quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

TUDO SOBRE A II MOSTRA CULTURAL DA FUNDAÇÃO CASA DE CULTURA

A Segunda mostra da Fundação Casa de Cultura serviu para confirmar a pujança artístico-cultural da cidade. Houve espetáculos musicais, de dança e exposição dos alunos das artes plásticas.

Na exposição de artes plásticas, os alunos nos brindaram com seus olhares sobre o cotidiano, suas paisagens, cada um no seu estilo e faixa etária.

Foi muito bacana vermos como alguns começam cedo, como o garoto Vitor Jesus Mendes,de apenas 9 anos, que disse ter sido importante aprender a misturar as cores.

---------------------------------------------------------------

Foi muito concorrida também a exposição dos trabalhos de pintura em tecido e de artesanato feito com materiais reciclados.

Jaqueline Messias é uma das alunas de pintura em tecido. Ela pinta desde os 12 anos de idade e disse que os cursos da fundação a ajudaram a aperfeiçoar várias técnicas e lhe proporciaram melhorar a renda, ajudando nas despesas .

Rosângela Alves é uma artista que teve seu artesanato na mostra. Ela disse que começou com pintura em tecido e tela, mas que agora trabalha com artesanato feito com material reciclável.

Neiva Souza é professora de Artes plásticas na Fundação. Ela disse que os alunos são bem aplicados, interessados e isso facilita o aprendizado. Ela disse também que além da arte, o curso tem uma perspectiva de sustentabilidade, de geração de renda, sempre utilizando material reciclável.

----------------------------------------------------------------------------------

No telão, era exibido um videoclip de ações empreendidas pela Fundação Casa de Cultura. Quando chegou a hora do evento, o jornalista, locutor e mestre de cerimônias Gláucio Santos pegou o microfone e começou a apresentação. Ali Glaucio é soberano. Convidou Luciano, Diretor da Fundação Casa da Cultura e o Marcos Martino, presidente, para suas falas. Luciano falou sobre a trajetória nos dois anos e Martino agradeceu aos parceiros, não só da Mostra, mas pelas parcerias em todas as ações da Fundação Casa de Cultura nos últimos dois anos. Quando chegou a hora do show, o público já era excelente. Aí começou um desfile de bons números artísticos no palco. Apresentações de teclado solo, teclados em dupla, dança de salão, jazz e várias formações de bandas no palco tocando canções variadas. Os alunos da escola estiveram muito bem.

Houve apresentações solo e com bandas formadas por alunos, professores e alguns músicos que estudaram na fundação, como a excelente cantora Cylla Cordelli. Cylla disse que os cursos oferecidos ajudam e muito o artista. Os professores são excelentes e o clima é o melhor possível. Ali a gente aprende a vencer o medo do palco e adquire experiência junto a músicos experientes. Tem também os contatos, as amizades que a gente faz. Vale muito à pena.Também Integraram a banda o cantor Warlison, o professor de bateria Paulinho, como o professor de teclado Thales Martino e o professor de artes plásticas Mateus Xavier, que também foi ao palco e mostrou seu talento tocando gaita.

O professor Pedro Alcântara e os alunos de técnicas vocais apresentaram músicas natalinas. Nota 10 pra apresentação. A qualidade musical foi de excelente nível e o clima, muito positivo.

O gran finale foi com todos os artistas e pessoas que participaram do espetáculo, no palco, cantando a música Maria, Maria - de Milton Nascimento e Fernando Brant. A regência foi do irreverente maestro Pedro. Estão de parabéns Luciano, Rosália, Gladevon, Laura, Marcos Martino e toda a equipe da Fundação Casa de Cultura, turma da comunicação da Prefeitura, o prefeito Gustavo Prandini , professores, colaboradores e alunos. Fica a certeza de que Monlevade tem muito o que mostrar e a Fundação Casa de Cultura estará cada vez mais trabalhando para a formação dos artistas e para o enriquecimento da nossa cena cultural.

Seguem mais algumas imagens da mostra

Nossos agradecimentos aos patrocinadores :


domingo, 19 de dezembro de 2010

MONLEVADENSE NA SELEÇÃO SUB-20

Para quem não sabe, o Monlevadense Eder Bastos ( segundo na foto), integra a equipe do treinador Ney Franco, que assumiu a Seleção Sub-20 do Brasil. Éder é irmão de Eduardo Bastos, que é trabalha na procuradoria da Prefeitura. Matéria à respeito da equipe de Ney Franco saiu no site do Globo esporte. http://globoesporte.globo.com/futebol/selecao-brasileira/noticia/2010/12/ney-franco-debuta-na-granja-comary-com-sub-20-e-uma-bela-conquista.html . Em breve, mais informações e quem sabe uma entrevista com o Éder.


sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

RETRATAÇÃO

Retiro minhas palavras com referência ao PT e peço desculpas pelo constrangimento causado aos militantes, muitos dos quais colegas de trabalho.

Quem me conhece, sabe o quanto defendo a unidade dos partidos de esquerda em nossa cidade e o quanto admiro a história do Partido dos Trabalhadores.

Fui infeliz e equivocado neste caso e reconheço o erro.

Cordialmente

Marcos José Martino Abreu Lima

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A PEDRA e a VIDRAÇA

Era uma vez uma pedra. Ela vivia em seu cantinho escondida no fundo de um lago no meio da areia. Ia levando a sua vida tranquila de pedra num local onde ninguém a incomodava. Mas eis que um dia, numa época de grande seca, a nossa pedra foi desnuda, lavada e foi parar num caminhão, sendo transportada até um depósito na cidade. A pedra foi parar num amontoado de outras pedras do mesmo tamanho, armazenada num canto próximo ao portão. Só que alguns dias depois, eis que passou uma meninada fazendo bagunça e resolveram pegar umas pedras pra tacar em qualquer coisa que se movesse, fossem passarinhos, largatixas ou...vidraças. Eles adoravam quebrar vidraças e sair correndo. Foi ai que a nossa pedra foi utilizada pela primeira vez para espatifar uma janela. Um dos meninos, que tinha mira mais eficiente pegou a pedra, arrumou ela bem direitinho na atiradeira e...craft...janela arrebentada no meio. Na hora, foi uma correria dentro do prédio alvejado. Apareceu uma mulher muito brava gritando nomes impublicáveis. Ela chegou, olhou a janela quebrada, balançou a cabeça e viu a pedra no chão. Pegou a nossa pobre pedra e a arremessou longe. Mas o menino, feliz com a pontaria, correu atrás da nossa pedra e resolveu que ela seria a partir de agora a sua pedra da sorte. Os dois fizeram muitos estragos, quebrando um total de 258 vidraças. Foi quando aconteceu o pior. Num certo dia, na 269ª janela, o menino deu azar de atingir a casa de um policial. A coisa complicou.O menino foi pego, levou várias surras do pai e parou com o mal costume. E para ficar livre das maldades, pegou a sua pedra de estimação, culpou-a por todas as vidraças quebradas e a atirou longe. Por coincidência, nossa pedra foi cair dentro de um triturador destes que transforma pedras em areia. Assim, nossa pedra foi estilhaçada e transformada em milhares de micro-pedrinhas. Só não imaginava o que estava por vir. Um tempo depois, nossas pedrinhas foram misturadas a outros elementos para a fabricação de vidro. Agora, já não era mais pedra, mas vidraça. Transformou-se numa linda janela, toda polida e reluzente. Até que um dia aconteceu algo que a fez lembrar-se do passado. De repente veio um bólido em sua direção e...craft...espatifou-a em mil pedaços. Assim é a vida. Ser pedra é ter potência e força, mas pouco valor e muita vulgaridade. Já ser vidraça é ter beleza, transparência e fragilidade. Ainda que fosse blindada, mas não era. Somos frágeis e não estamos imunes às pedras. Melhor que as usemos para construir alguma coisa.

II Mostra Cultural da Fundação Casa de Cultura


Na próxima terça-feira, 21, a partir das 19 horas no Sindicato dos Metalúrgicos, a Fundação Casa de Cultura estará realizando pelo segundo ano consecutivo a sua mostra cultural.

A Fundação oferece ao longo do ano, cursos gratuitos de diversas áreas culturais como música, canto, dança e pintura, destinados à comunidade em geral.

Na mostra, os alunos dos cursos de violão, piano, teclado, bateria, dança e canto tem a oportunidade de ouro de mostrarem um pouco do que aprenderam nos últimos anos para o público monlevadense.

Além dos shows musicais, haverá exposição de trabalhos dos alunos dos cursos de pintura em tela e pintura em tecido.

O objetivo do evento é divulgar a produção artística dos alunos e professores, bem como proporcionar-lhes um primeiro contato com o público, além de dar visibilidade às atividades e aos cursos oferecidos pela Fundação Casa de Cultura.

A realização é da Prefeitura de João Monlevade através da Fundação Casa de Cultura. Apoios: Imobiliária Sollar, Karas e Korpus, Ludor Soluções Tecnológicas, ArcelorMittal, Hiper Comercial Monlevade, Sindicato dos Metalúrgicos e Marechal Cred.

MSC - A PROCURA DE ADEPTOS


Por enquanto somos eu e o José Henriques. Será que existem outros?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

MSC - MOVIMENTO DOS SEM CARRO

Hoje encontrei mais um pra engrossar o time do Movimento dos Sem Carro. Eu havia escrito que só citaria o nome se ele permitisse depois. E ele permitiu. Trata-se do José Henriques, que eu conhecia apenas como Manthis. Encontrei mais um que, como eu, também não tirou carteira de motorista e não tem carro. Sei lá porque. Cada um tem suas razões. Talvez por que na época em que o pessoal da minha idade estava doido para ter uma "caranga", eu tava doido para ter um violão, pra gastar com cds e com livros. Além do mais, o dinheiro não era muito. O resultado disso é que não tirei carteira e vim empurrando até hoje. Sei que um carro facilita e muito a vida da gente. Por outro lado, traz muitos problemas. Além do valor despendido na compra, tem uma série de impostos, manutenção, desvalorização. Por não ter carro, acabo fazendo exercícios mesmo numa fase um pouco mais sedentária. Por isso, não ganho tanto peso. Também colaboro com economia de espaço na cidade, com o oxigênio do planeta. Sei que sou uma excessão. Mas existem outras excessões por aí, como o amigo que encontrei hoje. Ele se confessa um nerd. Talvez eu seja um merd. E como membro dessa nova agremiação política da cidade,o MSC, já sugiro que as ruas do centro sejam fechadas, ficando a área apenas para pedestres. E vamos subindo à montanha...a pé, é claro!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

TENHAM PACIÊNCIA !

Parece que algumas pessoas advogam que o governo tem de apanhar quietinho, levar pancada o dia inteiro, seja na rádio, seja no jornal, seja na internet. Não pode de jeito nenhum argumentar, reclamar, revidar. Se a imprensa bate, distorce, semeia discórdia, está praticando sua santa missão de levar a verdade ( a sua verdade e dos seus amigos) para o público. Se o governo de alguma forma reage, está fazendo guerrilha, perseguição. Ora, tenham santa paciência. Se querem tomar partido, que desçam do muro de uma vez. Se querem dar lição de moral, tentem ser neutros de verdade. Ficar em cima do muro atirando pedras só de um lado é uma das maiores covardias que se pode fazer.


GUERRA TOTAL CONTRA A DENGUE


Pessoal, a Assessoria de Comunicação do Ministério da Saúde nos contactou pedindo que todos ajudássemos na campanha nacional contra a Dengue, que está chegando para arrebentar. Quero convocar a todos para essa guerra. Por favor, desconsiderem as diferenças, pois o negócio é sério. Já inseri uma mensagem no meu blog. O link para pegar as mensagens em nossos blogs é:

http://www.combatadengue.com.br/!2010/faca-parte-dessa-luta/

AGENDA DE CONVERGÊNCIAS

Podemos discordar num monte de coisas. Mas existem algumas questões em que tanto A, B, C, ou Z concordam. Será que não existe espaço para uma agenda de convergências? Por exemplo: creio que a maioria concorda que a questão da BR 381 é um assunto que interessa a todos nós. Será que não podemos nos sentar civilizadamente para conversar sobre o assunto? Ninguém ainda me respondeu a pergunta: por que não se prioriza a BR 381? Ontem conversando com amigos numa mesa de bar, disseram que não se duplica por não haver interesse político. Mas esse interesse político não depende de pressão contínua daqueles que elegem os nossos homens públicos ? Eu até já falei sobre a possibilidade de João Monlevade realizar uma conferência à respeito, chamando as autoridades para explicar quais as grandes dificuldades e em que pé anda o projeto de duplicação. Se ficarmos quietinhos, vão continuar empurrando com a barriga e nada acontecerá. Outra coisa que todos concordam que é prioritário: o enfrentamento da Dengue. As noticias sobre a proliferação do mosquito são alarmantes. No ano passado tivemos a maior incidência nacional em todos os tempos. Para este ano, as perspectivas são de que esses números dobrem. Nesse sentido, não há o que se reclamar da imprensa que tem feito a sua parte. A grande dificuldade tem sido mesmo conscientizar as pessoas sobre o papel fundamental que cada indivíduo tem nessa guerra. Se todos não tomarem conta do seu pedaço virando verdadeiro soldados na luta contra o mosquito, tudo vai se tornar muito mais difícil. E vou dizer uma coisa pra vocês : não queiram contrair Dengue. É um rosário de dores e sensações desagradáveis ( leiam post anterior à respeito). Mas existem outras questões que são consensuais e que poderíamos discutir despindo as cores partidárias e ideológicas. Por enquanto listei apenas essas duas questões, mas garanto que cada um terá sugestões de pauta que também serão consensuais.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

DENGUE -UMA CÂMARA DE TORTURA...QUE MATA !

Pessoal, eu não quero ter dengue de novo não. É uma doença muito ruim. Já tive e foi como uma câmara de tortura.Primeiro me bateu uma forte dor de cabeça e a sensação de estar perdendo as forças, depois dores nos olhos, dores por todo o corpo, febre, cansaço, falta de ar e prostração.Cai de cama e fiquei com a aparência dos zumbis do clip da música Triller, do Michael Jackson. Depois, vieram sintomas muito estranhos mesmo. Bateu uma coceira na palma da mão que foi uma coisa de louco. Ao mesmo tempo, a pele da palma da mão parece que ficou mais fina e a palma da mão costumava esfriar repentinamente.Durante esse tempo na câmara de torturas, quase não me alimentei. Nesse sentido nem reclamo, pois tava precisando perder um peso. Mas garanto que o spa não é nada aprazivel.
Bom, se eu ficar aqui escrevendo, vou encontrar mais algumas dores e sensações esquisitas. Cada um que teve sentiu um repertório diferente de males. Mas morro de medo de pegar a nova versão da doença, que deve ter novas torturas mais terríveis ainda. Por isso, vamos entrar pra valer nessa campanha.
O Comité Popular de Combate à Dengue vai divulgar em breve uma série de ações planejadas. Faça você a sua parte. Fiscalize. Cuide do seu espaço. Vamos matar os mosquitos antes que eles nos matem.

domingo, 12 de dezembro de 2010

DECADENCE AVEC ELEGANCE

O Roqueiro Lobão, meio esquecido nos últimos tempos, escreveu canções muito boas e entre elas o funk DECADENCE AVEC ELEGANTE. Pois é. Impossível deter a irrefreável ação do tempo sobre nossos corpos mortais. Imagino ser mais cruel ainda para os que são bem dotados de beleza nesse planeta. Os muito belos, principalmente as mulheres, sofrem muito mais por perder exatamente os atributos que os diferenciam no mundo. Quem souber aproveitar essa beleza pra fazer o pé de meia, terá gordura para queimar ( literalmente). O irônico é que na maioria das vezes quem ostenta tanta beleza acaba não recheando o cérebro com bons conteúdos e quando a decadência vem, sofre e corre atrás de recuperar o tempo perdido. Como falou o grande compositor e poeta Renato Russo, não há tempo perdido. O problema é quando já não somos tão jovens. Aí, já começamos a querer falar mais com Deus querendo reservar um lugarzinho melhor no céu. Alguns diminuem o açucar, o alcool, o cigarro, as noitadas, a vida. Outros não estão nem aí e cultivam uma barrigaça de barril. Puxa, como gostaria de ser assim. Não me perdôo quando olho no espelho e vejo a bóia que se formou em torno da minha outrora barriga bem desenhada. Prometo-me ela enézima vez que vou dar um jeito de malhar, de correr, de praticar esportes. Mas a minha agenda está lotada de compromissos, pressões e responsabilidades. Certa vez aconselhei uma política que reclamava do tempo que se mudasse pra Júpiter, pois lá o dia tem 51 horas. Bem que seria uma ótima. O certo é que o que não se usa, atrofia. Vou arranjar um jeito, seja como for, de voltar a fazer alguma atividade física que me ajude a viver a minha decadência com elegância. Só de não perder o bom humor, já ganho alguns pontos. Os cabelos, não recuperarei mesmo. Só mesmo a boina pra dar um charme intelectual. Quanto aos dentes, nada que implantes não resolvam. Já que não dá mesmo para evitar que a velha senhora de negro venha me buscar, que me encontre em forma ( em forma de barril é que não será).

sábado, 11 de dezembro de 2010

SUPERAÇÃO E PAZ

Na postagem anterior aventei a possibilidade de ser contrariado por provas. Fui mesmo emocional, escrevi no calor, no impacto da noticia. Mas pra mim, a situação é mais ou menos como o penalti no Ronaldo naquele jogo contra o Cruzeiro. Há quem tenha certeza do penalti e outros acham que não foi, assim como os do Thiago Ribeiro. Há quem bote culpa em possíveis gambiarras. Há quem aposte em radicalismo político. O certo é que a polêmica não vai mudar os fatos. A imagem da árvore incendiada foi chocante, mas houve um esforço fantástico do pessoal e uma nova árvore foi providenciada rapidamente. Precisamos mesmo nos atentar para alguns vandalismos que vem acontecendo na cidade. A placa de entrada da Prefeitura foi avariada e terá de ser reformada. Tentaram arrancar letras da placa que fica atrás do prédio da administração e vários vidros do prédio foram quebrados por pedradas. Antes que nos acusem de querer politizar tudo, deixo claro que não estou levantando suspeitas, mas alertando quanto ao aumento da delinquência, da inconsequência juvenil, do vandalismo. Tem uma galera muito estranha andando na cidade. Só para exemplificar vou contar um caso que aconteceu comigo. Outro dia, vinha retornando da prefeitura quando percebi que havia um rapaz alto e magro, com boné e camisa da seleção brasileira próximo ao interfone. Foi então que percebi que ele estava urinando próximo ao portão do prédio onde moramos, deixando uma poça de urina no chão. E isso tudo mais ou menos ao meio dia, com várias senhoras passando e uma escola infantil em frente. Fui me aproximando e me dirigi ao sujeito - Cara, você está ficando louco? O sujeito me olhou e falou:- ah rapaz...vai pra pqp...a rua é pública". Ele veio andando em minha direção. Olhei para trás pra ver se havia um policial por perto. Nisso ele atravessou a rua e gritou: "Tá procurando polícia? Eu não tenho medo deles não. Vai te f*". Infelizmente não encontrei policial e o sujeito continuou andando pela rua com seu passo malandro. Situações como essa devem ser um desafio constante para o meu amigo Coronel Edivânio. Os policiais tem atuado bastante no centro e devem ter notado que o nível de delinquência anda alto. A questão social e principalmente a ploriferação do crack tem feito muitos estragos. Que eles tenham apoio da população para realizar seu trabalho. Mas pra finalizar, não poderia deixar de tirar uma lição muito importante do episódio da árvore: a lição da superação. Que este governo possa tirar proveito do episódio, não se deixar paralisar pelas intérperies e fazer sempre melhor. Quanto à convivência democrática, será muito bom que consigamos estabelecer uma agenda de convergências, de coisas que são cruciais e com as quais todos concordemos. Por exemplo: a duplicação da BR 381. Seria muito importante se todos, inclusive o Deputado Mauri Torres entrassem nessa luta. Vem uma campanha contra a Dengue aí. É lógico que todos vamos abraçar a causa. Só que a BR 381 mata mais que a Dengue com certeza. São muitos assuntos convergentes e precisamos ter sabedoria pra equilibrar divergências e consensos. Que tal arrefecermos os ânimos e tentarmos viver em paz com as nossas diferenças?

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

NÃO RESPEITAM MAIS NEM O NATAL

Imagino que todos os cidadãos de bem devem ter ficado entristecidos quando viram a árvore de natal em chamas na Praça 7. A cena foi uma espécie de profanação do espírito natalino. Ainda não tenho maiores informações, mas acho difícil que uma árvore feita de material reciclável plástico tenha se incendiado sem que houvesse uma ação deliberada. Custo a acreditar que alguém seja capaz de tamanho radicalismo político à ponto de uma sabotagem tão torpe. Mas considerando o sucesso do Natal da Gente no ano passado, não descarto nada. O radicalismo político cria um exército de monstros abjetos, capazes das maiores crueldades para fazer valer seus interesses. A essa altura, fazem piadinhas, dão risadas dizendo que o natal está pegando fogo. Neste momento devem estar num churrasco comemorando o incêndio de um dos símbolos do natal. Podem estar conspirando para saber o que atacarão a seguir. Que tal assassinar papai noel? Ele já veste vermelho mesmo. Ninguém vai nem notar o sangue. Que tal fazer um churrasco de rena? Que tal quebrar as bolas com pedradas? Que tal crucificar o aniversariante de novo? Se amanhã os laudos concluírem ter sido um acidente, se estiver equivocado, serei eu a ser crucificado. Faz parte.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

