domingo, 10 de abril de 2011

DOM QUIXOTE CONTEMPORÂNEO

Quem dera pudesse costurar
almas desgarradas.
Quem dera pudesse apacentar
corações em fúria.
Quem dera pudesse conectar
pessoas mais afins do que imaginam.
Quem dera pudesse demonstrar
que mais vale focar no positivo,
que enxergar o copo sempre vazio.
Quem dera pudesse ter a palavra certa,
para mostrar para o amigo
que antes de se amargurar com os erros alheios,
deveria abrir o peito
e deixar o coração ( o dom) brilhar
e iluminar o mundo.
Mas sou apenas
um Dom Quixote contemporâneo.
Não posso vergar
convicções tão firmes.
Mas nem por isso
deixarei de proferir
meus discursos,
mesmo que pareçam ingênuos,
patéticos,
sem nexo.
Mesmo que digam que não vale à pena,
que não tem jeito,
lá vou eu encarar
os meus moinhos de vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário