quinta-feira, 7 de abril de 2011

COLUNA NO BOM DIA - ENTREVISTA COM GUILHERME DA BANDA CALK

O Cenário traz entrevista exclusiva com o Guilherme, vocalista da Banda Calk. O vocalista e principal compositor da banda fala tudo sobre essa volta que, para alegria daqueles que gostam de rock, acontecerá no aniversário da cidade.


1 – A REPERCUSSÃO DO SHOW DE VOCÊS TEM SIDO MUITO BOA. A CALK ESTÁ MESMO VOLTANDO À ATIVA?


Estamos definindo a melhor maneira de conduzir este retorno. Podemos dizer que estamos voltando, mas em uma realidade diferente. Por isso precisamos nos organizar para que esta volta aconteça de acordo com o objetivo e pretensões de cada um do grupo.


2 - A FORMAÇÃO É A MESMA?


Sim, continuamos com a formação original.


3 - QUAL FOI A FAGULHA, QUE FEZ COM QUE O “TESÃO” DA BANDA ACENDESSE DE NOVO?


Em janeiro deste ano recebemos uma homenagem de alguns amigos e da família do Jorge (guitarrista). Foi emocionante, após a homenagem tocamos 5 músicas e no dia seguinte iniciamos as trocas de emails falando sobre nosso retorno aos palcos.


4 - E O FUTURO? A BANDA VAI VOLTAR A FAZER SHOWS?


A intenção é esta. Vamos preparar um repertório e retomar os contatos com produtoras e casas de show.


5 - E SOBRE NOVOS TRABALHOS? VOCÊS TEM COMPOSTO MÚSICAS NOVAS?


De uma forma natural eu acabei me tornando o principal compositor da banda e continuo compondo muito. Tenho composições suficientes para gravarmos mais 2 ou 3 discos. Já fiz boas parcerias com o Jorge e o Dalton também me apresentou uma excelente música composta por ele. Vamos definir se iremos gravar algo novo... Material nós temos de sobra.


6 – COM TEM SIDO O CONTATO ENTRE OS MEMBROS DA BANDA DURANTE O TEMPO QUE A BANDA ESTEVE INATIVA?


Fizemos o último show no Hard Rock Café (BH) há 5 anos atrás. De lá pra cá meu contato maior foi com o Dalton e com o Jorge. Continuei fazendo shows em Belo Horizonte e convidei o Dalton para fazer parte deste projeto. Fabio e Betinho também criaram um projeto e por isso estavam em contato permanente. Cada um seguiu seu caminho e pelas circunstâncias alguns não mantiveram contato.


7 – E O CD QUE FIZERAM?


Acreditamos muito na qualidade do nosso CD. Até hoje recebemos um retorno positivo.

Na época do lançamento recebemos propostas de gravadoras que apostavam no nosso trabalho. Em 2010 estava morando em São Paulo e fui procurado por produtoras e artistas interessados em gravar algumas canções do RUMACALK. Algumas rádios continuam tocando nossas músicas. Tudo isso reforça ainda mais a certeza de que fizemos um bom trabalho.


8 – FARIAM ALGUMA COISA DIFERENTE?


É difícil dizer. Estivemos em São Paulo fazendo shows e negociando com gravadoras, tivemos nosso clip exibido pela MTV, fizemos parcerias com bandas nacionais como LS Jack, gravamos nosso CD no estúdio Ferretti com a produção do Henrique Portugal (Skank), vendemos mais de 12.000 cópias logo no primeiro ano de lançamento do nosso CD, fizemos 102 shows em 2002, conseguimos colocar nossas músicas na programação da Radio Atlântida (RS) e na 89 FM (SP), estivemos na Globo (ES,MG), TV Bandeirantes (SP)...

Estávamos no caminho certo. Infelizmente a crise da pirataria derrubou o mercado das gravadoras que era o caminho para o sucesso na época.


9 - QUAIS AS BOAS LEMBRANÇAS DA ÉPOCA AUREA DA CALK?


Shows lotados, viagens,festas,reconhecimento do trabalho, contato com artistas nacionais, acordar e dormir vivendo a música.


10 - O PÚBLICO PODE AGUARDAR POR NOVOS TRABALHOS DA CALK?


Ainda é cedo para falar em novos trabalhos. Mas existe um grande interesse nosso.


11 - O QUE TEM DE ESPECIAL ESSE SHOW QUE VAI ACONTECER NO ANIVERSÁRIO DA CIDADE?


Acho que o tem de especial é a volta da CALK aos palcos, na nossa cidade... Onde tudo começou. Vamos tocar nossas músicas e alguns clássicos do rock nacional e internacional.


12 - COMO FOI A TRAJETÓRIA DE CADA MÚSICO DURANTE ESSE TEMPO?


Cada um seguiu seus projetos pessoais. Alguns finalizaram seus estudos de faculdade e iniciaram uma carreira, outros montaram seu próprio negócio, foram feitos alguns projetos musicais fora CALK também. Eu mesmo gravei um CD no ano passado com algumas composições que estavam paradas na gaveta...Fabio e Betinho criaram um projeto chamado Relicário.


14 - COMO VOCÊ AVALIA O ATUAL MOMENTO DO ROCK BRASIL?


Fraco...bem fraco.


15 - VOCÊ TEM APROVEITADO PARA PESQUISAR DURANTE ESSE TEMPO QUE ESTÁ FORA DE MONLEVADE?


Sempre fiz isso. As melhores bandas e músicas não tocam nas rádios. É preciso buscar novas referências no cenário independente, na internet...tem muita coisa boa acontecendo fora da grande mídia.Sobre o cenário de Monlevade estou um pouco desinformado...


16 - O QUE TEM DE DIFERENTE NA MÚSICA DAS CIDADES ONDE TEM MORADO?


Após a paralisação da CALK passei um tempo na Inglaterra e quando voltei ao Brasil morei em algumas grandes capitais do país como São Paulo, Recife, Rio de Janeiro e agora Fortaleza.

Em todos estes lugares fiz amizades no cenário musical local e pude trocar boas informações. O que posso dizer é que Recife é o mais forte. Eles respiram a arte, são muito criativos. Muitos ainda seguem as referências musicais de Chico Science, mas estão sempre inovando utilizando elementos do frevo e do maracatu. Posso citar o que vi de melhor: Sheffield , na Inglaterra – Arctic Monkeys (Indie Rock); Rio de Janeiro – Casuarina (Samba Raiz); São Paulo – Céu (MPB); Recife – Eddie (Rock com frevo)


17 - A PARTE MONLEVADENSE DA BANDA , O BAIXISTA BETINHO E O BATERISTA FÁBIO SARTORI ESTÃO POR AQUI MESMO. MAS COMO FARÃO PARA ENSAIR, ESTANDO VOCÊ EM FORTALEZA, JORGE EM BRASÍLIA E DALTON EM BELO HORIZONTE ? VÃO ENSAIAR PELA INTERNET (RS).


Rssss...São 5 anos sem fazer um show...vai ser complicado. Não teremos como ensaiar juntos até o dia do evento...rsss. Decidimos um repertório e devemos nos reunir na véspera para fazer um único ensaio. É melhor nem pensar muito nisso. Mas no fundo não será nem ensaiar, mas lembrar (rs). Vamos tocar com o coração e isso é o que importa.


18 - QUAL A MENSAGEM GOSTARIA DE PASSAR PARA O JOVEM MONLEVADENSE ?


Utilize seu tempo de maneira preciosa e trabalhe pesado para fazer a diferença independentemente do tipo de negócio que você está. Vejo muita gente acomodada reclamando... Essa não é a postura de um vencedor.

19 - PARA A MOÇADA NOVA QUE ESTÁ COMEÇANDO AGORA, O QUE DIRIA?


Utilizem a internet para divulgar seu trabalho; Tenham disciplina; Tratem sua banda como se fosse uma empresa; Tenham um plano B caso tudo dê errado.


20 – CONSIDERAÇÔES FINAIS


Gostaria de agradecer os nossos amigos... Neste tempo que ficamos parados, continuamos a receber o carinho e o apoio de todos eles. Isto motivou o nosso retorno. Um Agradecimento também à nossa cidade. Desde o Insígnias Ducais até a paralisação da CALK nos deram o suporte necessário.


2 comentários:

  1. A melhor notícia que recebe nos últimos meses com certeza foi essa. A volta da banda. Eu nunca escondi que sou fã dos caras. Estou REALMENTE muito feliz com essa volta. Tem tudo para dar certo! Parabéns pela entrevista!

    ResponderExcluir
  2. Que piada. A gravação do disco desses caras conta com uma caralhada de músicos de estúdio, pq eles, a Calk, simplesmente não sabiam tocar. Espero que tenham melhorado, desde a "paralização".

    Outra coisa que chama atenção é quando o cara diz que o cenário está "Fraco...bem fraco". Só se tiver fraco em João Monlevade. Ou esse sujeito não sabe o que acontece nos dias atuais, no Brasil? Festivais de bandas independentes pipocando em todos os cantos do Brasil, cenas fortes estabelecidas em São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre, etc. Nem parece que morou em Pernambuco!

    E mais uma coisinha; sua banda acabou pq era RUIM. Acorde, meu velho. Sem essa de botar a culpa na indústria fonográfica. Se vc vendeu 12 mil discos e tivesse um trabalho conciso, não teria sido ESQUECIDO. Conheço banda que vende muito menos que isso, roda o país fazendo shows e estão na Rolling Stone e Billboard. É bem fácil falar bobagem pra um público não-esclarecido, que pode tomar como verdade essa entrevista vergonha-alheia, mas a internet tá aí, expondo os cagalhões :D

    Vão mesmo voltar, é? Espero que vc tenha um "plano B", caso isso dê errado, pq a probabilidade é de 97%.

    Abs, passar bem.

    R. França

    ResponderExcluir