domingo, 30 de setembro de 2012

AS ELEIÇÕES E OS RESULTADOS

Assim que saírem os resultados, haverão muito mais derrotados que vitoriosos. E haverá mais gente descontente também.Tem sido comum cidades com 3,4,5 candidatos a prefeito. Sendo assim, quem ganha com muita frente, no  máximo tem 35% ... e olhe lá. Então, teremos 65% de descontentes. Teremos esse povo todo vigilante, esperando um erro pra detonar, pra dizer que seu candidato seria melhor, pra cobrar as promessas e compromissos assumidos. Na hora do resultado alguns vão comemorar e muitos vão chorar  Os foguetes dos vencedores doerão fundo nos derrotados. Alguns, como já não estavam tão esperançosos, pela pouca expressividade nas pesquisas, são mais tranquilos no aceite da derrota. Outros frustram-se por ter chegado perto ou por terem gasto mais dinheiro. O certo é que uma vitória faz tudo valer à pena, todo o esforço, todos os problemas enfrentados. Mas na derrota, cada lembrança é um estorvo, algo a se apagar da memória. Há quem aprenda com as derrotas, analisando e tirando lições e proveitos. Mas é amargo o gosto de perder. Maldiz-se os eleitores, burros por não terem votado em número suficiente para que o seu candidato vencesse. Começa a procura por culpados, algum bode pra expiar os pecados de todos, por alguns dias dói bastante, até que a dor vai passando, as feridas vão se fechando, secando e cicatrizando, pra começar tudo de novo alguns dias depois. Há uma frase que sempre digo: a política não se encerra no pleito.  

SANTO DA DUPLICAÇÃO DA 381


Parece que os engravatados de Brasília são devotos desse santo há algum tempo. Pobres de nós mortais...ainda vivos...porém, mais mortais do que os outros, por trafegar pela rodovia do além.

sábado, 29 de setembro de 2012

NO FUNDO, CADA UM VOTA EM SI.

Se botarmos na balança, cada um vota em si. O sujeito  se faz a seguinte pergunta: minha vida melhorou ou piorou? Se a resposta for: melhorou, não vai querer mexer em nada. Em time que tá ganhando a gente não mexe. Mas se a vida não melhorou, muito pelo contrário,  o indivíduo quer mudar e vota na mudança. Ai é que está! O resultado da eleição é o saldo dessa equação. Se a maioria da população está satisfeita, ganha a continuidade, se não estiver, mudam os atores. Simples assim! Há mudanças profundas nas camadas sociais do país.  A classe média, como sempre pagando o pato. Paga a conta dos ricos e banca a escalada social das classes emergentes. Por isso, um certo levante  das classes comercial e empresarial e a adesão de tantos profissionais liberais em dificuldades. Esse é o mundo mágico do PSDB, do PTB, do PR e de alguns partidos que já foram de esquerda como o PSB ou até o PV.  Ganhar esse jogo político é fundamental pra mudar ou manter a maré econômica. A barriga cheia, a TV de LCD, o carro na garagem e a melhoria de vida da grande maioria da população passa uma impressão de que as coisas vão bem. Nada a ver com a política das prefeituras, mas com a cultura do consumo e dos confortos da vida moderna. Isso pode redundar em sentimento de satisfação e continuismo, sem que haja um questionamento crítico. Não sei se o povo tem a percepção de onde vem a melhora, se vem em decorrência das ações da administração municipal, estadual ou da união ou se decorre das grandes ondas do capitalismo, que ora estão no norte, ora estão no sul e a grande roleta vai girando. Os pensamentos só reforçam a tese de que cada um vota em si. O conjunto desses sis é que decide a eleição. Quanto mais sis satisfeitos, mais votos. 




sexta-feira, 28 de setembro de 2012

PALAVRAS INTERESSANTES

Uma delas é IMERSÃO. Imergir é mergulhar sem voltar a tona, frequentar um universo alternativo por um tempo determinado, intenso, exclusivo, sem contato com o mundo exterior, conectado a uma luta que beira a epopeia. INCEPT é outra palavra fascinante. Ela ficou na minha cabeça depois daquele filme que no brasil ficou conhecido como origens. Inceptar uma ideia é o que mais a gente vê quando trabalha com política. Mas no dia a dia a gente depara com muitos inceptadores também. A ideia inceptada é como uma injeção, intravenal(e não intravenosa). A ideia gatilho fica ali com uma ordem que vai gerar ações, atitudes no tempo certo. Há os que tem o poder de inceptar o coletivo. Mundão doido esse nosso. LUNÁTICO é outra palavra que me agrada. Sou um lunático assumido, cheio de marés e pensamentos desses que borbulham, de manias secretas, de esquisitices acumuladas com os anos. Mas quando olho ao derredor vejo que tenho muitos companheiros. Vejo feiticeiros, duendes, ratos e doninhas, vejo piriguetes, vejo seres abjetos, vejo ets e etcéteras, vejo figuras, peças, todos tentando ser normais, mas tendo suas recaidas. Os que tentam ser normais são mais loucos ainda, pois contém as erupções, que viram gastrites e úlceras, ou seja, vulcões internos. As eleições estão chegando e as coisas devem voltar ao seu ritmo normal. Como imergi num trabalho, tenho me expressado pouco por aqui. Dentro em breve vou fugir pra algum recanto, dar um tempo, um lapso pra voltar a agir na arte, na cultura e na publicidade, afinal, tenho de encher as latas lá de casa. Tem hora que pesa, mas no fundo,viver é muito bom, né não?

domingo, 23 de setembro de 2012

REPAROS E ADENDOS SOBRE O FACEBOOK NAS ELEIÇÕES

Fui parado na rua e interpelado no face por um texto que escrevi sobre a incipiência das eleições pelo facebook. Escrevi a partir de um ponto de vista de momento. Imaginava que a influência da internet nas eleições seria maior.  É considerável, mas pouco decisiva. Com todo o respeito aos amigos internautas, mas chega apenas a um grupo de elite. Em alguns lugares, mais do que os outros. Monlevade  tem uma blogosfera rica e variada. É um costume cultivado por vários blogueiros, por vários pensadores, que acabaram polinizando o pensamento, alguns de forma inconsciente, outros realmente inceptando . Assim, existe uma comunidade consistente. Mesmo assim, tenho a impressão de que só uma parcela da população acessa, um grupo que talvez não passe de 400 pessoas. Caberia uma pesquisa acurada nesse sentido. De entender como pensa o internauta monlevadense, o que acessa, enfim. Quanto ao povão mesmo, o grosso que vota, aquele que vive alheio a essa novela que é a vida da pólis, esse  ainda vota com a barriga, com a comoção, pelos pequenos favores, uns trocados pra tomar cerveja, uma telha, um saco de cimento. O fosso social e intelectual do Brasil ainda é enorme. É impressionante como algumas cidades são muito mais conectadas que as outras. Em algumas, a blogosfera é pouco desenvolvida. Na minha opinião, uma lástima, pois aquele ditado do pensar globalmente e agir localmente vale para todos. Quem não zarpar, perde o bonde da história. Por falar nisso, vem aí a web 4.0...o bicho vai pegar...

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CAMPANHAS 2012


MENSALÃO DO PT X MENSALÃO MINEIRO

O Mensalão do PT é nacional e atinge os Petistas do andar de cima. Já o mensalão mineiro pega só a tucanada de Minas. A briga promete. A tucanada repercute as maracutaias do PT nacional. Já o PT repercute as suspeitas tucanas nas gerais. O cerco começa a chegar em políticos próximos.Os tucanos paulistas devem estar se diverdindo com a história. Serra, Alkmim e companheiros devem estar morrendo de rir. Resta saber se alguém será punido. O que tem de bombeiros agindo na calada não está no gibi. Haja mala de dinheiro e cuecas-cofre neste país. No mundo maravilhoso da política tudo pode acontecer. De repente, um encontro numa casa tipo aquela do Palocci em Brasília, regada a wisck e um carteado, pra não dizer outras coisas e as coisas clareiam. Tem aquele ditado romano: aos amigos, tudo. Aos inimigos, o rigor da lei. Mas nada que não se resolva com algumas malas recheadas de azulinhas. 

RETA FINAL DAS ELEIÇÕES

Cada coligação tem  pesquisa com seu candidato à frente. Pesquisa registrada mesmo é artigo raro. Além do mais, pode até virar uma armadilha. Então, todos ficam na retranca. Vai que o resultado não é o esperado? Melhor pesquisas de mentirinha, pra iludir os parceiros e assustar a concorrência.  Quem tá na frente prega paz e amor. Quem tá atrás, tem de mandar chumbo e tentar encontrar um fraco para uma reviravolta. Na reta final, quem tiver mais fôlego ($) tem mais chances. Mas tem outras coisas que contam também. 

MACUMBEIROS E VIDENTES CONVOCADOS

Fiquei sabendo que a importação de macumbeiros, principalmente da Bahia, está em alta no mercado. Estão cobrando um preço altíssimo pela "assessoria". Pra fechar o corpo, 50 mil. Vem grátis no pacote um colete à prova de balas. Outros profissionais muito valorizados são os videntes. Há quem diga que acertam mais que os institutos de pesquisas. É o instituto DATACHUTE. Alguns vão no ângulo.

AS CURVAS

Os marketeiros ficam atentos às curvas. Se a curva do candidato for ascendente e ele tiver fôlego na reta final, tem grandes chances de vitória. Agora, difícil é reverter a velocidade vertiginosa da queda. Tem  candidaturas que largam muito na frente, vão perdendo força e  frear um bólido pesado em queda livre é tarefa pra gênios.  Mas tem marketeiro que dá nó em pingo d'agua. Verdadeiro Mister M, que faz mágica e consegue estancar a sangria.. Basta encontrar um escândalo, uma calúnia incontestável, que não dê nem tempo de responder, pra criar um reviravolta.  

FACEBOOK INCIPIENTE NA ELEIÇÃO

Sejamos realistas. Embora a internet seja a mídia preferencial da maioria dos jovens, o grosso do eleitorado passa longe de um computador. Continuam prevalecendo as estratégias e táticas antigas. A sola do sapato, os contatos pessoais, o corpo-a-corpo continuam sendo imprescindíveis. O grupo dos frequentadores da net, que se deixam influenciar ou que influenciam através do facebook e outros recursos, é muito pequeno. Tudo bem que a net influenciou na eleição do Obama. Mas embora sejamos emergentes, ainda somos um país de iletrados. Quem sabe daqui a alguns anos, com a geração "y" ascendendo de verdade? 

CULTURA

Fiquei muito honrado pelo tempo que passei na Fundação Casa de Cultura de João Monlevade. Foi uma oportunidade muito interessante e pude ver de perto a força cultural da cidade. Tá certo que ainda falta muita coisa, principalmente formação de público, mas o cenário é muito forte, com belas iniciativas e muito, muito talento. De qualquer maneira, depois da política, estarei de volta à cultura, que é que realmente gosto de trabalhar. Se Deus quiser, quero desenvolver boas parcerias com a galera de Monlevade e também de outras cidades. 

domingo, 16 de setembro de 2012

ELEIÇÃO: RPG ou GINKANA???

Um jogo que muitos jogam juntos. Um cipoal de sentimentos, de interesses, de pequenos ódios e adorações que beira a insanidade. No centro, o candidato, o messias, o escolhido, aquele que congrega, que agrega. Ao derredor, os conselheiros, os palpiteiros, os aliados de segunda hora, os encarregados do trabalho sujo. Os companheiros leais de verdade, aqueles que ajudaram a carregar o candidato, num certo ponto do trajeto são substituídos pelos oportunistas, pelos espertalhões e puxa-sacos, pelos profetas do acontecido. O poder avilta. Não há escapatória. Poucos líderes conseguem se isolar das influências perniciosas. Muitas vezes no caminho certo, se aconselham com bruxos, com demônios travestidos de salvadores da pátria e seguem céleres no caminho do precipício. O momento é de nervosismo. Quem tá caindo, tentando conter a velocidade vertiginosa da queda. Quem tá subindo, tentando manter o empuxo e calculando se dá pra manter a curva ascendente, com velocidade de chegada. Haja lexotan, omeprazol e café para os marketeiros. Os candidatos sofrem pressão de soldado no front. Os eleitores começam a se definir. Havia quase 40% de indecisos e esse número vai caindo. Muitas pesquisas de mentira são divulgadas todos os dias por intermédio do boca-a-boca. As pesquisas reais mesmo ficam resguardadas. De qualquer maneira, grande parte se definirá apenas nos 3 últimos dias. Pesquisa mesmo só daqui a mais ou menos 20 dias, quando se dissiparão todas as dúvidas.. Haverão vencedores e vencidos. Alguns dias depois, alguns vencedores vão descobrir que caíram numa roubada. E alguns vencidos estarão melhor que se vencedores fossem. Êta mundim surreal!

domingo, 9 de setembro de 2012

HORA DAS PROPOSTAS

Embora haja o entendimento de que o voto é emocional, também tem aquela parcela que se liga nas melhores propostas. Então, está mais do que na hora do pessoal sair  dessa fase preliminar  de acusações e desconstruções de imagem e adentrar no que realmente interessa. As cidades tem suas demandas e será muito interessante sabermos como cada candidato pretende trabalhar para atendê-las. Eu, por exemplo, estou curioso de saber as propostas dos candidatos monlevadenses para a Cultura. Tive a oportunidade de conhecer o cenário artístico da cidade durante o atual governo e vejo a cidade como um grande celeiro de talentos. Espero que os candidatos não deixem de olhar pelos artistas locais. Difícil uma cidade com tantos talentos. Tenho certeza que a comunidade cultural está ávida de saber como é que os candidatos pensam a questão. Isso vale também para outras áreas como a Saúde, Educação, Infra-estrutura, obras públicas, etc. Sabemos que a fase é de contato com o povo, de pesquisas e através das informações colhidas nessas conversas é que são configurados os planos de governo. Só que cada grupo, a partir dos filtros de interesses, de suas lentes ideológicas, vão configurando seus planos. Então, por mais que as demandas levantadas sejam parecidas, cada um tem uma receita para lidar com os problemas.Com a divulgação desses planos, poderemos comparar para formarmos juízo. Quer dizer, os racionais né? Pois aqueles que votam pela emoção, que representam mais de 80% terão outros parâmetros. Mas não tenham dúvidas. Numa cidade em que uma eleição foi decidida com diferença de apenas 500 votos, os racionais podem fazer diferença. 

domingo, 2 de setembro de 2012

CORAÇÃO LATINO

O Meu amigo Dindão tá certo ... o coração continua mandando, soberano, decisivo. As vezes o racional comanda, mas só durante um tempo. Logo o sangue ferve e o coração volta a dominar. É a bússola que nos guia, quer dizer, a nós os latinos, os "sangue quente" dos trópicos. Alías, tudo o que erguemos, tudo o que somos, é graças ao grande coração latino, que tudo perdoa e onde tudo cabe. Misturada à latinidade, vem aquela pitada macunaíma, aquela malandragem dos que sublimam a miséria e dela fazem um carnaval, nada mais surreal. Nós ainda temos o jeitinho mineiro, essa coisa entre o comiquieto e o sacro, esse trem esquisito do pecado e do auto- martírio. Não estamos muito distantes do faroeste mexicano, do matador que manda 10 para o cemitério, mas depois pede perdão na igreja e tá tudo certo. Só que eles não carregam a culpa. Já sobre nós pende até hoje a cabeça do tiradentes enforcado e esquartejado e do Cristo Crucificado. Mesmo assim, continuamos inconfidentes. Com todos os riscos, com todo o racionalismo que aponta outros caminhos, ainda assim o coração continua nos apontando a direção. Se para o bem ou para o mal, só saberemos depois...

sábado, 1 de setembro de 2012

VOTO RACIONAL OU EMOCIONAL?

As propostas formuladas à partir das necessidades da maioria da população ajudam  a  conquistar o eleitorado. Se factíveis e  atenderem ao que o povo necessita, vão sim pesar na decisão dos votos. Por isso, os candidatos precisam deixar bem claro o que planejam para a cidade e esclarecer como pretendem conseguir recursos para o que se propõe. Só que essa é a visão racional. Há quem afirme que o que decide mesmo é o emocional, a identificação com o candidato, o carisma, a história de vida, a família, uma série de atributos não tão racionais e pragmáticos que contam muito na hora da escolha. E você? Vota racional ou emocional?