediça,
onde tudo é perto e longe. 
Onde tudo está a um click. 
Toda a cultura planetária
já deve estar catalogada no wikkipedia. 
Todas as perguntas já são respondidas no google. 
Não tem nada de mal nisso. 
Muito pelo contrário. 
É  um mundo novo maravilhoso. 
Que cada um encontre um jeito
de ganhar dinheiro e se sustentar, 
O chão está mudando 
Tudo está mudando
As concepções de emprego, 
de trabalho, 
de negócios
mudam a cada segundo
e podem ficar obsoletos rapidamente,
até se extinguirem.
Eu não vou mais pro escritório.
Eu sou o escritório. 
Mercados lucrativos se esvaíram.
Outros nasceram quase do nada.
Deus já não mete medo.
O que dá medo é não poder
acessar o facebook
ou a caixa de emails.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

OS ANZÓIS E O PEIXE SATISFEITO...

O peixe vai nadando num rio cheio de iscas. Ele já tá com a barriga cheia e ignora os malabarismos das minhocas. Além do mundo das iscas,. velhas cobras saem das tocas. Algumas transformações ocorrem sobre os olhares atônitos dos inocentes.Alguns soldados debandam salientes para as fileiras inimigas, sem remorsos, sem culpa.Alguns são tão oferecidos, que nem se dão conta de que tem gente atenta a suas manobras evasivas. Em sua virafolhice descarada, jamais serão de confiança em lugar algum. Mas em volta do poder, sempre tem um cordão e eles se alistam. O poder gosta dos cordões e costuma os acolher. Não muito longe, velhas múmias sacodem a poeira dos sarcófagos. É a volta dos mortos-vivos, que hibernaram por uma pequena eternidade. Está aberta a porta do inferno. Já dá pra avistar algumas bruxas dando risadas e rasantes. Vez por outra, uma faz uma pose defronte a lua. Algumas ratazanas gordas dançam em volta do panelão. Vão sobrar as migalhas e os ossos. O coronel mandou polir as botas e o velho chicote. Os capatazes jogam sinuca e tomam suas cervejas quentes, enquanto esperam a hora de invadir a cozinha do rei. Os gatunos já planejam os próximos golpes. O príncipe tenta decorar Maquiavel, mas vai obedecer as ordens que vem de cima. E o povo, como sempre dormindo, sitiado pelo campo de força da mídia. Seguindo essa lógica, tudo será ótimo, mesmo que for ruim...

EFEITOS COLATERAIS DA BELEZA

Outro dia, estava num bar tomando um refrigerante (não sou muito de cerveja. Meu metabolismo não ajeita com a substância mais desejada e consumida nesse país) Estava lá bebendo a minha coca com limão e gelo e ouvindo a conversa quando um dos fanfarrões do grupo falou: - olha, eu não casei com mulher bonita não. Mulher bonita boa é a do outro. Dá muito trabalho cuidar de uma mulher bonita, Deus me livre! Os outros concordaram. Trem danado a beleza né? Sai dali e passei por uma praça. As flores das árvores caíram e compuseram um lindo tapete. Quer dizer, até que comece a chuva. Quando isso acontecer as flores apodrecerão e virarão uma pasta preta escorregadia. Mas continuando minha caminhada, cheguei a área do prédio onde moro e dei de cara com a cachorrinha de uma menininha que mora no condomínio. A dona vinha atrás. Era bonitinha a danada da cachorra. Ela chegava, fazia carinho na gente e nos ganhava. Apaixonante o gestual da cadelinha, as poses que fazia me lembrava Madonna - Vogue ! Mas logo atrás da menina vinha a mãe com cara de brava: essa pestinha fez xixi no tapete de novo. A beleza tem seus efeitos colaterais.

sábado, 24 de novembro de 2012

BR 381 - ENTREVISTA EXCLUSIVA COM JOSÉ MARIA REPOLÊS - PRESIDENTE DA AMEPI

José Maria Repolês é um dos líderes regionais que mais tem levantado a bandeira da Duplicação da BR 381. Nos últimos dias, ele esteve reunido com o Governador Antonio Anastasia buscando informações fidedignas para compartilhar com o povo do médio piracicaba,  já que o governo federal vem protelando seguidamente a licitação e o inicio das obras. José Maria voltou otimista do encontro, desta vez mais seguro com relação ao inicio das obras em março. Com sua franqueza habitual, concedeu a entrevista que segue e ainda nos enviou fotografias do encontro com o governador. Seguiram também ilustrações sobre rotas alternativas que poderão ser utilizadas na época da duplicação. As ilustrações são da revista especial editada pelo Clésio Gonçalves. Então vamos à entrevista.

MARCOS MARTINO: Você esteve com o governador Antônio Anastasia. Ele se mostrou otimista quando as obras da Duplicação da Br 381?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Na verdade, nem otimista mas também nem descrente. Ele crê, sim, que a duplicação sairá e determinou que o DER/MG mantenha sempre um estreito contato com o Dnit sobre esse assunto.


MARCOS MARTINO: Você acha que desta vez começa mesmo? Já houve vários anúncios de datas de licitação e inicio das obras e tudo foi adiado...

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Eu particularmente acredito que não há como o governo federal recuar, depois de tantas idas e vindas. Pode ser que não seja com a força que gostaríamos, mas que vai iniciar no princípio de 2013, acredito sim. 

MARCOS MARTINO: Algumas notícias foram veiculadas, até em rádios de BH, de que a bancada dos deputados federais mineiros, havia avisado ao governador Anastasia, de que o governo federal iria empurrar com a barriga e que as obras só começariam mesmo em 2014. Essas notícias são boatos ou acha que o governo pode mesmo adiar de novo?

JOSÊ MARIA REPOLÊS: Sempre há conversas “atravessadas” mas, como disse acima, continuo acreditando que a presidente Dilma manterá sua palavra.
  
MARCOS MARTINO: No caso da duplicação realmente começar, como o governo pretende agir, com relação a rotas alternativas para que as pessoas possam da região ir e vir para Belo Horizonte?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Marcos, o governador me disse que essa é uma grande preocupação sua e, por isso mesmo, ele colocou o DER/MG para tratar desse assunto diretamente com o Dnit. O governador frisou bem o transtorno que essa obra trará, pois serão no mínimo uns 3 anos de execução e todos terão que ter paciência pois as rotas alternativas serão melhoradas, algumas até asfaltadas, mas pelo enorme fluxo de veículos pesados que precisam transitar nesses trajetos, todos sabemos que as viagens serão mais cansativas e dispendiosas.

Barão a Caeté-asfaltada
ITABIRA A Bom Jesus asfaltado.....ate Nova Uniao...... .estrada de terra
Caete a Barao Cocais.é intençao 

MARCOS MARTINO: As obras da duplicação vão demorar 3 anos ainda. Enquanto isso, existe algum plano por parte dos governos estadual e federal, para diminuir os acidentes?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Acredito que isso está na pauta de todas as negociações, pois é justamente o alto índice de acidentes que nos moveu a todos para que esse projeto de duplicação saísse do papel.

MARCOS MARTINO: O seu mandato com o prefeito de Dom Silvério está terminando e na AMEPI também. Como cidadão, você pretende continuar lutando pela vida, cobrando as melhorias na BR 381?

JOSÊ MARIA REPOLÊS: Claro que sim, com cargo ou sem cargo político, toda pessoa tem o direito e o dever de exercer sua cidadania. Afinal, a política está inserida em todas as atitudes que tomamos no decorrer de nossas vidas. Um grande abraço,





sexta-feira, 23 de novembro de 2012



Você vai ler a partir de agora, a entrevista concedida pelo sr Romão Levve, presidente e advogado do SINDILADRA concedido ao nosso repórter, Explêndido Garcia.

Explêndido Garcia – Sr Romão, vem causando grande polêmica as suas ações em favor dos ladrões do brasil. Conte-nos um pouco da sua história.

ROMÃO LEVVE – É importante que saibam que sou presidente do SINDILADRA muito orgulho. Na verdade estamos reivindicando os direitos dos trabalhadores da gatunagem, que também tem de ter suas garantias para exercer seu trabalho com o máximo de segurança.

Explêndido Garcia - Mas quais são as suas principais pautas de reivindicação?

Romão Levve - Em primeiro lugar o reconhecimento da profissão de ladrão. É claro que vai ter de ter uma hierarquia. Como acontece na escola, vai ter o jardim de infância, quando os pequeninos serão  ensinados a roubar doces de crianças. Depois haverá o primário, quando os nossos gurís aprenderão a ser trombadinhas. Depois vai ter o vestibular num arrastão. Depois o cara já parte para assaltos a banco, depois pra chegar a deputado e seguir carreira é um pulo.

EG -Mas me diga uma coisa. Quais são as principais reclamações da categoria?

RL -Olha. O pessoal que assalta residência por exemplo, está reclamando da falta de segurança para roubarem. Tem pessoas que tem cães pitbull em casa e isso é crime. As pessoas precisam pensar que os ladrões são pais de família. Pra facilitar o trabalho de nossos lalaus, podem deixar algumas janelas abertas, portões sem cadeado.

EG -Mas o que acontece quando um ladrão sofre um acidente?

ROMÃO LEVVE -Ora. Se me procurar, vou averiguar a causa. Se um cliente meu for agredido por qualquer um que seja, vou trabalhar para defende-lo. Se um ladrão for agredido fisicamente, seja com objetos cortantes, seja com armas de fogo, iremos até às ultimas consequências para fazer valer a justiça. Onde já se viu atacar um cidadão que está ali fazendo seu trabalho honesto?

EG -E quanto aos ladrões que assaltam nas ruas?

RL -Esses aí também sobrem com as bolsadas das malvadas senhoras. Você acredita que outro dia tivemos de custear uma plástica no rosto de um cliente nosso, que foi retalhado por uma senhora com sua sombrinha assassina?

EG – E os ladrões de colarinho branco? Como vem fazendo?

ROMÃO LEVVE – Pois é. Tem uns preconceituosos como esse Joaquim Barbosa que tem o maior preconceito contra o trabalho dos ladrões do congresso. 

EG - Mas vocês fundaram o Sindicato dos Ladrões. Vem atraindo muitos interessados?

RL - Olha só que interessante. Realmente nossos telefones não param de tocar, com muitos segmentos interessados. Esses clientes vem principalmente da classe política. Tem também um contingente enorme de juízes de futebol, além dos ladrões pés de chinelo, quer dizer, clientes muito diversificados.

EG -Mas você não acha que os ladrões atrapalham a sociedade?

RL -Muito pelo contrário. Eles tem um papel social enorme. Muitas vezes ajudam as pessoas a se desfazer dos seus entulhos, a pensar no tanto de coisas desnecessárias que nós consumistas capitalistas vamos acumulando durante nossas vidas.

Explêndido Garcia -Mas não acha que a sociedade odeia os ladrões?

Romão Levve – Muito pelo contrário. O Robin Wood é um herói.  O povo preferiu Barrabás, que era ladrão, ao próprio Cristo. Os irmãos metralhas são até simpáticos. Nas ultimas eleições deu pra ver isso com clareza. O povo não puniu os políticos envolvidos com corrupção. Tem até aquele ditado: Rouba, mas faz.

EG -- Tá certo, Sr Romão Levve.  Muito obrigado pela entrevista, viu?

Romão Levve - Por nada. Estarei sempre as ordens para defender a ladroagem, que é uma marca nacional

EG- ...Ô seu Romão Levve.

Romão Levve - Pois não...

EG - O Sr não está pensando em roubar meu microfone, né?

Romão Levve- Ó ... desculpe...é a força do hábito...

O BLUE STADIUM está quase pronto

O antigo mineirão agora vai se transformar no estádio do Cruzeiro. O céu da pampulha ajuda.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

SEMANA DO MÚSICO BIO EXTRATUS - EM ALVINÓPOLIS

A Empresa BIO EXTRATUS COSMÉTICOS de Alvinópolis, dá o exemplo de como uma empresa pode abraçar a cultura local como fator de reinserção social, da difusão da cultura musical para os funcionários e para a comunidade em geral, enfim, um trabalho maravilhoso. Nesta semana, a empresa está promovendo uma semana cultural de dar inveja a qualquer cidade. São 7 dias de evento,  num dos pontos mais charmosos de Alvinópolis, que é a Praça Padre João Bosco, próximo à igreja matriz. Lá também se localiza a Fundação Bio Extratus. São muitas atrações musicais, com destaque para os artistas da cidade, que tem a oportunidade de tocar para o público local, com estrutura de primeiro mundo. Como Alvinopolense que tem amor pela cidade, só posso aplaudir e agradecer a essa empresa que tem essa visão da importância da cultura para a formação de um povo e faz a sua parte muito bem feita, com bom gosto, organização e a participação da família Alvinopolense. 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

ROCK PIRA - ANTES QUE O MUNDO ACABE - DIA 21 DE DEZEMBRO...

Quando? 

Dia 21 de dezembro, o dia do fim do mundo. 

Quem vai tocar?

Bandas da Região do Médio Piracicaba
Inscrições a partir da segunda-feira - dia 27
Bandas inscritas e convidadas.

Onde será?

Será divulgado nos próximos dias. 
Ainda está sendo negociado.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

O 32º FESTIVAL DA MÚSICA EM ALVINÓPOLIS FOI UM SUCESSO, APESAR DAS DIFICULDADES...

Fiquei muito feliz com os resultados. Com todas as dificuldades, o Festival aconteceu e repetiu a qualidade de sempre. Agradecemos aos participantes que prestigiaram. Isso prova que o Festival tem nome, apesar do prêmio pequeno. Gostei muito da música vencedora. Até parabenizo o corpo de jurados, pois apesar de ser lindíssima, é uma música difícil, de harmonia até mezzo profana, se considerarmos o cancioneiro brasileiro, feito de melodias e letras simples. Marinho San é um mestre e vem nos prestigiando há alguns anos. Nico, que ganhou o segundo lugar, veio no ano passado, encantou e encantou-se com a cidade. Retornou e faturou o segundo lugar, com justiça, mas poderia até ter vencido também que o prêmio ficaria em boas mãos. O terceiro lugar, também é um sujeito que está sempre vindo a Alvinópolis, um violeiro da melhor estirpe, o meu amigo Diorgem Jr. A melhor letra ficou com outro grande nome, que esteve no ano passado com a lindíssima Manifesto H20, o papa-festivais Walter Dias. E a melhor interpretação ficou para a banda local HARD CASE, que realmente tem uma qualidade de cair o queixo. Outros artistas merecem referência, mas estou falando à partir da audição da pré-seleção, já que não estive presente no festival em si. Mas como eu disse, valeu pra caramba. Importante registrar também as presenças monlevadenses no Festival. A Banda Derramasters e The Mistake se apresentaram, deixando excelente impressão. São as bandas da vez em Monlevade e devem evoluir e muito nos próximos anos. Só faltam se arriscarem mais nas composições próprias. Estiveram também presentes no juri, duas monlevadenses que sempre levantaram a bandeira da cultura: Andréa Abade, presidente da ACORDAR e Lutécia Espechit, agitadora cultura, poetiza, fotógrafa e sempre presente nos maiores shows e eventos culturais realizados  no país. Muito nos honrou a presença dessa turma. E pra finalizar o texto, já chegaram comentários de que no ano que vem vai ter um super-festival, que não será apenas um "showzim no Nicks". Eu pelo menos ficarei muito feliz se isso acontecer. Baterei palmas e soltarei foguetes. O que importa é que aconteça e com muito brilho. O ultimo festival num governo do PMDB foi excelente, realizado na praça São Sebastião, tendo à frente da organização Mariãngela Repolês, minha mestra, a quem devo muito e jamais pagarei(rs). Se for ela na organização, com certeza será um Festival muito bacana. Se vierem shows grandes, se tiver mais investimento, melhor ainda. Esse ano, penso que tivemos o ato de grandeza de nos esforçar, com pouca verba, estrutura pequena, para não deixar que a peteca caísse, para não deixar principalmente os artistas jovens sem um evento tão esperado pela comunidade artística. O Festival, mesmo pequeno foi bacana e quem se envolveu, gostou. Quanto às provocaçõezinhas e perseguições pontuais,  essas já não me afetam em nada. Fazem parte e nunca deixarão de existir. E que venha o 33º Festival. E viva Alvinópolis!!!

sábado, 17 de novembro de 2012

RESSACA ELEITORAL

BOLDO

A maioria das cidades cai num marasmo de doer depois das eleições. Nas cidades em que os prefeitos foram reeleitos, após dura batalha, acontece um relaxamento natural, quer dizer, natural porém imoral, já que os prefeitos e seus auxiliares são funcionários do povo, mas é o que geralmente acontece. Nas cidades em que os prefeitos não foram reeleitos, dá-se uma depressão coletiva entre os que perderam. A ordem é zerar as contas, preparar-se para uma rigorosa auditoria que pode sobrevir e pensar no “day after”, no que fazer sem a fonte de renda dos últimos 4 anos. Os derrotados invariavelmente caem numa amargura terrível, sentem-se injustiçados, abandonados pelos amigos. Muitos deixam as cidades entregues às moscas,  com lixo espalhado pelas ruas, mato invadindo as vias públicas, tudo em nome de um arrocho financeiro recomendável para uma transição tranquila. E por falar de transição, tá aí outra dor de cabeça. A ideia é garantir que os dados e a estrutura não sejam sabotados pela administração que está saindo. A preocupação procede, já que é “normal” que desapareçam arquivos, equipamentos e que haja um sucateamento da máquina. É uma situação constrangedora para os funcionários direitos, mas em função do histórico negativo, não tem outro jeito. Os justos sempre pagando pelas pecadores  A transição transcorre entre a cortesia e a hipocrisia. Na hora da prestação de contas das campanhas, outro drama. Os vitoriosos pagam todo mundo direitinho. Já alguns derrotados se veem tentados a não pagar por certos serviços. Muitos profissionais ficam sem receber e tem de recorrer à justiça para cobrar seus direitos. Não vencer acontece por uma série de circunstancias, mas alguns derrotados não absorvem e ficam fazendo inventários de culpas, empurrando dívidas uns pros outros, não assumindo certos compromissos e prejudicando profissionais sérios, que sacrificaram seu tempo e fizeram seus trabalhos direito, dentro do combinado. A ressaca eleitoral atinge diversos segmentos, mas principalmente a área cultural A partir do mês de julho, as prefeituras sempre tem a desculpa de não poder patrocinar nada por causa da lei eleitoral. Isso faz com que tudo fique praticamente paralisado dos meses de julho a outubro e em novembro e dezembro as prefeituras geralmente estão sem dinheiro e não investe em mais nada. A cultura, que já é o “patinho feio” das administrações, se quiser sobreviver, precisa  preparar planos de contingência para os 6 meses do período eleitoral. Além de tudo, o próprio público parece entrar num período de letargia. A política configura as cidades. Em algumas, serão novos personagens, novas mentalidades, novas marcas. Mesmo onde ocorreu reeleição, mudanças pontuais sempre acontecem e a partir do dia 1º de janeiro começa uma nova novela. A ressaca eleitoral é terrível para cultura. Muitos projetos são suspensos, quando não, cancelados para sempre, uma vez que o próximo governo provavelmente vai querer estabelecer outras diretrizes. Por isso, mais que os outros segmentos, a cultura precisa se preparar para as vacas magérrimas do período eleitoral. Pensar projetos que não dependam de verbas nem de logística. Até sugiro o nome de um projeto para pelo menos aliviar um pouco a ressaca: PROJETO BOLDO CULTURAL.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

ARTISTAS NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - MARCOS CATARINA


Família ultra talentosa desse rapaz, grande compositor que venceu o Festival do Ano Passado, Marcos é irmão do Vander Lee e da Ivana Catarina ( que também já venceu em Alvinópolis). Sua Ode ao Compositor reflete a maravilha e o maldito na vida dessas pessoas que traduzem os sentimentos em sons e palavras.





ARTISTAS NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - WALTER DIAS

Walter Dias nos honra mais uma vez com a sua presença. No ano passado esteve por aqui e faturou prêmios. No Festiaço em João Monlevade, ganhou o primeiro lugar com a musica MANIFESTO H20. Desta vez vai colorir e perfumar os ares com seu jardim Brasileiro. 

ARTISTA NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - LUIZ BIRA e A ESTÉTICA MINEIRA



Itabira, sempre muito bem representada em Alvinópolis. Quem acompanha os festivais, lembra a interpretação fantástica do Primo, Dico, Fanuel e turma no Festival em Alvinópolis, tocando músicas do Nilton Baiandeira. Pois o Luiz Bira continua sendo grande divulgador da obra do mestre. Aliás, tudo a ver com o cantor que tem o nome ItaBIRA no Nome. Por isso o Luiz BIRA. No festival deste ano ele traz canção de outras lavras, onde pinta um quadro mineiro, com todas as suas cores e formas. No video acima, Luiz aparece junto a vários amigos e canta com Zebeto Corrêa, outro nome que faz parte da história do nosso festival. 

ARTISTAS NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - MARILIA ABDUANI

Marília Abduani é uma velha conhecida de Alvinópolis. Num ano em que o Verde Terra venceu, ela ficou em segundo lugar com uma lindíssima música chamada Cadeia. Este ano ela está de volta com outra bela composição. No vídeo acima, uma parceria dela com o grande Marcus Viana. No festival 2012 ela está com a bela Laço e Nó, tendo sido inscrita pela cidade de Governador Valadares.

ARTISTAS NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - NICO E SUA LATINIDADE

O carra é mezzo Italiano, mezzo brasileiro e escreve muito bem em português. Nico Ferrugia ou simplesmente Nico traz para o nosso festival temperos como rumba, salsa e cebolinha. Seus versos tem cortes perfeitos. Ele esteve em Alvinópois no ano passado e nos honra com seu retorno. Quem quiser ouvir mais coisas do Nico, acesse o http://www.reverbnation.com/mumapotan

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

ARTISTAS QUE SE APRESENTARÃO NO FESTIVAL DE ALVINÓPOLIS - BRUNA OLIVER MOOR e a banda LOOP ROCK

A cantora é muito afinada, coloca bem a voz e...sejamos sinceros: ela é bonita de doer. É claro que isso ajuda.  Muito boas as músicas e os arranjos Fique claro que não é a música do clip que está participando.  Quem quiser ouvir mais músicas da banda, inclusive "Braços Abertos" e "Realidad"e que estão participando, só acessar o palcomp3.com/looprock/

AS CLASSIFICADAS NO 32º FESTIVAIL DA MÚSICA DE ALVINÓPOOIS


Quem for a Alvinópolis nos dias 16 e 17 de novembro, terá a oportunidade de ouvir artistas de diversas procedências, mostrando novas composições, em vários ritmos, vários estilos, diversidade e talento para ninguém botar defeito. Tem violões virtuosos, as vezes tortuosos, harmonias sofisticadas, violão de 12,  de 10 cordas, bandas de Rock de grande qualidade, tem samba, tem salsa, letras maravilhosas. Nos Festivais no Nicks roa um clima aconchegante, que favorece a interação entre as pessoas. Tem quem fique sentado, quem fique de pé. Não tem palco montado. Os artistas tocam no chão. Mais intimidade, impossível. Calor humano e empatia com os artistas. Em outro momento, vou comentar sobre as canções. Até algumas que não se classificaram, mas que gostei bastante em breve, divulgaremos as musicas, para todos possam conhecer e torcer por suas favoritas. 

Músicas Classificadas (Por ordem alfabética)
Música
Intérprete
Cidade
Estado
Aquilo Tudo
Nicolas Farrugia
Rio de Janeiro
RJ
Braços Abertos
Banda LOOP ROCK
Belo Horizonte
MG
Certeza
Ruthe Glória
São Paulo
SP
Elby
Mirael Lima e Riana Oliveira
Pernamunco
MG
Laço e Nó
Marilia Abduani/Hermam Brix
Governador Valadares
MG
Meu Jardim Brasileiro
Walter Dias
Belo Horizonte
MG
Monotonia
Hard Case
Alvinópolis
MG
O Que Te Faz Viver
Nicolas Farrugia
Rio de Janeiro
RJ
Ode ao Compositor Poupular
Marcos Catarina
Belo Horizonte
MG
Orvalho
Marcela Veiga
Belo Horizonte
MG
Outra Versão de Você
Beatriz Aguida
Brasília
DF
Prá Sempre
Código Vermelho
Alvinópolis
MG
Realidade
Banda LOOP ROCK
Belo Horizonte
MG
Retrato de Minas
Luiz bira
Itabira
MG
Vesúvio
Marinho San
Belo Horizonte
MG
Músicas suplementes, se houver alguma desistência (ordem alfabética)
Música
Intérprete
Cidade
Estado
Canção do Violino
Carolina Ine de Moura rocha
Belo Horizonte
MG
Latinidade
Nicolas Farrugia
Rio de Janeiro
MG
Morena
Marcela Veiga
Belo Horizonte
MG
Palavra
Guilherme Vazquez
Guarulhos 
SP
Tributo às águas
Diorgem Júnio
Governador Valadares
MG