domingo, 16 de setembro de 2012

ELEIÇÃO: RPG ou GINKANA???

Um jogo que muitos jogam juntos. Um cipoal de sentimentos, de interesses, de pequenos ódios e adorações que beira a insanidade. No centro, o candidato, o messias, o escolhido, aquele que congrega, que agrega. Ao derredor, os conselheiros, os palpiteiros, os aliados de segunda hora, os encarregados do trabalho sujo. Os companheiros leais de verdade, aqueles que ajudaram a carregar o candidato, num certo ponto do trajeto são substituídos pelos oportunistas, pelos espertalhões e puxa-sacos, pelos profetas do acontecido. O poder avilta. Não há escapatória. Poucos líderes conseguem se isolar das influências perniciosas. Muitas vezes no caminho certo, se aconselham com bruxos, com demônios travestidos de salvadores da pátria e seguem céleres no caminho do precipício. O momento é de nervosismo. Quem tá caindo, tentando conter a velocidade vertiginosa da queda. Quem tá subindo, tentando manter o empuxo e calculando se dá pra manter a curva ascendente, com velocidade de chegada. Haja lexotan, omeprazol e café para os marketeiros. Os candidatos sofrem pressão de soldado no front. Os eleitores começam a se definir. Havia quase 40% de indecisos e esse número vai caindo. Muitas pesquisas de mentira são divulgadas todos os dias por intermédio do boca-a-boca. As pesquisas reais mesmo ficam resguardadas. De qualquer maneira, grande parte se definirá apenas nos 3 últimos dias. Pesquisa mesmo só daqui a mais ou menos 20 dias, quando se dissiparão todas as dúvidas.. Haverão vencedores e vencidos. Alguns dias depois, alguns vencedores vão descobrir que caíram numa roubada. E alguns vencidos estarão melhor que se vencedores fossem. Êta mundim surreal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário