quarta-feira, 31 de agosto de 2011

FESTIAÇO - PRA QUEM QUER OUVIR AS MÚSICAS ANTES...

Eu havia pensado assim: não vou divulgar as músicas do Festiaço antes pra não correr o risco de favorecer ninguém. Mas não tem jeito! Hoje a internet está disponível para todos. Logo que alguns participantes souberam de sua classificação, já começaram a disponibilizar seus videos no youtube, blogs e outros canais. E querem saber? Isso é bom demais. Desta vez quem se interessar poderá ouvir as músicas antes. Na medida do possível, vou postando o material dos artistas. Quem quiser, só acessar o festiaco2011.blogspot.com Já postei músicas de Mike Santos, que é de Rio Piracicaba, de Ronivaldo e João Roberto, de João Monlevade e dos amigos da Banda Infocus e Isa Lelis e Lakim, também aqui da cidade do aço. Mas podem esperar que vou postar mais coisas...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

NOSSO LADO É QUE É O CERTO!

Pensamento oposicionista: "Estamos do lado certo. Estamos do lado de Deus, da ordem, do bem, do justo, do que é certo A única razão válida é a nossa. Os inimigos não tem razão. São um bando de corruptos, de ladrões, pessoas da pior espécie. Tem argumentos, usam falácias, falsas parábolas, mentiras. Já nós, temos os melhores quadros, os melhores projetos, as melhores idéias, as melhores intenções. As que o outro lado apresentam são completamente equivocadas. Entre nós tem algumas pessoas não tão confiáveis, mas o importante é ganharmos. Depois a gente vê o que faz com esses vermes. Por enquanto precisamos deles. Quanto aos inimigos, eles nunca deveriam ter vencido. O povo estava cego. Nós é que somos os mais preparados, os mais hábeis, os que tem competência para administrar a cidade. Conseguimos ver tudo, todos os problemas. Temos soluções para as questões mais complexas. Se fossemos nós no poder, a cidade estaria numa situação muito melhor. Saberíamos com nossa onipresença aplacar a fome do povo, reparar as vias, saciar a sede de circo e de pão. Temos a fórmula mágica para transformar aço em ouro. Mas aproxima-se um novo pleito e teremos de nos esforçar para convencer o povo de que nosso lado é o certo e que nosso governo será bem melhor que o deles. Enquanto isso não acontece, vamos conspirando e golpeando no fígado. Oposição a gente tem de pisar na cabeça. No momento há muito confusão. Direita e esquerda estão misturados, mas vai chegar uma hora de depuração. O que preocupa é aquele ditado: o que não mata, fortalece!". Só uma coisa eu preciso lembrar a todos. Numa eleição, o eleitor não vota em legenda, nem em vereador, nem em prefeito. O eleitor vota em si. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

FESTIAÇO - UMA RICA VITRINE

Foi uma maratona de 3 dias ouvindo músicas. Só hoje pela manhã conseguimos fechar a lista das 30 que serão apresentadas nas eliminatórias de sexta e sábado do Festiaço. Admirável a qualidade das gravações. Sou do tempo da fita k7, das gravações em gravador com microfone que parecia um chuveiro. Pra encontrarmos efeitos de eco, tínhamos de procurar espaços tipo igrejas. Mas é sério. A maioria dos artistas interpretou suas músicas com qualidade profissional. Chegamos a um ponto em que a tecnologia permite que o artista grave seu cd em seu próprio quarto e com excelente resultado. Tô muito tentado a falar um pouco dos artistas classificados, de disponibilizar algumas músicas na net pro pessoal conhecer antes. O problema é que nem todas as canções classificadas foram gravadas em estúdio profissional e com isso, as que não tem gravação com qualidade acabam prejudicadas. De qualquer maneira vou comentar sobre as músicas, fazendo uma sinopse do Festival. E ainda vamos avaliar se devemos ou não disponibilizar as músicas. Será que tira do juri o prazer de ouvir as músicas pela primeira vez na hora? É uma questão pra gente pensar. E agradecemos muitíssimo aos artistas que enviaram suas músicas. E uma mensagem aos não classificados: muita gente boa mesmo ficou de fora. Alguns pela falta de capricho no acabamento, por gravações muito ruins mesmo, outros por  desafinações, deficiências rÍtmicas. enfim. Alguns também mandaram muitas músicas, mas pela quantidade e qualidade, era natural que se classificasse apenas uma música de cada artista, Apenas a banda de Olinda classificou duas músicas, mesmo assim os caras inscreveram 13, ou seja: nem são participantes. São patrocinadores (rs). Algumas músicas muito boas ficaram na suplência e podem subir caso haja desistencias. Pra finalizar, devo dizer que nos próximos dias anunciaremos novidades que temos certeza, serão muito bem recebidas pela classe artística e também pelo público. De qualquer maneira, mais uma vez, agradecemos pela energia positiva.

domingo, 28 de agosto de 2011

CRUZEIRO VENCEU O 19º DO CAMPEONATO.

Sinceramente, pelo futebol que estamos jogando, merecíamos estar tipo em 12º, 13º lugares. O primeiro turno terminou acima das expectativas. Lá no rio dizem que o Papai Joel tem sorte e parece que é verdade. Definitivamente, o estilo Joel não combina com o estilo de jogo com que a torcida azul está acostumada. Que eu me lembre, jamais tivemos um time jogando na retranca. Não faço idéia também do destino que nos aguarda para os próximos meses. Estou com medo desse desligamento dos Perrelas com o Cruzeiro. Parece que estão mesmo dispostos a dar linha e o custo pode sair alto. Primeiro, venderam o Henrique, depois o Thiago Ribeiro. Ficamos sem velocista. A esperança aumentou quando o Dudú foi bem na sub-20 e veio a surpresa: Dudú também foi vendido. Hoje durante a transmissão da Itatiaia, Junior Brasil falou que existem fortes boatos de que o Montillo será vendido essa semana. Uai. Será que os Perrelas tão querendo sair e levar o "deles"? Vai saber. Sei que o time está jogando muito mal. O Fábio tem crédito. Fez aquele golpe de vista que foi fatal, mas pegou outras, estava bem colocado e tal. Vitor tem jogado razoavelmente. A zaga esteve até bem. Fiquei com medo de ficar sem Gil, mas Naldo e Leo não comprometeram.  Diego Renam machucou de novo, mas Gilberto não deixa a desejar. Fabrício foi bem, preenchendo o espaço, o mesmo acontecendo com o Paraná. Roger foi um leão na marcação e Montillo desequilibrou de novo. Na frente, Wellington Paulista deu aquele excelente passe pro Montillo fazer o primeiro gol e se machucou de novo. Ele sempre joga bem contra o Galo. Anselmo Ramon desta vez me pareceu muito pesadão. Com a saída do WP, o time ficou sem saída no ataque e a bola ficou mais no campo do cruzeiro. Só que o time congestionava bem e embora acontecesse um domínio aparente, a bola pouco chegava no Fábio. Mas convenhamos: no segundo tempo podíamos ter perdido. Eles trançaram muitas bolas na nossa área e num lance fortuito, num super frango do goleirinho deles, voou pena pra todo lado e saímos com a vitória. No entanto, não posso dizer que fiquei satisfeito com o futebol jogado. Se formos pensar, ganhamos do vice-lanterna do campeonato. Não mais que obrigação. 

FESTIAÇO - LISTA DAS CLASSIFICADAS AMANHÃ.

Gostaríamos de agradecer ao pessoal que sacrificou parte do final de semana para compor a equipe da pré-seleção das músicas. Está sendo um trabalho cansativo, porém prazeroso. Até o final da tarde teremos ouvido todas as músicas e será feita a somatória das notas, para que possamos enfim conhecer as 30 classificadas. Com prorrogamos a data de inscrição em mais um dia, também optamos por divulgar as classificadas apenas amanhã , por volta das 14 horas. Podemos assegurar a vocês que o nível está muito bom mesmo. 

sábado, 27 de agosto de 2011

CULTURA NO TRÂNSITO

Necessitamos de muitos tipos de CULTURA. Por exemplo, a cultura do trânsito não está legal. O povo anda correndo muito, dirigindo com celular ligado, com som alto. Os motoristas não respeitam as faixas. Tá tendo pegas direto na Wilson Alvarenga de madrugada. Na Getúlio Vargas o povo também faz loucuras e imagino que em outras avenidas não seja diferente. Os motoqueiros ultrapassam pela direita, botando os pedestres em risco. Os pedestres também não cooperam. A descortesia é a tônica. O que podemos fazer para difundir e fazer com que a CULTURA do trânsito civilizado se faça imperativa em nossa cidade?

FESTIAÇO - BALANÇO PARCIAL

Graças a Deus os resultados estão melhores que as projeções. Eu havia dito na tarde de ontem que havia mais de 70 inscrições. Pois ontem ainda chegaram muitas músicas ainda, nos deixando muito satisfeitos. Não temos o balanço final, mas dá pra assegurar que passarão de 100 inscrições. E não tem só quantidade, mas qualidade em todos os estilos. O pessoal entendeu a proposta e tem mpb, rock, funks,  sertanejo, forró, blues, samba, de tudo um pouco. E o melhor é que não é só quantidade. A qualidade musical e  literária acompanham. Há muitas provocações, muita força literária e musical. Mas o processo de pré-seleção ainda não terminou, tendo sido interrompido hoje,  Amanhã haverá a segunda parte das audições e a divulgação das classificadas. Obrigado, muito obrigado mesmo aos participantes. 

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

DEFINIÇÕES DE CULTURA

Marte é pertinho!

Li certa vez uma definição de cultura que por muito tempo acreditei ser a melhor " cultura é o conjunto de conhecimentos adquiridos por um povo para se adaptar a determinado lugar". Só que a vida vai nos mostrando outros ângulos e vamos derrubando os paradigmas. Dizem que é importante termos raízes. Pode até ser. Só que o logos mudou. O eixo migrou do local para o global de uma forma radical e a cultura mudou com ela. A coisa ficou tão vária, tão transfigurada, tão fragmentada, que não cabe mais definição. Tornou-se tão complexa que embarca tudo. E formaram-se tribos, guetos, lobbys, bancadas. Existe a cultura religiosa, a cultura rural, a cultura urbana, cultura negra, cultura cabocla, cultura nômade, cultura clássica, culturas e mais culturas emboladas num desarranjo que pulveriza a definição de cultura do inicio do texto. Existem também os preconceitos culturais. Um rockeiro não pode gostar de sertanejo. Um cantor gospel tem de policiar as letras dos seculares. O cara do funk não gosta de congado. Ah. Tem também a cultura do marketing dentro da música. Tem de lançar um ídolo, uma dupla nova a cada estação. O cara de dois anos atrás já está velho, vencido. E as músicas repetirão mais ou menos as mesmas idéias, mas o povo vai comprar tudo de novo. É indústria. Fabricação em série. Mas mesmo assim, dentro da democracia e do capitalismo, todos tem direito de consumir o que quiser dentro da legalidade. Eu acho chato o sujeito achar que seu gosto é que é bom, subir em cima de um pedestal e ficar xingando o gosto dos outros. Mas aí é que tá. É democrático também o cara reclamar. Então deixa o cara reclamar pra lá. É do direito dele. Mas só fechando aqui sobre definição de cultura, no fundo ela é metamorpha e adapta-se a cada imperativo da época, no nosso caso, o capitalismo. Para quem não se adaptar, o planeta mais próximo é marte.

A AGUIA E A GALINHA DE LEONARDO BOFF


A  Águia e a Galinha

Uma metáfora da condição humana

                   Era uma vez um camponês que foi a floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo em sua casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Coloco-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para galinhas. Embora a águia fosse o rei/rainha de todos os pássaros. Depois de cinco anos, este homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
 - Esse pássaro aí não é galinha. É uma águia.
            - De fato – disse o camponês. É águia. Mas eu criei como galinha.
Ela não é mas uma águia. Transformou-se em galinha como as outras, apesar das asas de quase três metros de extensão.
 - Não – retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração a fará um dia voar ás alturas. - Não, não – insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
  Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse: - já que você de fato é uma águia,  já que você pertence ao céu e não a terra, então abra suas asas e voe! A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas. 
                  O camponês comentou: 
-         Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha! 
-         Não – tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia. 
E uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã. 

                  
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurrou-lhe: 
-         Águia, já que você é uma águia, abra as suas asas e voe! 
Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas.  

O camponês sorriu e voltou à carga: 
-         Eu lhe havia dito, ela virou galinha! 
-                     Não – respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia, possuirá sempre um coração  de águia. Vamos experimentar ainda uma ultima vez. Amanhã a farei voar. 
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe: 
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe! 
A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte. 
Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergue-se, soberana, sobre se mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez mais para o alto. Voou... voou... até confundir-se com o azul do firmamento...
E Aggrey  terminou conclamando:
 - Irmãos e irmãs, meus compatriotas! Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus! Mas houve pessoas que nos fizeram pensar como galinhas. E muitos de nós ainda acham que somos efetivamente galinhas. Mas nós somos águias. Por isso, companheiros e companheiras, abramos as asas e voemos . Voemos como as águias. Jamais nos contentemos com os grãos que nos jogarem aos pés para ciscar.
(Autor:  Leonardo Boff)
( Co-autor:  James Aggrey  - Natural de GAMA, pequeno pais da África Ocidental.
Político que defendia a liberdade.

FESTIAÇO - ATÉ AGORA, MAIS DE 60 INSCRIÇÕES

Agradecemos muitíssimo ao pessoal que acreditou na proposta, que entendeu a importância dessas vitrines que são os festivais de música. O FESTIAÇO já recebeu mais de 60 inscrições e promete ser muito interessante. Amanhã estaremos fazendo a pré-seleção e não será tarefa fácil. Tem músicas de todos os gêneros, de várias cidades, dos conteúdos os mais diversos. Será uma boa oportunidade de saber o que vai na cabeça dos nossos artistas. 

A ÁGUIA QUE ACHAVA QUE ERA GALINHA


Era uma vez uma águia que foi criada num galinheiro. Cresceu pensando que era galinha. Era uma galinha estranha (o que a fazia sofrer). Que tristeza quando se via refletida nos espelhos das poças d’água tão diferente! O bico eragrande demais, adunco, impróprio para catar milho, como todas as outras faziam. Seus olhos tinham um ar feroz, diferente do olhar amedrontado das galinhas, tão ao sabor do amor do galo.
Era muito grande em relação às outras, era atlética. Com certeza sofria de alguma doença. E ela queria uma coisa só: ser uma galinha comum, como todas as outras.
Fazia um esforço enorme para isso. Treinava ciscar com bamboleio próprio. Andava meio agachada, para não se destacar pela altura. Tomava lições de cacarejo.
O que mais queria: que seu cocô tivesse o mesmo cheiro familiar e acolhedor do cocô das galinhas. O seu era diferente, inconfundível. Todos sabiam onde ela tinha estado e riam.
Sua luta para ser igual a levava a extremos de dedicação política. Participava de todas as causas. Quando havia greve por rações de milho mais abundantes, ela estava sempre na frente. Fazia discursos inflamados contra as péssimas condições de segurança do galinheiro, pois a tela precisava ser arrumada, estava cheia de buracos (nunca lhe passava pela cabeça aproveitar-se dos furos para fugir, porque o que ela queria não era a liberdade, era ser igual às outras, mesmo dentro do galinheiro).
Pregava a necessidade de uma revolução no galinheiro. Acabar com o dono que se apossava do trabalho das galinhas. O galinheiro precisava de nova administração galinácea. (Acabar com o galinheiro, derrubar as cercas, isso era coisa impensável. O que se desejava era um galinheiro que fosse bom, protegido, onde ninguém pudesse entrar – muito embora o reverso fosse “de onde ninguém pudesse sair”).
Aconteceu que, um dia, um alpinista que se dirigia para o cume das montanhas passou por ali. Alpinistas são pessoas que gostam de ser águias. Não podendo, fazem aquilo que chega mais perto. Sobem a pés e mãos, até as alturas onde elas vivem e voam. E ficam lá, olhando para baixo, imaginando que seria muito bom se fossem águias e pudessem voar.
O alpinista viu a águia no galinheiro e se assustou.
- O que você, águia, está fazendo no meio das galinhas? Ele perguntou.
Ela pensou que estava sendo caçoada e ficou brava.
- Não me goza. Águia é a vovozinha. Sou galinha de corpo e alma, embora não pareça.
- Galinha coisa nenhuma, replicou o alpinista. Você tem bico de águia, olhar de águia, rabo de águia, cocô de águia. É ÁGUIA. Deveria estar voando... E apontou para minúsculos pontos no céu, muito longe, águias que voam perto dos picos das montanhas.
- Deus me livre! Tenho vertigem das alturas. Me dá tonteira. O máximo, para mim, é o segundo degrau do poleiro, ela respondeu.
O alpinista percebeu que a discussão não iria a lugar nenhum. Suspeitou que a águia até gostava de ser galinha. Coisa que acontece freqüentemente. Voar é excitante, mas dá calafrios. O galinheiro pode ser chato, mas é tranqüilo. A segurança atrai mais que a liberdade.
Assim, fim de papo. Agarrou a águia e enfiou dentro de um saco. E continuou sua marcha para o alto da montanha.
Chegando lá, escolheu o abismo mais fundo, abriu o saco e sacudiu a águia no vazio. Ela caiu. Aterrorizada, debateu-se furiosamente procurando algo a que se agarrar. Mas não havia nada. Só lhe sobravam as asas.
E foi então que algo novo aconteceu. Do fundo de seu corpo galináceo, uma águia, há muito tempo adormecida e esquecida, acordou, se apossou das asas e, de repente, ela voou.
“Lá de cima olhou o vale onde vivera. Visto das alturas ele era muito mais bonito. Que pena que há tantos animais que só podem ver os limites do galinheiro!”

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

QUE VENHA O NOVO!

Para que o novo se imponha, há o poderoso refluxo do que já foi. Quem se estabeleceu não vai perecer sem luta. Sabe que é lei irrefutável, que um dia a decadência chega e nessa hora melhor uma aposentadoria honrosa que a humilhação de um combate contra inimigos mais ágeis, fortes e no ápice das aptidões físicas e mentais. Há uma geração prontinha para tomar o poder. Ela nem sabe o poder que tem, mas vai descobrir aos poucos. À medida que for descobrindo, vai avançar impiedosamente e varrer os oponentes do caminho. Mesmo já tendo cabelos brancos, mesmo com o peso dos anos começando a  dificultar, me recuso a ser uma âncora do ontem. Prefiro ser alguém que abre as janelas para que o novo possa brilhar intensamente. Quem sabe assim não consiga me revigorar com um pouco esse brilho? Que venha o novo! 

FESTIAÇO BOMBANDO !!!

As inscrições estão chegando com muita qualidade. Inscreveu-se ontem uma banda de Olinda-PE. Foi uma coisa inédita. Só essa banda inscreveu 13 músicas. Nomes de grande qualidade já confirmaram presença, como João Roberto e Ronivaldo, Banda Infocus, Isa Lelis, Carol Bittencourt, Sammy Rocha. Do funk, já se inscreveu o MC Xocolate. Tem também o sertanejo do Joel. Mas penso que vários ainda vão confirmar entre hoje e amanhã. Como a banda AudioFuncho, o compositor Angelis, que compõe com boa métrica e que também é roteirista e tem um projeto de um filme que depois contarei para vocês. Tem ainda a Natália Grigório, que estou aguardando, a Cila Cordeli. Tem a Dona Terezinha da folia da vaca. Ah. Aguardamos outros nomes também, como a banda de forró que tem uma música chamada "Taxista de Plantão", bem povão mesmo, da minha terra, Alvinópolis. Também do Thulio e grupo lá de Alvipa, que tem um vocal de gente grande e boas músicas. Tem ainda a banda Código Livre, do meu amigo Alessandro. Pensei que mais bandas de lá viriam. Pensei que uma das bandas femininas viria, mas tô achando que não vem. Vamos ver. Ficaria também feliz se viesse o Tupete lá de São Gonçalo com a sua música da embolada. Se o Ricardo e a Família Rodrigues viessem então, seria mágico. Tem as bandas de rock também, Wisck & blues, Maverick Escarlate, Dark Roses e Black Fire. Mas vamos aguardar. E essa turma ainda tem até amanhã sexta-feira para se inscrever. 

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

FESTIAÇO 2011 - A FESTA DA MÚSICA


FESTIAÇO - INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 26 - SEXTA

Pessoal, as inscrições para o FestiAço estão prorrogadas até na sexta, dia 26. A medida visa corrigir um erro. Como a pré-seleção acontecerá no sábado, o lógico seria que as inscrições se encerrassem na sexta,26 mas devo ter observado um calendário errado e fixei dia 25, que é na quinta, quando deveria ter colocado dia 26, sexta. Prorrogando, corrigimos esse lapso e o pessoal ganha mais um dia. Mas nem por isso fiquem relaxados deixando pra última hora. Vai que pinta um imprevisto e babau. 

ANTOMANIA QUER DIZER " MANIA DE FLORES "

Numa manhã de sábado fui à praça 7 pra ver o movimento do pessoal da ACORDAR, a Associação de Artistas Monlevadenses. Lá chegando fui recebido pelo palhaço FUBÁ. Depois outros personagens amalucados apareceram fazendo coisas estravagantes. Fiquei ali, dando uma olhada no som que tava estourando um pouco, dei uma mexidinha básica, fiquei ali conversando com o pessoal quando de repente apareceu uma pessoa e me puxou pelo braço. Fui parar em sua banca de livros. Eram vários livros dispostos. Pensei comigo: -bom, essa menina deve ser promotora de alguma editora e está vendendo livros de vários escritores. Deve ser isso! Mas ao examinar o material é que senti o drama. Os livros eram todos dela. Maria das Graças Gomes era o seu nome. Ela mesmo havia escrito, editado, captado e estava ali proseando e vendendo. Aí ela me levou por um passeio pelo mundo mágico dos seus livros. Foi uma confusão, pois toda hora aparecia alguém com curiosidade. Enquanto ela atendia uma amiga que passou para cumprimentá-la, fui dando uma folheada. Me chamou a atenção a ilustração, com parte da arte feita por crianças, tudo muito lúdico, com algo que remete ao pedagógico ( embora a escritora seja contadora de ofício). Há também os livros mais adultos, de conteúdo reflexivo. Há um livro que já dá um choque poético logo no título. O nome do livro é Antomania, que quer dizer "mania de flores. Mas são muitos livros bacanas, como os  "Brincando de Rimar", que tem prefácio de Paulinho Pedra Azul. Como o livro "De volta ao começo", um interessante projeto em que a escritora responde perguntas de uma criança, num mútuo aprendizado. O livro é todo ilustrado por crianças. Tem também os livros de poesia, bastante reflexivos como "Palavras Soltas", "Versos em aberto" e "Antomania". Há de se ressaltar também os belos trabalhos de ilustração de Geraldo Gomes, principalmente em "Versos em aberto", arte em p&b com poucos traços. O livro "Brincando de Rimar" também é delicioso. Teve uma coisa que me chamou a atenção.. Havia num trecho, uma brincadeira criando palavras e até objetos novos. Nesse trecho, a autora cria um instrumento improvável: a violonfona. Pensei comigo: como é que alguém pode pensar uma coisa dessas? Como seria uma violonfona? Foi olhar na página do lado e vi a violonfona desenhada por uma criança. Sem comentários. Comprei o livro "de volta ao começo" e ganhei de presente o "Palavras Soltas", que lerei com muito prazer. Maria das Graças Gomes, mais uma escritora Monlevadense que tenho a honra de conhecer. 

terça-feira, 23 de agosto de 2011

RESPEITEM OS MAIS NOVOS !

Existe uma indignação com relação ao tratamento que alguns jovens dispensam aos mais gastos. Tudo bem que procede. Todo mundo merece respeito. Mas e quando acontece o contrário? E quando os mais velhos não respeitam, subjulgam os mais jovens. Embora já tenha passado dos 40, prefiro  abrir vitrines para que a turma nova possa mostrar seu talento. E posso lhes assegurar que o nível é alto. Hoje estive com Ronivaldo e João Roberto. Julio Sartori e a banda Desarme confirmaram. Marco da banda Infocus também. Carolina Albuquerque, Isa Lelis, João e André Freitas. Todos confirmaram. A turma do Funk também tá mandando suas músicas. Xocolate já esteve presente. Bob Tury também foi buscar informações pra se inscrever, assim como o MC Pittbull. Já teve inscrições de sertanejo e forró também. É certo que ainda haverá uma pré-seleção, mas tá ficando bom. E a inscrição ainda nem acabou. Tem também a turma de São Gonçalo e de outras cidades que virão. Vocês imaginam o caldeirão que vai ferver nesse FestiAço? Tem gente estabelecida de altíssima qualidade e vem uma galera emergente também de excelente nível, como a banda de rock AudioFuncho. Pode ser até que um ou outro tenha problema com o som, com nervosismo de estréia, mas vem coisas muito boas. O Cenário atual da música produzida na região é muito rico. Por isso, amigos  que tenhamos sim a referência dos gloriosos festivais do passado,  mas que deixemos o presente brilhar. E viva o Festiaço!!!

FESTIAÇO É UM CALEIDOSCÓPIO

Pessoas ligando de todas as partes, de Itabira, Belo Horizonte, Bela Vista, Alvinópolis, São Gonçalo Inscrições chegando também. Se Deus quiser, teremos um belo caleidoscópio da música produzida na região. 

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

AUDIO FUNCHO - NOVA BANDA MONLEVADENSE

Caramba. Fiz uma viagem no tempo quando os caras me falaram o nome da banda: Audiofuncho. Lembrei do chá de funcho que tomava quando menino em Alvinópolis. Era gostoso o danado do Chá. E deixava a gente calmim, calmim! Fiquei curioso para ouvir esse tal de Audiofuncho. Eles também estarão no FESTIAÇO. O negócio tá ficando bom...

BR 381 - HORA DE REZAR...

Ó Deus, rogo-lhe que proteja a minha esposa que viajou agora para Belo Horizonte pela BR 381. Embora eu recomende o contrário, ela só viaja na frente, nas primeiras poltronas por causa de uma alergia que a incomoda a anos. Fico daqui contando o tempo, até que ela me telefone dizendo: - Cheguei! Ó Deus, quando vai acabar esse martírio?

O CLAMOR DOS ARTISTAS

Os artistas doaram suas vozes, sua arte abençoada, seu suor sagrado pela rodovia maldita. Embora tenha sido proibida a presença dos políticos, esperamos que aqueles que se sensibilizam com a causa, levem as imagens, as súplicas do povo até aqueles que decidem o destino da nação. 

domingo, 21 de agosto de 2011

ACORDAR

Na manhã de sábado estive na Praça 7 pra ver o movimento do pessoal da recém formada Associação dos Artistas de João Monlevade. Estava com uma sinusite daquelas, mas não podia deixar de prestigiar os amigos. Muito legal a iniciativa do pessoal. Tinha de tudo um pouco: música, literatura, artesanato, teatro de rua e boas conversas. Lá chegando, dei de cara com o Nataniel e troupe como felizes anfitriões, recebendo a todos com sorrisos, flores, brincadeiras e uma boa dose de irreverência. No canto, o pessoal do artesanato e numa banca, a escritora Maria das Graças conversava com todos, enquanto expunha seus 6 livros editados( num próximo post, falarei mais detidamente sobre o trabalho da moça). Saí de lá vibrando com o que vi. Embora a associação seja independente, tenho a satisfação de estar vivenciando um momento muito bacana da cidade, de renascimento, de potência da arte e cultura produzida na cidade.  Que Deus dê muita saúde e força para esse pessoal continuar nessa batalha. A Fundação Casa de Cultura de Cultura se coloca à disposição do pessoal para o que der e vier. Eu, pessoalmente como artista também estarei sempre aberto para as promoções dessa turma. Inclusive, devo elogiar o fato de estarem assumindo o nome ACORDAR para a Associação. Eu já havia falado com a Andréa Abade. Eles estavam utilizando uma sigla ( nem decorei qual é). Mas esse negócio de siglas cria nomes burocratizados que não dizem muita coisa. Seria como criar uma nova ACLIMARJOM, ACIMON, CERP, etc. O nome acordar pode ter vários sentidos: o sentido de dar cor, colorido a vida. O sentido de acordar,fazer acordos e o principal: o sentido de despertar as pessoas para a cultura. Disso sim estamos precisando e muito. Só sugiro ao pessoal que deixe o nome ACORDAR mesmo, sem separar as sílabas, pra não causar confusão na cabeça das pessoas. Só pra finalizar, devo dizer que a criação da associação de maneira alguma diminui o trabalho da Fundação Casa de Cultura. Muito pelo contrário. Vem pra somar, pra engrossar o exército da cultura na cidade. Além do mais, imaginem se no futuro entra uma política que não dê importância à arte? Com a existência da ACORDAR isso não acontecerá, pois será uma associação movida pelo amor e não pela política partidária. Hoje em dia temos a sorte de ter uma administração que na medida do possível, valoriza a arte e cultura, mas ninguém sabe o dia de amanhã. Bom, vou ficando por aqui, mas em próximo post vou falar sobre o trabalho de mais uma escritora local que tive a honra de conhecer e que tem um trabalho muito, mas muito interessante mesmo, que embora não seja professora, tem um lado que é mezzo pedagógico, mezzo poético, muito bacana mesmo. 

sábado, 20 de agosto de 2011

A VOLTA DOS FESTIVAIS

Há quem torça o nariz, há quem ache demodé, há quem não tenha paciência, mas eles estão voltando com força total. Em João Monlevade, vai ter o FESTIAÇO - dias 02,03 e 04 de setembro e em ALVINÓPOLIS  o 31º FESTIVAL(www.alvinopolisquepensa.blogspot.com), que acontecerá nos dias 07,08 e 09 de outubro. Bom pros compositores, músicos e intérpretes da região, que tem uma oportunidade muito interessante de mostrarem seus trabalhos , pra fazer laboratório, pra testar suas músicas perante os públicos. Para o FESTIAÇO, inscrições abertas até o dia 25 de agosto no site da prefeitura www.pmjm.mg.gov.br. Para o de Alvinópolis, as inscrições estarão abertas nos próximos dias.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

FESTIAÇO - MUITA GENTE BOA NO MESMO EVENTO

Há tempos insisto que João Monlevade passa por excelente momento, com uma cena de compositores e intérpretes como há muito não se vê. Pois vários artistas Monlevadenses do primeiro quilate já confirmaram presença no Festiaço como João Roberto, Ronivaldo, Isabela Lelis, Bandas Infocus e Desarme, João e André Freitas, Daniel Bahia, Carolina Albuquerque, Natália Grigório, Helvio Castro e banda e MC Xocolate. Com o nível desse pessoal, a qualidade do Festiaço já está garantida. Mas esperamos ainda por Rômulo Rás,  Fabrício e Elcimar, Maycon e Douglas, Banda Agá, Ricardo Monlevade, Claudiney Godoy,  Nícollas, Daniela e Emerso, Marcos Câmara, Luis Cássio, Vitor Merlo, Rogério e a Banda dirock, Rogério Castro, Kenny e Kerlon, Vem Sambá, Cilla Cordeli, Geraldo de Noite, Afilhados do Sereno, Livia Bicalho, Mark Jr, Lakinho, Lazinho, Serginho Boladão e a galera do funk, JB e a galera do HipHop, além dos novos artistas que certamente emergirão e outros que posso ter esquecido. E tem o pessoal das cidades vizinhas também, a minha Alvinópolis, São Gonçalo, São Domingos do Prata, Santa Bárbara, Bela Vista de Minas, Nova Era, etc. 

FESTIAÇO - MUITA GENTE BOA JUNTA NO MESMO EVENTO

Vários artistas Monlevadenses do primeiro quilate já confirmaram presença como João Roberto, Ronivaldo, Isabela Lelis, Bandas Infocus e Desarme, João e André Freitas, Daniel Bahia, Carolina Albuquerque, Natália Grigório, Helvio Castro e banda e MC Xocolate. Com o nível desse pessoal, a qualidade do Festiaço já está garantida. Mas esperamos ainda por Rômulo Rás,  Fabrício e Elcimar, Maycon e Douglas, Banda Agá, Ricardo Monlevade, Claudiney Godoy,  Nícollas, Daniela e Emerso, Marcos Câmara, Luis Cássio, Vitor Merlo, Rogério e a Banda dirock, Rogério Castro, Kenny e Kerlon, Vem Sambá, Cilla Cordeli, Geraldo de Noite, Afilhados do Sereno, Livia Bicalho, Mark Jr, Lakinho, Lazinho, Serginho Boladão e a galera do funk, JB e a galera do HipHop, além dos novos artistas que certamente emergirão e outros que posso ter esquecido. E tem o pessoal das cidades vizinhas também, a minha Alvinópolis, São Gonçalo, São Domingos do Prata, Santa Bárbara, Bela Vista de Minas, Nova Era, etc. 

SAUDADE DA ROÇA


Se tem um assunto que vira polêmica rapidamente é o fato de João Monlevade não ter zona rural, mas dar tanta ênfase às cavalgadas e festas agropecuárias. É Saudade da roça, gente! Como a cidade é formada por pessoas que vem dos municípios próximos para trabalhar, municípios estes eminentemente rurais,  acaba que dá uma baita saudade de sentir cheiro de bosta de boi, de sair cavalgando sem rumo por esse mundo de Deus. São muitas gerações de famílias que vieram há muitos anos, os pioneiros que aqui fincaram raízes bem antes da cidade se chamar João Monlevade. Falo isso à partir de ponto de observação bem peculiar. Sou de Alvinópolis, aqui pertinho. Acho que tem mais Alvinopolenses aqui do que lá. E não são só Alvinopolenses citadinos. Também dos distritos de Major Ezequiel (majoritários) e Fonseca, além dos que vem da roça mesmo. Ô trem bão, sô!  E olhem que Alvinópolis é um ponto um pouco mais distante. Inclusive, já vi muito líder monlevadense falando da região sem citar Alvinópolis e Dom Silvério, por serem mais pra cima, próximas a Ponte Nova. Mas não duvidem. O êxodo de Alvinópolis pra Monlevade sempre foi e continua enorme. Sei que o mesmo se repete com Rio Piracicaba, com os distritos do Jorge e Padre Pinto e sua zona Rural. Bela Vista então nem se fala. Há pouco tempo tive oportunidade de andar de ônibus pela zona rural do município  que é enorme. São Domingos do Prata também não é diferente, uma cidade eminentemente rural e com zona rural gigantesca. Aí os amigos intelectuais, afeitos à MPB e ao Rock ficam buzinas da vida quando a cidade investe numa cavalgada e festas congêneres.  Eu, particularmente, também não sou adepto desse tal sertanejo pop, mas também gosto de um cheirinho de curral, de caldo de cana na hora. Não posso ser hipócrita em dizer que fico ansioso para que chegue a cavalgada. Realmente, me desculpem, mas não gosto dessa música sertaneja vigente. Mas respeito os cavaleiros que vem de longe para se congraçar. Acho bonita a relação do homem com seus animais. Já fiz até uma música sobre o tema para uma cantora da região, a "Silvanna" de São Domingos do Prata. Bom, sei que essa conversa pode não dar em nada. Quem gosta, gosta. Quem não gosta não vai gostar mesmo. Eu sei que tem muita gente que se irrita com a invasão dos cavalos, com o quanto sujam a cidade, com a loucura dos cavaleiros, mas pessoal, vamos dar um desconto. É só saudade da roça.

O nome da música que fiz pra Silvanna é Rainha das Cavalgadas. Quem quiser ouvir, só acessar o link http://palcomp3.com/silvannaeoscowboys/#!/a-rainha-da-cavalgada

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

BR 381 - LIMITAÇÃO DE VELOCIDADE e ORDEM

Tava pensando uma coisa. Tá certo que o traçado da BR 381 não favorece, tem curvas demais, que a estrada foi construída na década de 50, mas por razões que a gente desconhece, a duplicação não sai de jeito nenhum. Eu já afirmei diversas vezes. Parece haver uma maldição, algo misterioso que sempre acontece e interrompe a licitação, o inicio das obras e as coisas vão sendo empurradas com a barriga. Só no governo Dilma a licitação foi marcada para maio, depois adiada pra junho, depois pra julho e finalmente adiada de novo para algum dia no ano de 2011. Isso a licitação. Imaginem as obras? Havia a expectativa de que começasse em agosto. Então, como parece que não querem mesmo duplicar, nós como sociedade civil, como ativistas independentes engajados na causa, precisamos pensar em outras medidas. Uma delas seria a seguinte: imaginem se um deputado propusesse  um projeto de lei obrigando as montadoras a fazer automóveis cuja velocidade não passasse de 90 kms por hora? Tecnicamente, seria fácil. Os velocímetros chegariam a 90 e ponto final. Me parece um contra-senso a velocidade máxima ser de 100 kms enquanto os velocímetros chegam a 220, 250 kms. Quem anda pela 381 sabe. O pessoal tá andando a 130, 140, 150 kms. Quantas vezes estando a 100 km, somos ultrapassados por verdadeiros mísseis na BR? Isso com o povo ultrapassando pela direita, esquerda e se bobear até por cima.  Se limitassem a velocidade e radicalizassem nas multas, garanto que a situação mudaria. Mas aí é que vem o grande nó. Que deputado teria peito para propor uma coisa dessas? Sabemos que uma lei como essa dificilmente passaria, pois o lobby da indústria automobilística é forte. Além disso, até os donos de automóveis apreciam a velocidade e a potência, sendo esse muitas vezes o fator que gerou o desejo de compra. De qualquer maneira, acho que vale à pena colocar essa questão para a sociedade. Uma vez os militares fizeram algo próximo. Limitaram a velocidade a 80 kms por hora. Havia até jingle no ar e garanto que muitas pessoas se lembram. Só que na época, quem tomava conta eram os militares e ai de quem descumprisse. Quer dizer, acho que estamos precisando de um pouco mais de ordem. 

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

SHOW NA 381 - Ô SEGURANÇA BOM, VIU!

Vocês não vão acreditar, mas realmente aconteceu. Fui barrado na entrada do camarim do show da 381. Assisti todos os shows do meio do povo. Até aí tudo bem. valeu a pena. Muita emoção, muita qualidade, um povo bacana, pacífico e encantado. Mas quando terminou, resolvi ir ao camarim pra dar um abraço no pessoal. Quando estava nas imediações, veio um rapaz conversar comigo dizendo que tinha uma empresa de segurança e querendo saber se já havíamos contratado empresa para fazer segurança do Festiaço. Na hora falei que não sabia, pois teria de conversar isso ainda com o Gladevon. Fiquei conversando com o meu amigo Rogério Garanhão que estava ali com sua filha. Quando cheguei à entrada do camarim o segurança falou que eu não poderia entrar. Eu falei pra ele: peraí, mas eu sou presidente da fundação casa de cultura, você estava conversando comigo ali agora. Ele me disse que mesmo assim não poderia deixar. Só com ordem do Aggeu. Naquele momento, o Rogério se enfureceu e começou a falar coisas pro moço, que não quis saber. Eu tirei o Rogério da confusão e pensei comigo: a última coisa que vou querer agora é criar barraco pra atrapalhar um clima tão positivo. Poderia até ter ligado pro Aggeu, mas pra que? Deixei pra lá, afinal, tinha sido uma noite memorável. É obvio que eu queria ir lá dentro pra abraçar alguns amigos e conhecer outros. Mas fica para uma próxima. E o segurança é bom demais, viu!

CQC na BR 381 ???

Tá certo. Temos agora de aguardar os desfechos do show da vida, mas não podemos afrouxar, relaxar. Vi no face do humorista Diego Humor  uma proposta interessante. De entupirmos as caixas de email do pessoal do CQC chamando-os para fazer uma reportagem num desses congestionamentos que acontecem todos os dias na BR 381, sempre em decorrência de terríveis acidentes. Já imaginaram? Ele poderia entrevistar as pessoas dentro dos carros perguntando o seguinte: - O que o senhor acha da proposta  de mudar o nome da BR 381 para Rodovia Moedora de carne? 

BR 381 - O SHOW DA VIDA - COMENTÁRIOS

Rômulo Ráss foi de swing afro.

Rominho não tem medo de mandar som com seu violão de nylon. Acompanhado de um pandeiro, virou luxo só. Destaque para uma música que ele compôs para a BR 381. Merece ser gravada e divulgada.

Infocus

Quando tocou "U q fazer" ví um cara de boné e roupa de dj comentando: - uai, essa música é essa banda que toca? Eu gosto dessa música. Depois mandaram muito bem outras do repertório, como " o caos e a desordem", música que tem tudo a ver com 381.

Fabrício e Elcimar

Voz, violão e viola, tocados ao vivo pela dupla mais aclamada da região.

Marcio Greick

Confesso que não vi o show. É que tive de buscar minha filha poucos minutos da apresentação dele.

Fio da Navalha

Foi a banda de apoio de todo mundo. Formada por músicos de alta qualidade.  Paulinho Carvalho é um dos baixistas históricos de Minas, referência para várias gerações. Na guitarra, Ian Guedes, filho do grande Beto Guedes. No teclado Carlos Ivan, também muito conceituado no cenário mineiro. E o baterista foi André Godoy.

Aggeu Marques

O cara é médico, promoter, cantor, compositor, apresentador, locomotiva, tem alta voltagem e vou parar por aqui pois não vai caber. O show do cara é um desfile de pérolas. Repertório muito bem escolhido, fechando com a canção "Máquina do Tempo", também sucesso na voz de Flávio Venturini.

Ana Cristina

Fiquei surpreso quando ela falou que havia nascido em João Monlevade. Pensei que fosse de Itabira. Falou e cantou muito bem. Outra multi-artista, produtora, multi-tudo.

Paulinho Pedra Azul.

O sujeito começou cantando uma dos Beatles com a banda e com o Aggeu. Depois ficou sozinho com seu violão, Deus e o público. Um sucesso atrás do outro. Nessa hora fui me encontrar com a minha filha que estava assistindo da escada. Lá de cima ouvi um pouco do show do Paulinho. É emocionante ver de cima o povo cantando junto com o cantor. Como o povo gosta de comungar esse momento com o artista. 

Telo Borges

Um dos grandes melodistas do clube da Esquina, Telo desfilou algumas músicas que muitos nem sabe que são dele. Tocou por exemplo a música "Voa Bicho", que a maioria conhece por "Andorinha voou, voou...". Essa música fez sucesso com o Milton e foi tema de novela. Depois, emendou com Vento de Maio, outra dele que eu pensava que fosse do Lô Borges. Muito bom mesmo.

Maurício Gasperini

Quem não se lembra da banda Radio Taxi? Gasperini era vocalista e compositor da banda.  Pois é! Gasperini foi só de violão e voz. Mas colocou o público pra cantar com ele. Principalmente a canção GAROTA DOURADA. Bom demais.


O Sá, da dupla Sá e Guarabyra também emendou um sucesso atrás do outro. Começou com o clássico do chamado Rock Rural, " o pó da estrada". Depois o lugar veio abaixo quando tocou SOBRADINHO. Pra finalizar, chamou ao palco o  pessoal do 14 Bis e tocaram juntos a música Caçador de Mim, que é dele e do Magrão do 14 Bis. 

14 Bis

Um sucesso atrás do outro. Emocionante ouvir Cláudio Venturini mandando som ao vivo na guitarra. O cara manda muito som. Veio uma parte do 14, mas mesmo assim foi mágico. 

Grand finale

Na penúltima música, chamaram todos os músicos ao palco e tocaram "minha linda juventude, página de um livro bom" de um jeito que eu nunca ouvi com o Cláudio mandando ver na guitarra. No arranjo que conhecemos tinha violão, menos rocker. Foi um êxtase, tanto para o público como para os músicos no palco. E pra finalizar, tocaram Canção da América "amigo é coisa pra se guardar, no lado esquerdo do peito". No final, muita emoção.

Cenas dos próximos capítulos.

Vamos monitorar a repercussão do evento. É como se os artistas tivessem enviado uma mensagem. Tomara que tenhamos uma resposta. E que não seja  uma promessa, mas um compromisso com o povo mineiro, sem possibilidade de furo. 

Duas coisas que precisam acontecer.

1 - O movimento sensibilizar Brasília. 
2 - A mineirada continuar fazendo shows no formato de Monlevade.

A LUTA CONTINUA, COMPANHEIROS !!!

A batalha não começou hoje, mas  não existe dúvida de que o caldo engrossou. Já houve algumas manifestações na BR, mas nenhuma com tamanha repercussão. Não me lembro da última vez que um acontecimento em nossa região trouxe a cidade as maiores redes de tv do país. A Globo, a TV Alterosa, Rede Record e Bandeirantes estavam dando flashes ao vivo ou gravando takes para exibir em seus telejornais. A Rádio Itatiaia e o jornal Estado de Minas também estavam presentes. O público foi chegando devagarinho, mas encheu a praça. A interação público x artistas também foi muito bacana, com mútua satisfação. Os discursos pró-duplicação foram uma tônica no evento e os artistas  emocionaram os presentes, matando saudades de um tempo em que havia mais qualidade na música. Ainda vou falar mais detidamente sobre a qualidade dos artistas presentes, sobre músicos históricos que estiveram no palco. Quando estava vindo embora, observei a conversa de um casal que se beijava na porta do meu prédio. Eu cheguei e a menina estava falando com o rapaz:- Nossa! Tão cedo teremos shows tão bons aqui em Monlevade. Engraçado que a menina deveria ter uns 20 e poucos anos e o rapaz também. Quer dizer, gostar de música boa, todos gostam. Ok. Que bom que o pessoal gostou dos shows.Mas e a BR 381? Pois é! Vamos ver se o recado dos músicos chega a Brasília. Pelo que fiquei sabendo, será editado um vídeo que será encaminhado para a presidenta. Agora é a turma buscar os canais adequados para fazer com que essa preciosa encomenda chegue mesmo até as mãos da Dilma. Emissários é que não faltam( diga-se de passagem, a Dilma tem sido implacável com os sinais de corrupção em seu governo, o que é muito bom. Só que isso acabou nos prejudicando com um atraso de no mínimo 6 meses no inicio das obras). De qualquer forma, a percepção é de que essa história ainda terá muitos capítulos. A luta continua, companheiros...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

WE ARE THE 381

A música é capaz de acalmar as feras, enlevar os espíritos, sacudir os carnavais, motivar exércitos. Pois a música vai tentar fazer o que ninguém conseguiu até hoje: sensibilizar Brasília para a urgência da duplicação da BR 381. Existe uma rede de blogs e ativistas pró-duplicação. Sou um dos que está nessa cruzada há pelo menos  5 anos. Quem segue o blog Cenários, acompanhou o drama da perda de amigos próximos, de promessas não cumpridas, de pessoas que se entusiasmaram num primeiro momento e depois inexplicavelmente sumiram do front, dos políticos omissos que dão de ombros, dos motoristas suicidas que dirigem loucamente pela BR, das urucubacas, das idéias de campanhas educativas, do placar de acidentes na estrada e meta de acidente zero ( embora que devo admitir: aperfeiçoaram a ideia e deram o sugestivo nome de assassinômetro), das publicações de cada boa novidade, da comemoração da instalação dos radares, de um inicio de interação com o DNIT, logo interrompido, da fala até da presidenta de que agora sairia, dos escândalos de corrupção que interromperam a licitação até a conversa com o Aggeu no facebook. Naquele dia aconteceram dois acidentes marcantes, o que vitimou a Dona Geralda e com o ônibus com o 14 bis, também vitimando um técnico da banda.  A indignação naquela noite foi muito forte e e foi naquele clima que falei pro Aggeu: - Puxa, já que você é um cara muitíssimo bem relacionado,  quem sabe não consegue convidar músicos conhecidos para um show para chamar a atenção do Brasil para o drama da 381? Foi a faísca. Aggeu agiu. O sujeito tem uma enorme credibilidade, conquistada com muita qualidade musical e forte carisma. Aggeu começou a convidar os artistas e todos foram topando. O 14 Bis foi a primeira banda a ser contatada e topou de cara. Deverá homenagear o amigo que faleceu na BR. Todos temos nossos amigos pra homenagear. Que façamos uma corrente, uma oração bonita para os que de certa forma morreram por nós. São mártires de uma guerra insana. E precisamos lutar pelo fim da guerra. Não precisamos ter governo algum como inimigo. Só queremos que as coisas aconteçam. Muitos fincam bandeira em cima do fato de perder o sentido por não ser na BR. No fundo, todos tem um secreto desejo de agir na marra, de forma meio anarquista, peitando a autoridade do estado, xingando a polícia, paralisando tudo. Dá mesmo um comichão de radicalizar. Mas a proposta é outra. Os artistas querem cantar na paz. Foi assim com as Diretas Já. Foi assim em outros megashows engajados, como o "We are the world" do Michael Jackson ou o "Live aid". No fundo o que precisamos é que nos ouçam. Precisamos que o governo se sensibilize com o terror que vivemos. Expor cidadãos mineiros, brasileiros a essa roleta russa, essa ciranda da morte, faz lembrar os sorteios macabros nos campos de concentração da 2ª guerra.  Sinceramente não sei se o pessoal de Brasília sabe da real gravidade da situação. Deveriam trazer a Dilma de helicóptero, assim como aconteceu com a tragédia na serra carioca. Como cidadão, agradeço ao Aggeu pela atitude despreendida, de ceder seu tempo e prestígio por uma causa que é de todos.  Não acredito que será a ação definitiva. Mas não podemos negar que é a maior até hoje e vai deixar claro para o governo que o caldo está engrossando. Não será na BR, como todos queriam, mas Monlevade, como uma das cidade que mais sofre com os acidentes, tem legitimidade para receber o evento. Agora, cabe a cada cidadão fazer a sua parte. Tomara que venham pessoas de outras cidades também, afinal de contas  "Nós somos a 381". 

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

BR 381 - CLIP - A RODOVIA DA VIDA

Pessoal,
trata-se de uma música
da década de 60.
O nome da música parodiada
é BR-3,
na época interprestada por
Tony Tornado.
O autor é Tibério Gaspar.
Se clicar nas setinhas lá embaixo,
verá o video maior...
video

PARA REFLETIR!

Nada melhor que o espelho
Cada um vê o que quer
Pensou que fosse espelho, né?
 E vamos nos enganando pela vida...
Mas...mantendo o bom humor... 

ÁRVORE ASSASSINADA.

Há alguns meses, por causa dos textos que escrevo sobre a BR 381, o pessoal de Caeté começou a ler meu blog e um rapaz de nome Michel, que tem um blog por lá começou a interagir comigo. A foto acima está no blog dele. Sabe aqueles filmes americanos em que a polícia  faz o contorno das pessoas mortas no asfalto, mostrando a posição em que morreram? Pois é! Em Caeté fizeram algo parecido com uma árvore. Seria engraçado se não fosse trágico.  

domingo, 14 de agosto de 2011

SOBRE INSCRIÇÕES NO FESTIAÇO

Pessoal, algumas pessoas tem me telefonado e enviado emails querendo esclarecer dúvidas sobre inscrição. É simples. Entrem no www.pmjm.mg.gov.br. Você pode acessar tanto pelo espaço de noticias, no local em que as fotos são exibidas, como pelo ícone da Fundação Casa de Cultura, que está embaixo. Importante dizer que as pessoas poderão se inscrever direto pela internet, enviando sua letra e música em mp3 para fcasadecultura@gmail.com. Ah. E a taxa de inscrição deverá ser paga via depósito bancário no Bradesco, Agência 1503 - conta corrente 22047-7 - Em nome  de Eduardo de Oliveira Alfeu ( conta indicada pelo Beiço do Sindicato. O Eduardo é funcionário lá). 

sábado, 13 de agosto de 2011

FESTIAÇO DE ONTEM, FESTIAÇO DE HOJE.



O Festiaço realizado em João Monlevade no ano de 1974 pode ser considerado um mega-evento. Para que se tenha uma ideia, passou por ele simplesmente o Rei Roberto Carlos. 

O Festival da canção foi realizado como parte do Festiaço, um evento que durou vários dias, O evento comemorava 10 anos de emancipação política de João Monlevade. Na época o prefeito era Lúcio Flávio de Souza Mesquita. Sugiro a leitura do site do Marcelo melo. www.morrodogeo.com.br . Lá essa história é contada de forma mais detalhada. Só acessar no índice o "festivais da canção".

Acho muito importante esse link não só com o festiaço de 1974, mas com outros festivais da canção realizados em Monlevade. Existem histórias muito legais e se possível, quero ver se nos próximos dias converso com Wilson Vaccari, com o próprio Marcelo Melo, com o João Carlos da Rádio Alternativa, quem sabe fazendo um podcast pra disponibilizar na internet. 

Mas o Festiaço de 2011 vem repaginado, adaptado aos novos tempos de internet e redes sociais, mas também reconhecendo no aço o elemento primordial da cidade. O Festiaço se propõe  principalmente a servir como vitrine para fruição da produção musical de João Monlevade, Vale do Aço e região do Médio Piracicaba.

Contamos com todos e peço um pouco de boa vontade. O esforço tem sido no sentido de que tenhamos essa vitrine aberta não só esse ano mas também nos próximos, fazendo com que o Festiaço vire tradição no calendário regional.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A PREMIAÇÃO DO FESTIAÇO

As polêmicas aparecem e é natural. Muita gente questionou a premiação do Festiaço e não sei se avaliaram uma coisa. Embora aparentemente o primeiro prêmio seja baixo, houve uma distribuição gradativa, premiando as 10 melhores músicas com uma premiação decrescente. A premiação ficou da seguinte forma: 1º lugar – R$ 1.000,00; 2º lugar – R$ 750,00; 3º Lugar – R$ 500,00; 4º Lugar -  R$ 400,00 ;  5º Lugar – .R$ 350,00; 6º Lugar – R$ 300,00 ; 7º Lugar – R$ 250,00; 8º Lugar – R$ 200,00; 9º Lugar  – R$ 150,00 ; 10º Lugar – R$ 100,00 - ARTISTA REVELAÇÃO – R$ 400,00 - MELHOR INTÉRPRETE – R$ 350,00 - MELHOR LETRA – R$ 350,00. Há quem diga que se fossem premiados só os primeiros lugares, teríamos prêmios maiores e traríamos artistas de outros estados, de cidades mais distantes. Por outro lado, não contemplaríamos tantos artistas. Além disso, ofereceremos um diferencial com relação a outros festivais: a possibilidade dos vencedores entrarem na programação das rádios Alternativa e Comunicativa Fm. É preciso saber que para isso o artista deverá apresentar uma gravação compatível com a qualidade das rádios. O Festiaço é isso: a uma vitrine, uma feira onde será exposta a excelente safra musical de Monlevade e região. E vamos conversando...

QUEM SEGUE PASTORES ERRADOS

As pessoas precisam de pastores que as conduzam às terras prometidas, as zonas de bonança e fartura.
Há pastores flautistas, que atraem as pessoas e as transforma em ratos, conduzindo-as..
 ao abismo...