sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

OS ORDINÁRIOS ( CRÔNICA PUBLICADA NO JORNAL BOM DIA)








Enquanto isso, um casal apaixonado se desmanchava em juras de amor...

- HOMEM - E aí, meu amor. Onde quer passar o verão?
- MULHER - Ah, não sei...queria um lugar mais tranquilo. De repente uma aldeia de pescadores...
- Mas você não queria conhecer o Egito, a Grécia?
- Nossa, você é tão carinhoso, tão atencioso comigo...quer fazer todas as minhas vontades...
- Você merece...você é suave,  meiga, leve , muito sutil em tudo.
- Que bom, né? Que a gente se dá bem, que a gente gosta das mesmas músicas, dos mesmos pratos.
- Pois é. Nossa química é perfeita,  parece que fomos feitos um pro outro.
- Sabe? Eu acredito muito na espiritualidade, acredito que espíritos afins se encontram.
- Não tenho dúvidas. Não estamos juntos à toa...
- Mas aqui...acho que já estamos há um bom tempo juntos. Já não estaria na hora de confiarmos mais um no outro?
- Uai, mas eu confio em você.
- Na primeira vez em que nos encontramos, combinados de não falar de nossas vidas pessoais, de nossos trabalhos...
- Pois é. O que importa é que estamos bem, que estamos aqui juntinhos...
- Mas sabe o que é, amor? Não acha que está na hora de dividirmos mais as nossas vidas um com o outro? Sei lá...eu queria cuidar de você...
- Ah não. Acho que você poderia estranhar um pouco o meu trabalho?
- Mas por que? Você é um cara bem sucedido, tem um bom carro, se veste bem, tem bom gosto...
- Pois é...mas a minha profissão não é muito bem aceita...
- Já sei...você é coveiro? Não! Já sei...é político? Ah, amor...pode falar. Juro que nada me fará mudar a impressão que tenho de você.
- Não sei não...
- Vai...pode falar...é agiota? Banqueiro?
- Não...eu sou é ladrão...
- Mas como é que é?
- É isso mesmo que você ouviu. Eu sou um ladrão. Realizo golpes, tipo um por ano e vivo assim há uns 15 anos e tenho tudo de primeira.
- Mas não é possível. E não tem medo de prejudicar as pessoas?
- Não. Eu sou um espécie de Robin Hood. Só roubo de pessoas ricas que tem muito sobrando. E não prejudico ninguém, nunca dei um tiro, sou um ladrão ético, sabe?
- Mas como assim? Ladrão sem revólver, sem nada?
- Minha arma é meu notebook. Com ele acesso contas, desvio dinheiro para contas falsas, saco e depois saio de cena. Eu até comecei fazendo alguns furtos planejados, mas dá muito trabalho. E sempre destino parte do lucro para alguma causa social.
- Que nobre isso...
- Mas me conte uma coisa. E você? Como ganha a vida?
- Pois é. Eu também tenho uma profissão que, digamos assim, não é considerada politicamente correta. Mas que eu faço com muito prazer...
- É mesmo? Mas como é que sustenta esses vestidos caros, esse celular de última geração...você é milionária? É empresária do ramo da moda? Fabricante de cosméticos?
- Que nada. Sou uma cortesã.
- Explique isso melhor...
- Sou uma profissional que domina inglês, francês e italiano. Atendo empresários e diplomatas que vem ao Brasil e as vezes até magnatas do petróleo.
- Peraí...deixa eu ver se estou entendendo...mas você é uma puta.
- Olha...dobre a língua pra falar do meu trabalho. Faço com muita dignidade e profissionalismo. Só tenho clientes satisfeitos.
- Mas e seus pais? Sabem do que vive?
- Ah...eu falei pra eles que dou consultoria para empresários e no fundo é isso que faço mesmo. Esses pobres homens endieirados tem vidas infelizes e monótonas e dou a eles a possibilidade de viver outros papéis, sair da rotina.
- Não sei qual de nós é mais ordinário.
- Que isso, amor. No fundo somos do bem. Mas aqui...tive uma ideia. Podemos formar uma boa dupla; Eu te dou a ficha desses ricaços, você limpa eles...e me dá um percentual. Que tal?
- Uai...podemos pensar. Garçon...me traz a conta por favor...
- Amor...tem uma mulher ali que não para de olhar pra você. É sua ex?
- Não é não. Nunca vi na vida.
- Vou mandar um bilhete pra ela...peraí...
- Deixa eu ler..."respeite um homem de família crente e cumpridor dos seus deveres" senão vou aí e te dou uma porrada no meio da cara.
- Aqui...pedi a conta que acabou de chegar...deixa eu ver o valor...o que ????????
- O que foi, amor? Você engasgou?
- Veja só...estão cobrando 5000 reais por um wisck e uma garrafa de vinho...Esses caras estão nos roubando.
- Calma, amor. Eu pedi o melhor vinho da adega deles. Deve ser isso.
- Então é você é que está me roubando.
- Peraí, o ladrão aqui é você...
- E você é uma puta.
- Aí você já está me ofendendo...esse tom de desprezo dói, viu?
- Você também me chamou de ladrão como se fosse algo detestável. Tem muitos ladrões bem sucedido por aí viu, que são respeitados na sociedade, sócios do clube de golfe e tudo. Tem ladrões nos carteados. Tem pra todo lado.
- Pois é. E tem muitas meninas vivendo bem vendendo o que tem de melhor mesmo. Se a menina for bonita, vai levar cantada mesmo. Se ela tiver disposição e gostar de sexo, levanta um bom dinheiro. Se a menina quiser parar, se tiver juízo, será com um dinheiro pra montar alguma coisa depois...  
- Tá vendo amor? A gente briga mas chegamos as mesmas conclusões. O importante é que fazemos o que gostamos, somos profissionais  e  ainda somos respeitados e requisitados na sociedade.
- Bom, vamos pagar a conta pois amanhã terei compromisso pela manhã. Estou pesquisando um novo milionário pra desviar alguns dígitos da fortuna dele. Ele não vai nem sentir...
- E a tarde? Vamos nos encontrar? Vamos ao cinema?
- Também não posso. Terei reunião numa agência,  pra aprovar algumas peças de uma campanha. Que tal à noite?
- À noite eu não posso. Eu tenho um cliente.
- GRRRRRRRRRRR
- O que foi?
- Nada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário