terça-feira, 4 de janeiro de 2011

CREPÚSCULO, LUA NOVA E ECLIPSE


Fui convocado pela minha filha a assistir com ela a trilogia Crepúsculo, Lua Nova e Eclipse. Em princípio, estava resistente, afinal, vamos ficando mais exigentes com o tempo e sabia que os filmes são direcionados ao público adolescente. Minha filha tem10 anos. Não é exatamente uma adolescente. Porém, a precocidade vem só aumentando e entre a turminha da idade dela, é imperdoável não ter visto os filmes. Foi uma maratona. Vimos 3 filmes em sequência. Engraçado que as histórias são complementares, tem sequência que nem as novelas. Isso aumenta a familiaridade entre os Brasileiros. Mas falando dos filmes, confesso que fiquei surpreso, pois acabei gostando. Nada do terror dos filmes de vampiro, embora no terceiro filme haja mais ação e cenas um pouco mais fortes. Os filmes não passam de metáforas em que a autora dos livros que deram origem aos filmes, fala principalmente de escolhas. Curioso também que entre seres fantásticos e poderosos, quem conduz a trama é uma humana quase normal. Quando digo quase normal é porque essa garota, namorada de um dos vampiros, quer se transformar através da mordida do namorado , afinal sempre se sentiu deslocada, diferente, estranha, como se seu destino fosse mesmo se tornar uma vampira. Ao final, fiquei pensando como esse filme vai ficar na cabeça da minha filha e de vários adolescentes pelo mundo afora, como tantos filmes passaram a fazer parte da minha vida. É, meus amigos. Melhor começarmos a nos sacrificar e assistirmos os filmes que os nossos filhos assistem, para que possamos entender as suas atitudes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário