sexta-feira, 17 de agosto de 2012

FIM DOS SHOWMÍCIOS – uma sacanagem com os artistas

Se tem uma classe que é sacaneada de todo jeito é a classe artística. Os artistas, principalmente os locais,  Tem poucos espaços para fruir seu trabalho e as poucas vitrines existentes, vão sendo fechadas.A proibição dos showmícios teve o objetivo de coibir o abuso econômico.Isso porque o candidato que tinha muito dinheiro contratava  artistas famosos e com isso havia o entendimento de que influenciava nos votos daqueles que se deixam levar pelo famoso pão e circo. Uai! Se é assim, deveria valer pra tudo. Os candidatos então não deveriam poder contratar agências caríssimas, material de marketing de última geração, empresas de vídeo, artistas pra ancorar programas de TV, locutores do primeiro time. Tudo isso só está acessível a quem tem muito dinheiro. Mas só a classe artística foi alijada do processo. Aliás, os artistas só ganham dinheiro com jingles e mesmo assim, quase sempre fazendo paródias de músicas conhecidas, o que também não é legal, por constituir apropriação de obras intelectuais alheias, mas que todos utilizam indiscriminadamente. Os showmícios eram verdadeiras festas. Há o entendimento de que havia um desvio de foco. Que o objetivo dos comícios é que os candidatos mostrem as suas propostas. Proibir a alegria e a arte? Sei não! Já pensou se proibissem as igrejas de ter música, pra não desviar das rezas? Se proibissem os hinos? Os artistas também tem um pouco de culpa, pois viram tudo acontecer e se calaram. Perderam uma considerável fonte de renda sem espernear. Cadê os artistas do congresso? Cadê Elimar Santos? Cadê Tiririca? Cadê a bancada cultural? Penso o seguinte, podem proibir o abuso econômico limitando valores, proibindo a contração de artistas caros e famosos, mas liberando para os artistas locais e regionais. Sinceramente, tirar os artistas da festa foi uma grande sacanagem. Tomara que algum político se sensibilize e proponha a correção dessa injustiça. 

domingo, 12 de agosto de 2012

ARRAIA VOADORA


Quanto vi a foto, logo pensei numa arraia gigante. Alguns filmes daqueles tipo Ultraman  tinha naves desse tipo. Seu design revolucionário combinando asa e fuselagem foi desenvolvido em colaboração com o Centro de Pesquisas da NASA. O 797 ​​é realmente uma enorme asa voadora...ou arraia. Só não chamaram de Arraia nos states porque não é um animal da cultura deles. Mas a  Boeing trabalhou em segredo por um longo tempo. A arraia...ou asa voadora, já está em teste , mas não tem data de lançamento.  Agora, encher um passarão desses com mil dentro não vai ser fácil. A não ser pra salvar pessoas de grandes calamidades, terremotos, tsumanis, enchentes, etc...ou pra levar torcedores para decidir campeonatos em outros países. Inclusive, a cor que está pintado favorece certos times acostumados com títulos internacionais.







quinta-feira, 9 de agosto de 2012

A CAVARGADA



Enquanto isso, a turma mais uma vez se reunia debaixo da marquise de uma loja no centro pra jogar conversa fora...

- Pessoal...e a cavargada?
- Ú da roça...fala direito, sô. É cavalgada e não cavargada.
- Ah, sô...eu sou roceiro mesmo...não tenho vergonha de falar errado.
- Ô peão das paca...
- Pior é ser peão da bergo.
- Só se for da Bergo mesmo, animal...já virou arcelor mittal há muito tempo.
- Vamos parar com essa briga boba? A cavalgada esse ano não tem tantos shows grandes, mas temos de prestigiar, né? É nossa melhor festa.
- Melhor festa?Que isso, véi? Cê tá brincando? Essa festa de cavalo tá por fora!
- Ah...eu gosto...acho legal os cavaleiros, a tradição...
- Mas que mané tradição? Aqui nem zona rural tem. Depois deixa uma fedentina danada na cidade.
- Mas vc esqueceu que estamos numa região que tem várias cidades de tradição agropecuária em volta?
- Ah véio...mas Monlevade mesmo não tem roça.
- Mas aí é que está...não tem roça mas antigamente aqui era um fazendão só...e a turma dos empresários que manda na cidade era dessa época e hoje tá no clube do cavalo.
- Ah véi...deixa esse pessoal curtir...daqui a pouco não vai ter nem cavalos mais. O pessoal da roça tá todo andando de moto. Tinha de ter é festa dos motociclistas.
- Nossa...então os cavalos vão entrar em extinção?
- Vão nada...tem lugar que eles matam pra comer.
- Creeeedo.
- Credo nada. Tem país que o pessoal come até formiga. Dizem que na china eles comem qualquer coisa que se mexa.
- Nossa...do jeito que tô necessitada, vou dar uma volta na china pra ver se isso é verdade mesmo.
- Uai...não precisa ir na china não.
- Nossa...vocês são muito diretos, hein? Depois os velhos dizem que a juventude tá perdida e a gente acha ruim.
- Mas aqui...e a cavalgada?
- O que tem a cavalgada?
- Vai ser na semana que vem né? Aposto que todo mundo vai...
- Eu vou.
- Eu também.
- Tá vendo? Todo mundo vai.
- Ô rapaz...o povo gosta é de muvucar...e é claro, de dar uns beijos no final da noite.
- Eu não vou nessa festa brega não. Eu vou é na Tropicália.
- Ô véi...deixa de ser radical.  Eu também vou na Tropicalha, mas vou na cavalgada nos outros dias, sem nóia.
- Eu não vou nem amarrado...
- Que pena. Sabe a Alice, aquela loirinha que malha lá na academia? Ela vai! Já reservamos salão com uma semana de antecedência senão a gente não acha vaga.
- Bem, nesse caso...
- Ahh...eu sabia.
- É...mas vou me preparar.
- Como assim?
- Vou levar meu MP3 e fone pra ouvir só rock and roll. Valha-me Jimmy Hendrix!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

ESCONDIDO É MAIS GOSTOSO...


ENQUANTO ISSO NAQUELA CASA, 4 AMIGAS FUMAVAM ESCONDIDO

- Caramba...até que enfim posso tragar um pouco.
- Vamos rápido ai, gente...vocês estão demorando demais.
- Calma, calma...nós temos todo o tempo do mundo.
- Anda, anda, eu tô ansiosa.

De repente toca a campainha...

- Nossa senhora...apaga isso...esconde o cigarro...abre a janela...rápido...
- Ah não...logo na minha hora...isso é sacanagem.
- Vou abrir só uma greta na porta e ver quem é...fiquem em silêncio...

E ela entreabre a porta

- Mãe? A senhora não ia pro shopping?
- Eu ia...mas você também não ia pro clube?
- Ia...mas sei lá...resolvi voltar.
- Ah tá...pois é...também resolvi não ir. Vou ficar aqui no quarto lendo.
- Então tá...até mais

A mãe saiu e a nossa heróina voltou-se para as amigas

- Ih...sujou...
- Mas não é possível...só eu que fiquei sem fumar...

Enquanto isso, a mãe ia para a área onde 3 amigas aguardavam, também loucas pra fumar...

- Pessoal...sujou...minha filha tá em casa. Ela nem sonha que eu fumo.
- Ah não, Tereza. Eu vim lá de Bela Vista pra gente fumar e falar das novidades. Eu não saio daqui sem dar um trago de jeito nenhum.
- Você está louca? Minha filha pode ter um troço. Ela odeia cigarro.

Enquanto isso, no quarto:

- Amiga, pelo amor de Deus...deixa eu dar um traguinho apenas perto da janela. Eu juro que vai ser apenas uma fumadinha rápida.
- Você enlouqueceu? Se minha mãe souber que eu traguei, acho que tem um troço.

De repente, toca a campainha uma vez.

A moças e as senhoras, a essa altura sugando um cigarro com todas as forças, fazem de conta que não é com elas.

Mas a campainha insistiu e elas resolveram que iriam atender. Mas antes, uma farta distribuição de balinhas pra tentar eliminar o odor.

Aconteceu a incrível coincidência...encontraram-se as moçoilas e as senhoras na sala de estar.

A mãe atendeu a campainha e era um amigo natureba das meninas que vinha chamá-las para dar umas pedaladas, curtir o ar fresco e o contato com a natureza.

As meninas agradeceram, disseram que seria um barato, mas que estavam em outra vibe.

O rapaz se despediu e ainda comentou:

- Engraçado...tem um cheiro forte de eucalipto misturado com mentol no ar...

- Nada, Mateus. Deve ser um produto de limpeza que a mamãe tá usando, né mamãe?

- Ah...é isso mesmo...eucaliptol...muito bom,sabe?

E o rapaz se foi. Logo que saiu, as meninas anunciaram que já estavam de saída.

No mesmo momento, as amigas da mãe também se despediram e se foram.

- Nossa, um bom rapaz ele, hein? Gosta de natureza, faz exercícios físicos, não bebe, não fuma.

- E não vive também, né mãe? Pelo menos ele não fuma né? Tenho horror a cigarros...

- Ainda bem que ninguém aqui em casa fuma, né filha?

- Pois é!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

PLANOS DE GOVERNO...OU SONHOS DE GOVERNO?

Uma coligação se forma e algumas cabeças pensantes se unem para pensar as propostas que constarão em seus planos de governo,  propostas construídas após ouvir um bocado de gente. Quando o plano é elaborado por um grupo pequeno,fica mais enxuto e exequível. Mas quando junta uma multidão palpiteira, sai um monstrengo difícil de concretizar. Plano de governo muito aberto aos palpites gerais corre o risco de ficar confuso, não convencer o eleitor e o pior: não ser executável depois. Alguns marketeiros pensam assim: agora o negócio é prometer tudo. Depois a gente vê o que dá  pra fazer. Agora o negócio é iludir. Acreditam na máxima de que o povo gosta de ser iludido. Depois os marketeiros vão embora e o plano de governo vira um tremendo abacaxí na mãos dos prefeitos. Por isso, um conselho que dou às coordenações e principalmente aos futuros prefeitos: dediquem um tempo maior ao plano. Não é pecado sonhar e um sonho sonhado junto tem muito mais força. Mas coloquem neste ´plano apenas aquilo que realmente dá pra realizar e que vai de encontro aos anseios populares. O resto, se der pra fazer, vai como extra. E lembrem-se: plano de governo muito grande, cheio de palavras difíceis, só cansa o eleitor. Tava até pensando aqui: dá pra fazer um plano  com uma frase apenas: administrar a cidade com honestidade, zelando pelo patrimônio público, investindo na saúde e na educação, gerando oportunidades para os mais jovens e olhando pelos mais humildes. O resto é perfumaria.