sexta-feira, 23 de novembro de 2012



Você vai ler a partir de agora, a entrevista concedida pelo sr Romão Levve, presidente e advogado do SINDILADRA concedido ao nosso repórter, Explêndido Garcia.

Explêndido Garcia – Sr Romão, vem causando grande polêmica as suas ações em favor dos ladrões do brasil. Conte-nos um pouco da sua história.

ROMÃO LEVVE – É importante que saibam que sou presidente do SINDILADRA muito orgulho. Na verdade estamos reivindicando os direitos dos trabalhadores da gatunagem, que também tem de ter suas garantias para exercer seu trabalho com o máximo de segurança.

Explêndido Garcia - Mas quais são as suas principais pautas de reivindicação?

Romão Levve - Em primeiro lugar o reconhecimento da profissão de ladrão. É claro que vai ter de ter uma hierarquia. Como acontece na escola, vai ter o jardim de infância, quando os pequeninos serão  ensinados a roubar doces de crianças. Depois haverá o primário, quando os nossos gurís aprenderão a ser trombadinhas. Depois vai ter o vestibular num arrastão. Depois o cara já parte para assaltos a banco, depois pra chegar a deputado e seguir carreira é um pulo.

EG -Mas me diga uma coisa. Quais são as principais reclamações da categoria?

RL -Olha. O pessoal que assalta residência por exemplo, está reclamando da falta de segurança para roubarem. Tem pessoas que tem cães pitbull em casa e isso é crime. As pessoas precisam pensar que os ladrões são pais de família. Pra facilitar o trabalho de nossos lalaus, podem deixar algumas janelas abertas, portões sem cadeado.

EG -Mas o que acontece quando um ladrão sofre um acidente?

ROMÃO LEVVE -Ora. Se me procurar, vou averiguar a causa. Se um cliente meu for agredido por qualquer um que seja, vou trabalhar para defende-lo. Se um ladrão for agredido fisicamente, seja com objetos cortantes, seja com armas de fogo, iremos até às ultimas consequências para fazer valer a justiça. Onde já se viu atacar um cidadão que está ali fazendo seu trabalho honesto?

EG -E quanto aos ladrões que assaltam nas ruas?

RL -Esses aí também sobrem com as bolsadas das malvadas senhoras. Você acredita que outro dia tivemos de custear uma plástica no rosto de um cliente nosso, que foi retalhado por uma senhora com sua sombrinha assassina?

EG – E os ladrões de colarinho branco? Como vem fazendo?

ROMÃO LEVVE – Pois é. Tem uns preconceituosos como esse Joaquim Barbosa que tem o maior preconceito contra o trabalho dos ladrões do congresso. 

EG - Mas vocês fundaram o Sindicato dos Ladrões. Vem atraindo muitos interessados?

RL - Olha só que interessante. Realmente nossos telefones não param de tocar, com muitos segmentos interessados. Esses clientes vem principalmente da classe política. Tem também um contingente enorme de juízes de futebol, além dos ladrões pés de chinelo, quer dizer, clientes muito diversificados.

EG -Mas você não acha que os ladrões atrapalham a sociedade?

RL -Muito pelo contrário. Eles tem um papel social enorme. Muitas vezes ajudam as pessoas a se desfazer dos seus entulhos, a pensar no tanto de coisas desnecessárias que nós consumistas capitalistas vamos acumulando durante nossas vidas.

Explêndido Garcia -Mas não acha que a sociedade odeia os ladrões?

Romão Levve – Muito pelo contrário. O Robin Wood é um herói.  O povo preferiu Barrabás, que era ladrão, ao próprio Cristo. Os irmãos metralhas são até simpáticos. Nas ultimas eleições deu pra ver isso com clareza. O povo não puniu os políticos envolvidos com corrupção. Tem até aquele ditado: Rouba, mas faz.

EG -- Tá certo, Sr Romão Levve.  Muito obrigado pela entrevista, viu?

Romão Levve - Por nada. Estarei sempre as ordens para defender a ladroagem, que é uma marca nacional

EG- ...Ô seu Romão Levve.

Romão Levve - Pois não...

EG - O Sr não está pensando em roubar meu microfone, né?

Romão Levve- Ó ... desculpe...é a força do hábito...

Nenhum comentário:

Postar um comentário