segunda-feira, 30 de abril de 2012

VALEU, TRIBO DO ROCK !!!! ( resenha sobre o Rock na Rua de Aniversário)

A CHUVA NÃO VEIO...AINDA BEM...

Á tarde eu conversava com a Maria Cecília da banda "The Travel" pelo face. Ela dizia: - Parece que vai chover. Só falta essa. É só falar que vai ter rock que chove. É que duas edições do Rock na Rua foram adiados por causa de chuva. Mas desta vez São Pedro cooperou.

AUDIO FUNCHO

A banda já entrou no palco ousando com uma música instrumental. De cara emendou uma música própria e foi aquecendo. Enquanto isso, o pessoal da técnica ia acertando o som. A banda aos poucos foi ganhando o público. Principalmente quando tocou Raul. Depois, pintou a incendiária presença de Bruno Soares cantando clássicos do Pink Floyd. Delírio geral. As releituras que a banda mandou ficaram interessantes, como em "Você não gosta de Mim, mas sua filha gosta". Bacana também a versão para "Encontros e Despedidas", de Fernando Brant e Milton Nascimento. Outra que marcou foi "Eu quero é botar meu bloco na rua", de Sérgio Sampaio. Eles também tocaram a autoral "Limites" que as vezes parece uma valsa, hora tem um que de música brega. Coisas da cabeça do Lakim. Alias, Lakim mandou muito bem na batera. Gosto dele tocando. James mandou som na guitarra. Willian  tocando um baixo gordo e swingado. E o MC Bruno Leal na voz solo e comunicação com o público. Houve sim altos e baixos na mixagem do som. Em certos momentos o som saturava de graves. Eu não tinha acesso direto ao palco. Na hora dos shows, a porta ficava fechada e não dava pra interceder. Depois, parece que perceberam e corrigiram o problema e o som ficou perfeito. O Audio Funcho agradou bastante e saiu do palco aplaudido. 

THE TRAVEL

Quem vê as meninas do "The Travel", tão novinhas, não imaginam o som que mandam. Trata-se de um banda de cordas afiadas, com Clara Albuquerque no baixo e violão, Maria Cecilia e Tamires nas Guitarras , completando com André Freitas na bateria. O repertório da turma é muito bem escolhido, bem atual, mesclando algumas coisas mais pop e outras mais roqueiras. A participação de Bruno Soares foi interessante por mostrar o lado instrumental da banda. Enquanto o Bruno cantava, a banda funcionava como apoio, tocando com eficiência, gestual e envolvimento. Há de se registrar também Maria Cecília tocando gaita em Love Me Do, dos Beatles. Dá um toque exótico ao show. Podia até arriscar a gaita em outras músicas. A música Come Together, também dos Beatles é outra que fica muito bem na interpretação da "The Travel". A única coisa que falta à banda são algumas músicas próprias, aquelas que as bandas precisam ter para se lançar. Se não tiver facilidade pra compor, tem alguns compositores por perto. Tem o Aggeu Marques, tem a Isa Lelis, tem o Lakim, o Marco Aurélio do Infocus, eu também fiquei de passar algumas músicas. Muita coisa boa pra rolar ainda... 

BRUNO BAND

O Brunão tá merecendo uma banda própria pra fazer som  O cara tá cantando e tocando muito. Canta de forma visceral, com a alma. Ele pode convidar os músicos e montar a banda que as coisas vão acontecer. Pode ter Floyd, pode ter Foo Fighters, pode ter Lobão, pode ter participações. Ah...tem de escolher um nome de banda pois Bruno Band não fica legal (rs).

ROSE IN BLACK

Aquilo nem foi um show, foi uma celebração. A tribo do Heavy metal entrou em extase com o som pesado e em alto volume Assim que o pessoal do Roseinblack começou a tocar a tribo metaleira chegou toda pra frente do palco. Os caras montaram um repertório matador e a turma se descabelava lá em baixo. Teve momentos mágicos, em que o público entoava os cânticos do metal. Nesse momento,Yank Bicalho regia o público. A banda no palco também mandava som com muito vigor, com o bumbo duplo fazendo estrago em quem estava próximo ao palco. Temi pelos meus tímpanos. As guitarra do Igor é um paredão sonoro. A guitarra do Maurício hora fechava o paredão com o Igor, hora se soltava em solos, tudo muito bem executado. O que incomodava é que o som voltou a dar uns graves inconvenientes. Tentei novamente chegar ao palco pra dar um toque no pessoal do som, mas não consegui. Na real, quem tava próximo ao palco tava tendo um som de qualidade somado ao som dos próprios instrumentos do pessoal no palco, que tavam altos pra caramba. Mas o público não tava nem saí pros detalhes técnicos e curtiu pra caramba, fez o ritual de acordo. 

TRIBO DO ROCK CORRESPONDEU

A primeira banda era mais psicodélica, hora meio rock, meio samba, fazendo releituras de alguns clássicos, tocando músicas próprias muito legais também, fazendo um link com o rock mundial com a participação do Brunão. A galera geral absorveu muito bem. A turma saiu muito aplaudida. Depois veio a quase girl band "The travel". Digo quase porque teve o André Freitas na batera e o Bruno Soares na participação especial. As meninas também saíram muito aplaudidas. Olhando pro público, tinha muitas tribos, mas prevalecia o heavy metal. A turma de preto, da caveirinha e dos moshs tava em número muito maior. Por isso, quando o Rose In Black tocou, a tribo ficou à vontade e fez seu ambiente. Tinha tipos muito interessantes, dançando do jeito que só os metaleiros sabem, Valeu, tribo do Rock!

ROCK NO TRIO

Havia um temor danado de levar o Rock pro ambiente do Axé. Pra mim, deu muito certo. É o tal negócio, se  o rock pretende voltar a ser popular, precisa ocupar espaços. 

O SOM DO TRIO

Eu constatei, falei pro Marco do Infocus e ele percebeu o mesmo. O som do outro lado do trio tinha muito mais qualidade que do lado para o qual estava direcionado. Tinha mais agudos, mais definição. Embora que tinha um grave descomunal pra frente. O grave, quando no ponto, gera um conforto bacana, mas no caso tava mesmo gerando um som contínuo que incomodava em certos pontos da avenida. Como caminhei bastante, percebi mesmo que o som variava muito para quem estava em pontos diferentes. Conversei com o dono do trio elétrico. Eles poderiam ter caminhado mais para ouvir e fazer pequenas correções, por exemplo com o tablet na mão, monitorando pequenas correções via wireless. 

QUE VENHAM OS PRÓXIMOS ROCKS...

Vamos ficar atentos a agenda do rock. Dia 18 de maio vai ter SEXTÃO ROCK? No Sindicato, com as bandas DESARME e AUDIO FUNCHO. Teremos  RAIMUNDOS agora em maio. Em Julho teremos ROCK PIRA e FESTIVAL SUPER ROCK. Outros eventos legais devem se confirmar. 




3 comentários:

  1. po legal pra caranba as petagens ai parabens...mais ca pra nos tem nads da flaying high ai nau kkk c tiver foto ou qualqer coisa manda pro meu e-mail por favor agente tocou no rocke na rua!!tai meu e-mail ...juliano_rock93@hotmail.com..valeu!!parabens

    ResponderExcluir
  2. Uma pena a qualidade do som, mas valeu a festa!! Bandas boas, com repertório excelente. É o rock voltando a cena.

    ResponderExcluir
  3. sou primo de sergio sampaio,nilton

    ResponderExcluir