terça-feira, 13 de março de 2012

DIVERSIDADE CULTURAL

Durante minha estada em João Monlevade, tive oportunidade de aprender muitas coisas. Entre os aprendizados, está a demolição de qualquer preconceito cultural. Eu digo isso porque parece que agora serei assombrado por anônimos. Recebi msg de um desses sem cara nos condenando por estarmos apoiando determinado estilo. No que diz respeito à música, há cultura em todos os gêneros e pode ser um erro a gente achar que só gosto da gente é que é bom. Cada um sente a arte segundo seus pontos de vista, suas culturas familiares, comunitárias, visuais, enfim, A realidade circundante formata a cultura do sujeito, bem como sua interação com outras tribos. Fico pensando comigo. O povo roqueiro odeia o funk. O povo funkeiro também odeia os roqueiros. Os roqueiros também não gostam do sertanejo, do axé, assim como as meninas que gostam da sensualidade do axé não gostam de heavy metal. A intolerância é grande. Quem for da tribo x não pode gostar do estilo da tribo y e ponto final. No que diz respeito ao teatro, a mesma coisa. Existem diversos estilos, como teatro de rua, comédia, drama, intervenções performáticas, teatro do absurdo, etc. Tudo é teatro. Com relação às artes plásticas nem se fala. Primitivismo, cubismo, realismo, abstrato, várias expressões. Na dança, tem o balé clássico, capoeira, dança de salão, jazz, hip hop, samba, funk, axé, enfim, diversos estilos. Pois é. Podemos até ter as nossas predileções. Eu gosto mais de certos estilos de música por exemplo e não ouço todos em minha casa, mas daí até dizer que não existe arte no que não ouço, uma grande distância. Cada um com seu cada um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário