sábado, 24 de novembro de 2012

BR 381 - ENTREVISTA EXCLUSIVA COM JOSÉ MARIA REPOLÊS - PRESIDENTE DA AMEPI

José Maria Repolês é um dos líderes regionais que mais tem levantado a bandeira da Duplicação da BR 381. Nos últimos dias, ele esteve reunido com o Governador Antonio Anastasia buscando informações fidedignas para compartilhar com o povo do médio piracicaba,  já que o governo federal vem protelando seguidamente a licitação e o inicio das obras. José Maria voltou otimista do encontro, desta vez mais seguro com relação ao inicio das obras em março. Com sua franqueza habitual, concedeu a entrevista que segue e ainda nos enviou fotografias do encontro com o governador. Seguiram também ilustrações sobre rotas alternativas que poderão ser utilizadas na época da duplicação. As ilustrações são da revista especial editada pelo Clésio Gonçalves. Então vamos à entrevista.

MARCOS MARTINO: Você esteve com o governador Antônio Anastasia. Ele se mostrou otimista quando as obras da Duplicação da Br 381?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Na verdade, nem otimista mas também nem descrente. Ele crê, sim, que a duplicação sairá e determinou que o DER/MG mantenha sempre um estreito contato com o Dnit sobre esse assunto.


MARCOS MARTINO: Você acha que desta vez começa mesmo? Já houve vários anúncios de datas de licitação e inicio das obras e tudo foi adiado...

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Eu particularmente acredito que não há como o governo federal recuar, depois de tantas idas e vindas. Pode ser que não seja com a força que gostaríamos, mas que vai iniciar no princípio de 2013, acredito sim. 

MARCOS MARTINO: Algumas notícias foram veiculadas, até em rádios de BH, de que a bancada dos deputados federais mineiros, havia avisado ao governador Anastasia, de que o governo federal iria empurrar com a barriga e que as obras só começariam mesmo em 2014. Essas notícias são boatos ou acha que o governo pode mesmo adiar de novo?

JOSÊ MARIA REPOLÊS: Sempre há conversas “atravessadas” mas, como disse acima, continuo acreditando que a presidente Dilma manterá sua palavra.
  
MARCOS MARTINO: No caso da duplicação realmente começar, como o governo pretende agir, com relação a rotas alternativas para que as pessoas possam da região ir e vir para Belo Horizonte?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Marcos, o governador me disse que essa é uma grande preocupação sua e, por isso mesmo, ele colocou o DER/MG para tratar desse assunto diretamente com o Dnit. O governador frisou bem o transtorno que essa obra trará, pois serão no mínimo uns 3 anos de execução e todos terão que ter paciência pois as rotas alternativas serão melhoradas, algumas até asfaltadas, mas pelo enorme fluxo de veículos pesados que precisam transitar nesses trajetos, todos sabemos que as viagens serão mais cansativas e dispendiosas.

Barão a Caeté-asfaltada
ITABIRA A Bom Jesus asfaltado.....ate Nova Uniao...... .estrada de terra
Caete a Barao Cocais.é intençao 

MARCOS MARTINO: As obras da duplicação vão demorar 3 anos ainda. Enquanto isso, existe algum plano por parte dos governos estadual e federal, para diminuir os acidentes?

JOSÉ MARIA REPOLÊS: Acredito que isso está na pauta de todas as negociações, pois é justamente o alto índice de acidentes que nos moveu a todos para que esse projeto de duplicação saísse do papel.

MARCOS MARTINO: O seu mandato com o prefeito de Dom Silvério está terminando e na AMEPI também. Como cidadão, você pretende continuar lutando pela vida, cobrando as melhorias na BR 381?

JOSÊ MARIA REPOLÊS: Claro que sim, com cargo ou sem cargo político, toda pessoa tem o direito e o dever de exercer sua cidadania. Afinal, a política está inserida em todas as atitudes que tomamos no decorrer de nossas vidas. Um grande abraço,





Um comentário:

  1. Marcos,
    Quando menino, eu morava na rua Tapajós e de lá costumava contar o número de vagões que, geralmente, três locomotivas puxavam, carregadas de minério de ferro em direção a Vitória. A média era 200..imaginou quantas carretas seriam tiradas de circulação se pelo menos 5 horários por dia fossem destinados ao transporte destas cargas entre os trechos cortados pelas duas vias de transporte? Em países desenvolvidos eles não pensariam duas vezes antes de priorizar o transporte ferroviários onde ele é viável! Ainda mais numa ferrovia com tanto tempo ocioso! O povo deveria se mobilizar para que isso ocorresse! Um abraço!

    ResponderExcluir