domingo, 28 de novembro de 2010

CRUZEIRO VENCE, MAS O ASSALTO DO CORÍNTHIANS FOI DECISIVO

Esse negócio de campeão moral é consolação, eu sei. Mas realmente dá muita raiva na gente. Não fosse aquele juizinho safado estaríamos hoje em primeiro lugar no campeonato, para decidir em casa contra o Palmeiras. O Fluminense deu sorte, pois pegou dois paulistas na sequencia, com as duas torcidas preferindo a entrega dos jogos para não beneficiar o Corínthians. Por causa da roubalheira daquele jogo, também prefiro que o título fique com o Fluminense. O juiz voltou a roubar para o Corínthians contra o Vitória. Quer dizer, os juizes, por sua "tendência" em ajudar o time do Parque São Jorge, podem tirar o título do Cruzeiro e rebaixar o Vitória. O tamanho do prejuízo é incalculável. Mas falando do jogo contra o Flamengo, não dá pra acreditar no futebol que alguns jogadores do Flamengo estão jogando. Aquele Raphael Moura, o lateral esquerdo Juan, o zagueiro Angelim, o meio campo Renato parece que esqueceram como se joga futebol. Do lado do Cruzeiro, Fábio não teve muito trabalho. Jonathan desta vez jogou muito bem, atuando pela lateral e pelo meio de campo. Leo desafinou. Entregou o ouro no gol do Flamengo e esteve mal em algumas outras jogadas. Gil jogou bem, com firmeza. Na minha opinião, um excelente zagueiro. Diego Renanjogou o arroz com feijão de sempre. Henrique, com a velha regularidade. Paraná jogou muito, correu pra caramba. Errou alguns passes, mas fez ótima partida. Roger jogou muito enquanto teve fôlego. Montijo desequilibrou mais uma vez. Participou do lance do segundo gol e fez excelentes jogadas. Numa delas, driblou meia defesa e fez um passe para Wellington Paulista, que livre, livre, livre, livre conseguiu errar. Aliás, continuo com minha implicância com WP. Ele foi o pior em campo. Tropeçou na bola, fez jogadas grotescas. Não dá pra entender. O Farias não é nenhum craque, mas tem mais objetividade e menos firulas. Fora uma tentativa de bicicleta, WP nada produziu. O comentarista Bob Faria o elogiou, mas trata-se de um atleticano doente e elogio de atleticano deve ser considerado ao contrário. Incrível também o fato da Rádio Itatiaia ter privilegiado o jogo do atlético, da parte de baixo da tabela, enquanto o Cruzeiro luta pelo título. Tá provando ser mesmo a Atletiaia ou Itatigalo. Na semana que vem vejo o título como improvável, mesmo que não impossível. O Coríntians tem um jogo tranquilo no Serra Doura, campo neutro, contra o rebaixado Goiás. Se o time titular deles foi rebaixado, imaginem o reserva? Já o Fluminense joga contra o também rebaixado, deprimido, desmotivado Guarani em pleno Engenhão. Uma nuvem de pó de arroz deverá ser vista sobre o Rio de Janeiro. Já o Cruzeiro vai pegar o Palmeiras na Arena do Jacaré. A torcida deve sim fazer a festa e aplaudir o time. Temos uma boa base para o ano que vem. Se contratarmos um centro-avante objetivo, acredito em mais títulos. Inclusive da Libertadores.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O NATAL DA GENTE ESTÁ DE VOLTA

Todas as manhãs acordo cedinho e vou com a minha filha até o ponto de ônibus, onde ela pega o especial escolar que a deixa na porta da Escola Papini onde ela estuda. Só que algumas vezes erramos a hora e temos de ir a pé. Como a escola fica não muito longe do apartamento em que moramos, vamos caminhando e tendo uma daquelas conversas sem fim. Pra complicar eu ia carregando a sua pesadíssima mochila ( vou ficar corcunda) e ela, naquela perguntação de sempre.

- Pai. O que aquele pessoal tá fazendo subindo naquela árvore?
- Uai, filha. Estão trabalhando, colocando as luzes de natal, como no ano passado. Você lembra?
- Claro que lembro, pai. Minha prima veio de Alvinópolis pra ver. Foi muito bonito.
- Pois é. Vai ter de novo.
- Que legal. O natal é muito bonito, né pai?
- O natal é mais que bonito, filha. O natal é festa de aniversário do nosso senhor.
- É mesmo? Porque então não fazem um bolo gigante? Já pensou um bolo do tamanho daquela árvore de natal gigante do ano passado?
- Filha. Bolo não faz parte da tradição do natal.
- Ah. Podia ser então um milk shake gigante.
- Não, filha. Na tradição do natal tem as árvores, o papai noel...
- Pai. Vai ter aqueles anjinhos de novo? Que nós tiramos fotos lá perto do Buffalo Bill?
- Filha. Não tenho certeza. Mas sei que vai ser lindo de novo. O pessoal está caprichando.
- Mas pai. O que aqueles homens estão fazendo com aquelas garrafas de coca-cola pintadas de branco?
- Uai...você não percebeu não? Os enfeites são feitos com garrafas recicladas.
- Nossa pai. Ficou tão bonito que eu tinha me esquecido.
- Pois é, minha filha. Mas o Natal é muito mais que isso.
- É verdade, pai. Natal também tem presentes, tem ceia na casa do vovô de Belo Horizonte, do Vovô de Alvinópolis, né?
- Muito mais que isso, filha. Natal é tempo de solidariedade, do encontro das familias, do perdão e de reflexão.
- Pai. O que é reflexão mesmo?
- Ora, filha. É tempo de fazermos um balanço das nossas vidas.
- Balanço como aquele que temos no sitio?
- Não, filha. Aquilo é uma gangorra. O balanço que falo é outro. É botarmos as mãos na consciência e agradecermos pelas vidas que temos.
- Mas pai. E quem está infeliz? Como a pessoa que está infeliz vai agradecer?
- Filha, a reflexão passa por aí também. Se a pessoa está infeliz, deve refletir no porque de estar vivendo uma situação dificil. Vai ver que está pagando por más sementes plantadas nesta vida.
- As más sementes só dão árvores feias, né pai? Aquelas tortas, sem folhas, sem frutas.
- Pois é, minha filha. Mas Deus é só perdão. Se a pessoa se arrepender e começar a espalhar boas sementes, boas colheitas virão.
- Nossa, pai. O senhor falou bonito agora, viu.
- Que nada, filha. Mas é por isso que nosso natal tem ficado tão bonito. Essas árvores, os enfeites feitos com esse material reciclado, as luzes. Se as sementes são boas, se as mãos são benevolentes, se houver boa vontade, a colheira haverá de ser a harmonia e os sorrisos das pessoas.
- Mas pai. E o aniversariante? Ele não ganha presente?
- Filha, o único presente que ele quer é que nos amemos uns aos outros, que estendamos as mãos aos que precisam, que possamos construir a paz a cada dia.
- Pai. Mas como é que se constroi e paz?
- Olha filha. O aniversariante nos ensinou a dar a face quando agredidos. Infelizmente não somos tão perfeitos. Mas tem aquele ditado. "Quando um não quer, dois não brigam". Precisamos arrefecer o ódio. Só assim construiremos a paz. O natal é uma boa oportunidade de refletirmos sobre essas coisas.
- E o papai noel? Será que a minha carta já chegou pra ele?
- Não sei. Me disseram que o papai noel andou fazendo um choque de gestão na fábrica dele. Vamos ver. Se você não pediu presentes muito caros...
- Que nada, pai. Meus presentes cabem numa meia.
- Numa meia sua, né?
- Não! Numa meia de elefante.KKKK
- Mas você é muito abusada mesmo, hein?
- Pai. Estamos chegando na escola. Só mais uma coisa
- Diga.
- Obrigado por não ter me falado que o bom velhinho não existe, tá?
- Ann ?


terça-feira, 23 de novembro de 2010

QUAL É O MISTÉRIO DA 381 ?

Viajar pela 381 é uma roleta russa. Entramos nos carros e não sabemos se sairemos vivos do outro lado. Não estou sendo fatalista. Fatalista é a 381. A cada vez que minha esposa e filha seguem de ônibus, fico marcando o tempo no relógio. Muitas vezes o celular fica sem sinal e entro em parafuso. Um alívio grande quando o telefone toca e elas me comunicam que chegarem ilesas. No entanto, sempre me relatam que passaram por um , dois, três acidentes pela estrada. Poucas vezes viajei pela BR sem encontrar algum tipo de acidente. Mas sinceramente, não consigo encontrar uma explicação para tamanho desleixo com uma rodovia tão fundamental, não apenas para as vidas humanas, mas para o transporte da pujança econômica de uma das regiões mais ricas do país. Agora, pelas noticias que chegam, parece que vão adiar novamente o projeto. Quer dizer: na hora da eleição, todos tocaram no assunto, mas de forma meio despistada. Tudo bem que a Dilma ainda nem assumiu, mas já estou ficando com medo de melar de novo. Trata-se interrogações monumentais e peço que alguém responda se for capaz:

Por que as autoridades se negam a resolver o problema da 381 e evitam até mesmo falar sobre o assunto?

Qual é o mistério da 381?

domingo, 21 de novembro de 2010

VAKINHA FM - DESDOBRAMENTOS

Gostei das postagens do Marcelino reverberando as conversas sobre a Vakinha FM. Ele postou várias músicas de excelente nível em seu Boca no Púlpito. Inclusive, há alguns dias postou alguns clips maravilhosos de um grupo chamado Celtic Womans que eu não conhecia. Música dos Deuses. Mas ao acessar as essas postagens comecei a pensar. Como caminhamos para o dia em que todas as midias se encontrarão na internet ( se é que isso já não acontece), talvez a saída para aqueles que não se conformam com as rádios populares sejam as web radios. Já existem várias experiências nesse sentido que transmitem exclusivamente pela internet. Vejam que maravilha. Dessa maneira é até possível levarmos a Vakinha para o brejo, quer dizer, botar a Vakinha FM no ar e transmitindo para todo o planeta. Aí sim seria possível veicular uma programação segmentada. O que não podemos, caros amigos, é querer que rádios que já tem seus direcionamentos, seus públicos consolidados se transformem em canais para destilar nossos gostos. Outro erro é imaginar que as rádios precisam educar os públicos através da música veiculada. Isso não combina com democracia. Combinaria com o totalitarismo, com imposição de conteúdos . As rádios são empresas que precisam atingir e fidelizar determinados públicos para assim vender espaços para os anunciantes que quiserem se comunicar com esses públicos. Simples assim! Quem me vê argumentando pode até imaginar que gosto dos estilos musicais veiculados pelas rádios. Não é bem assim. Embora eu goste de me manter atualizado sobre o que vem acontecendo nas paradas, repito que meus estilos preferidos são rock mpb e jazz, embora saiba que existe qualidade e sua ausência em todos os estilos. Confesso que sinto muita falta de certos tipos de conteúdos nas rádios de Monlevade. Estive neste final de semana em Belo Horizonte e pude me esbaldar ouvindor fms de todos os jeitos. Em BH gosto mais das rádios noticiosas tipo BAND NEWS e CBN. Todas as noites em que estou em BH adormeço ouvindo essas duas rádios que tocam noticias o dia inteiro. Ouço também as rádios 98FM, Guarani, Alvorada e Inconfidência. Porém, a rádio mais surpreendente, onde a gente realmente ouve novidades é a FAVELA FM. É muito legal essa diversidade. No caso de João Monlevade, há quem advogue pela liberação dos sinais das rádios de BH, mas poderia ser a ruína das rádios estabelecidas na cidade. Isto é facilmente explicável. Em primeiro lugar existe um mapeamento do dial para que duas rádios não ocupem o mesmo espaço. Isso evita que uma rádio não interfira no sinal das outras. Em segundo lugar, se os sinais das rádios de BH for liberado, prejudicará as locais, pois as rádios da capital, sem ter despesas, disputariam espaços com as radios monlevadenses. Mas se você for mesmo radical e não quiser mesmo ouvir a monocultura sertaneja, tem a internet para salvá-lo. Eu tenho feito isso de vez enquando. Quem tem telefone celular com 3G então pode ouvir rádios de qualquer lugar do Brasil. Quanto à WebRádio de que falei, garanto que o Marcelinho topa produzir um programa! Vamos ver quantos mais vão querer entrar nessa Vakinha.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

VALORES DA NOSSA GENTE

Jairo com Paulo Markum

O Livro "Jean de Monlevade, do Castejo à Forja" do escritor Monlevadense Jairo Martins, foi muito bem recebido durante o Fórum de Letras de Ouro Preto. A obra foi exposta em lugar destacado na livraria oficial do evento (localizada na histórica Casa dos Contos). Ficou ao lado de escritores consagrados do Brasil e dos países africanos. Na realidade, o mote que norteou todos os debates e oficinas do Fórum de Letras de Ouro Preto deste ano foi a nova literatura africana de língua portuguesa que, por sinal é belíssima! O Fórum das Letras é realmente um super evento. Na opinião do Laurentino gomes, escritor dos aclamados 1808 e 1822, é o maior evento cultural do país. Várias personalidades destacadas levaram "Jean Monlevade" debaixo dos braços, como o consul português em Minas Gerais que comprou um exemplar e escreveu sobre ele em seu blog. http://duascidades.blogspot.com/2010/11/lviii-releituras-jean-monlevade-de.html. Outras informações interessantes também podem ser acessadas através do blog www.folhadecapa.wordpress.com Outros intelectuais como Paulo Markum ou como a Editora de “O Globo” Mànya Millen também levaram seus exemplares. Como bem disse Hemingway, fale da sua aldeia e estará falando ao mundo. O livro Jean Monlevade de uma maneira geral vem agradando a pessoas de vários lugares e contribui para que a nossa Monlevade não seja vista apenas como uma fábrica de ferros. Temos um herói. Um mito. Um modelo a ser seguido.

ELA DE NOVO !!!

Ela pediu para que não aparecesse o rosto para se preservar

Estava eu na rodoviária de Monlevade pensando no quando ficou longe. Pensava com meus botões: - Puxa vida! Que falta de interesse no conforto dos usuários do transporte intermunicipal. Quando a rodoviária era dentro da cidade tudo era mais fácil. Depois que mudou para pertod o Posto Graal tudo ficou mais complicado. Os ônibus quase sempre demoram e os taxis não são baratos, Trabalhou-se para piorar a vida dos usuários, essa que é a verdade. Pelo menos se a s empresas de ônibus tivessem tido a sensibilidade de abrir uma central de vendas de passagens no centro, pelo menos as pessoas poderiam comprar passagens antecipadas. Mas infelizmente foi feito desse jeito e parece que não vai mudar tão cedo. Pois é, mas estava eu lá na rodoviária pensando na vida, quando de repente vi passar por mim uma pessoa com o rosto familiar. Em princípio, não consegui identificar, mas era uma mulher de meia idade, usando jeans e falando ao celular. Fiquei na minha observando e tentando me lembrar. Foi quando ela me viu, sorriu e acenou. Fiquei meio atrapalhado, sem saber se ela ria pra mim ou de mim, sei lá. Mas ela foi terminando sua ligação ao celular e se aproximou.

- Olá....tudo bem?
- Uai...tudo...bem...e você?
- Ah...vou bem também...quer dizer...mais ou menos, né?
- Mas...mais ou menos por que?
- Ah...eu tenho uma história de vida um pouco triste.
- É mesmo? Eu seria indiscreto te perguntando por que?
- Não. Eu já estou acostumado com a sua perguntação mesmo.
- Mas...como é que é...mas eu...
- Não se lembra lá no centro, perto da caixa econômica?
- Mas você? Não é possível!
- Sou eu mesma...a vidente.
- Caramba...bem que eu vi que tinha algo familiar. Mas você está...
- Sim...pois é...não sou uma cigana à moda antiga. Mas se eu não me vestir como cigana na hora do trabalho, ninguém me procura.
- É...tem razão...mas puxa...eu nunca saberia que é você.
- É que sou filha de cigana com um jornalista e por isso transito entre os dois mundos. Está decepcionado?
- Não...de jeito nenhum...mas onde você está indo?
- Estou indo para Belo Horizonte e depois para Contagem...mas deixa eu te contar uma coisa. Você me botou numa fria viu.
- Uai. Por que?
- Ah. Foi falar no jornal e no seu blog sobre aquela previsão do jogo do cruzeiro. O que pintou de pessoas me xingando.O pior é que xingam minhas colegas também. Chegam e perguntam: - por acaso, você é a cigana do Martino?
- Puxa. Me desculpe. Mas também né? Você sabia sobre os roubos do juiz?
- Olha...uma cigana tem uma boa noção de probabilidades e uma boa dose de intuição. Eu quase nunca erro.
- Pois é. E você está ficando famosa viu. Até o outro jornal está falando de você.
- É mesmo? Mas deve ter falado mal, né? O outro jornal não é aquele que só fala mal?
- É verdade. Eles agora insistem em insinuar que tenho preconceito contra os negros. Acho que vou ter de tirar as palavras negro e preto do meu vocabulário. Toda vez que as uso eles implicam comigo.
- Ah. Não liga não. É que eles odeiam as minhas previsões. Eu entendo. É que eu sozinha previ que o prefeito não seria cassado. Até gente muito próxima não acreditava, mas eu tinha certeza e deu no que deu.
- Mas então, como você quase sempre acerta, acha mesmo que o Cruzeiro não vai ser campeão?
- Infelizmente as probabilidades são essas.
- Triste isso viu. Todo mundo quer previsões boas.
- Infelizmente, a vida é assim...se ganha e se perde.
- Mas me conte aqui. O que você vai fazer em Contagem? Aquele lugar é feio demais.
- Olha. Eu vou lhe contar, mas não conte pra ninguém, ouviu?
- Pode deixar.
- Eu vou até a penitenciária visitar o meu namorado. Ele se envolveu numa roubada e tá lá. Não vou abandoná-lo de jeito nenhum.
- Mas o que aconteceu com ele?
- Infelizmente ele se envolveu com drogas. Dizia que tava vendendo só por uns tempos pra juntar dinheiro pra gente casar, mas alguém o dedurou e ele dançou.
- Que barra, hein?
- Barra mesmo. Ele é muito gente boa e não merece o que tá passando. Mas fazer o que né?
- Tome aqui o lenço. Enxugue as lágrimas. Ah. Quer saber? Pelo menos você tem um amor. Quanta gente no mundo não tem esse tesouro?
- Puxa. Ainda bem que encontrei uma pessoa que me entende.
- Fique tranquila. Assim que ele tiver a liberdade vocês constroem a vida de vocês. Amor é que não vai faltar.
- Obrigada, viu? Agora tenho de ir, pois meu ônibus já encostou.
- Mas peraí...deixa eu abusar só mais um instante de você.
- Pois não...
- Quem matou o Saulo na novela das 8?
- Você está brincando comigo...
- Só pra descontrair. Mas não desapareça não, viu...
- Tá legal. Agora vou indo que meu ônibus está saindo. Tchau!
- Peraí que vou ver se encontro lugar nesse ônibus também. Nada mais seguro que embarcar num ônibus com cigana.
- Mas por que?
- Uai...se fosse ter acidente, você veria antecipadamente e não embarcaria, não é mesmo?
- Você é esperto, hein? Agora pensou como cigano. Mas não vou te enganar não. As probabilidades nessa 381 são altas...
- Ah...mas não temos escolhas.
- E no meu caso, como estou apaixonada, atravessaria rios de lava incandescente e atravessaria tsunami a nado para encontrar o meu amor.
- Fechou!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VAKINHA FM

Já postei sobre, mas como o texto recorrente foi para a minha coluna, resolvi retomar o assunto. Algumas pessoas vem reclamando nos blogs da cidade sobre as programações das rádios de João Monlevade e região. Para quem não é fã do estilo sertanejo realmente incomoda a monocultura reinante, mas o que fazer? Nas rádios de mercado quem determina a programação é o público, a audiência. Não por acaso, estive com o Weber Ferreira conversando por longo tempo sobre o assunto. Ninguém faz rádio para si, a não ser que seja excêntrico e tenha dinheiro para queimar...ou quem sabe quando a rádio pertence a uma fundação que não dependa de vender espaço publicitário para se sustentar. As rádios de Belo Horizonte não podem servir como parâmetros. A Rádio Inconfidência por exemplo, embora só toque MPB, é mantida pelo governo do estado, portanto se sustenta sem depender dos anúncios. Além do mais, em uma cidade com quase 3 milhões de habitantes você tem um público de pelo menos 250 mil pessoas que apreciam o estilo. Ai sim, com um público de uma cidade do porte de Governador Valadares dá para se fazer uma rádio voltada para um estilo apenas. Aliás, em Belo Horizonte existem outras rádios segmentadas, direcionadas para públicos diferenciados. Tem a Guarani, Alvorada e Antena, direcionadas para as classes A e B. Tem a 98, Pan e Mix, direcionados para o público jovem. Tem a BH, que pertence à rede Globo e EXTRA que pertence à rede Itatiaia, direcionadas para as classes B, C, D e E e a Liberdade FM, direcionada ao estilo sertanejo, primeiro lugar na grande BH há pelo menos 10 anos ( perdeu o posto para a Rádio Itatiaia que passou a transmitir também em FM). Isso tudo eu digo para tentar pintar o cenário da região. Todas as nossas rádios , sem excessão, executam mais ou menos as mesmas programações musicais. Mudam os locutores, as vinhetas, os conteúdos de jornalismo de cada veículo à partir de suas opções políticas, mas as programações são mais ou menos parecidas. Uma mudança do cenário teria de passar por uma mudança do próprio público, o que nos parece impossível no curto prazo. Portanto, continuaremos ouvindo Sertanejo e pop na Alternativa, Sertanejo na Global, de tudo um pouco na ALPHA, a programação de rede na Transamérica e também os sertanejos na Cultura e na Comunicativa. Quanto à audiencia das rádios locais, dizem que as pesquisas apontam a Cultura como a mais ouvida, seguida pela Alternativa. Só que a cultura tem uma programação e jornalismo muito voltados para as questões locais, sempre atacando a atual administração.São noticias que não dizem respeito às outras cidades. Por isso, imagino que a audiência da Alternativa em termos regionais seja bem maior. Trata-se de uma instituição muito sólida financeiramente, com anunciantes garantidos e bastante estruturada que não se incomoda nem um pouco com as críticas, pois ali todos sabem muito bem onde querem chegar e o coordenador não faz rádio para si, mas para o público. Portanto, assim como brinquei com o jornalista e ativista cultura Marcelo Melo dia desses, só se fizermos uma vaquinha pra montarmos uma rádio direcionada para pessoas como nós que apreciamos outros estilos que não os popularescos da moda. Até brinquei que a rádio poderia se chamar VAKINHA FM. Mas como já disse, só se for uma empreitada mantida por capitalistas excêntricos ( que não é o nosso caso) ou quem sabe por uma fundação. Acho até que a região tem público pra isso. Monlevade apenas não, mas se for feita uma pesquisa, pode até ser que existam patrocinadores dispostos a bancar tamanha empreitada. Quem se habilita?

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

17 DE NOVEMBRO - UMA DATA MUITO ESPECIAL !!!

Hoje acordei exultante e não é por menos. Há exatamente 10 anos atrás nascia uma pessoa muito importante: a Rísia, minha filha. Que responsabilidade é colocar alguém no mundo e assistir seu filme, as vezes intervindo no enredo, mas rindo e chorando à medida que as cenas vão se desenrolando. O bom do tempo em que vivemos é que podemos registrar tudo em fotos, cada pequena conquista, cada pequeno avanço. Assim temos um dossie, um registro de cada fase.Os filhos são verdadeiros mata-borrões com a capacidade de absorver tudo em volta e vamos nos policiando para passar bons exemplos. Porém, por mais que queiramos ensinar virtudes, somos cheios de defeitos e também os passamos. Outras influências externas chegam através da televisão, pelo convívio social nas escolas, com crianças de outras culturas, outras formas de criação, pelos parentes. Por exemplo, por mais cruzeirense doente que seja, a Rísia acabou se tornando atleticana pelo convívio maior com os primos do lado da mãe. Tomara que não se entusiasme demais com o futebol para sofrer menos. Sobre a personalidade dela, por vezes vejo alguns comportamentos e trejeitos bem parecidos com a mãe. Há quem pense que ela se parece comigo. Na realidade ela tem nossos gens, portanto é resultado da mistura. O presente de aniversário que lhe dei foi um notebook. Já na escolha, a Rísia me mostrou que em em termos de tomada de decisão é mais evoluida que eu. Ela mesmo pesquisou e escolheu o que queria. Infelizmente em Monlevade não tinha o que escolheu, mas ela mesmo pesquisou na internet e adquirimos. Tentei mostrá-la vários modelos, mas ela foi decidida: - papai, eu quero é esse! Enfim chegou o Mini Note HP Lilás que ela pediu, realmente muito bonito e de excelente performance. A mãe tem medo dos conteúdos impróprios, mas eu sinceramente não tenho. O que posso fazer é monitorar, mas conversei com ela e expliquei que o note seria o melhor e o pior professor do mundo, que a escolha será dela. Ela poderá fazer qualquer pergunta para São Google que responderá e a direcionará para diversas respostas. Na realidade, ela já manuseava o meu notebook com toda desenvoltura. Inclusive, me intriga muito o fato dela saber digitar com tanta rapidez sem ter feito nenhum curso de datilografia, como foi no meu tempo com os ASDFGs da vida. Bom, mas encerro aqui a seção coruja do dia desejando a ela caminhos abertos. E peço a Deus que me dê sabedoria e discernimento, pois como dizia uma música do Erasmo, proteção demais desprotege. Êta vida!

sábado, 13 de novembro de 2010

FOMOS MESMO ROUBADOS OU ESTAMOS SENDO BAIRRISTAS?

A impressão que me deu foi de que fomos garfados de forma escandalosa no Pacaembú. Tivemos vários pênaltis não marcados a nosso favor e o juiz marcou um a favor do Coríntians que quase todos reconhecem que não foi. Uma coisa merece a nossa reflexão inclusive. O Comentarista Junior Brasil, da Rádio Itatiaia foi o único que havia ouvido até agora considerar pênalti o lance. Ele disse que o jogador Gil fez carga faltosa. Caramba. Como deixaram um atleticano comentar jogo do Cruzeiro? Como é que a Rádio Itatiaia faz uma coisa dessas? Queria até rever os videos das jogadas. No blog do Juca, ele diz que pra ele foi mesmo uma ombrada de Gil no Ronaldo e tá tudo certo. Ele lembra que o Coríntians também foi garfado no jogo do Parque do Sabiá. Eu não lembro disso. Também pudera, né? Ele é Corintiano e só não puxa a sardinha porque sardinha é peixe, eterno rival. Mas depois, com a cabeça fresca, quero rever os lances. Sobre a partida, Fábio andou fazendo umas besteiras. Uma jogada como fez em plena casa do Menezes. o afastam ainda mais da seleção. Por um lado, isso é até bom pra nós. Jonathan jogou razoavelmente bem. Recordo-me que salvou o time em certo momento da partida, retirando o pão da boca do Ronaldo. A zaga também atuou bem. Gilberto, na lateral, quando tocou na bola o fez com a tradicional categoria. O meio campo também esteve firme. Paraná jogou muito, o mesmo acontecendo com Henrique e Fabrício. Montillo é que anda destoando. De umas 3 ou 4 partidas pra cá o Argentino caiu muito de produção. Gostaria de saber do cruzeiro porque isso aconteceu. Algo físico ou psicológico? Nosso ataque deixou a desejar. Wellington Paulista em minha opinião, não é jogador pro Cruzeiro. Ele faz alguns gols difíceis mas erra os fáceis. Tá chegando sempre atrasado nas jogadas e não é jogador pra nós. Prefiro o Farias. Já Thiago Ribeiro, também errou muito. Cria muitas jogadas agudas durante o jogo. Só que acho que tem fama de cai-cai e os juizes quando pegam as fichas dos jogadores, já entram vacinados. Thiago poderia cair 300 vezes que o juizinho não iria dar e ainda poderia expulsá-lo. O Roger entrou bem no jogo, até melhor que o Montillo. O Coríntians não conseguia jogar. Fomos muito melhores. Mas realmente, o juizinho e seus bandeiras operaram. Erraram em vários impedimentos, a maioria prejudicando o Cruzeiro. Enquanto isso, temos de reconhecer que o Galo retomou sua mística de vingador. Num jogo só massacrou um dos maiores rivais em nível nacional, mostrou pro Luxemburgo que ele não deveria ter dispensado os Renans e escapou um pouco do pelotão de trás. O Renan Ribeiro então saiu com alma lavada. O Cruzeiro não pode relaxar. Logicamente que o título ficou muito mais difícil, mas a Libertadores ainda é uma possibilidade real. O título ficou difícil, mas não impossível. Quem sabe a justiça divina não resolva dar uma forcinha? O Coríntians não está com essa bola toda. Pode ser que ainda tropece. Já o Fluminense, tem aquela firmeza dos times treinados pelo Muricy. E por falar nisso, vejam no link a seguir, 4 cenas que os paulistas utilizam para provar que realmente foi penalti. Tirem suas conclusões. Eu acho que foi. Mas o do Thiago também foi, a falta na entrada da área também foi, os vários impedimentos também foram, quer dizer, o juiz nos prejudicou muuuuito mais. Mas vejam as fotos no http://colunistas.ig.com.br/jogoquaseperfeito/

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

ELA VOLTOU ( A CIGANA)


Estava eu vindo de casa para chegar até a prefeitura, quando me deparei com uma figura que foi muito importante há alguns meses atrás: a cigana. Em princípio fiquei ressabiado, dei uma circulada e vi que era ela mesmo. Lembrei-me da ultima conversa que tivemos e fui me aproximando devagar.

- Mas quem é viva sempre aparece, hein? ? Você me deixou com a pulga atrás da orelha. Achei que era a etéia de Varginha.
- Olá. Como você está?
- Estou mais ou menos. E você?
- Estou bem...mas sobre a sua pergunta, somos todos filhos de Deus, nascidos neste ou em qualquer planeta.
- Tá certo, Dona Cigana. Mas que bom que você voltou. Suas previsões deram certo mesmo, viu.
- Minhas previsões sempre dão certo.
- Você nunca quis ir pra televisão, para uma rádio? Se quiser eu sou amigo do pessoal de algumas rádios e posso conseguir uma entrevista pra você.
- Não se preocupe. Eu não sou do tipo de cigana que quer promoção pessoal. Eu gosto é da vida assim, de lugar em lugar, conversando com pessoas como você, levando bons fluídos.
- Você está mais para uma fada. Mas por falar nisso, você poderia me fazer algumas previsões.
- Olha, agora eu estou com uma promoção muito boa. 3 previsões por 15 reais. 2 por 12 e uma por 8 reais.
- Tá bom. Então tá aqui...15 reais.
- Muito bem. Agora pode perguntar.
- Deixa eu pensar: já sei...o Cruzeiro vai ser campeão brasileiro deste ano?
- Infelizmente não!
- E da Libertadores no ano que vem?
- Também não.
- Nossa...mas suas previsões desta vez estão muito ruins, hein?
- Você quer a verdade, né?
- É claro. Tenho uma pergunta ainda...a prefeitura vai sair dessa fase dificil?
- Puxa...já vem você de novo com fase dificil da prefeitura?
- Parece uma maldição. Sai de uma crise e entra na outra.
- Peraí...deixa eu me concentrar...vixe...
- O que foi? O trem tá feio?
- O trem tá complicado sim, não posso mentir. Mas vejo uma luz no fim do túnel.
- É mesmo? Então conte-me mais.
- Sinto dizer que o pacote já acabou. Outra previsão, mais dinheiro.
- Aff...tá aqui então...mais 20 reais...agora conte.
- Olha, vejo aqui que este ano ainda haverá muito sufoco. Você então tá cheio de mau olhado. Tem muita gente querendo te derrubar. Mas aguente firme.À partir de janeiro do ano que vem as núvens negras começarão a se dissipar e a partir daí, o mandato vai deslanchar e vai ser ainda uma administração revolucionária, que será lembrada por muitos e muitos anos.
- Nossa, mas a senhora anima a gente, viu. Em alguns momentos ficamos desanimados com o tantos de ataques que sofremos.
- Mas é isso mesmo, meu amigo. Os inimigos de vocês são fortes e inescrupulosos. Porém, vão acontecer mudanças profundas que vão deixá-los desnorteados e dividí-los. A tática deles de tentar envenenar o povo contra vocês será desmascarada e o povo, ao perceber as farsas não perdoará os agressores e os riscará do mapa.
- Mas me diga uma coisa: o atual prefeito tem chance na próxima eleição?
- Peraí, você tá querendo outra previsão? Mais vintim!
- Nossa senhora... tá aqui...
- A resposta á simples: qualquer brasileiro que tenha carteira de identidade e título de eleitor tem chance.
- Peraí...você está fazendo hora comigo.
- Fazendo hora? Você me fez uma pergunta e respondi.
- Mas eu fui específico. O atua prefeito tem chance?
- É lógico que tem chance. Ele está passando por um incrível inferno astral, mas já superou um muito pior que foi aquela tentativa de cassação. Nada será tão pesado quanto aquele momento.
- É verdade. Você até previu, contrariando a todas as previsões, que o prefeito seria absorvido. Teve até gente fazendo gozação com a senhora nos blogs da cidade dizendo que era uma cigana de araque. Mas o que prevaleceu foi a sua previsão. A senhora é realmente uma vidente muito eficiente
- Mas é lógico. E olha que nem tenho curso superior, hein? Sou uma cigana autodidata, mas o pessoal não tem reclamado dos meus serviços.
- É...sou testemunha. Tava até pensando uma coisa. Você poderia me ajudar a marcar um cartão da loto hein?
- Infelizmente, não temos permissão para esse tipo de previsão.
- Então tá...você vai ficar por aqui até quando?
- Isso eu não dá pra prever. Mas nos próximos dias, estarei sempre por aqui, próximo à agencia da caixa e ao Comil.
- Mas porque a sra fica aqui próxima da caixa?
- É que já sai um monte de gente com dinheiro que acabou de tirar dos caixas eletrônicos. Só notinha novinha e eu adoro o cheirinho de dinheiro novo.
- Nossa. Tão espiritualizada e tão capitalista.
- Eu sou é prática. Por falar nisso, da próxima vez, veja se tira notas de 20, pois essas de 50 complicam a gente na hora do troco.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

RESPEITEM ALVINÓPOLIS !

Podem me chamar do que quiserem, mas não profanem Alvinópolis.
Me chamem de publiciotário, de jingleiro, de qualquer xingamento, mas não desrespeitem uma cidade que é de muitos, que tem uma cultura bonita, que vai muito além dos bois soltos na rua.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

CHAPA BRANCA E CHAPA PRETA: EIS A EXPLICAÇÃO


Chapa branca é o jornalismo que se presta a divulgar as boas noticias da cidade e do governo e chapa preta é jornalismo oposicionista, terrorista, do contra, negativo. Lembram-se do antônimo nas aulas de português do primário? Preto como antônimo de branco. Simples assim! Embora Cruzeirense, nada tenho contra o preto. Inclusive, sou Botafogo no Rio, aquele que também adora cozinhar o galo. Muito triste é quando um jornal recorre quase sempre à tarja preta como recurso para transformar tudo em tragédia. Aliás, tarja preta é para remédios de alta periculosidade. No caso do referido jornal, melhor que ao invés da tarja constasse uma caveirinha que significa veneno.

A MÍDIA URI GHELLER ATACA NOVAMENTE

Tá certo que o ponto de vista é a vista de algum ponto. Só que certas pessoas tem a admirável capacidade de distorção dos fatos, isso certamente lapidado em anos no exercício da arte de falsear as coisas em nome de interesses muitas vezes mutantes. Puxa vida, querer fazer com que pensem que na frase " preferível ser chapa branca, que chapa preta" eu estava proferindo algum tipo de preconceito contra os de cor negra chega a ser nojento. Uma tentativa torpe de tentar me jogar contra uma etnia que admiro, da qual somos todos devedores pela cultura, pelos sacrifícios, enfim. Se queria me chatear, conseguiu. Ainda sugere que eu teria que pedir desculpas. Isso é brincar com a inteligência das pessoas. Aliás, diga-se de passagem, parece que o adocicado blogueiro é que tem lá seus problemas com a própria cor, pois esse negócio de acusar as pessoas de preconceito já está ficando recorrente. Ele deveria se orgulhar da cor que ostenta, mas parece não ser o caso. Quanto ao show em si, não que a prefeitura tenha sido promotora, mas foi parceira facilitadora, além de ceder o espaço e penso que deve ser assim mesmo. Se houver promotores que queiram trazer os bons espetáculos para Monlevade, por que não? Quanto ao público, todos sabem que essa questão é uma loteria. Existem algumas variáveis que fazem com que um show tenha ou não grande público. No caso do Luan, vários fatores contribuíram para o público que embora não tenha sido pequeno como dito, foi menor do que a maioria dos shows do astro. Entre esses motivos, o preço, a data, entre outros. Mas vamos e venhamos. Se fossem 50 mil pessoas, eles encontrariam algum motivo para implicar também. Lembram-se do show da Pitty? Foi um público de no mínimo 15 mil pessoas e no jornal, que diz ainda não ser de oposição, saiu que o público foi de 3 mil pessoas, pra desvalorizar, é claro. Sobre a visão cultural do que é bom ou mal, parece que o blogueiro subestima a inteligência do lado de cá. Pode ser que Luan seja um sucesso instantâneo e que a moda já tenha até passado no verão que vem, mas não há como negar que é um dos shows mais aclamados no país na atualidade. Sobre qualidade cultural, sabemos que não dá para pautar as atrações pelos nossos gostos pessoais e nem cabe juízo de valor. Lamentável é uma campanha movida pela internet nos orkuts, twitter e facebooks da vida, tentando passar para todos a idéia de que o Luan é gay, que tenta seduzir as meninas, enfim, tentando demonizar a figura do Peter Pan Sertanejo. Infelizmente, vi muitas garotas comentando isso, um tanto decepcionadas com o fato. Já vimos isso acontecendo com a Dilma nas últimas eleições. Fizeram montagens dela fumando charutos cubanos, pegando em metralhadoras, enfim, um verdadeiro terror virtual. Se é verdade ou se é mentira, pouco importa. O que vale é o efeito do boato. É esse o mundo em que vivemos.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

AI DE QUEM NÃO SOUBER RIR DE SI

Já imaginaram se o presidente Lula se indignasse a cada piadinha que fazem com sua figura? Já pensaram se Newton Cardoso processasse todos que fazem chacotas sobre seu português horrível e suas tramoias? Muito pelo contrário. Dizem que o Newtão até coleciona o anedotário sobre sua atuação. Juscelino Kubsticheck também adorava as charges que faziam sobre ele e até mandava comentários elogiosos aos chargistas. Logicamente, há de se separar o joio do trigo. Há algumas charges, que além de não ter graça nenhuma, fazem ataques que extrapolam o humor e entram no território da calúnia, do ódio gratuito. Neste caso, a justiça é o caminho adequado. Vamos e venhamos. Piada boa é a que tem os outros como personagens. Quando é com a gente, tendemos num primeiro momento a nos indignar, mas precisamos aprender a relaxar para rirmos de nós. E tem aquele ditado. Quem ri por último, ri melhor ( ou ri atrasado ) ...

domingo, 7 de novembro de 2010

CRUZEIRO VENCEU JOGANDO PRO GASTO

Foi um joguinho amarrado, mas pelo menos a defesa passou mais firmeza. Tivemos a sorte também do Vitória estar desfalcado, mas time pra ser campeão tem de ter sorte. Aquela bola no travessão também foi sinal de que a vitória não escaparia. Fábio mais uma vez arrasou. O lateral direito Rômulo em minha opinião não esteve bem. Tem muita força física, mas pouco cérebro. Jonathas não é excelente, mas tem mais entrosamento com o Thiago Ribeiro e Montillo. A zaga foi bem. O Gil tem excelente preparo físico e espanou em todos os pontos da defesa. Leo aparece pouco, mas faz bem a sobra. Edcarlos também espana, mas sinceramente, acho o Gil melhor ( muitos detestam o cara). O Lateral Diego Renan está devendo há muito tempo. O meio campo foi o que jogou melhor. Paraná estragou a bola e Henrique também foi muito bem. Montillo em minha opinião jogou bem. O problema é que estávamos acostumados a atuações sensacionais e a marcação aumentou muito. Tá apanhando pra caramba. Gilberto não jogou tão bem ofensivamente, mas se verificarem o tape, verão que ele tomou muitas bolas e auxiliou e muito o Diego Renan. No ataque, Thiago Ribeiro foi bem, sempre atento. Questão de opinião: eu gosto do futebol do Farias, um centro-avante sempre atento, ligado no jogo. Não sei porque de repente ele foi meio encostado. Já o Robert, nem sei por que veio. Na próxima partida, imagino que volte o Wellington Paulista. Sejamos realistas. Muito difícil a missão do Cruzeiro contra o Coríntians. É o time que mais pressiona no campeonato. Não dá pra comparar com o Vitória. Porém, o Cruzeiro tem jogado bem fora e se o time estiver numa tarde inspirada tudo pode acontecer. Não pode é partir como boi bravo pra cima do corinthians. Nem ficar atrás, retrancado. Os cardíacos, que assistam o jogo com remedinho debaixo da lingua.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

LUAN SANTANA - NÓS FICAMOS COM O LADO BOM - MAS HÁ QUEM PREFIRA O LIXO!

Pior que ser chapa branca é ser chapa preta. Impressionante a capacidade de certas pessoas em distorcer os fatos e ocultar o lado bom de tudo. Vejam o exemplo do show do Luan Santana . Se tem um show considerado top na atualidade esse é o desse rapaz. Luciano da Casa de Cultura comentava isso. Trazer Luan em Monlevade seria o top do top entre os shows nacionais.Só que a situação financeira não possibilitava tamanho investimento. Foi ai que entrou o empresário João Wellington, um dos maiores produtores de show de Minas e quem sabe do Brasil. Ele propunha trazer o cantor em nossa cidade, exatamente no estádio Louis Ensch, segundo ele um dos melhores espaços da região. O show seria todo de responsabilidade do João Wellington, que pagaria o cachê do artista e demais custos decorrentes. O público foi de cerca de 10.000 pessoas. Quem foi pôde realmente apreciar um espetáculo muito bom, com jogo de luz e telão que são show à parte. A galera teen delirava e pelas conversas, quem foi gostou do que viu e ouviu.

Os que não foram tiveram suas razões e as respeitamos. Lamentável é que algumas pessoas não consigam enxergar o lado bom de nada. Só querem falar do lixo. Aliás, essa questão tá muito bem explicada nos jornais, (quer dizer, em alguns jornais as versões da prefeitura ocupam 0,01 % do espaço textual, isso quando não são distorcidas). Ficou claro que o acordado seria que o Clube do Cavalo se ocupasse da limpeza. A limpeza não aconteceu de forma imediata, pelo fato dos encarregados terem decidido aguardar que passasse a chuva para realizar o trabalho. Logo que parou de chover, a limpeza foi feita. É lamentável que não se comente nada sobre o show e sobre o que houve de bom, de positivo. Mas não vamos ficar atolados no lixo. Vamos em frente. A prefeitura procura atuar como parceira facilitadora, mas zelando pelo bem público. Haverá sempre espaço para viabilizar as melhores atrações do cenário nacional para os Monlevadenses e vamos trabalhando continuamente para aperfeiçoar os processos.

ANA LÓGICA E FRED DIGITAL - CAPÍTULO FINAL

No capítulo anterior, vimos que Fred Digital mandou sua mãe mentir para Ana Lógica, dizendo que não poderia ir ao clube com a menina por causa de compromisso inadiável. Mas vamos ao capítulo final...

Enquanto isso, na cantina da escola...

- Ô moça...por favor...me vê um suco de abacaxi.
- Nossa...Ana...você tomou sol mesmo hein?
- ...
- Nossa Ana...você está gos...
- Eu tô é "p" da vida com você, seu Fred.
- Mas por que?
- Você acha que eu sou boba? Eu tenho certeza que você mandou sua mãe mentir ontem.
- Ela te contou?
- Nem precisa. Já ouviu falar de intuição feminina?
- Que isso, Ana...sabe o que é?
- Não sei e nem quero saber...já imagino...trocou uma tarde no clube por um computador.
- Peraí, Ana. Era uma coisa importante. Era uma reunião dos "Brazilians around the world". Somos um grupo de 17 brasileiros em todas as partes do planeta.
- Brazilians idiots around the world
- O que?
- E daí? Vocês se imaginam muito importantes. O que acham que podem fazer? Mudar o mundo?
- Você não faz idéia, Ana. Imagine o intercâmbio...eles me passam informações sobre cada game que você não imagina.
- Game, game...você só pensa em game. Vive mais na internet do que na vida real.
- Ana...também não é assim né?
- É assim sim. Olha, quer saber de uma coisa? Vá viver lá no seu mundinho virtual que eu gosto é da vida real. Tchau!
- Ana...peraí...olha...tá certo. Eu admito. Tô mesmo exagerando. Minha mãe vive me cobrando isso.
- Exagerando? Você está é viciado. Sabia que esse trem vicia que nem droga? Tô fora.
- Pera, Ana. Não vá embora. Você tá muito gost...bonita...sério mesmo...moreninha assim de piscina...
- Ah, Fred. Mas você prefere aquelas meninas siliconadas e tratadas em photoshop da internet. Pensa que eu não sei?
- Peraí, Ana. Você está me espionando?
- Ora, Fred. Nós mulheres somos muito mais espertas do que você imagina. Conhecemos os comportamentos dos homens. Só fingimos que não vemos pra não decepcionarmos vocês.
- Tá certo então. Você venceu. O que eu posso fazer para que você me perdoe.
- Não vai ser fácil não. Mas olha...que tal assistir um filme comigo lá em casa?
- Como é que é? Você está falando sério?
- Tô...mas não é pra você ficar folgando não. Meu irmão vai estar lá em casa e ele luta Boxe.
- Que isso...pode deixar que eu sou bem criado.
- Então tá. Posso te esperar as 3 da tarde então?
- Com certeza...mas...Ana...qual o nome do filme que vamos ver?
- O filme chama-se Wall-e. Já ouviu falar?
- Não...conta a história de que?
- Não vou contar a história não. Mas garanto que vai gostar...e vai ficar chocado.
- Então tá combinado. As 3 da tarde eu chegarai lá.

AS 3 HORAS, COMO COMBINADO, FRED CHEGOU NA CASA DA ANA E TOCOU CAMPAINHA. ALGUÉM ATENDEU.

- Quem é?
- Aqui é o Fre-eed.
- Fred? Qual Fred?
- Amigo da Ana.
- Ah tá. Pode entrar.

Fred passou pelo portão e gostou do jardim que viu, da rede preguiçosa, um jetsky, prancha de surf, gente que parecia gostar de aventura. Ana o esperava, descalça e com um shortinho de tirar o juízo.

- Olá...quem é vivo sempre aparece...
- Oi, Ana...puxa...sua casa é bonita...
- Obrigada...pois é...mas vamos chegando. Meu pessoal não está em casa. Só meu irmão e meus cachorros...

De repente, apareceram dois cachorros do tamanho de um urso. Fred ficou paralisado e branco.

- Você gosta de cachorros, Fred?
- Go.gosto. São muito...amáveis...
- Pois é...mas então vamos entrando. A sala de video é ali ó.
- Tá certo.
- Pode tirar o tênis pra ficar mais a vontade se quiser. Não tem chulé não né?
- Não...puxa..que tapete maneiro.
- Venha...vamos ver o filme...tem pipoca e guaraná...depois faremos um lanche.
- Combinado então.

Os dois entraram, Ana botou o filme pra rolar e eles ficaram ali assustindo. Fred curtiu pra caramba, pois sempre gostou de ficção científica. Na sequencia do filme, entendeu a mensagem que a garota queria lhe passar. No filme, as pessoas no futuro ficaram tão dependentes da tecnologia, que começaram a ficar gordas e alienadas do mundo.

- E aí, Fred. Gostou do filme?
- Gostei sim. Você queria me passar uma mensagem, né?
- Pois é.
- Caramba. Eu realmente nunca havia pensado nisso. Ganhei um notebook com 11 anos de idade e desde aquele dia ele virou meu companheiro.
- Eu entendo, Fred. Mas a gente precisa viver também. Nosso cérebro, nosso corpo, são computadores muito mais sofisticados que Deus nos deu.
- É...preciso mesmo repensar as coisas...equilibrar mais. Valeu, viu Ana.
- Não tem de que, bobão.
- Nossa, Ana. Nem sei o que faço para retribuir o seu gesto,
- Ah...mas isso é fácil. Disse a Ana se aproximando do rapaz.
- É mesmo? Então me diga. Peça qualquer coisa.
- Não quero algo tão difícil assim. Disse se aproximando ainda mais.
- É mesmo? Mas o que quer?

Nessa hora a Ana aproximou-se de verdade e lascou um beijo na boca do atônico rapaz. Ele ficou meio atrapalhado, afinal era seu primeiro beijo, mas pegou o jeito e entrou em órbita junto com a sua atrevida namorada.
De repente tocou o celular do Fred. Ele nem parou de beijar. Daí a alguns segundos, uma mensagem dos amigos soou no ambiente.
- Atençao Fred, reunião dos Brazilians around the world daqui há 1 minuto.
Neste instante, eles ouviram um barulho vindo de fora e perceberam que o irmão da Ana estava chegando.
Disfarçaram e sairam pra fazer um lanche.
Depois que lancharam, Ana foi levar o Fred no portão.
Ana resolveu acompanhá-lo até o ponto de onibus.
No caminho, ela ainda fez questão de entrelaçar seus dedos com os dele, de forma tímida, disfarçada.
Estavam conectados para todo o sempre.
Quer dizer, o sempre dos jovens né, que pode durar até o proximo final de semana.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

ANA LÓGICA E FRED GITAL


Enquanto isso, na cantina da faculdade...

- Oi Ana.
- Como é que tá, Fred.
- Tô legal
- Vai no clube no final de semana?
- Acho que não.
- Ah...eu vou lá pro Floresta Clube. Gosto de respirar ar puro, andar descalça.
- Legal. Você vai tomar sol?
- É lógico. Tô com saudade do bom e velho sol.
- Bom proveito.
- Quê isso, Fred. Vamos lá, véi, Cê tá branco, precisando pegar uma cor.
- Neeem, Eu vou aproveitar pra instalar uns programas novos.
- Ah...pelo amor de Deus...você precisa viver um pouco.
- Já vem você com esse papo natureba de novo...
- Mas é mesmo. Não larga desses trecos. Você não pensa em, sei lá...ouvir música, tomar um açai, namorar um pouco..
- Uai...namorar eu penso sim...mas não tenho namorada.
- Ah...mas de repente você arruma lá. Vamos combinar. De repente a gente vai junto.
- Ana...
- O que foi, Fred.
- Lá tem roteador? Pega internet?
- Ah...tenha dó. Lá você vai é desintoxicar.
. Vamos combinar então. Você me chama lá em casa?
- Já é. Passo lá as 2 da tarde. Pode ser?
- Nossa...mas o sol vai estar torrando. Não dá pra ser mais tarde não?
- Ah...não precisa. Mas passe um protetor solar, pegue boné e óculos escuros.

3 HORAS DEPOIS, ANA PASSAVA NA CASA DO FRED E TOCAVA O INTERFONE

- Quem é?
- Aqui é a Ana. Eu combinei de passar pra chamar o Fred, pra gente ir ao clube.
- Ah...Ana...o Fred teve um problema e teve de ir com urgência na casa de um amigo. Me pediu para comunicar a você. Ele disse que depois te liga.
- Ô...que pena...a Senhora é mãe dele?
- Sou sim...
- Então diga a ele que outro dia a gente vai. Um abraço pra senhora.
- Tá certo. Você não quer subir pra tomar uma água, um suco...
- Não...muito obrigada. Vou nessa.

A MÃE VIRA-SE PRA DENTRO E FALA

- Fred...que coisa feia. Você sabe que eu detesto mentir.
- Ah mãe. Eu não tava afim de ir nesse clube. Você sabe que não gosto.
- Mas filho. Você precisa sair da toca. O que tinha de tão importante pra fazer.
- Ah...eu tô numa comunidade de brasileiros que estão no exterior, os "Brazilians around the world", A gente tem uma reunião agendada para daqui a 17 minutos.
- Mas meu filho...que reunião é mais importante que sair com uma menina? Ela é feia?
- Não, mãe. Ela é maneira. Só gosta demais de natureza...sei lá...não sei se combinamos.
- Você nunca ouviu falar que as pessoas são atraídas pelas diferenças?
- Tá certo mãe. Amanhã vou procurá-la. Eu gosto dela sim, mas sem forçar tá?

NA PRÓXIMA COLUNA, A CONTINUAÇÃO DA HISTÓRIA DE ANA LÓGICA E FRED GITAL

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

OS PODERES DA IMPRENSA - O MICRO IMITANDO O MACRO

Tomo a liberdade de postar uma mensagem de anômimo que foi publicado no blog do Marcelo Mello. Espero que o anônimo não me processe (rs). Em primeiro lugar, louvo a atitude do Marcelo que demonstra ser um democrata, apesar de ter seus posicionamentos assumidos e bem demarcados. No texto do anônimo só acrescentaria que é questão de proporção. Da mesma maneira que um dono de jornal, muitas vezes manda um jornalista de calar, também faz o contrário e o jornalista tem de se tornar um repetidor das idéias e interesses do seu "dono". Mas vamos ao texto que foi postado:"Também me indigno com qualquer afronta a qualquer tipo de liberdade. A liberdade de expressão é irrestrita, já diz nossa Constituição Federal. As grandes empresas de comunicação, porém, se apoderam do espaço da comunicação como se fossem donos do pedaço. Se um jornalista fala uma vírgula diferente do que os donos mandam, estará na rua. Ora, se um jornalista não pode exercer sua prerrogativa de formador de opinião, não pode falar o que pensa e sim o que os donos das emissoras mandam, seria melhor então rasgar a Constituição. Expressão do pensamento é direito fundamental básico. As grandes emissoras estão promovendo um Boicote à Liberdade de Expressão. Eles se esquecem de que o espaço que eles ocupam é público, não é privado. São meros concessionários públicos. O espaço deles é de caráter informativo e de expressão livre. Esse problema de concessões públicas de serviço de rádio e televisão nunca vai mudar porque quem faz as leis das concessões públicas é o Legislativo e é nas mãos deles que está a maioria das rádios, televisões. As grandes redes servem aos políticos. Vira um círculo vicioso onde o povão é vítima de um patrulhamento ideológico, de uma manipulação política sem precedentes. Passamos da mordaça do regime militar para o dirigismo ideológico das grandes redes de comunicação. A transição para a blogosfera poderá ser nossa redenção". Nisso eu não sei se concordo. A Blogosfera também não está livre do dirigismo e dos interesses. A verdade mesmo, limpa, cristalina é a substancia mais rara deste mundo.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

JEAN DE MONLEVADE e HARRY POTTER

O livro "Jean Monlevade, do Castelo à Forja" é simplesmente delicioso. A partir de informações encontradas em pouquíssimas fontes, o autor Jaime Martins costurou uma estória que pra mim ficou sendo a história . Aliás, nem se sabe direito até que ponto a história oficialmente aceita corresponde aos fatos, posto que é geralmente contada pelos vencedores. Muitas vezes essas histórias são resumos de glórias, quando se joga as partes ruins debaixo dos tapetes. Mas voltando ao livro , há alguns dias atrás tive a oportunidade de falar para estudantes na bienalzinha realizada no Centro Educacional, por iniciativa da professora e vereadora Dulcinéia. Na oportunidade, falei para os alunos que a leitura do livro fazia lembrar Harry Potter, herói infanto juvenil que faz o maior sucesso nos dias de hoje, só que um Harry Potter sem magias e bruxarias, mas com outras aptidões fantásticas. Impossível ler o livro do Jaime sem se referenciar no cinema. A maneira encontrada pra contar a história, de recorrer aos flashbacks, de criar personagens fantásticos, da citação das habilidades especiais do herói (que não eram superpoderes) , da saga da viagem marítima, dos romances e da montagem da fundição oferecem um roteiro pronto para uma novela de época, um filme e outros desdobramentos. A partir da leitura do livro, consegui preencher mais algumas lacunas do meu entendimento da cidade, do porque de estarmos aqui. Em seguida, lerei os outros livros que compõem a trilogia, que tenho certeza, me ajudarão a ser um pouco mais monlevadense.


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA

Quando ouço a Dilma afirmar, para que não pairem dúvidas, que vai lutar pela liberdade de imprensa, posto que foi ela própria vítima do autoritarismo que impõe suas verdades, ponho-me a pensar. Tá certo, Dona Dilma. Contamos com a Sra como guardiã da democracia. Porém, há sim fatores a se considerar no que diz respeito à democratização das informações . Por exemplo: até que ponto existiu democracia na distribuição dos canais de rádiofusão no país, posto que quase todos os espaços no dial foram cedidos aos políticos? Com que autoridade um presidente que administra o país para os brasileiros pode pegar um espaço que é público como o espaço radiofônico e distribuir para os "amigos políticos" ? Será que isso não merece ser revisto? Corrijam-me se eu estiver equivocado, mas é uma situação parecida com a que se sucedeu com u m ex-prefeito de Monlevade que pegou terrenos do município, ou seja: patrimônio público e saiu distribuindo para os amigos. Aí entra "parte" da imprensa local tentando transformar os infratores em vítimas, ou seja, para esses veículos não foi o prefeito anterior que agiu errado ao ceder os tais terrenos para os aliados, em detrimento dos outros setenta e tantos mil habitantes da cidade. Para essa rádio e esse jornal errados estão o Ministério Público e o governo municipal ao pleitear a devolução dos referidos bens. É distorção demais pro meu gosto.