domingo, 18 de março de 2012

QUANTO UM NÃO QUER, NEM SEMPRE DOIS NÃO BRIGAM

Muitas vezes você hasteia a bandeira branca, mas uma saraivada de balas trata de perfurá-la até transformá-la em mulambo. O ditado 'quando um não quer dois não briga" me parece inadequado para o mundo real. Tem gente que quer brigar, quer agredir, que não vai mesmo gostar de você de jeito nenhum. Muito pelo contrário, vai querer te agredir, te aniquilar em todas as oportunidades. Não adianta tentar conciliação com quem não quer a paz contigo. Quando instalado, o ódio não permite concessões nem atenuantes. É um sentimento que costuma nascer de um detalhe, algo imperceptível para você, mas relevante para o outro. Enquanto o amor é etéreo, o ódio é concentrado, focado. Por isso, melhor não ser "pangloss" no mundo, sob risco de ser alvejado e perecer por bom mocismo idiota. Já que é assim, melhor a letra do Barão: chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia. Que assim seja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário