sexta-feira, 20 de abril de 2012

INCONFIDÊNCIA É FOFOCA ( Bom dia de hoje)

Agora vejam vocês. Hoje é dia 20 dia abril, véspera da famosa inconfidência mineira. Mas peraí um pouco. Tava pensando aqui. Se confidência significa segredo não revelado, inconfidência significa o contrário. Se você tem um confidente, uma pessoa em quem confia, revela para ela certos detalhes da sua vida, conta seus planos, até alguns detalhes sórdidos. Se essa pessoa der com a língua nos dentes, estará traindo sua confiança e cometendo uma INCONFIDENCIA. Para alguns, inconfidência pode ter também o significado de traição. No dicionário consta: s.f. Falta de fé ou de fidelidade para com alguém, especialmente para com o Estado ou o soberano. Infidelidade, revelação do segredo confiado. E trazendo para o popular, inconfidências são as nossas famosas fofocas. Falar mal dos outros é uma coisa muito apreciada por aqui. Imagine as barbearias, os salões de beleza, a praça Domingos Silvério, os Pontos de Taxi sem um pouco de fofoca? Seria um tédio! Agora, se você tem um segredo, desses cabeludos mesmo, não conte a ninguém. Aquela conversa de que “ vou contar só para você, mas não revele a ninguém” nunca funcionou. A pessoa já sai da conversa com um comichão, doida pra encontrar alguém pra replicar “ Se eu te contar um segredo, você não revela pra ninguém, né? Então vou te contar.” Podemos dizer então que inconfidência mineira também pode ser traduzida como fofoca mineira. Tem quem pense que é ruim, outros se divertem. Alguns até ganham dinheiro com jornais, revistas e sites de babados. É a chamada fofoca business. Mas voltando à história, já ouvi falar que a conjuração deu errado porque o Tiradentes era muito fofoqueiro e contou suas ideias para várias pessoas. Daí que outro inconfidente, o nosso Judas da roça Joaquim Silvério dos Reis foi lá nos imperiais e dedurou o Alferes e sua turma. Ai, a portuguesada que não era nada boazinha mandou enforcar o inconfidente e espalhar seus pedaços pra fazer medo na mineirada. Por isso talvez o povo das montanhas seja tão tímido e fale tão baixo. É que as fofocas tem de ser ditas baixinho, ao pé do ouvido. Fico até pensando se não deveríamos solicitar dos historiadores que mudem o nome, de inconfidência para conjuração mineira. As vezes vejo como muito cruel passarmos para a história como um povo inconfidente ou seja, fofoqueiro, não confiável. Por outro lado, sabe-se lá se por tortuosos caminhos, a independência veio porque a inconfidência continuou sendo repassada, como uma fofoca que acabou ganhando corpo? Não terá sido um gigantesco telefone sem fio da história? Vai saber. Depois do dito, só me resta dizer uma coisa: viva a inconfidência! Viva a fofoca!

Nenhum comentário:

Postar um comentário