quinta-feira, 29 de março de 2018

OFF LINE


ENQUANTO ISSO, AQUELES DOIS AMIGOS CAMINHAVAM EM BUSCA DE UMA FAMOSA CACHOEIRA...
- E aí, Bocão? Estamos perto?
- Sim. Fica por aqui.
- E como estão as coisas? Menos estressado?
- As coisas estão bem melhores depois que voltei a usar um celular desses véio que só liga e recebe.
- O que? Mas vai ficar fora do whatsapp , facebook e instagram?
- Esse trem escraviza a gente.
- Ah...eu não acho...ficou online 24 horas.
- Eu não quero saber mais. Esse trem tira o foco da gente...
- Isso é verdade...ah...mas ajuda também...por exemplo quando você está numa fila. Você pega seu celular, vê seus grupos, suas curtidas...
- Mas e o lixo?
- Que lixo?
- Uai...ódio político...xingando esquerda, direita...esse trem é muito chato.
- Piores são aquelas correntes...aqueles textos que dizem que se vc não compartilhar pra 100 pessoas vai acontecer uma desgraça na sua vida.
- Que isso! Pior é o marketing das tvs a cabo, colchões, planos de doença, um monte de remédios pra levantar a moral.
- É mesmo!
- Pois então? Não é melhor ficar off line?
- Eu não sei se consigo. Tem o lado bom também.
- Mas que lado bom?
- Uai...hoje ninguém mais fica sozinho.
- Como assim?
- Vc leva seus amigos com vc pra onde vai. Conversa com eles. Manda fotos.  Também pode trabalhar online. O celular virou um escritório.
- Ah...mas aí é que está o problema. É tudo virtual. Você não vê as pessoas. Nada substitui a presença, o olho no olho.
- Ah...tem muita coisa que preciso resolver pela internet mesmo. Presencial só quando for realmente necessário. Aqui...estamos chegando?
- Veja ai no seu smartphone...deve ter GPS né? O "como chegar" da google...
- Para com isso, sô. Aqui não tem sinal...estamos perdidos então?
- De jeito nenhum. Vou te ensinar uma coisa. Feche os olhos.
- Não vem bom bobeira não. Fechei...e aí...
- O que está ouvindo?
- Uhn...som de passarim...cachorros latindo...e  som de água corrente...um rio.
- Tá vendo? Você se conectou e ficou online com a natureza...
- Puxa velho...gostei...e vamos nos desconectar do mundo...uhúuu!!!
- Você vai voltar outra pessoa.
- Isso mesmo. E vou ter muitas fotos pra postar no Instagram...

quarta-feira, 28 de março de 2018

IDEALISTAS EM PASSA TEMPO...


Graffite que entrou pra história da cidade
Mais um evento genial do inquieto produtor BIANC AMORIM. Dessa vez será o Primeiro Encontro de Idealistas de Passa Tempo. Vai acontecer na Praça do Coreto, a partir das 18 horas do dia 04 de abril.
Há certo tempo BIANC me procurou pra falar sobre os IDEALISTAS, um grupo que existe no mundo todo e que promove ações culturais. Ele ficou conhecendo quando o grupo patrocinou uma linda grafitagem em Passa tempo que entrou pra história do município.
Os idealistas operam no planeta inteiro e sua razão de existir é juntar as pessoas do lado bom da força (não vou dizer pessoas do bem pois acabou havendo apropriação política e "pessoa do bem" acabou virando sinônimo de reacionário). Os idealistas se envolvem e costumam até bancar projetos como foi esse dos Grafittes em Passo tempo e promovem encontros no mundo inteiro pra difundir sua filosofia.
Passa Tempo vai entrar no mapa dos Idealistas
Um grande diferencial deste tipo de encontro é que não trabalha com hierarquias. O objetivo é que o encontro se dê de uma forma onde todos tenham voz e ação, tudo no mesmo nível.

Vale à pena visitar o site pra conhecer a linha de pensamento dos idealistas. https://medium.com/nossacidade/idealistas-do-mundo-todo-uni-vos-d650135b721


Ricardo Freitas e suas réplicas perfeitas.
Programação:
  • Tecnologia disponível em celulares e tablets que facilitam o dia a dia . 
  • Introdução ao jogo de Xadrez. 
  • História e oficina de Bonecas Abayomis pela Comunidade Quilombola Cachoeira dos Forros, 
  • Sustentabilidade e ecologia e uso de PET em artesanato, 
  • Medicina natural e chás, 
  • Exposição de réplicas em miniatura /Ricardo Freitas. Movimento Consciência Negras de Passa Tempo abordando a importância de dar visibilidade á cultura negra.




Bianc faz tudo pra levar até a sua PASSA TEMPO atividades que ajudem a puxar o nível geral pra cima e que consigam transformar o pensar e o agir através da sensibilização artística. Seu amor às causas das comunidades quilombolas e à cultura afrodescendente de sua cidade são comoventes e inspiradores. Pra completar, promove shows artísticos de ótimo nível  com seu projeto Estações Música na Praça e desenvolve ações que visam a educação para a sustentabilidade e a consciência ecológica. 



Mais idealista, impossível!  

BEM QUE PODERIA SER VERDADE!

Fui surpreendido no dia de ontem com uma mensagem de um amigo dizendo que José Santana de Vasconcellos seria candidato a Deputado Federal. Isso porque estive com ele há alguns dias, quando me falou apenas da sua aposta no filho Gustavo Santana que vem fazendo um belo trabalho  em várias cidades e no Bernardo que é bom na articulação . 
Mas meu amigo insistiu que tinha saído no jornal "o Tempo" e fui conferir . Ele tinha razão. Tinham saído uma notinha na coluna da jornalista Raquel Faria. A colunista tenta antecipar cenários e pelo menos por enquanto não temos nenhuma confirmação oficial. Dizem que onde há fumaça há fogo. Fiz contato com o Deputado e ele me disse que são só especulações, que é normal nessa época de indefinições. Mas depois fiquei pensando! Para Alvinópolis seria uma boa. Acho que nenhum político fez tanto por Alvinópolis. Como político, Santana já foi deputado estadual por vários mandatos, presidente da assembléia mineira, deputado federal e hoje preside o PR, partido com grande influência em áreas como transportes e obras públicas. E durante esses mandatos, conseguiu canalizar inúmeras obras e benefícios pela cidade. 
Santana lutou e conseguiu o Asfaltamento de  João Monlevade x Rio Piracicaba x Alvinópolis x Dom Silvério x Ponte Nova. Só quem tem problemas com estradas de terra como o povo de Fonseca, sabe o que isso significa. 
Foi José Santana também que batalhou e conseguiu a  Criação e instalação do Colégio Estadual e depois a   Construção do Prédio do Colégio Estadual e Criação do curso  Normal e Técnico na sede do Município, juntamente com homens do naipe de um Nilo Gomes e José Faustino. 

Foi ele também o responsável por levar luz da Cemig e DDD para toda a sede do município e distritos. 
Foi também responsável pela construção do Parque de Exposições de Alvinópolis, considerado um dos melhores da região. 
Acreditam que foi ele quem conseguiu levar Banco do Brasil e Bemge para Alvinópolis? 

Foi também um dos pioneiros na implantação das Rádio Alvimonte na cidade. Além das realizações citadas, foram muitas construções e reformas de pontes, estradas, encascalhamento, estruturação das escolas rurais e mais uma infinidade de benefícios. Até hoje, mesmo sem mandato o cara continua tentando canalizar coisas boas pra Alvinópolis. Por isso é tão importante termos representantes motivados por um amor incondicional a cidade. Tomara que ele tenha saúde e disposição para continuar fazendo pela nossa terra e também pela região, afinal, quando deputado ajudou todos os prefeitos da região que o procuraram. Quem sabe não esteja na hora de voltar? 

Para quem tiver curiosidade,  pedi pra sua assessoria que me encaminhou uma lista de coisas que ele conseguiu pra Alvinópolis


§   Criação e instalação do Colégio Estadual (Escola Estadual Prof. Cândido Gomes / Sede)

§   Construção do Prédio do Colégio Estadual (Escola Estadual Prof. Cândido Gomes / Sede)

§   Criação do curso  Normal e Técnico na sede do Município

§   1º Grau nos Distritos, quando várias cidades da região não tinham Escolas Estaduais ( EE Antônio Carlos / Distrito de Fonseca – EE Des. Barcelos Correa / Distrito de Major Ezequiel)

§   Construção do Prédio da EE Des. Barcelos Correa.

§   Reforma da EE Bias Fortes, reforma e ampliação da EE Antônio Carlos (Fonseca) e EE Monsenhor Bicalho

§   Reforma de Escolas Estaduais na Sede,   Distritos  e Zona Rural

§   Mobiliário para todas as Escolas Estaduais

§   Abertura e melhoria das estradas que liga os nossos Distritos

§   Implantação do Sistema DDD na cidade e instalação de telefonia em todos os Distritos

§   Asfaltamento da Estrada João Monlevade x Rio Piracicaba x Alvinópolis x Dom Silvério x Ponte Nova

§   Recursos para calçamento nos Distritos

§   Luz da CEMIG na Sede do município e Distritos

§   Ajuda ao Esporte

§   Eletrificação Rural para um número significativo de habitantes na zona rural

§   Instalação do Banco do Brasil e do Banco do Estado de Minas Gerais

§   Construção de várias pontes, na sede, nos Distritos de  Fonseca , Major Ezequiel e na Zona Rural

§   Reforma dos Postos de Saúde para atendimento médico-odontológico

§   Recursos para melhoria  do Serviço de Água na Sede, Distritos, inclusive Fonseca (sendo um dos mais modernos)

§   Construção do Parque de Exposição (dos melhores da região)

§   Várias Quadras Poliesportivas  na Zona Rural

§   Viaduto sob a linha de trem para ligação da estrada Rio Piracicaba x Alvinópolis

§   Reversão para o município do Prédio onde funciona a Câmara Municipal

§   Reforma do Fórum da Comarca de Alvinópolis

§   Recursos para compra de  equipamentos e ampliação do Hospital Nossa Senhora de Lourdes

§   Gerador para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes

§   Várias verbas para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes

§   Melhoria Sanitária Domiciliar para um número significativo de habitantes

§   Recursos  da Vale do Rio Doce para construção de galeria no Bairro do Asilo (maior reivindicação do Bairro)

§   Implantação Telefonia Celular OI

§   Recapeamento da estrada João Monlevade x Rio Piracicaba x Alvinópolis x Dom Silvério

§   Aquisição de Transporte Escolar

§   Aquisição de Patrulha Agrícola

§   Aquisição de Unidade Móvel de Saúde

§   Verba para calçamento de ruas

§   Quadra poliesportiva

§   Verbas para  o  Hospital Nossa Senhora de Lourdes

§   Eletrificação rural  -  120 ligações para o ano de 2004  e o restante da Zona Rural será em 3 anos

§   Verba para calçamento de ruas e aluguel de máquinas

§   4 Km de massa asfáltica para ruas da cidade

§   Asfaltamento da entrada da Cidade – Fábrica até a saída de Dom Silvério

§   Cobertura da Quadra do Colégio Estadual Cândido Gomes

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL JÁ ESTÁ COMPONDO MÚSICAS

Computadores alimentados com conhecimentos quase infinitos, sons de todos os tempos e timbres, programação de algoritmos e sei lá mais o que criando músicas para diversas finalidades. É com isso que músicos e compositores humanos já estão concorrendo. Máquinas dotadas de inteligência artificial já estão criando sinfonias funcionais e industriais. Músicas pra acordar, pra comer,  caminhar, malhar, transar, trabalhar, pra acelerar o trabalho, pra colheita no campo, cavalgadas, guerras, todas as ações e sentimentos humanos similares. Essas músicas são executadas por programas que transformam a criação em sons utilizando samplers com todos os sons analógicos e sintéticos produzidos pelo homem. Atenção: não é ficção. É realidade! Já ouvi algumas composições feitas por IA. Algumas não são muito diferentes das coleções de trilhas disponíveis por aí. Mas tem até jazz e composições clássicas com  qualidade relativa. Os pessimistas acham que com a IA a humanidade vai ficar obsoleta e pode até ser eliminada pela criatura. Os otimistas acham que a IA  vai ajudar a aprimorar a humanidade. Nós humanos  aprendemos com a natureza. As máquinas aprendem conosco. Se terão lealdade ou piedade, só o tempo dirá. Se der errado, vamos ver se alguém lembrou de criar um botão de on/off. 

Se quiserem ver um filme interessante sobre o assunto, assistam.

PONTES DINAMITADAS


- E ai? Que dia vamos nos encontrar pra tomar uma?
- Qualquer dia...
- Estou com saudades das nossas conversas.
- Que bom. Vamos combinar...
- Mas combinar pra quando?
- Pra esses dias...
- Beleza. Temos muita coisa pra conversar...
- Vc quer conversar sobre o que?
- Uai...sobre a vida...sobre os bons tempos...
- Pra mim bons tempos são os que virão. Não gosto de ficar relembrando o passado.
- Uai...então vamos falar do tempo presente....da política.
- Não vai dar certo.Pensamos completamente diferente sobre política. Nós vamos é brigar.
- Mas você precisa ser mais flexível...ouvir mais.
- Você quer que eu seja flexível mas você não é. Sempre que nos encontramos quer me convencer que o seu jeito de pensar é que é certo, que sou equivocado. Fica difícil assim.
- Então vamos falar do cruzeiro...
- Hora ruim.Só em 2018 agora.
- Que tal falarmos da nossa amizade?
- Tivemos bons momentos. Sonhamos muito, embarcamos em alguns projetos e nos desgastamos muito com as decepções.
- Mas faz parte da vida. Fracassos e sucessos.
- Sim. Mas você é amigo de gente que não me quer bem, de pessoas que me prejudicaram, de inimigos ocultos. E se juntou a eles contra mim. Como pode existir amizade sem lealdade? Você fez suas escolhas.
- Puxa. Mas eu sou amigo deles também.
- Exatamente. E ficou do lado deles.
- Mas eu não sou seu inimigo por causa dessas escolhas.
- Mas uniu-se a inimigos que agiram e agem contra mim? 
- Eu não queria isso...
- Não queria mas ajudou a dinamitar as pontes...agora estamos em continentes diferentes.
- E como fica a nossa amizade?
- As amizades sobrevivem no bem querer e nas afinidades. O bem querer perdura. Mas as afinidades e a confiança já não são as mesmas. 
- E devemos deixar nossa amizade morrer por causa dessas bobagens?
- Eu não considero bobagens... e morrer é um termo forte. Nada apaga a beleza do passado. Mas o presente e o futuro é que realmente importam.
- Mas vc é que não está querendo conversar.
- Uai! Olha nós conversando aqui.
- Mas não é a mesma coisa que uma conversa pessoal.
- No momento eu preciso focar no meu trabalho. Deixemos para uma época em que as coisas estiverem mais tranquilas.
- Eu já entendi. Quando vc estiver mais tranquilo talvez eu é que não queira...
- É um risco...
- Tá bom então. Não vou incomodá-lo mais.
- Não incomoda.
- Se não dá valor à nossa amizade, tudo bem.
- As coisas tem o valor que a gente dá pra elas.
- Tá bom então. Faça como quiser. Eu também não vou ficar suplicando...
- Nem deve. Deixemos o tempo...

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ESCRAVOS DA INTERNET

Enquanto isso, aluno e professor de história conversavam num bar.

Aluno : -Minha nossa senhora...minha muié não me deixa em paz. Esse zapzap é uma merda.
Professor : -Estou muito preocupado! Não somos mais donos do nosso tempo.
-Mas não somos mesmo! Não se pode nem beber em paz.
-Mas não falo disso...veja só! Ninguém pode viver fragmentando-se pela perda natural de tudo quanto possui. A personalidade a deterioração do próprio pensamento, tudo vai deixando de ser continuamente. Significa que o homem vai perdendo sua própria conduta, a forma como assimila as coisas e a própria compreensão delas e de si mesmo. Começa a faltar-lhe a compreensão de sua integridade, porque está partiu-se como a própria informação.
- Papo cabeça hein? Mas francamente...acho que isso é conversa de geração que não compreende a outra. As pessoas vão adaptar-se ao ritmo alucinante da vida moderna e pá...  
- Não sou tão otimista. Passamos a viver uma cobrança constante de produção, um excesso de estímulo. O tempo converteu-se em moeda de grande valia. Eu posso trocá-la, mas não a tenho para emprestar. Meu tempo é um depósito em conta corrente onde estou sempre em vermelho e, quanto mais o tempo passa, mais cresce o meu débito. Transformei-me em um devedor crônico e eterno.
- Isso é verdade. Estamos sempre ansiosos, achando que estamos ocupando nosso tempo com bobagens...e ao mesmo tempo temos a sensação de que não existimos quando estamos offline. E essa cerveja tá quente...garçon...traz uma gelada por favor...
- Pois é. Resta-nos a impressão desse tempo livre, porque a vida que levamos nas redes sociais tem uma imensa intensidade temporal. Quanto mais tempo você dedica de sua atenção às redes sociais, mais tempo sente perder porque seu trabalho é considerado, por você, como produtivo. O tempo é por princípio capitalista.
- Tá vendo? Até o tempo é capitalista.
- É normal que você pense e sinta que seu tempo deve ser usado para trabalhar e produzir. Sentir que seu tempo foi entregue gratuitamente a uma empresa capitalista, que se apoderaram do seu tempo para ganhar dinheiro e não lhe pagaram nada por isso, é usurpação. Mas é o que acontece e você está sabendo disso. Seu tempo não é remunerado é tomado gratuitamente para ganhar dinheiro.
- Filha da puta esse Mark Zuckemberger hein? A gente trabalha de graça pra esse cara. É uma espécie de escravidão. Somos escravos do cara. Esse cara é um ladrão.Vamos pegar esse capitão de engenho.
- Que nada. Rs. Você está submisso e esta sujeição que está fazendo você trabalhar de graça. O conteúdo que você produz é vendido em um pacote de uso por muito bom dinheiro e você o produziu prazerosamente de forma gratuita gerando para os donos dessas marcas que infestam o nosso cotidiano, somas astronômicas. É a mais sofisticada forma de capitalismo. Na verdade eles lucram com o seu conteúdo.
- Que ódio. Preciso me livrar dessas tralhas eletrônicas. Precisamos nos desintoxicar...
- Calma. É certo que não podemos negar o valor dessas redes sociais, não resta a menor dúvida sua utilidade. Mas a minha camisa, meus sapatos, minha bicicleta também são úteis e as pessoas que produziram ganharam ao fazê-las porque eu paguei. Mas na Internet é exatamente isso que fazemos: trabalhamos de graça e achando muito bom fazê-lo.
- Eu amanhã vou eliminar minhas contas no facebook, whatsapp, instagram, só no redtube é que não.
- Para com isso. Você está é bêbado!
- Bêbado? Não tomamos nem 15 cervejas...    
- Ninguém mandou beber com professor de história. Voltando ao tema anterior, no século XII e XIII surgiu nas cidades italianas e do norte da Europa o capitalismo chegando quase que imediatamente às cidades hanseáticas. A isso se chamou capitalismo mercantil. Nesse tipo de capitalismo a troca enriquece. Em outras palavras lhe fornece o que você precisa em troca daquilo que você tem. Eu vendo um pouco mais caro o que comprei mais barato e ganho algum dinheiro com isso.
- Parece justo
- Mas esse capitalismo que praticamos na Internet não oferece margem de lucro. A relação com o tempo é nenhuma. É com a usura e o crédito que se enriquece. A época de São Tomás de Aquino, século XIII, um período marcado socialmente por muitas transformações, como a crise do sistema feudal, se discutiu bastante se buscando saber o preço do tempo. Mas este pertence a Deus. A conclusão a que se chegou, no século XIII foi de que o tempo não se podia comprar. Isso eliminava de vez a usura e os juros que judeus agiotas costumavam cobrar dos seus devedores. Não era um bom tempo para bancos e os consignados ainda não existiam. O que se pedia emprestado se pagava com a mesma soma e tudo bem. Que bom tempo... Sem banqueiros!
- E hoje em dia?
- Hoje em dia temos mais essa vertente do capitalismo, que vampiriza os nossos textos, nossas vidas, banquetes, viagens, romances e tretas. Tudo compartilhado pra alimentar o grande irmão...que resolveu morar nas nuvens...


( DIÁLOGO INSPIRADO E ASSUMIDAMENTE COPIADO E COLADO - de texto do FILÓSOFO, PUBLICITÁRIO E POETA MANOEL PEREIRA. ESPERO QUE ELE NÃO ME PROCESSE...)




sábado, 28 de outubro de 2017

APA

Boa noite meus amigos. Estamos todos aqui pelo mesmo motivo. Para falarmos de nossos esforços em nos livrarmos desse vício terrível de só pensarmos em política. Por isso estamos aqui na APA, Associação dos Políticos Anônimos, pra contar as nossas experiências no caminho da cura. Quer contar a sua história, irmão?
- Bom. Eu estou há dois dias sem comentar sobre política na internet. Não está sendo fácil, mas estou resistindo com todas as minhas forças.
- Palmas para o nosso amigo... ( Palmas)
- Mais alguém quer dar o seu testemunho?
- Eu aqui ó...
- Pode falar, meu amigo.
- Eu tava no boteco hoje e um cara falou mal do Lula. Ele falou que o Lula era ladrão e eu não retruquei.
- Parabéns...
- Disseram que o Lula era dono do Triplex e do Sitio em Atibaia...eu fiquei quieto...
- Muito bem.
- Mas quando falaram que o Temer tava até fazendo um bom governo eu não aguentei...parti pra cima do sujeito e teve de juntar gente pra separar.
- Calma, meu amigo. Toma aqui um copo de água com açucar...você precisa se desapegar...isso não faz bem...lembre-se do nosso lema:  POLÍTICA ZERO É TUDO QUE EU QUERO.
- Aqui...por favor...eu também quero dar meu testemunho.
- Mas claro...fique à vontade...
- Eu estou há uma semana sem fazer comentários sobre política no facebook.
- Palmas pra ele...mas como conseguiu essa proeza?
- Uai...eu tava passando o dia inteiro discutindo com os petralhas na internet né? Era debate o dia inteiro. Parei de trabalhar, não paguei  as contas e cortaram minha internet.
- Então foi providencial. Assim você fica de fora, aproveita e não volta mais ao vício.
- Aqui...posso usar da palavra?
- Mas é claro.
- Eu acho que nós não devemos parar de falar de política. Muito pelo contrário. O Brasil precisa da participação, da opinião dos cidadãos.
- Mas meu amigo. As pessoas estão abandonando as suas vidas pessoais, amigos estão desfazendo a amizade de anos por causa desse vicio.
- Eu acho que certos vícios são até benignos. A cerveja por exemplo. Quer coisa melhor que uma cerveja?
- Mas você está mudando de assunto. Espere aí...você não está aqui pra se tratar.
- De jeito nenhum. Estou aqui pra ver se arranjo uns votinhos. Sou candidato a vereador. Queria deixar uns santinhos com vocês. Como é que a Associação se chama mesmo?
- APA...
- E APA quer dizer o que mesmo?
- APA PUTA QUE O PARIU!