segunda-feira, 16 de abril de 2012

A REBELIÃO DOS ANÔNIMOS

Vocês não fazem ideia do quanto venho sendo assombrado pelos anônimos. Cheguei a pensar que fosse um só, mas percebo que são vários. Chegam mensagens com vários tipos de escrita, uns escrevem muito bem, outros são analfabetos, uns tem discurso de amigo dando conselhos do tipo “quem avisa, amigo é”. Essas assombrações vem me acompanhando e se manifestam a qualquer hora. As vezes até fico tentado a duelar com esses demônios mascarados, mas é isso o que querem. Então os deixo lá no limbo das mensagens não publicadas. O pior é que ao não serem publicados em meu blog, eles procuram e costumam encontrar espaço nos blogs de alguns "blogueiros amigos". Não vou dizer que não incomoda, mas se eu dedicar meu tempo a responder os impropérios desse povo, paro de trabalhar. Aliás,  cismaram de implicar com meu método de trabalho. Vivo mesmo conectado. O ambiente virtual é um dos melhores para o ativismo cultural. Quando publico matérias sobre as bandas locais, sobre eventos de interesse dos artistas, sobre os eventos que fazemos, estou exercendo meu trabalho como produtor e fomentador da cultura. Não só faz parte do meu trabalho, com é um dos principais fronts de luta da cultura nos dias atuais.  Meu tempo dedicado ao trabalho com toda certeza extrapola as 8 horas diárias. Chato também é imaginar que vem de perto, não dos inimigos explícitos, mas de desafetos camuflados, aparentemente aliados, mas conspirando o tempo inteiro contra tudo e contra todos.Tem uns anônimos que ficam regulando até a hora que entro na internet. É só eu entrar para começarem a mandar mensagens do tipo: Aí, você fica postando essas coisas na hora do serviço?Não vai trabalhar não? Ora bolas! Exerço meu trabalho da forma como acertado com o meu chefe. E deve estar dando algum resultado, senão eu já teria dançado, tantas são as tentativas de me desestabilizar. E olha que sou um nada. Esses anônimos são como aqueles babacas que ficam na janela cuspindo sobre quem passa embaixo e se escondendo para não serem identificados. Pura covardia. Até acredito que alguns não me querem mal, mas chamam meus amigos de pilantras, alvejam companheiros, botam até família no meio. O anonimato é uma estratégia covarde, que pode ser usada para confundir, para caluniar, até para gerar denúncia falsa. Tem vários tipos de anônimos. Tem os babacas descerebrados. Esses, por incrível que pareça são medíocres mas tem egos gigantes e se acham muito espertos. Nem levo em consideração. Quanto aos fiscais da net, estes sim não tem o que fazer. Quanto aos letrados, se tiverem de me dizer algo, liguem-me e vamos conversar. Não sou muito afeito as charadas. Existem anônimos que se apresentam como oráculos. Chegam espalhando interrogações, parábolas e metáforas pelo caminho. Se a gente não tomar cuidado, embarca e perde o trilho. 

2 comentários:

  1. Se tem coragem de escrever, deviam ter coragem para assumirem aquilo que escrevem. Os anônimos, infelizmente, assombram a todos nós que queremos levar informação e cultura as pessoas. Mas continue firme e não se deixe abater jamáis.
    Grande abraço Marcos

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Caio Fernando. Um dos encostos anônimos , agora veja só, postou dizendo que "nós temos coragem de escrever". Quer dizer, trata-se de uma pequena legião e não de uma pessoa apenas. A pessoa diz que vai enviar para publicação no seu blog. De qualquer maneira, agradeço pela força.

    ResponderExcluir