quarta-feira, 1 de agosto de 2012

PLANOS DE GOVERNO...OU SONHOS DE GOVERNO?

Uma coligação se forma e algumas cabeças pensantes se unem para pensar as propostas que constarão em seus planos de governo,  propostas construídas após ouvir um bocado de gente. Quando o plano é elaborado por um grupo pequeno,fica mais enxuto e exequível. Mas quando junta uma multidão palpiteira, sai um monstrengo difícil de concretizar. Plano de governo muito aberto aos palpites gerais corre o risco de ficar confuso, não convencer o eleitor e o pior: não ser executável depois. Alguns marketeiros pensam assim: agora o negócio é prometer tudo. Depois a gente vê o que dá  pra fazer. Agora o negócio é iludir. Acreditam na máxima de que o povo gosta de ser iludido. Depois os marketeiros vão embora e o plano de governo vira um tremendo abacaxí na mãos dos prefeitos. Por isso, um conselho que dou às coordenações e principalmente aos futuros prefeitos: dediquem um tempo maior ao plano. Não é pecado sonhar e um sonho sonhado junto tem muito mais força. Mas coloquem neste ´plano apenas aquilo que realmente dá pra realizar e que vai de encontro aos anseios populares. O resto, se der pra fazer, vai como extra. E lembrem-se: plano de governo muito grande, cheio de palavras difíceis, só cansa o eleitor. Tava até pensando aqui: dá pra fazer um plano  com uma frase apenas: administrar a cidade com honestidade, zelando pelo patrimônio público, investindo na saúde e na educação, gerando oportunidades para os mais jovens e olhando pelos mais humildes. O resto é perfumaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário