segunda-feira, 29 de outubro de 2018

E AGORA ?

Enquanto isso aquela casa acordava ...


- ... Julia...hora de acordar...vamos...
- ... Hein? Eu não quero levantar dessa cama mais
- Por que? Vamos...vamos...hora da escola!
- Eu não estou acreditando...
- Acreditando no que?
- Que o Brasil elegeu aquele misógino.
- Mis o que? 
- Misógino,
- No meu tempo tinha miss brasil, miss minas gerais, miss universo...
- Nossa pai...o senhor tá desatualizado hein
- Ih menina...eu não tenho tempo pressas coisas não. Eu tenho de dar duro.
- Misógino é aquele que não trata bem as mulheres, que as trata como misoginia.
- Não me enrola não, viu Julia. Vou acender a luz...lá vai ó.
- Para pai...nossa...assim não dá...sabe o que é, pai? Ele é xenófobo além de tudo.
- Xenofobo? O que é isso?
- Pessoa que discrimina outras raças.
- Que não gosta de preto?
- Também...mas vai além disso...também discrimina índios, nordestinos.
- Mas isso é bobeira. Nós somos um país moreno...tudo misturado.
- Pois é...mas pra completar ele é homofóbico.
- Vcs não tem um palavriado mais fácil pra nomear as coisas não?
- Nossa, pai. Vc é muito obtuso...
- Eu sei é que a vida continua. Vamos levantar...vamos ...
- Deixa eu ir no segundo horário?
- Nada disso. O café tá pronto e busquei pão de queijo novinho na padaria...vamos....
- Tá booom! ...mas pai ???
- O que foi?
- E agora?


terça-feira, 9 de outubro de 2018

FOTOS LEGENDADAS - POR MARCOS MARTINO

Pessoal, eu gostei tanto do resultado do CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE, que resolvi fazer uma pequena galeria legendada 
com algumas fotos colhidas ao acaso. Um abraço em todos. 

Os trilhos perpétuos levam longe...
O trem leva o aço pro mundo
A cidade interage com a usina
O fogaréu azul impressiona desde sempre
A usina fumegante encanta e assusta
A delicadíssima Igreja São José ao Fundo
O Pau de Óleo foi uma nova descoberta
 onde a natureza ainda domina a paisagem
De onde a Laurita contempla o mundo
Agradeçamos por mais um dia
Que tal fazer aço a partir do sol
Que tal descer a Alberto Lima de bicicleta?
Que tal  um banho de mangueira?
Tá achando que é gente? 
Que tal um linda foto do amigo? 
A cidade se reconciliou com o céu
As pessoas olharam pra cima
E capturaram maravilhosas matizes de cores
Parece Júpiter
E pensar que tudo começou de uma Fazenda
E a cidade foi crescendo
E tornou-se uma espécie de capital
Mas que ainda tem  refúgios selvagens
Muita fé
e potencial pra alçar vôos...


sexta-feira, 5 de outubro de 2018

PREMIAÇÃO DO CONCURSO FOTOGRÁFICO - PARTICIPE !

Foto magistral de Bruno Guimarães
Hoje a partir das 18:30 vai acontecer a entrega dos prêmios do CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE. Foram 148 fotos inscritas, visões da cidade retratadas por diversos fotógrafos. 
O objetivo foi incentivar a prática fotográfica, tirar as pessoas de casa pra olhar o mundo, levá-las para o campo, para as periferias, para fora e para dentro,  fazer com que vissem e nos revelassem belezas ocultas...ou tão na cara que ninguém vê. 

Pau D'Oleo - nova fronteira
Por causa do concurso, nossos intrépidos fotógrafos manifestaram seu amor pelo seu loco, fizeram incursões e nos revelaram por exemplo um lugar como o "Pau d'Oleo", que muitos nem sabiam existir. 

Foi muito bacana também a interação esse tempo todo, o envolvimento de várias pessoas que adoram arte e fotografia e nos apoiaram desde o primeiro minuto.

HOJE ÀS 18:30 - NO AUDITÓRIO DA CDL serão revelados e entregues os prêmios para as categorias VOTO POPULAR, VOTO JURI TÉCNICO e PRÊMIO MEMÓRIAS DO AÇO. 

Haverá premiação em dinheiro e outros ofertados pelos patrocinadores.

Teremos também a exibição de um vídeo editado com as fotografias do CONCURSO, compondo um lindo painel do que foi o certame.

Queremos agradecer a presteza do Marcelo Bicalho e Ana Luiza do Hiper, do Luiz da Ludor Soluções Tecnológicas, à Jacqueline e Nádia da República Literária, o renomado fotógrafo Bruno Guimarães, a Rádio Alternativa pela força na divulgação, ao pessoal da JM Confecções, ao Luiz e equipe da CDL, sempre  generosos. Também ao pessoal da UOLOL Fotografias.

Agradecemos também aos maravilhosos fotógrafos que nos emprestaram seu talento. São eles  Jessica Quaresma, Ademir Silva, Gustavo Mota, Laurita Santos, Gabriela Miranda, Lucas Felipe(SanModels), Bia Melo, Paulo Santos, Lucinéia Maia/Rafael Maia, Pedro Américo de Barros, Rafaela Vitalina, Simone Geralda dos Santos, Savio Figueira Correa, Aline Cotta, Carla Lisboa, Leandro Jonas da Silva, Samuel Domingos da Silva, Fábio Rodrigues Barroso, Murilo de Freitas Santi, Niemar Silva e Sérgio Henrique braga.
E pra finalizar, agradecemos aos amigos da imprensa, fotógrafos e patrocinadores que nos ajudaram a compor o juri técnico. São eles: Márcio Passos, Bruno Guimarães, Lutécia Espechidt, Anselmo de Oliveira, Francisco Barcelona, Marley Melo, Claira Ferreira, Wir Caetano, Jéssica Couto, Rogério Ribório, Luz Carlos Dorneles( Ludor), Junio Queiroz(Rádio Alternativa), Ana Luiza( Hiper Comercial Monlevade), Aluízio Bittencourt (Uolol) e Jacqueline Silvério( República Literária).

Marcos Martino - Sheila Malta

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

CLAUDINEY PENAFORTE ME ENTREVISTOU

Fui surpreendido pelo convite do escritor e youtuber de Caeté, Claudiney Penaforte, para uma entrevista pro canal de internet dele. Eu que estou acostumado a entrevistar, desse vez seria o inquirido. Mas foi legal. Optei por não me preparar, pra responder de forma espontânea. Foi bacana.Falamos de diversas coisas, de música, cultura, tecnologia, política. O mais curioso é que conheci o Claudiney pela net. Ele lia minhas colunas no Jornal Bom dia e me convidou para escrever para uma revista eletrônica que ele sempre divulga. Mas vamos à entrevista.

Entrevista 1ª parte

Entrevista 2ª parte
Entrevista 3ª parte
4ª parte

quinta-feira, 19 de julho de 2018

O MESTRE MOACYR FRANCO

O CENÁRIOS teve a honra de entrevistar  o grande Moacyr Franco que estará se apresentando em Monlevade no dia 17 de agosto na Casa de Eventos Kissussêgo. Moacyr é um artista magnífico, compositor de diversos clássicos da MPB, cantor, compositor, ator, humorista e ecoambientalista. No final você poderá conferir algumas canções mais representativas da carreira do artista. E também poderá ouvir a entrevista na íntegra. Ela foi dada por telefone. A entrevista escrita foi editada por causa do espaço.

CENÁRIOS - Moacyr, como é o seu show hoje em dia. Você canta mais clássicos da sua carreira ou também músicas novas?

MOACYR FRANCO - Eu devo cantar entre 20 e 30 músicas dessas famosas que tem disco de ouro. Não é um show apenas musical. É misturado. Eu gosto de contar piadas. Esse pessoal do Standup vai nos meus shows e ficam bestas, ficam zonzos. Mas que diabo de show é esse? ( risos).

CENÁRIOS - Você leva a sua Banda, Moacyr?

MOACYR FRANCO - Eu levo 5 músicos

CENÁRIOS - Quais foram seus grandes sucessos?

MOACYR FRANCO - Eu comecei 10 anos antes de Jovem Guarda na TV Excelsior. Tudo começou com "Me dá um dinheiro aí...

CENÁRIOS - Me dá um dinheiro aí é sua? Isso eu não encontrei na internet. É um clássico dos carnavais.

MOACYR FRANCO - Sim...é de 1960...campeã do carnaval.  Na olimpíada foi usada no encerramento.

CENÁRIOS - Você tem uma música que você considera a sua melhor.

MOACYR FRANCO -. Pedágio é uma música que considero muito boa. E pessoas que convivem comigo consideram a Canção da Estrada.

CENÁRIOS - E teve aquela música maravilhosa sobre o Garrincha. Um clássico Maravilhoso, um arranjo de chorar de tão bonito.

MOACYR FRANCO - Ah tá...a Balada nº 7...quem fez o arranjo foi o maestro Ciro Pereira. Ele foi maestro da sinfônica... eu trabalhei com os maiores maestros brasileiros.

CENÁRIOS - Moacyr. Vc consegue viver de direitos autorais?

MOACYR FRANCO - Ah...eu parei de me preocupar com isso. Não adianta nada. Olha, eu sou ecologista, meio ambientalista, eu crio abelha, eu crio peixe, planto árvores a 40 anos, recuperador de minas e nascentes, mas nunca mais me preocupei com essas questões oficiais...

CENÁRIOS - Quando jovem, você pensava em fazer o que na vida?

MOACYR - Eu queria ser cantor mesmo. Eu era pintor.

CENÁRIOS - E a veia humorística? Como pintou?

MOACYR FRANCO - Ah foi a convivência com o pessoal de humor. Eu tinha amigos como Rogério Cardoso, Gilberto Garcia. A gente se encontrou na Rádio Clube de Ribeirão Preto, que era uma espécie de Rede globo para promover artistas. Inclusive o Boni veio de lá

CENÁRIOS - O que foi fundamental no seu inicio de carreira. Vc teve dificuldades ou tinha uma vida financeira tranquila que lhe permitia um início não tão sacrificado.


MOACYR FRANCO - Não. O início era muito sacrificado. A carreira começava em programa de calouro. Ninguém começava com agencia de publicidade ou com lançamentos como hoje. Hoje se vc for bem lançado em uma semana já é sucesso. Antigamente se levava 15 anos para um artista ficar conhecido. Eu cantei muito em circo, programa de calouro, cronner de orquestra. Dormi muito em chão de ônibus. Eu não estou lamentando não! Isso ajudou na minha formação. Na pessoa boa ou má que me tornei.

CENÁRIOS - Você tem trabalhos com temas românticos, religiosos e sociais. E temas ambientais?

MOACYR - Eu tenho um trabalho muito sério. Eu tenho uma música chamada Inteligência é loucura.  O ultimo verso é assim: " que seja um homem feliz...quem tem no bicho, um irmão. Que seja a minha riqueza, o que couber nessa mão". A última que fiz foi por causa dos venenos que os nossos políticos aprovaram, passando por cima de tudo. Querem acabar com o resto que temos...a abelha tá acabando...se as abelhas acabarem, em 4 anos a humanidade acaba. Eu publiquei uma frase há pouco tempo. É o seguinte: "o ser humano não merece conviver com os animais inteligentes".

CENÁRIOS - Como é seu processo de composição? Vc usa só o violão, piano?

MOACYR - Eu uso violão. Mas minha música é muito singela. Eu gosto é de contar histórias que tenham um desfecho.

CENÁRIOS - Bom é que você tá com muita vitalidade, né Moacyr?

MOACYR - É mais eu tenho trabalhado muito. Eu sou um artista muito barato então tenho de trabalhar muito mais pra pagar as contas. Mas como o trabalho me dá muita alegria, eu tô sempre lidando com um público muito inteligente, vivido, pessoas que conversam comigo e vão nos meus shows, são pessoas que são avós, pais, irmãos, conhecem o Brasil, a música. É um público bom de se lidar.

MEDIOPIRA - O que vc acha do Funk?

MOACYR - Eu acho que em todos os gêneros tem coisas boas e ruins. Os rappers por exemplo, tem caras muito bons. Estão misturando com outros estilos.

CENÁRIOS - E a internet. Vc acha que ajuda o seu trabalho?

MOACYR - Eu acho que internet prejudica é a parte humana. O ser humano não pode abrir mão da infância, adolescência, de brincar e saber o que é a terra, a vida. Não somos eletrônicos. Quem não subir numa árvore, bebear agua de um pote eu acho que tem mais dificuldades de ser feliz. Isso é legal pra comunicação, mas não pode ser seu professor. 

CENÁRIOS - Pra finalizar, uma mensagem pro pessoal de João Monlevade

MOACYR - Podem ir sossegados que não vai ter novidade nenhuma...(risos)

CENÁRIOS - Muito obrigado pela generosidade da entrevista.


E para que os amigos conheçam um pouco mais da genialidade do Moacyr, 
deixo uma lista com algumas das canções mais importantes da sua carreira

 Me dá um dinheiro aí, um clássico dos carnavais


                                  A Balada nº 7 foi um tributo ao Grande Garrincha.


Seu amor ainda é tudo é um clássico sertanejo


O milagre da flecha é outro clássico gravado por vários


A música da estrada é considerada uma das suas melhores


A Balada para um louco é uma coisa...maravilhosa


Pedágio é uma das preferidas do próprio Moacyr


Tudo vira Bosta...com a grande Rita Lee


E pra fechar com chave de ouro...INTELIGÊNCIA É LOUCURA


E pra finalizar, a entrevista na íntegra.



quinta-feira, 5 de julho de 2018

IT'S RAINING BUS...ALELUIA!

Na década de 80 havia uma música divertidíssima que fez muito sucesso. 
O nome da música era "It's Raining Man". 
Pois aqui em Minas tá chovendo é ônibus
It's raining bus, aleluia!!!





quarta-feira, 13 de junho de 2018

BRASIL...TUM DUM DUM...BRASIL...TUM DUM DUM!

Enquanto isso, aquele casal se encontrou perto do Barzinho...

- Oi, amor. Tudo bem?
- Tudo bem? Mas como tudo bem? Vc tá ficando doida?
- Uai. O que é que tenho de errado?
- Essa camisa da seleção. Vai na sua casa correndo e troca...
- Como é que é?
- Eu já falei...vai em casa correndo agora e tira essa camisa verde amarela. Mulher minha não vai sair com camisa de golpista.
- Mas o que é isso. Vc pirou?
- Pirei nada. Vc não tem vergonha? Essa camisa é de coxinha, daquela turma do pato amarelo. É do Temer, aquele Joaquim Silvério dos Reis moderno.

- Mas amor...isso é bobagem. O Brasil ficou conhecido mundialmente por causa dessa camisa amarela. Ela é linda. Tem cor de ouro...do sol que nos ilumina o ano inteiro.
- Que nada. É camisa da CBF, um antro de corrupção. Essa camisa só nos envergonha.
- Nos envergonha? A camisa que foi de  Pelé, Garrincha, Nilton Santos, Tostão, Romário, Zico, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho? É uma camisa histórica, isso sim.
- Você vai me desculpar, mas não entende nada de política. Tire essa camisa já.
- Só se for pra fazer striptease. ..
- Não brinca comigo hein? Estou falando sério.
- Que isso amor. Deixa de ser limão azedo. De 4 em 4 anos eu visto essa camisas e me sinto, sei lá, mais brasileira. Eu adoro.
- Minha nossa. Vc tá correndo risco de vida. É sério. Se sair com essa camisa, arrisca levar pedrada...até tiro.
- Mas isso é um absurdo. Não são as cores do nosso país? Por que tenho de ter medo de vestir as nossas cores em nosso próprio país. Tem alguma coisa muito errada!
- Mas dessa vez não vai colar. Vá em casa agora e pegue outra camisa. Pegue aquela do Che Guevara que é muito legal.
- Ah...mas eu não vou trocar mesmo  Eu amo essa camisa. Comprei na copa de 2014 e tá novinha.
- Então tá tudo terminado. Mulher minha não veste essa camisa de jeito nenhum,
- Então tchau...Brasil...tum...dum...dum...Brasil...tum dum dum.