quinta-feira, 5 de julho de 2012

BANCADA DA CULTURA ( COLUNA DO BOM DIA)

A gente ouve falar na Bancada Ruralista que defende o interesse dos proprietários rurais ou mesmo da bancada evangélica, que se une em defesa dos objetivos cristãos no país. Mas nunca ouvi falar de bancada da cultura. Se existe eu não fiquei sabendo. Deixa eu fazer algumas perguntas básicas: em nível nacional, quais são os políticos comprometidos com as causas culturais? Como é que os artistas podem fazer valer suas expressões no congresso? E na esfera estadual? Quem são os deputados que gostam e apoiam a cultura no estado através de incentivos ou projetos de leis voltados para o segmento? E em nível municipal? Se observarmos o quadro de vereadores, quais tem algum tipo de ação voltada para a cultura? Quem apresentou projetos de lei voltados para o aperfeiçoamento do sistema cultural da cidade? E entre os vereadores que estão apresentando seus nomes? Quem tem propostas interessantes para a cultura? Com quem os profissionais da cultura poderão contar, pelo menos pelo discurso? Aliás, importante observar se os digníssimos postulantes incluem a cultura como uma das prioridades. Outra coisa percebível é que os amigos da cultura não concentram votos sobre um candidato, na tentativa de eleger pelo menos um vereador comprometido com a causa da cultura. Os votos da cultura são pulverizados e a classe corre o risco de não eleger ninguém. Não seria ideal que a classe cultural concentrasse os votos em um só candidato? Mas pelo que percebo, isso não vai acontecer. Agora, falando dos planos de governo, tá aí uma oportunidade da classe formular um documento direcionado a todos os partidos da cidade, com as propostas dos artistas para o município, um documento comum e não partidário.  Os artistas podem reivindicar algumas coisas e podem ter os bons vereadores como parceiros. Podem ser feitas algumas mudanças na maneira do município conduzir a cultura. A primeira seria romper com uma cultura de que a cidade precisa trazer os melhores shows nacionais. Por aqui passaram Roberto Carlos, Benito de Paula, Fábio de Melo, os melhores artistas sempre vieram a Monlevade. O povo está acostumado e existe a crença de que o político que não trouxer, tá morto politicamente. No entanto, trazer shows dessa envergadura, consome grande parte da verba da cultura, sobrando pouco dinheiro para investir em eventos mais voltados para os artistas locais e regionais. Cidades como Dom Silvério fazem isso bem. Os eventos de lá são quase sempre com artistas da região e continuam enchendo do mesmo jeito, a cidade está limpinha e com dinheiro em caixa. É uma questão a ser bem conversada. Algumas cidades separaram Cultura de Turismo, Lazer e Cultura, destinando verbas diferentes para cada pasta, ficando a verba da cultura para a cultura e a outra secretaria com os eventos populares de entretenimento. Tomara que haja debates sobre cultura no meio da campanha. Pode ser em uma rádio, pode ser na internet, pode ser em qualquer sitio. O Nataniel e a ACORDAR CULTURAL estão fazendo um trabalho interessante de cadastrar todas as instancias culturais do município. Junto a isso, uma pesquisa. Penso que a grande maioria dos artistas já está na net. Depois tem de fazer uma varredura pra identificar algumas manifestações que ainda não migraram para o mundo virtual. Na Casa de Cultura deve ter essas informações. Quanto à Bancada Cultural, difícil que se reúna de verdade, pois o povo das artes é cheio das panelas.  No entanto, quem sabe as convergências ajudem a configurar ideias interessantes? Que tal criarmos esse documento comum da classe artística para todos os candidatos? Neste documento, ideias e sugestões para contribuir com a melhoria do sistema municipal de cultura, em consonância com os sistemas estadual e nacional. Importante dizer que o que está sendo dito aqui, vale para todas as cidades. E a sua cidade? Como é a cultura por aí? Pense se tem alguém que seja comprometido com a cultura e que mereça o seu voto.

Um comentário:

  1. Agradeço os compartilhamentos no face e devo deixar claro que não estou dando nenhum tiro no pé. Penso que durante a atual administração, os artistas locais tiveram vitrines para apresentar seus trabalhos e houve valorização da cena. Houve sim avanços significativos. Agora, talvez seja a oportunidade de semear ideias e avançar ainda mais no fortalecimento do setor cultural.

    ResponderExcluir