domingo, 27 de maio de 2012

RAIMUNDOS: MUITO MELHOR DO QUE EU IMAGINAVA

Cheguei ao local do show quase à meia noite e tava rolando o desfile de modas. Dei uma volta e não encontrava ninguém conhecido. Um povo diferente. Fiquei caminhando de um lado pro outro. De repente ouvi à esquerda um som diferente e localizei o stand do Daniel Bahia. Ai me encontrei Julio e Fábio Sartori e depois a onipresente Lutécia. O público, em sua maioria de camisas pretas começava a se irritar com os desfiles. O povo queria era rock. Nos surpreendemos com um dos desfiles. As meninas vinham desfilando com colants pretos e ninguém entendendo nada. Até que alguém nos esclareceu que o desfile era de óculos. Lindos óculos, mas era difícil enxergá-los por causa das beldades que desfilavam suas belas silhuetas. Gostei do Diego como apresentador. Tem bom humor e jogo de cintura. Finalmente chegou a hora do show. Thiaguinho do Infocus me alertou: - Nossa, o som deles é alto sem noção. Por causa do aviso, me preparei. Quando começou, realmente o som foi uma pancada, mas eu já estava preparado e sou daqueles que gosta de som de rock alto mesmo. Confesso que temia ir ao show dos Raimundos e me decepcionar, acostumado com a estética da banda com Rodolfo e Cia. Mas sinceramente? Gostei pra caramba do novo formato. Se bem que preferia que o Digão não tocasse guitarra, mas só ficasse como band lider. O cara parece o incrível Hulk no palco. Se fosse ele, até pintava o corpo de verde. O cara tá muito forte e tem um visual imponente. Quando toca guitarra, o show perde em mobilidade, a banda fica estática no palco. Mas isso é coisa pra banda resolver. Alguns acontecimentos eu achei engraçados. Antes do show começar houve um improvável desfile dos seguranças no palco. A Lutécia gravou tudo. Mas quando o show começou, houve um incidente chato envolvendo os seguranças. Primeiro porque algumas pessoas portavam garrafas e outros objetos próximos ao palco e a banda não subiria ao palco se tivesse algum risco. Depois, quando começou o show, o público ficou enlouquecido e malucões subiram ao palco. Como o teor alcóolico era alto, alguns caras perdem a noção, sobem ao palco e atrapalham o show, colocando em risco a integridade física da banda. Os seguranças tem de entrar em ação rapidamente. Os caras se negam a descer. Teve um que estava tão maluco que continuava a dançar mesmo quando carregado pelos seguranças. A banda ficou meio desconcertada, mas o Digão não aliviou. Ameaçou que se o povo continuasse insistindo, teriam de encerrar a apresentação. Os caras já tem experiência. O som que fazem realmente mexe com as pessoas e imagino que devem ter enfrentado barras muito mais pesadas. A banda está muito firme. O guitarrista e o batera são muito bons. Musicalmente estão numa excelente fase. Muito legal também a onda de misturar rock com baião. Eu não havia percebido isso com tanta clareza como no show. O triângulo é um instrumento importante no show dos Raimundos. Ressaltando, gostei muito do Digão segurando a onda como vocalista, mas sem tocar guitarra.Pra ser sincero,devo acrescentar que o show começou num ritmo alucinante. O inicio foi matador, de PD mesmo. Mas depois de algumas músicas parece que o pique caiu, houve um decréscimo na energia, no fôlego, no preparo físico da banda. Não sei se depois voltaram ao mesmo pique. Fui embora pouco depois que tocaram Mulher de fases.  Não é das músicas que mais gosto. Prefiro as coisas mais hardcore, principalmente as que tem influências nordestinas. Percebi depois que perdi muita coisa. Não ouvi a minha preferida, o hino EU QUERO VER O OCO. Vi que perdi também a participação do meu amigo Marco Aurélio do Infocus. Aliás, a minha maior satisfação foi ver o sucesso do show, pois torço pra caramba pro Marcão, um sujeito raçudo, que não acredita em bola perdida, trabalha muito e merece todo sucesso. Que venham outros...

Um comentário:

  1. A galera reclamou que muitas músicas a banda só tocou riffs, não tocando as músicas inteiras. Não dá pra agradar todo mundo nunca. Eu achei a banda muito boa.Gostei dos músicos. Quando o Digão toca guitarra, o show fica muito parado. Se a banda não se mexe tanto no palco, as luzes agem como potencializadoras dos climas das músicas. Mas gostei muito. Principalmente da onda de baião rock.

    ResponderExcluir