MONLEVADE TEM MUITAS PESSOAS DO BEM

Existem pessoas em Monlevade que estão muito acima das pequenezas políticas que tem dominado as discussões cotidianas. Infelizmente esse joguinho de gato e rato, de oposição e situação gera uma inércia tremenda que atrasa o andamento de quase tudo na cidade. Bom, mas como não tem jeito mesmo de mudar essa lógica perversa, vou falar de algumas pessoas que estão acima dessas questões e que realizam um trabalho maravilhoso, sendo pouco influenciadas pelo jogo político. Uma delas é a bibliotecária da Escola Papini, a Bel. Ela faz um trabalho magnífico de incentivo à literatura, mobilizando toda a comunidade, todo o círculo de relações da escola em eventos cheios de poesia e encantamento. Fiquei muito feliz com o fato da minha filha ter tido a oportunidade de estudar nessa escola. Na Papini, a cultura tem valor e isso vale para todas as professoras e diretoria, inclusive ao conhecer algumas ex-diretoras entendi o porque de tanta atividade. São gerações levando adiante o ideal de difundir bem mais que os conhecimentos corriqueiros, de incluir bons conteúdos e promover a criatividade e o senso crítico dos alunos. Outra pessoa que muita me encanta é a Rita de Abreu, autora do Hino Oficial da Cidade. Conheci a Rita há algum tempo atrás, gostei muito do jeito zen que ela tem, conheci o charmozíssimo bar Santuário que ela junto com seu marido decorou e estruturou, mas só recentemente fui conhecer o Coral ArteSom que ela rege no Cônego. No recente Encontro de Corais no Centro Educacional o coralzinho de adolescentes deu um show e se destacou entre corais mais experientes, sendo ovacionado pelos presentes. Na oportunidade, a Rita já me deu um noção geral de como era o trabalho no Cônego. O coral representa não apenas uma recreação artística oferecida aos alunos, mas a oportunidade dos jovens se dedicarem à uma atividade edificante, alternativa ao que é oferecido nas ruas pela marginália que infelizmente não para de crescer. Ontem (07) fui ver o concerto de Natal promovido pelo Coral Artesom e mais uma vez fiquei bem impressionado. Além do Coral da Rita, que eu já conhecia, estreiou o recém formadoCoral ArcoIris, contando com alunos bem mais novos. No total, eram 23 crianças cantando e encantando os presentes. O evento teve ainda a presença do Coral do CESP e foi acompanhado por dois excelentes violonistas, um deles professor no Cônego que sempre acompanha o coral (não me disseram o nome do professor) e também o famoso Lauzinho, que não tive a honra de conhecer pessoalmente . Mas voltando à Rita, que coisa aquela mulher. Ela deixa um rastro de beleza e bondade por onde passa. Parafraseando Pessoa, tudo vale à pena quando a alma não é pequena. E como diz o amigo J. Henriques, " e vamos subindo a montanha".

domingo, 5 de dezembro de 2010

PARABÉNS AO FLUMINENSE...E AO CRUZEIRO TAMBÉM !!!

Não foi um mal ano. O Fluminense mereceu. Embora que em nenhum momento apresentou um futebol de encantar, mas a velha eficiência do Muricy falou mais alto. Pelo menos o Corínthians não levou mesmo com a ajuda dos juizes. O Muricy merece por fazer certos jogadores renderem, como foi o caso do lateral Carlinhos, que não jogou nada no Cruzeiro, mas que no Flu tem uma garra incrível, assim como o lateral direito Mariano. O Flu também tem o Conca e tem o Coração de Leão, que embora estivesse tanto tempo sem marcar foi decisivo e participou dando aquela cabeçada de raspão, sobrando a bola para o Emerson conferir. O Cruzeiro ficou com o segundo lugar e vamos e venhamos: não foi apenas por causa daquele jogo do Coríntians. Perdemos para o Vitória em Minas, para o Grêmio Prudente, para o São Paulo naquele jogo em que levamos olé, empatamos com o Botafogo naquela partida em que fizemos um gol lícito em que a bola não saiu, o lateral lançou e o Farias conferiu. Depois ressuscitamos o Atlético, que a partir da vitória contra nosso time, iniciou sua arrancada pra sair do fundo do poço. Mas mesmo assim, ainda assim, não foi ruim. Segundo lugar num campeonato como o Brasileiro, o mais disputado do planeta não é pouco. No entanto, não podemos tapar o sol com a peneira. A teimosia da diretoria do Cruzeiro em continuar com WP chega a irritar. O cara tropeça na bola. Não é e nunca foi jogador pro Cruzeiro. Engana algumas pessoas fazendo alguns golzinhos, mas sua performance é abaixo da crítica. Agora é mirar na Libertadores, mas tem de reforçar. E pra finalizar, parabéns ao Fluminense do meu amigo Marcelo Xuxa lá de Alvinópolis, o tricolor mais doente da região. Obs. Não fossem aqueles roubos do juiz contra o Vitória em pleno Barradão na Bahia, o time Baiano não seria rebaixado. Tudo bem que foi incompetente, que não conseguiu ganhar do Atlético Goianiense em casa, mas naquele jogo contra o Corínthians foi um gol totalmente legal anulado e aquele pênalti não marcado. Se eu fosse torcedor do Vitória, entraria na justiça comum contra o juiz. Quanto ao galo, caiu de 4 na última partida. Tudo bem. Melhor que o pesadelo da segundona que as frangas já experimentaram. Elas parece que gostaram muito daquela música: vamos subir galô e se sentem muito atraídas pela gravidade da série B. Quem sabe no ano que vem? Enquanto isso, o clube dos times que nunca cairam permanece inalterado: Cruzeiro, Inter, Flamengo, Santos e São Paulo.

BR 381 - NOSSA SERIAL KILLER

Eu pelo menos não me acostumo e volto a bater na tecla da nossa lamentável incapacidade para a convergência e para o reconhecimento de uma prioridade que deveria ser maior que tudo. A BR 381 fez mais vítimas, infelizmente de Monlevadenses. As vezes fico de chato, pois tenho argumentado que as ações isoladas não farão barulho suficiente para acordar as autoridades. O que podemos fazer? Vamos nos unir, fazer um grande seminário, convidar a polícia rodoviária, o DNIT, os engenheiros, as autoridades, a mídia local, regional, estadual, nacional. Vamos fazer uma paralização gigante, escrever em letras garrafais no asfalto para que seja possível ler dos satélites. Nós não aguentamos mais. O limite já passou há muito tempo. O mundo precisa saber que a BR 381 mata mais que a guerra da palestina, do Iraque. Não é possivel que Mauri, Alexandre Silveira, Padre João, Dilma, Anastasia, Leonardo Monteiro, Agostinho Patrus Filho, Zé Fernando, Rodrigo de Castro e outros permaneçam calados, com a consciência tranquila, enquanto nossos amigos, nossos conterrâneos, nossos parentes...e nós, somos esmagados pela BR da morte. O candidato a governador do PV, Zé Fernando falou bonito quando disse que a BR teria de se transformar na rodovia da Vida. Porém, precisamos de mais que discursos. Vamos fazer alguma coisa, gente. Antes que seja tarde! (pra alguns, já é tarde).

sábado, 4 de dezembro de 2010

IDIOCRACIA

Tem coisas tão idiotas que não dá mesmo pra levar a sério.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

HACKERS AGINDO ENTRE NÓS - CUIDADO !!!!


É sério mesmo, pessoal. Existe um hacker perigoso agindo na região. Vários blogs vem sendo invadidos, senhas pessoais estão sendo trocadas e sistemas estão ficando fora do ar por várias horas. Em Itabira aconteceu com várias pessoas e empresas. O Blog do Zé Geraldo do Espinhaço foi invadido e passaram a postar várias coisas estranhas que ele nunca iria veicular. Zé Geraldo entrou em contato com a Google e com a polícia especializada em crimes de internet. A google lhe assegurou que hoje à tarde ele já poderia acessar com nova senha. Só que pouco tempo depois conseguiram capturar a sua senha nova e começaram a postar de novo. Também tentaram roubar minha senha e tive a sorte de mudar rapidamente, avisado que fui pela google. Mais cedo ou mais tarde os ladrões virtuais serão encontrados, mas enquanto isso, todo cuidado é pouco.

INVASÃO DE PRIVACIDADE


Estava eu em uma lan house onde fui tirar um Xerox de identidade, quando chegou uma menina de mais ou menos 17 anos chorando com o pai do lado. Eles chegaram e se aproximaram do moço que atendia.

- Pois não?

- Moço...preciso muito saber de uma coisa.

- Em que posso ajudá-la?

- Eles mexeram no meu Orkut. Colocaram um monte de mentiras sobre mim, me jogaram contra minhas amigas.

- Tá certo, mas o que podemos fazer por você?

- Uai...me disseram que vocês conseguem saber quem fez isso...

- Olha...podemos até ver...mas você usou um computador daqui?

- Sim...foi aquele ali ó...o número 6.

- Tá bom. Vamos até lá. Me diga o que você fez.

- Uai...eu usei por uns minutos...entrei no meu Orkut, no MSN e depois fui embora.

- Mas você se lembrou de fechar...de sair...de tirar a sua senha?

- Ah...nem sei.

- Pois é. Nesse caso eu não posso fazer nada. Pode ser que alguém que nem estava cadastrado tenha mexido.

- Moço. Agora eu é que vou falar. Se vocês não fizeram nada, vou chamar a polícia.

- Mas meu senhor. Eu não tenho como saber. Eu tô vendo aqui na ficha dela. Depois que ela usou, ninguém mais usou o número 6. Pode ser que alguém tenha copiado a senha e entrado no Orkut dela em outro computador, em outro lugar.

- Não importa. Ela usou o computador foi aqui.

- Vamos fazer o seguinte. Vamos entrar pra que eu veja o tamanho do estrago e possa lhes recomendar algo. Vou ligar um computador ali. Vamos lá...

- Não sei se isso vai resolver alguma coisa.

- Só pra gente ver. Venha aqui. Digite seu endereço e senha.

- Tá booom.

- Mas o que tem de errado?

- Veja os scraps. Estou falando mal de todas as minhas amigas e terminando com meu namorado.

- Nossa. É mesmo. Que sacanagem.

- E você não viu nada. Veja as fotos.

- Deixa eu ver. Nossa. Fizeram montagens com você nua na praia, num motel, você está...meu Deus...realmente pegaram pesado.

- E não tem jeito mesmo de encontrar quem fez isso, moço?

- Olha, moça. Infelizmente você deu muito azar. Tem gente ruim pra todo lado. Numa fração de segundos em que você saiu alguém muito sacana deve ter copiado a sua senha e feito essa sacanagem. O que você pode fazer agora é cancelar seu Orkut e fazer outro. Mudar todas as senhas também e ser mais cuidadosa.

- E eu como pai? O que devo fazer?

- Trocar sua senha toda semana também. A xeretagem virtual é uma realidade cada vez mais presente. Tem hackers pra todo lado, principalmente no meio empresarial, na política.

- Tá bom. Vamos embora, filha. Vou comprar um computador pra você não depender mais das lan houses.

- Meu senhor. Não é por aí. As lan houses são cada vez mais seguras. As pessoas é que precisam se precaver e não se distraírem com relação às suas senhas e informações confidenciais. Aliás, as Lan houses são mais seguras até que a casa do senhor, pois tem manutenção direto quanto aos vírus e tudo é feito com identificação dos usuários, etc.

- Mas vocês das lan houses também tem de reforçar a segurança. Se tivesse desligado logo depois que ela parou de usar, não teria acontecido isso.

- Pai...deixa pra lá. Eu não avisei pra ele que já tinha terminado. Sai sem avisar.

- Pessoal, não fiquem nervosos. Se quiser, podem entrar agora aqui, sem pagar e mudar a senha, cancelar o Orkut e tudo mais.

- Obrigado, moço. Vou fazer mesmo isso. Tá muito chata a situação.

- Só uma coisa. Parabéns pelas fotos viu.

- Ann???


OBS – Nos últimos dias, eu também fui vítima de invasão, de tentativa de captura de senha. Fui entrar em meu email e deparei com um aviso da GOOGLE dizendo que tentaram invadir minha conta por 5 vezes no mesmo dia. Aconselharam-me a trocar a senha pelo menos uma vez por semana e passei a fazer isso. Parece-me que temos um hacker entre nós tentando avacalhar a até então boa convivência virtual da cidade. Todo cuidado é pouco.


OBS 2 - O maior elogio que recebi esse ano foi um xingamento. Disseram que meus textos são infanto-juvenis. Então consegui o que queria. Inadequado eu seria se estivesse direcionando meus textos para intelectuais e eruditos. Nada contra os ilustres beletristas e gênios, mas para estes existem outras fontes. Meu intuito é conversar com o público do jornal, do blog. Minhas fontes são as pessoas comuns que encontro no dia-a-dia, como a minha filha filósofa, como a cigana que costuma passar por aqui algumas vezes por ano, junto com as amigas e que fica ali perto da Caixa, como um rapaz com que me encontrei que parecia ser normal, mas que depois revelou-se um ET. Aliás, o que mais tem nessa cidade são ETs, principalmente aqueles que vem dos planetas Dom Silvério, Alvinópolis, Major, Nova Era, S.D do Prata, Rio Piracicaba, Bela Vista, ETSCÉTERAS. Um abraço a todos.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

ÓDIO CEGO

Quem dera a paz.

Quem dera as convergências.

Mais valem as discórdias,

os interesses dos velhacos.

Quando começou a guerra?

Ninguém sabe!

Hoje são vários exércitos

lutando entre si.

Engana-se quem pensa

que são apenas duas facções.

Existem facções dentro das facções.

Existem vários generais,

coronéis e outras patentes.

Com suas botas pesadas,

trituram as cabeças dos comandados,

buchas de canhão

na guerra que realmente importa.

E qual a guerra que realmente importa?

Aquela que dá lucro pra alguém.

Lucro pra quem vende armas.

Lucro para quem vende propaganda oficial.

Lucro pra quem vende noticias.

Lucro para quem tem provisões.

Lucro para os compradores de alma

E o povo?

Ah. O povo também tem seu preço.

Almas etiquetadas, com seus códigos de barra.

Quanto esforço inútil, meu Deus.

Quanta luta vã.

Cabos de guerra

puxam para 4 lados diferentes.

O resultado é a inércia.

A polis estática.

A estrutura carcomendo.

A feiúra tomando conta.

Será que ninguém enxerga?

Quisera sair da casamata.

Abandonar a trincheira,

abrir o peito e gritar:

- Atirem.

Libertem minha alma dessa prisão.

Mas não estou sozinho do mundo.

Aceno com a bandeira branca.

Tiros cortam a escuridão e crivam-na.

A paz está muito longe...

domingo, 28 de novembro de 2010

CRUZEIRO VENCE, MAS O ASSALTO DO CORÍNTHIANS FOI DECISIVO

Esse negócio de campeão moral é consolação, eu sei. Mas realmente dá muita raiva na gente. Não fosse aquele juizinho safado estaríamos hoje em primeiro lugar no campeonato, para decidir em casa contra o Palmeiras. O Fluminense deu sorte, pois pegou dois paulistas na sequencia, com as duas torcidas preferindo a entrega dos jogos para não beneficiar o Corínthians. Por causa da roubalheira daquele jogo, também prefiro que o título fique com o Fluminense. O juiz voltou a roubar para o Corínthians contra o Vitória. Quer dizer, os juizes, por sua "tendência" em ajudar o time do Parque São Jorge, podem tirar o título do Cruzeiro e rebaixar o Vitória. O tamanho do prejuízo é incalculável. Mas falando do jogo contra o Flamengo, não dá pra acreditar no futebol que alguns jogadores do Flamengo estão jogando. Aquele Raphael Moura, o lateral esquerdo Juan, o zagueiro Angelim, o meio campo Renato parece que esqueceram como se joga futebol. Do lado do Cruzeiro, Fábio não teve muito trabalho. Jonathan desta vez jogou muito bem, atuando pela lateral e pelo meio de campo. Leo desafinou. Entregou o ouro no gol do Flamengo e esteve mal em algumas outras jogadas. Gil jogou bem, com firmeza. Na minha opinião, um excelente zagueiro. Diego Renanjogou o arroz com feijão de sempre. Henrique, com a velha regularidade. Paraná jogou muito, correu pra caramba. Errou alguns passes, mas fez ótima partida. Roger jogou muito enquanto teve fôlego. Montijo desequilibrou mais uma vez. Participou do lance do segundo gol e fez excelentes jogadas. Numa delas, driblou meia defesa e fez um passe para Wellington Paulista, que livre, livre, livre, livre conseguiu errar. Aliás, continuo com minha implicância com WP. Ele foi o pior em campo. Tropeçou na bola, fez jogadas grotescas. Não dá pra entender. O Farias não é nenhum craque, mas tem mais objetividade e menos firulas. Fora uma tentativa de bicicleta, WP nada produziu. O comentarista Bob Faria o elogiou, mas trata-se de um atleticano doente e elogio de atleticano deve ser considerado ao contrário. Incrível também o fato da Rádio Itatiaia ter privilegiado o jogo do atlético, da parte de baixo da tabela, enquanto o Cruzeiro luta pelo título. Tá provando ser mesmo a Atletiaia ou Itatigalo. Na semana que vem vejo o título como improvável, mesmo que não impossível. O Coríntians tem um jogo tranquilo no Serra Doura, campo neutro, contra o rebaixado Goiás. Se o time titular deles foi rebaixado, imaginem o reserva? Já o Fluminense joga contra o também rebaixado, deprimido, desmotivado Guarani em pleno Engenhão. Uma nuvem de pó de arroz deverá ser vista sobre o Rio de Janeiro. Já o Cruzeiro vai pegar o Palmeiras na Arena do Jacaré. A torcida deve sim fazer a festa e aplaudir o time. Temos uma boa base para o ano que vem. Se contratarmos um centro-avante objetivo, acredito em mais títulos. Inclusive da Libertadores.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O NATAL DA GENTE ESTÁ DE VOLTA

Todas as manhãs acordo cedinho e vou com a minha filha até o ponto de ônibus, onde ela pega o especial escolar que a deixa na porta da Escola Papini onde ela estuda. Só que algumas vezes erramos a hora e temos de ir a pé. Como a escola fica não muito longe do apartamento em que moramos, vamos caminhando e tendo uma daquelas conversas sem fim. Pra complicar eu ia carregando a sua pesadíssima mochila ( vou ficar corcunda) e ela, naquela perguntação de sempre.

- Pai. O que aquele pessoal tá fazendo subindo naquela árvore?
- Uai, filha. Estão trabalhando, colocando as luzes de natal, como no ano passado. Você lembra?
- Claro que lembro, pai. Minha prima veio de Alvinópolis pra ver. Foi muito bonito.
- Pois é. Vai ter de novo.
- Que legal. O natal é muito bonito, né pai?
- O natal é mais que bonito, filha. O natal é festa de aniversário do nosso senhor.
- É mesmo? Porque então não fazem um bolo gigante? Já pensou um bolo do tamanho daquela árvore de natal gigante do ano passado?
- Filha. Bolo não faz parte da tradição do natal.
- Ah. Podia ser então um milk shake gigante.
- Não, filha. Na tradição do natal tem as árvores, o papai noel...
- Pai. Vai ter aqueles anjinhos de novo? Que nós tiramos fotos lá perto do Buffalo Bill?
- Filha. Não tenho certeza. Mas sei que vai ser lindo de novo. O pessoal está caprichando.
- Mas pai. O que aqueles homens estão fazendo com aquelas garrafas de coca-cola pintadas de branco?
- Uai...você não percebeu não? Os enfeites são feitos com garrafas recicladas.
- Nossa pai. Ficou tão bonito que eu tinha me esquecido.
- Pois é, minha filha. Mas o Natal é muito mais que isso.
- É verdade, pai. Natal também tem presentes, tem ceia na casa do vovô de Belo Horizonte, do Vovô de Alvinópolis, né?
- Muito mais que isso, filha. Natal é tempo de solidariedade, do encontro das familias, do perdão e de reflexão.
- Pai. O que é reflexão mesmo?
- Ora, filha. É tempo de fazermos um balanço das nossas vidas.
- Balanço como aquele que temos no sitio?
- Não, filha. Aquilo é uma gangorra. O balanço que falo é outro. É botarmos as mãos na consciência e agradecermos pelas vidas que temos.
- Mas pai. E quem está infeliz? Como a pessoa que está infeliz vai agradecer?
- Filha, a reflexão passa por aí também. Se a pessoa está infeliz, deve refletir no porque de estar vivendo uma situação dificil. Vai ver que está pagando por más sementes plantadas nesta vida.
- As más sementes só dão árvores feias, né pai? Aquelas tortas, sem folhas, sem frutas.
- Pois é, minha filha. Mas Deus é só perdão. Se a pessoa se arrepender e começar a espalhar boas sementes, boas colheitas virão.
- Nossa, pai. O senhor falou bonito agora, viu.
- Que nada, filha. Mas é por isso que nosso natal tem ficado tão bonito. Essas árvores, os enfeites feitos com esse material reciclado, as luzes. Se as sementes são boas, se as mãos são benevolentes, se houver boa vontade, a colheira haverá de ser a harmonia e os sorrisos das pessoas.
- Mas pai. E o aniversariante? Ele não ganha presente?
- Filha, o único presente que ele quer é que nos amemos uns aos outros, que estendamos as mãos aos que precisam, que possamos construir a paz a cada dia.
- Pai. Mas como é que se constroi e paz?
- Olha filha. O aniversariante nos ensinou a dar a face quando agredidos. Infelizmente não somos tão perfeitos. Mas tem aquele ditado. "Quando um não quer, dois não brigam". Precisamos arrefecer o ódio. Só assim construiremos a paz. O natal é uma boa oportunidade de refletirmos sobre essas coisas.
- E o papai noel? Será que a minha carta já chegou pra ele?
- Não sei. Me disseram que o papai noel andou fazendo um choque de gestão na fábrica dele. Vamos ver. Se você não pediu presentes muito caros...
- Que nada, pai. Meus presentes cabem numa meia.
- Numa meia sua, né?
- Não! Numa meia de elefante.KKKK
- Mas você é muito abusada mesmo, hein?
- Pai. Estamos chegando na escola. Só mais uma coisa
- Diga.
- Obrigado por não ter me falado que o bom velhinho não existe, tá?
- Ann ?


terça-feira, 23 de novembro de 2010

QUAL É O MISTÉRIO DA 381 ?

Viajar pela 381 é uma roleta russa. Entramos nos carros e não sabemos se sairemos vivos do outro lado. Não estou sendo fatalista. Fatalista é a 381. A cada vez que minha esposa e filha seguem de ônibus, fico marcando o tempo no relógio. Muitas vezes o celular fica sem sinal e entro em parafuso. Um alívio grande quando o telefone toca e elas me comunicam que chegarem ilesas. No entanto, sempre me relatam que passaram por um , dois, três acidentes pela estrada. Poucas vezes viajei pela BR sem encontrar algum tipo de acidente. Mas sinceramente, não consigo encontrar uma explicação para tamanho desleixo com uma rodovia tão fundamental, não apenas para as vidas humanas, mas para o transporte da pujança econômica de uma das regiões mais ricas do país. Agora, pelas noticias que chegam, parece que vão adiar novamente o projeto. Quer dizer: na hora da eleição, todos tocaram no assunto, mas de forma meio despistada. Tudo bem que a Dilma ainda nem assumiu, mas já estou ficando com medo de melar de novo. Trata-se interrogações monumentais e peço que alguém responda se for capaz:

Por que as autoridades se negam a resolver o problema da 381 e evitam até mesmo falar sobre o assunto?

Qual é o mistério da 381?

domingo, 21 de novembro de 2010

VAKINHA FM - DESDOBRAMENTOS

Gostei das postagens do Marcelino reverberando as conversas sobre a Vakinha FM. Ele postou várias músicas de excelente nível em seu Boca no Púlpito. Inclusive, há alguns dias postou alguns clips maravilhosos de um grupo chamado Celtic Womans que eu não conhecia. Música dos Deuses. Mas ao acessar as essas postagens comecei a pensar. Como caminhamos para o dia em que todas as midias se encontrarão na internet ( se é que isso já não acontece), talvez a saída para aqueles que não se conformam com as rádios populares sejam as web radios. Já existem várias experiências nesse sentido que transmitem exclusivamente pela internet. Vejam que maravilha. Dessa maneira é até possível levarmos a Vakinha para o brejo, quer dizer, botar a Vakinha FM no ar e transmitindo para todo o planeta. Aí sim seria possível veicular uma programação segmentada. O que não podemos, caros amigos, é querer que rádios que já tem seus direcionamentos, seus públicos consolidados se transformem em canais para destilar nossos gostos. Outro erro é imaginar que as rádios precisam educar os públicos através da música veiculada. Isso não combina com democracia. Combinaria com o totalitarismo, com imposição de conteúdos . As rádios são empresas que precisam atingir e fidelizar determinados públicos para assim vender espaços para os anunciantes que quiserem se comunicar com esses públicos. Simples assim! Quem me vê argumentando pode até imaginar que gosto dos estilos musicais veiculados pelas rádios. Não é bem assim. Embora eu goste de me manter atualizado sobre o que vem acontecendo nas paradas, repito que meus estilos preferidos são rock mpb e jazz, embora saiba que existe qualidade e sua ausência em todos os estilos. Confesso que sinto muita falta de certos tipos de conteúdos nas rádios de Monlevade. Estive neste final de semana em Belo Horizonte e pude me esbaldar ouvindor fms de todos os jeitos. Em BH gosto mais das rádios noticiosas tipo BAND NEWS e CBN. Todas as noites em que estou em BH adormeço ouvindo essas duas rádios que tocam noticias o dia inteiro. Ouço também as rádios 98FM, Guarani, Alvorada e Inconfidência. Porém, a rádio mais surpreendente, onde a gente realmente ouve novidades é a FAVELA FM. É muito legal essa diversidade. No caso de João Monlevade, há quem advogue pela liberação dos sinais das rádios de BH, mas poderia ser a ruína das rádios estabelecidas na cidade. Isto é facilmente explicável. Em primeiro lugar existe um mapeamento do dial para que duas rádios não ocupem o mesmo espaço. Isso evita que uma rádio não interfira no sinal das outras. Em segundo lugar, se os sinais das rádios de BH for liberado, prejudicará as locais, pois as rádios da capital, sem ter despesas, disputariam espaços com as radios monlevadenses. Mas se você for mesmo radical e não quiser mesmo ouvir a monocultura sertaneja, tem a internet para salvá-lo. Eu tenho feito isso de vez enquando. Quem tem telefone celular com 3G então pode ouvir rádios de qualquer lugar do Brasil. Quanto à WebRádio de que falei, garanto que o Marcelinho topa produzir um programa! Vamos ver quantos mais vão querer entrar nessa Vakinha.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

VALORES DA NOSSA GENTE

Jairo com Paulo Markum

O Livro "Jean de Monlevade, do Castejo à Forja" do escritor Monlevadense Jairo Martins, foi muito bem recebido durante o Fórum de Letras de Ouro Preto. A obra foi exposta em lugar destacado na livraria oficial do evento (localizada na histórica Casa dos Contos). Ficou ao lado de escritores consagrados do Brasil e dos países africanos. Na realidade, o mote que norteou todos os debates e oficinas do Fórum de Letras de Ouro Preto deste ano foi a nova literatura africana de língua portuguesa que, por sinal é belíssima! O Fórum das Letras é realmente um super evento. Na opinião do Laurentino gomes, escritor dos aclamados 1808 e 1822, é o maior evento cultural do país. Várias personalidades destacadas levaram "Jean Monlevade" debaixo dos braços, como o consul português em Minas Gerais que comprou um exemplar e escreveu sobre ele em seu blog. http://duascidades.blogspot.com/2010/11/lviii-releituras-jean-monlevade-de.html. Outras informações interessantes também podem ser acessadas através do blog www.folhadecapa.wordpress.com Outros intelectuais como Paulo Markum ou como a Editora de “O Globo” Mànya Millen também levaram seus exemplares. Como bem disse Hemingway, fale da sua aldeia e estará falando ao mundo. O livro Jean Monlevade de uma maneira geral vem agradando a pessoas de vários lugares e contribui para que a nossa Monlevade não seja vista apenas como uma fábrica de ferros. Temos um herói. Um mito. Um modelo a ser seguido.

ELA DE NOVO !!!

Ela pediu para que não aparecesse o rosto para se preservar

Estava eu na rodoviária de Monlevade pensando no quando ficou longe. Pensava com meus botões: - Puxa vida! Que falta de interesse no conforto dos usuários do transporte intermunicipal. Quando a rodoviária era dentro da cidade tudo era mais fácil. Depois que mudou para pertod o Posto Graal tudo ficou mais complicado. Os ônibus quase sempre demoram e os taxis não são baratos, Trabalhou-se para piorar a vida dos usuários, essa que é a verdade. Pelo menos se a s empresas de ônibus tivessem tido a sensibilidade de abrir uma central de vendas de passagens no centro, pelo menos as pessoas poderiam comprar passagens antecipadas. Mas infelizmente foi feito desse jeito e parece que não vai mudar tão cedo. Pois é, mas estava eu lá na rodoviária pensando na vida, quando de repente vi passar por mim uma pessoa com o rosto familiar. Em princípio, não consegui identificar, mas era uma mulher de meia idade, usando jeans e falando ao celular. Fiquei na minha observando e tentando me lembrar. Foi quando ela me viu, sorriu e acenou. Fiquei meio atrapalhado, sem saber se ela ria pra mim ou de mim, sei lá. Mas ela foi terminando sua ligação ao celular e se aproximou.

- Olá....tudo bem?
- Uai...tudo...bem...e você?
- Ah...vou bem também...quer dizer...mais ou menos, né?
- Mas...mais ou menos por que?
- Ah...eu tenho uma história de vida um pouco triste.
- É mesmo? Eu seria indiscreto te perguntando por que?
- Não. Eu já estou acostumado com a sua perguntação mesmo.
- Mas...como é que é...mas eu...
- Não se lembra lá no centro, perto da caixa econômica?
- Mas você? Não é possível!
- Sou eu mesma...a vidente.
- Caramba...bem que eu vi que tinha algo familiar. Mas você está...
- Sim...pois é...não sou uma cigana à moda antiga. Mas se eu não me vestir como cigana na hora do trabalho, ninguém me procura.
- É...tem razão...mas puxa...eu nunca saberia que é você.
- É que sou filha de cigana com um jornalista e por isso transito entre os dois mundos. Está decepcionado?
- Não...de jeito nenhum...mas onde você está indo?
- Estou indo para Belo Horizonte e depois para Contagem...mas deixa eu te contar uma coisa. Você me botou numa fria viu.
- Uai. Por que?
- Ah. Foi falar no jornal e no seu blog sobre aquela previsão do jogo do cruzeiro. O que pintou de pessoas me xingando.O pior é que xingam minhas colegas também. Chegam e perguntam: - por acaso, você é a cigana do Martino?
- Puxa. Me desculpe. Mas também né? Você sabia sobre os roubos do juiz?
- Olha...uma cigana tem uma boa noção de probabilidades e uma boa dose de intuição. Eu quase nunca erro.
- Pois é. E você está ficando famosa viu. Até o outro jornal está falando de você.
- É mesmo? Mas deve ter falado mal, né? O outro jornal não é aquele que só fala mal?
- É verdade. Eles agora insistem em insinuar que tenho preconceito contra os negros. Acho que vou ter de tirar as palavras negro e preto do meu vocabulário. Toda vez que as uso eles implicam comigo.
- Ah. Não liga não. É que eles odeiam as minhas previsões. Eu entendo. É que eu sozinha previ que o prefeito não seria cassado. Até gente muito próxima não acreditava, mas eu tinha certeza e deu no que deu.
- Mas então, como você quase sempre acerta, acha mesmo que o Cruzeiro não vai ser campeão?
- Infelizmente as probabilidades são essas.
- Triste isso viu. Todo mundo quer previsões boas.
- Infelizmente, a vida é assim...se ganha e se perde.
- Mas me conte aqui. O que você vai fazer em Contagem? Aquele lugar é feio demais.
- Olha. Eu vou lhe contar, mas não conte pra ninguém, ouviu?
- Pode deixar.
- Eu vou até a penitenciária visitar o meu namorado. Ele se envolveu numa roubada e tá lá. Não vou abandoná-lo de jeito nenhum.
- Mas o que aconteceu com ele?
- Infelizmente ele se envolveu com drogas. Dizia que tava vendendo só por uns tempos pra juntar dinheiro pra gente casar, mas alguém o dedurou e ele dançou.
- Que barra, hein?
- Barra mesmo. Ele é muito gente boa e não merece o que tá passando. Mas fazer o que né?
- Tome aqui o lenço. Enxugue as lágrimas. Ah. Quer saber? Pelo menos você tem um amor. Quanta gente no mundo não tem esse tesouro?
- Puxa. Ainda bem que encontrei uma pessoa que me entende.
- Fique tranquila. Assim que ele tiver a liberdade vocês constroem a vida de vocês. Amor é que não vai faltar.
- Obrigada, viu? Agora tenho de ir, pois meu ônibus já encostou.
- Mas peraí...deixa eu abusar só mais um instante de você.
- Pois não...
- Quem matou o Saulo na novela das 8?
- Você está brincando comigo...
- Só pra descontrair. Mas não desapareça não, viu...
- Tá legal. Agora vou indo que meu ônibus está saindo. Tchau!
- Peraí que vou ver se encontro lugar nesse ônibus também. Nada mais seguro que embarcar num ônibus com cigana.
- Mas por que?
- Uai...se fosse ter acidente, você veria antecipadamente e não embarcaria, não é mesmo?
- Você é esperto, hein? Agora pensou como cigano. Mas não vou te enganar não. As probabilidades nessa 381 são altas...
- Ah...mas não temos escolhas.
- E no meu caso, como estou apaixonada, atravessaria rios de lava incandescente e atravessaria tsunami a nado para encontrar o meu amor.
- Fechou!

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VAKINHA FM

Já postei sobre, mas como o texto recorrente foi para a minha coluna, resolvi retomar o assunto. Algumas pessoas vem reclamando nos blogs da cidade sobre as programações das rádios de João Monlevade e região. Para quem não é fã do estilo sertanejo realmente incomoda a monocultura reinante, mas o que fazer? Nas rádios de mercado quem determina a programação é o público, a audiência. Não por acaso, estive com o Weber Ferreira conversando por longo tempo sobre o assunto. Ninguém faz rádio para si, a não ser que seja excêntrico e tenha dinheiro para queimar...ou quem sabe quando a rádio pertence a uma fundação que não dependa de vender espaço publicitário para se sustentar. As rádios de Belo Horizonte não podem servir como parâmetros. A Rádio Inconfidência por exemplo, embora só toque MPB, é mantida pelo governo do estado, portanto se sustenta sem depender dos anúncios. Além do mais, em uma cidade com quase 3 milhões de habitantes você tem um público de pelo menos 250 mil pessoas que apreciam o estilo. Ai sim, com um público de uma cidade do porte de Governador Valadares dá para se fazer uma rádio voltada para um estilo apenas. Aliás, em Belo Horizonte existem outras rádios segmentadas, direcionadas para públicos diferenciados. Tem a Guarani, Alvorada e Antena, direcionadas para as classes A e B. Tem a 98, Pan e Mix, direcionados para o público jovem. Tem a BH, que pertence à rede Globo e EXTRA que pertence à rede Itatiaia, direcionadas para as classes B, C, D e E e a Liberdade FM, direcionada ao estilo sertanejo, primeiro lugar na grande BH há pelo menos 10 anos ( perdeu o posto para a Rádio Itatiaia que passou a transmitir também em FM). Isso tudo eu digo para tentar pintar o cenário da região. Todas as nossas rádios , sem excessão, executam mais ou menos as mesmas programações musicais. Mudam os locutores, as vinhetas, os conteúdos de jornalismo de cada veículo à partir de suas opções políticas, mas as programações são mais ou menos parecidas. Uma mudança do cenário teria de passar por uma mudança do próprio público, o que nos parece impossível no curto prazo. Portanto, continuaremos ouvindo Sertanejo e pop na Alternativa, Sertanejo na Global, de tudo um pouco na ALPHA, a programação de rede na Transamérica e também os sertanejos na Cultura e na Comunicativa. Quanto à audiencia das rádios locais, dizem que as pesquisas apontam a Cultura como a mais ouvida, seguida pela Alternativa. Só que a cultura tem uma programação e jornalismo muito voltados para as questões locais, sempre atacando a atual administração.São noticias que não dizem respeito às outras cidades. Por isso, imagino que a audiência da Alternativa em termos regionais seja bem maior. Trata-se de uma instituição muito sólida financeiramente, com anunciantes garantidos e bastante estruturada que não se incomoda nem um pouco com as críticas, pois ali todos sabem muito bem onde querem chegar e o coordenador não faz rádio para si, mas para o público. Portanto, assim como brinquei com o jornalista e ativista cultura Marcelo Melo dia desses, só se fizermos uma vaquinha pra montarmos uma rádio direcionada para pessoas como nós que apreciamos outros estilos que não os popularescos da moda. Até brinquei que a rádio poderia se chamar VAKINHA FM. Mas como já disse, só se for uma empreitada mantida por capitalistas excêntricos ( que não é o nosso caso) ou quem sabe por uma fundação. Acho até que a região tem público pra isso. Monlevade apenas não, mas se for feita uma pesquisa, pode até ser que existam patrocinadores dispostos a bancar tamanha empreitada. Quem se habilita?