quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O BALÃO - UM SONHO DE MENINO








Vejam que poder tem o sonho de um menino. Marcelo do Hiper quando pequeno, viu um balão sobrevoando Monlevade e ficou maravilhado. Agora, muitos anos mais tarde, ele é que está colorindo os sonhos de muitas crianças cidade à fora. Aliás, a grande capacidade que diferencia a espécie humana é essa: sonhar e realizar. Lembro-me que muitos duvidavam que o Hiper se tornasse uma realidade. Não só sobreviveu como já parte para uma expansão. Pois é, mas vamos voltar ao balão. Conversei muito com a turma que trouxe o colosso. Eles vem de São Paulo e de Campina Grande na Paraíba. Tivemos a oportunidade de conversar bastante sobre o universo deles. Em primeiro lugar, me tranquilizaram. Disseram que no Brasil havia um caso apenas de acidente com balão, mesmo assim de uma pessoa que foi imprudente e se recusou a seguir as regras. Contaram-me sobre o Festival de Balões em Torres-RS Grande do Sul, onde o céu fica colorido com mais de 100 balões no céu, disputando um campeonato de alvos e tarefas a cumprir. Contaram que os referidos campeonatos não tem premiações, que a maioria dos balonistas tem boa condição de vida e vão pela paixão . Disseram que em Minas tem um festival também na cidade de São Lourenço, contando com 25 balões em média. Voltando ao "Balão do Hiper" no dia de subir o instrutor fez um pouco de terror com o Sergio Henrique(fotógrafo), dizendo que seria um vôo com algum risco. Sergio arregalou os olhos, mas depois o instrutor começou a rir e disse que estava só zoando, que seria muito tranquilo. Serginho ficou ralhando, dizendo que não gostava dessas brincadeiras de humor negro. Só que os Paulistas adoram. Quando chegou a hora do vôo, foi um acontecimento na praça Monte Santo ( foi o nome que me disseram). A montagem do balão é um capítulo à parte. Quando vierem em uma próxima vez, será interessante que façam uma oficina pras pessoas assistirem. O balão subiu assustando um pouco, quase tocando a cruz ao sair do chão, depois assustando o Marcelo ao passar próximo aos fios de alta tensão, mas enfim prevaleceu a perícia do balonista e o balão foi subindo, passando rente às casas, assustando alguns moradores , encantado a meninada, trazendo o lúdico para a vida das pessoas, desarmando os espíritos sisudos. Obrigado ao Marcelo do Hiper, aos balonistas amigos, ao Sergio Henrique, fotógrato intrépido, como tem de ser os grandes fotógrafos.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A ZEBRA ATLETICANA

A Dilma é favorita, mas depois da zebra atleticana fazer 4x3 no favoritíssimo Cruzeiro, a gente vê que realmente não se ganha de véspera. O negócio é não descuidar na defesa e não perder pênaltis nem gols feitos como fez o Cruzeiro. Pois é, mas o futebol está sempre a nos dar lições para aplicarmos na vida. Nesta hora de decisão, temos de dar tudo pelas nossas convicções, só assim a esperança vai continuar a derrotar o medo. Muito a contragosto tenho de lembrar que a Dilma é 13, que nem o galo.

sábado, 23 de outubro de 2010

OS POETAS ESTAVAM CERTOS: A LUA É DE PRATA

As ultimas experiências científicas na lua, confirmaram o que os poetas seresteiros e artistas desconfiavam há anos: a lua é de prata. Nos últimos dias, cientistas fizeram uma experiência fantástica e descobriram que o nosso satélite tem muito mais riquezas do que supunham os primeiros cientistas. A experiência consistiu em arremessar um objeto sobre uma das crateras lunares e depois analisar as substancias que subiram à partir do impacto. A surpresa foi encontrar vários metais nobres, entre eles a prata, tão preciosa em nosso planeta. Porém, a substancia mais valiosa encontrada foi agua em abundância. Pelo que apuraram os cientistas, parece que havia 8,5 % de agua no material analisado, mais que a existente nas regiões desérticas da terra. Com processos sofisticados de captação e processamento dessa agua existente, dá pra pensarmos em colônias humanas em condições autônomas de sobrevivência num futuro não tão longinquo. Mas cá pra nós: embora a água seja a condição primordial para a vida, imagino os "Tio Patinhas" do planeta todos alvoroçados pensando em como tomar posse daquela prata toda.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O POVO JÁ SE DECIDIU !!!


Enquanto isso, num ponto de ônibus.

- Minha senhora. Já resolveu em quem votar?
- Ah...eu já resolvi há muito tempo. Votei numa mulher no primeiro turno e vou votar de novo no segundo.
- Não votou naquela candidata né?
- Uai...votei naquela magrela que foi empregada doméstica e que depois virou a maior ambientalista do Brasil.
- Ah sei...pois é. Aquela ainda passa. Mas no segundo turno, não vai votar na outra né?
- Uai? Por que você pergunta? Você vai votar no outro?
- Ah...eu tô pensando. Achei essa candidata muito esquisita.
- Besteira. O outro é que parece com um vampiro.
- Mas essa outra foi terrorista, pegou em armas.
- Mas e esse outro que fugiu da luta pela democracia enquanto essa mulher foi mais macha que ele e encarou a briga.
- Mas o partido dessa daí, foi do tal de mensalão.
- Mas foi o partido desse aí que inventou o mensalão que ainda chamava mensalão mineiro. Uma vergonha mesmo.
- Ah...mas não sei não. O Lula até que foi bom pro povo. Mas essa mulher não me passa confiança.
- Eu já penso o contrário. Se o Lula confia é porque a mulher vai continuar a obra dele. O povo tá com comida na mesa, tá sobrando emprego e é isso o que importa.
- Mas foi o governo dos amigos do outro que inventou o Plano Real.
- Pois é. Mas foi o governo do Lula que acabou com a tal de dívida com o FMI e transformou o Brasil numa potência mundial.
- Ah. Mas não sei não. Uma mulher no poder...
- Grande bobagem. As mulheres já sairam da cozinha há muito tempo. Pare com esse preconceito.
- Mas e o partido dela? Eles tão querendo a volta da censura.
- E você acredita mesmo nisso? Estão inventando um monte de histórias, assim como fizeram com o Lula, mas o povo não vai
ouvir. O que fala alto é a comida na mesa, o povo feliz, com a sensação de que o Brasil deixou de ser o país o futuro para ser o país da hora.
- É, mas você já viu que o nosso candidato cresceu, né?
- Ah...deu uma crescidinha de nada porque a elite, os empresários donos da mídia, os políticos que não tão nem aí pro povo deram uma animadinha por terem passado pro segundo turno. Mas as pesquisas já estão mostrando que teremos mesmo uma mulher cuidando do Brasil.
- Mas será que vai dar certo uma mulher?
- Ora se vai. Nós mulheres sabemos como cuidar de um lar e o Brasil é o larzão de todos os brasileiros.
- Nossa senhora. Achei que a senhora era uma pessoa simples e a senhora cheia de argumentos.
- Ah moço. O povo não tá bobo mais não. A gente sabe das coisas. Não vamos mais cair no conto do vigário.
- Não sei não. Vejam o caso de Monlevade. O povo votou nesses que tão aí e hoje ninguém tá satisfeito.
- E quem falou que o povo não tá satisfeito? Deve ser a rádio do deputado né ou do jornal deles? Eu já vejo de outro jeito. Não fico torcendo contra a cidade como esse povo faz. Se o prefeito tá lá, deve estar doido pras coisas darem certo também. Se não conseguiu é porque teve problemas. Mas ainda tenho esperança dele acertar.
- É. Já vi que não tem jeito mesmo. Eu tava até com um santinho pra te passar aqui, mas não vou nem perder meu tempo.
- É. Não perca mesmo. Eu como a grande maioria dos brasileiros já nos decidimos e a boa estrela vai continuar nos guiando...

O SHOW DO UMBIGO - MUITA GENTE BOA NUM MESMO LOCAL

A cada dia me convenço mais de que estou num polo, num lugar magnético, que atrai pessoas de alto quilate, mas que congrega o melhor e o pior da região, pois não existe bônus sem ônus. Todo dia conheço pessoas fantásticas, de almas maravilhosas, que fazem tudo valer à pena. Ontem tive a honra de mais uma vez apresentar um workshow com o Umbigo Trio. Quando cheguei ao salão do Real Clube, achei que o público seria pequeno. Mas o pessoal foi chegando e o público foi bacana. No telão, passava um video maravilhoso, reunindo guitarristas de gerações diferentes: Jimmy Page do Led Zepelin, The Edge do U2 e o guitarrista do White Strikes, Jack White. O show começou e a interação com a platéia foi muito bacana. Depois de cada música uma seção de conversas com a platéia. Em certo momento perguntei quem era guitarrista na platéia. Pelo menos uns 50 levantaram as mãos. Quando perguntei sobre baixistas, mais uns 10, como bateristas a mesma coisa. O legal nos shows umbiguenses é que nenhum é igual ao outro. Daniel Bahia e sua turma, sempre convidam bons músicos amigos para participar, como Júlio Sartori, da banda Desarme, que solta a voz. Desta vez também contou com Vitor Merlo na Guitarra e com o guitarrista do Desarme . Foi muito emocionante quando tocaram uma música do Led Zepelin e coincidentemente, entrou um video da banda no telão. Parecia que o Jimmy estava tocando com o Umbigo. Inclusive, essa é uma boa idéia para os próximos shows. Integrar definitivamente os vídeos aos shows. Pintou até um Darth Vader tocando guitarra (o Otávio Prandini, filho do Marcelo do Hiper Comercial Monlevade). A atitude irreverente do guitarrista mirim, de apenas 10 anos, tem tudo a ver com a atitude rock, de quebrar protocolos, chocar. No melhor espírito Rock and roll. Mas o mais bacana mesmo foram os comentários de pessoas na platéia, de uma mãe emocionada que ao final, além de elogiar o talento dos músicos, destacou a humildade, o comportamento humilde da banda, tocando pra caramba e compartilhando conhecimento. Olha pessoal, de forma tranquila, sem sobrassaltos, creio estar assistindo ao nascimento de um projeto realmente inovador na cidade. E pra completar, tive a oportunidade de compartilhar com o pessoal uma informação preciosa, principalmente para os músicos sem espaço. Em breve teremos um Festival de Rock bacana em Monlevade, para contemplar principalmente os músicos de Monlevade e região. As conversas estão bem adiantadas e logo tenha novidades, postarei aqui.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

UMBIGO NO REAL


UMBIGO NO REAL

Workshow com Umbigo(Daniel Bahia,André Freitas e Fábio Sartori),dia 20/10 às 19:30 horas,no Real Esporte Clube". Mais informações com Daniel Bahia.


Depois de um show de estréia de tirar o fôlego no auditório da FUNCEC, o Umbigo Trio vai mostrar a sua mistura de jazz e rock instrumental no Real. Mais uma vez no formato WorkShow, o trio desfilará suas composições instrumentais originais, com participação de Julio Sartori no vocal interpretando clássicos do Rock. O Workshow se diferencia pela proposta interativa, onde o público tem a oportunidade de dialogar com os artistas, de conhecer o equipamento utilizado pela banda numa visita ao set, enfim, um show participativo de conteúdo denso e muito aprendizado mútuo. Marcos Martino, atual presidente da Fundação Casa de Cultura, tem atuado nos shows como apresentador e mediador, introduzindo o assunto e depois monitorando a interação com o público. O formato funcionou bem e vai evoluir a cada show. Uma boa noticia é que o Umbigo em breve estará disponibilizando suas músicas na internet. Enquanto o material em audio não sai, o jeito é conferir ao vivo...e fala a verdade: ao vivo é sempre melhor. Em breve também, a banda deverá levar sua música diferente para os principais palcos da região, sempre com convidados especiais. O Umbigo conta com o apoio da Fundação Casa de Cultura de João Monlevade, pela certeza de que os bons projetos com um pouco de suporte podem alçar vôos maiores.

Quer saber um pouco mais? Acesse...

sábado, 16 de outubro de 2010

OS "CANDINHAS" DE MONLEVADE

Essa definição está na wikkipedia. "A fofoca consiste no ato de fazer afirmações não baseadas em fatos concretos, especulando em relação à vida alheia. Presente ao longo de toda a História, tal ato é freqüentemente ligado à imagem das mulheres. Embora associado a um hábito feminino, estatisticamente os homens são mais fofoqueiros". Impressionante como essa primitiva forma de comunicação é utilizada em Monlevade. Algumas pessoas vivem pela cidade sempre atentas, ouvindo as conversinhas nos pontos de proliferação e disseminando. Em poucos minutos, uma noticia, principalmente a ruim, principalmente a falsa, viaja de boca em boca e muitas vezes acaba passando por verdade. Aliás, parece que essa tendência contaminou a rede mundial de computadores. A fofoca virtual começou a ser utilizada de forma massiva. Vejam a campanha subterrânea movida contra a Dilma. Daqui a pouco vão fazer uma montagem dela pitando um baseado, tomando cachaça no bico, fumando crack e disponibilizar na rede. É a fofoca com prova produzida no photoshop. No nosso caso doméstico, a fofoca sobre a dança das cadeiras na prefeitura não foi a primeira. Vieram outras antes. Eu ja fui despedido algumas vezes, o Guilherme Assis sofreu com seguidos ataque virais, fazem bolões com os próximos a serem enxotados do governo, quer dizer, tudo no fantástico reino das fofocas. As candinhas se justificam com aquele ditado: "onde há fumaça há fogo". A Dilma sofre nacionalmente o que o Prandini sofre aqui :uma insistente campanha de difamação movida pela corja nacional. Ainda bem que o povo não é besta pra cair nessa conversa da elite. Só uma observação final: como tem gente torcendo pela nossa queda. Quanta conveniência e quanta hipocrisia, meu Deus! São Jorge que nos valha nessa hora. Que caiam as linguas podres desses vermes.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A RIQUEZA DO CONGADO DE N.S.DO ROSÁRIO






As fotos são de Sérgio Henrique

CONGADO DE N.S.DO ROSÁRIO
FESTA DOS NEGROS, QUE MATA OS BRANCOS DE INVEJA


Quando menino pequeno em Alvinópolis, uma das coisas que me deixavam mais admirado era o Congado de N.S.do Rosário. Eu ficava com os olhos faiscantes ao ver os dançantes passando com suas roupas brancas, seus chapéus com fitas coloridas e espelhos, suas danças saltitantes e seus cânticos quase mântricos (me perdoem usar o termo, já que mantra vem de outra cultura religiosa). Alguns dias antes da Festa de N.Senhora saiam dois senhores pela cidade tocando tambores, solitários, dando uma volta completa na cidade e anunciando que estava chegando a hora de homenagear N.S.do Rosário. No outro dia os dançantes invadiam as ruas com seus pandeiros que pareciam dizer " tumdum, trascá! Tundum Trascá. Eu ficava olhando aquilo tudo e morrendo de inveja, doidinho pra arranjar uma roupa daquelas e dançar saltitando junto com aqueles moços, cujos pés pareciam flutuar. Mas sentia que isso não seria possível. Parecia que só era permitido aos de cor escura. Por isso, sempre imaginei que o congado era festa de negro que matava branco de inveja. Pois eis que no último domingo, dia 11 de outubro, o Bairro Laranjeiras em João Monlevade recebeu a fé e o colorido de diversos guardas de marujo e congado de João Monlevade e região. Estiveram presentes grupos de Monlevade, Rio Piracicaba, Nova Era, Padre Pinto e de Alvinópolis. Aliás, a presença da turma de Alvinópolis foi uma surpresa pra mim . Fiquei muito emocionado quando vi o Sr Anzolinho com seu cavaquim. Ele já foi meu treinador no titular do Pinga Rato, um time tradicional da cidade. Imagino que ele já deva estar chegando à casa dos 80 anos, assim como vários congadeiros presentes , muitos com mais de 60 anos de congado. Ai a gente fica pensando: de onde esse pessoal tira a motivação, a alegria, a energia para tantos anos? A resposta é que há umas centenas de anos,eles encontram motivação no amor, na devoção à Nossa Senhora. Durante esse encontro, foi muito interessante perceber as diferenças entre os grupos presentes. A guarde de marujos com seus tradicionais uniformes de marinheiros e seus tambores de trovão, o pessoal de Nova Era com roupas supercoloridas jogando fulô dos balainhos, a turma de Padre Pinto, com seus instrumentos originais e sua tradição dos alcântaras, a turma de Alvinópolis com sua dança saltitante e seu cantar diferente. Ao final, todos com suas caracteristicas, mas tendo em comum a devoção com a Santa e a relação de proximidade com a igreja católica. Neste dia foi celebrada uma missa conga lindíssima acompanhada por milhares de tambores e pandeiros, além das vozes maravilhosas de várias gerações de dançantes.O Prefeito Gustavo Prandini prestigiou o evento, juntamente com osAssessores Cristiano Vasconcelos, Luciano Roza e este que assina a coluna. Gustavo reconhece o valor cultural e a luta dos movimentos negros que carregam há séculos a tradição do congado e da devoção à N.S.do Rosário. Prova disso é que através da Fundação Casa de Cultura, promove o tombamento da Guarda de Marujos como patrimônio imaterial e posteriormente providenciará o tombamento dos outros grupos da cidade.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

REI REI REIVÉTRIA

O time do Atlético era o melhor que eles formaram em todos os tempos e o Cruzeiro tinha um time que vinha da ressaca da libertadores de 1976, uma equipe em pleno desmanche que naqueles anos difíceis, estava virando freguês do Atlético que preparava-se para uma temporada de seguidos títulos. Mas 1977 foi um ano terrível para o alvinegro. Importante citar que neste mesmo ano, perdeu o campeonato brasileiro para o São Paulo, naquele jogo memorável no Mineirão ultralotado, em que Márcio Paulada colocou uma bola em órbita. Mas vamos voltar ao texto inicial. No ano de 1977 o campeonato mineiro parecia aquela história do Coelho e a tartaruga. O Atlético chegou à fase semifinal muito na frente, com ampla vantagem sobre o Cruzeiro. Nesta semifinal, parecia que o Atlético iria ser campeão com uma facilidade incrível, dada a superioridade técnica . Só que o Imponderável Futebol Clube entrou em campo e seu artilheiro atendia pelo nome de Revétria. O Cruzeiro havia contratado o artilheiro Uruguaio, ele que havia protagonizado uma briga memorável com Rivelino durante numa partida no Maracanã. O Atlético contava com um time sensacional, todos no auge como Reinaldo, Cerezzo, Angelo, Dorival, Marcelo e o folclórico goleiro Uruguaio Ortiz. Este goleiro, até então era considerado um goleiro show. Lembro-me de uma partida em que deu um chapéu no maior artilheiro da época, o Roberto Dinamite, do Vasco da Gama. O Atlético desta época dava olé em todo mundo, mas não contava com Revétria. Aliás, foi essa também a desgraça do Ortiz. Num mineirão lotado, o jogo acontecia em ritmo frenético e tudo levava a crer que seria mais um show do melhor time da época. Só que o Uruguaio Revétria jogou um balde de água fria nas pretensões atleticanas. Revétria fez um a zero e o galo empatou, Revétria fez dois a um e o atlético voltou a empatar. Só que Revétria fez mais um e ficou 3x2 pro Cruzeiro. O jogo forçou mais uma partida . O Atlético vencia por 1 a 0 quando Revétria voltou a marcar e levou para a prorrogação. Só que na prorrogação o Cruzeiro também tinha Nelinho e Joãozinho e conseguiu dobrar o time de meninos da Vila Olímpica. A carreira do uruguaio não deslanchou tanto depois disso, mas sem dúvidas ele ficou marcado para sempre na história do maior de Minas. Triste foi que o goleiro Ortiz perdeu toda a moral após levar tantos gols seguidos do seu compatriota. Disseram que ele havia levado dinheiro para facilitar e ele desapareceu do cenário. Depois, João Leite assumiu o gol e foi um dos personagens de outra triste história desse time, desta vez contra o São Paulo no mineirão lotado, quando perdeu o título brasileiro de forma invicta, com 10 pontos à frente do segundo colocado. Mas quem quiser ver os gols de Revétria é só acessar o seguinte blog: http://baudocruzeiro.blogspot.com/2009/04/1976-gols-de-revetria.html

terça-feira, 12 de outubro de 2010

BR 381 - SÓ DUPLICAR NÃO ADIANTA


Há dias atrás tive uma conversa rápida com um especialista que me falou uma coisa muito interessante. A BR 381 nos últimos anos recebeu uma série de melhorias, como recapeamento asfaltico de qualidade e sinalização. Só que, ao invés de diminuir o número de acidentes, o que viu-se foi um aumento significativo de ocorrências. É que os motoristas, entusiasmados com a qualidade do piso, apertaram mais o pé e as consequências tem sido desastrosas. O fato é que falta educação para trafegar pela rodovia. Falta educação por parte dos motoristas de carros pequenos e por parte dos caminhoneiros, que trafegam sem equipamento adequado e dirigindo de forma perigosa. Quem sabe se houvesse uma fiscalização realmente rigorosa por parte da Polícia Rodoviária? Esse comportamento inadequado por parte dos motoristas nos remete a outro drama. Duplicar apenas não adianta. Logicamente vai haver uma diminuição de incidências em função de se evitar as colisões frontais, mas o povo vai correr mais e muitas mortes continuarão nos assombrando. A solução definitiva seria mesmo diminuir dezenas de curvas, construir túneis, viadutos, etc. Conversando com o Marcelo, que trabalha com o Deputado Alexandre Silveira, este me contou alguns capítulos dessa história. Me disse que o Deputado vem lutando pela duplicação desde 2003 e que tudo esbarra na questão dos projetos. Em princípio conceberam um projeto que contemplava apenas a duplicação, mas o deputado levantou essa questão da duplicação apenas como solução paleativa e exigiu que o projeto fosse refeito, considerando eliminações de curvas e diminuição da extensão. O problema é que as obras sugeridas elevavam o custo da obra em mais de um bilhão de reais. Á primeira vista a cifra assusta, mas se levarmos em consideração que obras como as do Centro Administrativo sairam tão rápido, nos admira que a BR 381, que beneficia milhões de pessoas e mata tanta gente continue na fila. Penso que a Sociedade Civil Organizada precisa agir. Essa obra, mesmo que venha a se concretizar, ainda vai demorar pelo menos mais um ano. Enquanto isso, imaginem mais 55 mortes por mês, quer dizer, no mínimo 500 mortes por ano. Precisamos pensar em medidas emergenciais para tentar minimizar o problema. Essas plaquinhas como na foto acima são importantes, mas não chamam atenção o suficiente. Teria de haver uma campanha mais radical. Venho até conversando com o pessoal do SOS 381 à respeito. Quem sabe fazendo uma conferência à respeito reunindo especialistas da Polícia Rodoviária, o Deputado Alexandre Silveira, o Deputado João Vitor Xavier, que é de Caeté, uma das cidades com vítimas frequentes, o pessoal da mídia regional e estadual, agências de publicidade, pessoal da área da saúde, os prefeitos da região, todos buscando propostas emergenciais? Pessoal, sinceramente! Para esta questão precisamos mesmo agir de forma suprapartidária. Não dá pra brincar com isso. Uma vida humana vale mais que qualquer bilhão investido para resolver a situação da rodovia.

DILMA OU SERRA ? O PO(L)VO SERÁ O JUIZ

Não importa se tem ou não formação para tanto, mas o povo será o juiz. Quando vejo um video postado no Blog Drops do Célio Lima, onde aparece o Lula, num primeiro momento chamando o Bolsa Familia de Bolsa Esmola e anos depois, dizendo que o PSDB vai acabar com o Bolsa Familia, fico meio confuso. Aliás, existe uma inserção, um vt do PT que mostra um jogador de sinuca jogando várias bolas pra fora da mesa e uma delas o programa bolsa familia, insinuando que o PSDB que jogar certas bolas pra fora do jogo. Pois é. Mas não pensem que essa tendência é privilégio do Lula. Lembram-se quando FHC declarou-se ateu, mas mudou de posição rapidamente quando foi alertado de que isso iria tirar-lhe votos? Pois é. Os políticos mudam de idéia logo que percebem que deram um tiro errado. Isso tudo deveria deixar o povo confuso, mas não deixa. Se observarmos bem, todos os presidentes nos últimos anos, com todos os desatinos, deixaram algum legado importante. No governo Sarney, a constituição. No governo Collor, a abertura para a importação de automóveis e o fim das reservas para a área da informática, no governo Itamar, o inicio do Plano Real a uma intensa moralização na política, no Governo FHC a implementação definitiva do Plano Real e o lançamento de algumas programas como o Bolsa Familia, entre outros e no governo Lula, o Pagamento do FMI, o aperfeiçoamento do Bolsa Familia, a melhor distribuição de renda e a divisão do bolo. Dilma tem a desvantagem de não ter o enorme carisma do Luis Inácio. Aliás, no Brasil não tem quem tenha, mas ninguém quer mudar o que está dando certo e nisto consiste a maior força da mineira. O Serra, tem a desvantagem de ser um eterno derrotado, de discurso óbvio, de pouca capilaridade junto às classes C e D, mais identificado com a direita, com os empresários paulistas e com a elite deste país. Eu vejo o levante burguês, o entusiasmo de certa parcela da mídia, o clima de terror feito em cima de projetos que tentam distorcer e nos convencer que se trata de uma nova ditadura à moda venezuelana, mas penso que o povo vai votar com o coração e com a alma.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

REDES DE RELACIONAMENTO

A cada dia, gosto mais desta cidade. Engraçado que vez por outra me xingam de otimista. Para alguns, ser otimista é defeito. Mas não tem problema não. Ninguém vai roubar meu "eu" de mim. Não vou me aviltar, perder o que sou por causa de outrem. Mas é bom que fique claro que gosto principalmente de pessoas, dos novos amigos que vão se aproxegando. Sempre os tive em profusão por aqui, como o Adailton do Karas e Korpus, de primeira hora, como Amantino Andrade, que foi "inclusive" empresário da banda República dos Anjos, de que faço parte, como o João Carlos, Weber, Gladevon e Bernadete da Rádio Alternativa, como o Marcelo do Hiper Comercial Monlevade, o Gianetti do Comil. Recentemente, a oportunidade de trabalhar na prefeitura expandiu esse universo significativamente. É uma Pena que a política erga muros, isso quando não cava lagos cheios de jacarés em volta dos "castelos". Infelizmente, uma guerra sem tréguas está em curso e muitos que poderiam ser amigos nos alvejam com dardos envenenados. Mas é a vida. Não há mesmo bônus sem ônus. De qualquer maneira, o saldo de amigos é muito positivo. Quero falar um pouco sobre a equipe da prefeitura e suas qualidades e também citarei algumas pessoas que não trabalham, mas interagem bastante conosco l. Em primeiro lugar devo citar o prefeito Gustavo Prandini. Pelos fractais da vida, contingências que só encontro explicação em Deus, vim parar em João Monlevade por causa da intuição do Prefeito. Gustavo é um dos políticos mais carismáticos que conheço, de alma límpida e de uma inteligência muito acima da média. Em minha opinião, é um privilégio para Monlevade ter um prefeito como o Prandini, que compreende a importância da cultura, do social, do ambiental. Admiro também o seu dom para a escrita e visão poética.Boto muita fé na recuperação de seu prestígio político, abalado por seguidas crises. O pessoal só precisa ter tranquilidade para trabalhar e isso só acontecerá quando a crise financeira estiver superada. Até lá é aguentar o tranco. Devo citar também o Célio Lima, sujeito de alta cultura que foi e é muito meu amigo e com quem tenho uma conversa de mão-dupla, uma dialética de aprendizados e conclusões mútuas. Aproveito para agradecer a postagem. Devo citar também a Cláudia, antes chefe de gabinete, que também me foi muito importante nos primeiros dias na prefeitura. Devo citar também os meus colegas da Comunicação, Gláucio, com seu texto conciso, Elis com seu talento para as artes e sua calma, Regiane pela presteza, Serginho, um dos melhores fotógrafos da cidade, pau pra toda obra, Guilherme, pela sua coragem e lealdade ao governo, Andresa, que tem procurado aprender e melhorar a cada dia, Juliana, que resolve os problemas do Cerimonial de forma macia, com mínimo stress e finalmente Emerson Duarte, um profissional extremamente talentoso e de grande capacidade executiva, sempre pronto para ajudar a todos na administração com paciência e cortesia. Logicamente, dentro de um governo, acabamos tendo mais afinidade com algumas pessoas, o que não significa que outras também não sejam muito legais. Percebo que a cada dia, vou somando novos amigos e isso é muito enriquecedor. Fiquei muito próximo por exemplo, do Julio Sartori, Secretário de Fazenda. Acho importante o fato dele tocar numa banda de rock. Júlio tem muita sensibilidade e isso lhe dá um olhar diferenciado, já que tem de lidar com os números frios todos os dias. Muito amigo também fiquei do Cristiano Vasconcelos, um sujeito do qual é difícil não se afeiçoar, pela finesse, pela simpatia do advogado mais gente boa que conheço. Inclusive abro um parêntese: sem demérito para a Cláudia que estava antes, que hoje está no trabalho social, mas é emocionante ver o Cris atendendo as pessoas, dedicando o tempo que for necessário, com um olhar bondoso e sempre procurando passar confiança e calor humano para as pessoas. Outro sujeito sensacional é o Ricardo, hoje no setor de convênios, um funcionário capaz e de uma lealdade inequívoca Devo citar também a nobreza das atitudes da Laura, que esteve vários dias como secretária do meio ambiente. Subiu muito no meu conceito. O Cristiano agora acumula chefia de gabinete e meio ambiente e tem a sorte agora de trabalhar com a Mireile, uma pessoa também muito gente boa e devotada a causa ambiental. Lá perto do Cristiano, tem outras pessoas sensacionais. O Arthur, um rapaz bastante competente que somou e muito , a Jaqueline e Marcelo, da ouvidoria, também gente do melhor quilate e a sempre risonha Lucy. Ah, importante também citar 3 cruzeirenses de primeira hora: o vice-prefeito Wilson Bastieri, o Eduardo Bastos da Procuradoria e o rapaz do xerox. Continuando a lista de pessoas da melhor qualidade, devo citar o irônico Alcemar, o desportista José Carlos e a Silvania, além da nova procuradora Simone, que está cada dia melhor, com todo o respeito, né? Te, também as duas meninas secretárias, sempre muito atenciosas e simpáticas ( me perdoem, me deu um branco e não lembrei os nomes), a Karine e o pessoal da tesouraria, a Lia e o pessoal da Licitação, a Renatinha, Carmem e Gisele da Administração, o Doca, um dos caras que mais conhece de som e meu amigo a séculos, gente da melhor qualidade, o Vilnei dos Recursos Humanos, o pessoal da cozinha, o Darlan, a Juliana, o Genaro e todo o pessoal da TI, a Luzia da controladoria e Érika do planejamento, a Marta dos Serviços Gerais, a Andréa e Aline da recepção, o pessoal da contabilidade, o Baiano, garçon sempre de alto astral, o pessoal da Fundação Casa de Cultura, o Luciano, sujeito de visão pragmática e dono de um sexto sentido que dá até medo, o Gladevon, ótimo produtor executivo, a Rosália, super organizada e devotada à alta cultura, a Laura, que consegue organizar o caos da fundação, da Polliana, lutando bravamente para colocar a saúde no prumo, o Pena, também da ala cruzeirense satisfeita, o Shell, o Serginho Boladão, o JB, Mendelson da casa da cidadania, o Fabrício, Adriana e Elizeth da Educação, a Claudia, Lara, Jalva, Daniele, o sempre amigo Fenelon, a Marina, as pessoa mais calma do mundo, a Angélica, alvinopolense da rua de Cima, a vereadora Dulcinéia, pela sua luta em prol da cultura, o vereador Vanderlei, pela sua lealdade, o amigo Marcão, sujeito muito gente fina mesmo, o João Carlos e Nivaldo da ArcelorMittal, parceiros e amigos, o pessoal da ShineOn, sempre solícitos, vários amigos na imprensa e nas artes. Mais recentemente, por causa do Concurso Literário e do Saráu, tive a sorte de conhecer pessoas como Chiquinho Barcelona, uma fonte inesgotável de histórias e cultura, como o escritor Jairo Martins, um ficcionista monlevadense que nos brindou com sua trilogia fantástica, romanceada mas com lastro histórico e simbólico. Mais recentemente, conheci outra pessoa que até então era um mito pra mim: o professor Dadinho. Só pude confirmar o que se dizia do mestre, ou seja, alta cultura e conhecimento das histórias e pré-história de João Monlevade. O Concurso literário foi bacana também no sentido de que começamos a tecer uma rede social da cultura. Não sei o que vocês pensam, mas imaginem o futuro como uma lâmpada. Mas esta lâmpada está num teto muito alto. Para conseguir atarrachá-la, teremos de subir sobre uma base segura. Essa base pode e deve ser a história do que se teve de fazer, ganhar e perder pra chegar até o momento presente. Neste sentido, Monlevade tá vivendo um boom memorialista e acho isso muito bacana, principalmente se levarmos em consideração que a siderúrgica está passando por ampliações, sendo este portanto um ótimo momento para que a cidade discuta sua identidade e suas vocações. Por essa e por outras coisas, não posso ser outra coisa que não seja otimista. Existem desafios instigantes pela frente e muitas pessoas que desejam o melhor pra cidade, independente de que time torcem, no futebol e na política. Dentro em breve, escreverei um segundo texto atualizando a rede. Aproveito para anunciar que em breve entrará no ar um novo blog, com colunistas de grande credibilidade nos meios literário e artístico da cidade. Ainda estamos na fase de encontrar um nome que traduza a idéia. Já existem contatos preliminares com o escritor Jairo Martins e com o Professor Dadinho, que em princípio toparam a empreitada. Em breve, maiores novidades aqui no Cenários.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

MONLEVADE, CIDADE MUTANTE

Parafraseando a frase de um trabalho feito pelos formandos no curso de Gestão Cultural, promovido pela ArcelorMittal, juntamente com a Prefeitura, chego à conclusão de que Monlevade tem cultura, mas muita cultura mesmo. E não é em um segmento apenas. Nas artes plásticas, sou surpreendido todos os dias com amostras de artistas sensacionais, pouco conhecidos na terra, mas que nos enchem os olhos. Há pouco tempo, a Elis da ACOM me apresentou o trabalho de um sujeito que me deixou perplexo. Dêem uma olhada no site http://www.irrthum.com/. Trata-se de um Monlevadense premiadíssimo, de que eu nunca havia ouvido falar. O Dimdão, dono do Jornal Bom Dia, me mostrou também há pouco tempo o trabalho de um webdesigner Monlevadense, reconhecido nacional e mundialmente. Conversando com a Rosália, da Fundação Casa de Cultura, ela me falou de pelo menos mais 4 nomes de artistas de alto nível. Na área da música, puxa vida! Temos representantes em diversos segmentos também. Desde o Sertanejo, que predomina em termos nacionais, ao pessoal do Funk, Rap e HipHop, a turma do samba e da mpb, as bandas de Poprock que andam meio sem espaço, mas que terão em breve um projeto bacana para dar vazão aos hormônios em ebolição, as bandas de baile, que são excelentes, as bandas de musicas, de tantas alvoradas e retretas . Mais recentemente, tivemos também o nascimento de uma banda de jazz fusion, o Umbigo Trio e temos também a orquestra da Funcec, os corais Alcântara, da Arcelor e da Rita de Abreu. Na área do teatro falta organizar um pouco mais, cadastrar os grupos existentes, assim como nas áreas da dança, que é forte através das diversas academias existentes e na literatura temos vários escritores e escrevinhadores de alto nível. Através do Concurso Literário Valores da Nossa Gente, a prefeitura, através da Fundação Casa de Cultura, procura fazer a sua parte, no sentido de estimular a produção e revelar novos talentos. O Prefeito Gustavo Prandini, pela afinidade com a escrita, vem sendo um parceiro e incentivador da cultura e podem ter certeza que outros concursos e festivais virão. Somos uma cidade mutante, que polariza a cultura da região, aliás, que já extrapola os limites geográficos regionais, uma cultura sempre em formação, sempre recebendo dados novos, como por exemplo através da atual duplicação, que traz pessoas de outras regiões do estado, com seus hábitos culinários, seus sotaques, pra somar no nosso grande caldeirão. Disso sobrevém os choques culturais e muita arte. Sendo assim, ratifico o que disse no inicio do texto: Monlevade tem cultura. Resta-nos reconhecê-la como valor e criar condições para que sobressaia. Quem está nessa?

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

TUDO COMO ANTES NO QUARTEL DE ABRANTES

Analisando superficialmente, sinto que o quadro continua inalterado na política Monlevade no que diz respeito ao último pleito. Em primeiro lugar pelo fato da cidade ter dado votação maçiça ao Deputado Mauri Torres. O argumento principal é : - Pelo menos ele é daqui, né? Mauri fez menos do que poderia, muito em função de afinidades com o grupo derrotado na política municipal. Sinto falta de um posicionamento mais contundente com relação à BR 381, que afinal ele mesmo utiliza bastante, uma vez que não é desses que só viajam de helicóptero. Mas como ele é fiel à dupla Anastasia/Aécio, também não quis ficar martelando em cima de um tema em que o Anastasia transfere a responsabilidade para o Governo Federal. Seria bom também que houvesse mais sintonia com alguns projetos de interesse da cidade, como a instalação do corpo de bombeiros e a vinda de verbas importantes para o município. Ele só canaliza verbas para projetos cujo destinatário seja controlado por seu grupo político. Como cidadão, acho isso lamentável, o fim do mundo. Mas infelizmente essa é a prática da política. Quando ao Rodrigo de Castro, foi estratégia do grupo tucano concentrar os votos em um federal apenas. E funcionou. Rodrigo foi muito bem votado na cidade. Já o grupo do Prefeito Gustavo Prandini teve votos bastante pulverizados, divididos entre candidatos apoiados pelos partidos aliados. O candidato Alexandre Silveira foi bem. Embora a meta fosse maior, os 3.100 votos na cidade foi uma marca razoável. O pessoal do PT já votou em peso no candidato Leonardo Monteiro, outro parceiro do Prandini e também no Padre João. Já o PMDB já foi de Newton Cardoso e Leonardo Quintão. Ao final, se somarmos os votos do Alexandre Silveira, do PV/ e PT e do PMDB, que são do grupo de sustentação do governo, praticamente dá empate. Agora, com relação aos candidatos a Deputado Estadual, aí sim houve uma diferença brutal. O Deputado Mauri Torres teve uma votação realmente expressiva. Já o candidato apoiado pelo prefeito teve poucos votos em João Monlevade . Na realidade, o grupo de sustentação do governo teve muita independência na escolha do estadual, prova disso é que o PT apoiou seus próprios candidatos, o mesmo acontecendo com o PMDB. Mas uma coisa é certa: o PV precisa repensar seu tamanho, sua estrutura e sua capacidade de articulação. De qualquer maneira, no geral, as coisas não mudaram muito. Já contávamos com excelentes representações em níveis estadual, nacional e federal. Continuaremos tendo acesso aos gabinetes que já tínhamos e não vejo nenhuma novidade consistente no cenário. Alguém vê? Ah...se a Dilma vence e chama o Pimentel para o governo, ai sim teremos um parceiro e mais um gabinete disponível para as coisas de Monlevade e região.

sábado, 2 de outubro de 2010

CRUZEIRO PARA NO FURACÃO

Para o objetivo do título, um resultado muito ruim. Porém, fica dificil jogar contra um time que vem com claros propósitos defensivos e cujo goleiro processa milagres seguidos. O Neto mostrou que não foi atoa que foi chamado para a seleção. No Cruzeiro, houve algumas péssimas atuações individuais. Talvez tenha sido a pior exibição do Montillo. Errou passes pra caramba. O lateral direito Rõmulo também não esteve bem. Thiago Ribeiro conseguia driblar e lançar, mas não achava o Farias na área. Esse, em minha opinião, tava jogando até bem, sempre esperto na área. Mas cansou no segundo tempo e pediu substituição. O lateralzinho esquerdo Pablo, em minha opinião, é pior e menos agudo que o Diego Renan. Já com relação aos beques, incrível o pulmão do Caçapa. O Leo também é bom e tem o Leonardo zagueirão pra voltar. Ed Carlos e Gil também não são ruins. Adilson merece um prêmio, pois levou Thiago Heleno pro Coríntians. No meio temos o Henrique que é bom, o Paraná também, assim como o Fabrício, o Fabinho e até o Pedro quem? No ataque, gosto do Farias, do Welington Paulista, do Thiago Ribeiro e não sou fá do Robert. Gosto do Roger também e nem tanto do Emerson. Pois é. O resultado de hoje não foi bom, mas ruína mesmo seria a derrota. Teremos jogos difíceis pela frente. Já nas próximas rodadas o Goiás fora e o Fluminense em casa. Serão partidas realmente decisivas. Nestas duas partidas, penso que o Cruzeiro decide o que quer pro ano. Se vencer, ai sim estará de verdade na luta pelo título. Provas de fogo para o maior de Minas. Utilizei essa foto anteriormente e alguém me enviou email corrigindo. Quem corrigiu tinha razão e agradeço. Trata-se de um tornado, não de um furacão.

E só pra descontrair, alguns "furacãos" para vocês ...




sexta-feira, 1 de outubro de 2010

FALÔ NA RÁDIO !!!

Enquanto isso num ponto de ônibus da cidade...

- Que absurdo. Como é que o PA pode funcionar sem ar condicionado?
- Peraí, minha amiga. A senhora está enganada. Eu sou enfermeira lá e não tem isso não.
- Tem sim! Falô na Rádio!
- Mas quando a senhora ouviu isso?
- Ah...tem uns dias já...
- Mas então fique sabendo que esse problema aconteceu por um dia apenas, mas já está tudo funcionando certim.
- Mas e as filas no PA? E o povo que está morrendo nas filas?
- Mas minha senhora...não tem isso não...só nas segundas feiras é que costuma ter filas e mesmo assim não são todas as segundas.
- Tem fila sim...e todo dia! Falô na rádio!
- Puxa vida! Mas a senhora hein? Acredita em tudo que fala nessa rádio.
- Acredito porque o Padre Marcelo Rossi trabalha lá.
- Mas peraí...não vai me dizer que a senhora acredita mesmo que o Padre Marcelo Rossi trabalha lá.
- É claro. Ele fala lá todas as manhãs. Qualquer dia eu vou lá conhecer ele.
- Minha senhora! Ele grava em São Paulo e manda pra rádio através da internet.
- É mesmo? Essa moça, essa tal de internet trabalha no correio? Tô vendo muito gente mandando coisas através dessa tal de internet mês...
- Ah não! Eu não acredito que a senhora não conhece a internet.
- Olha...eu conheço a Bernadeth, a Ivete, a Ivonete, o canivete, mas nunca me apresentaram essa internet não.
- Meu Deus do céu. Eu não acredito. Mas a sra sabe ler e escrever pelo menos? Lê algum jornal?
- Mas pra que? Lá na rádio eles lêem as noticias tudo pra gente e nós fiquemo bem informados.
- Bem informados nada! O povo fica é alienado.
- O que que você falou? Tá me xingando?
- Não minha senhora...só acho que vocês acreditam numa rádio que só fala mentira.
- Peraí...mas você está chamando o Padre Marcelo Rossi de Mentiroso?
- Longe disso. Vou corrigir então. Nem tudo é mentiroso. Só 98%.
- Ah tá. Agora deixa eu prestar atenção para pegar meu ônibus. Já vou lá no hospital Santa Madalena.
- Santa Madalena? Mas não existe hospital Santa Madalena. A senhora não sabe que que lá agora é PA?
- Isso pra vocês, né? Pra mim continua sendo Santa Madalena.
- Já sei...falô na rádio...aff